Tag archive

O Barão Vermelho

Cholagutt

Fevereiro 14, 2019 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Hugo Pinto

Cholagutt para os adeptos do Benfica. Rennie e Kompensan, que tomem os outros. Chegou a nossa vez.



Se os dois últimos são bons para a azia, o primeiro é muito bom para o enfartamento. E no caso do último jogo do Glorioso, bem que os adeptos tiveram de tomar algo para ajudar a digerir tal barrigada de golos. Uma vitória por 10-0 não é escandalosa. É pornográfica! Para satisfação dos benfiquistas, obviamente. O Nacional da Madeira, que até nos tem habituado a que seja um adversário difícil, teve uma noite para esquecer. Ao Benfica saía tudo bem. Mais do que bem, perfeito. Assistimos, assim, a um fenómeno que eu chamo de CeltadeVigoGate2000. Numa noite de má memória para todos nós, se bem se recordam, e numa fase em que o Benfica andava na mó de baixo, defrontamos um Celta de Vigo que estava em grande forma. Sofremos sete, sem resposta. Só que desta, foi a nossa vez de estar na mó de cima. E a vítima foi o Nacional. Dez a zero, ninguém merece. Mas aconteceu. A verdade é que só ganhámos 3 pontos. Mas, e era da falta disto de que eu tanto me queixava no período Rui Vitória, acima de tudo, assistimos a um idílico espetáculo de futebol, entusiasmante, empolgante e com golos. Muitos golos. Afinal é disso que vive o (bom) futebol: GOLOS!

Outro aspeto a salientar, é o facto destes miúdos que nasceram pela décima vez, mas de tal forma craques que faz pensar que, às tantas, cinco vezes chegavam. A formação do Benfica é, neste momento, uma mina de ouro. Só faltava um treinador à medida. E fomos descobri-lo…à formação! Estamos perante um fenómeno tal, que podemos afirmar que, na Luz, santos da casa fazem milagres.

Atualmente, é com uma enorme alegria que digo que aguardo com ansiedade pela hora do jogo e pelos dias em que joga o Benfica. Por muitos “pisões” que nos deem, hoje sim, podemos dizer: “NINGUÉM PÁRA O BENFICA!

Saudações gloriosas!

E pluribus unum.

Por: Hugo Pinto*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Alegria!

Fevereiro 7, 2019 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Hugo Pinto

Alegria parece definir, numa só palavra, o sentimento generalizado da nação benfiquista, dos adeptos aos jogadores.



No caso dos adeptos, pela razão óbvia dos resultados. Mas também, e eu em particular, pelas agradáveis exibições. Atualmente, dá gosto assistir aos jogos do Glorioso. Bruno Lage parece ter descoberto a fórmula do sucesso, para formar uma equipa a valer, em vez de um punhado desorganizado de bons jogadores.

Depois de duas exibições promissoras, tivemos o primeiro grande teste frente ao FCP, na Final Four da Taça da Liga. À parte de uma má arbitragem, foi um bom jogo, muito aberto, muito corrido, e em que nunca o SLB se encolheu perante um adversário teoricamente mais forte. Perdemos, mas foi um belíssimo espetáculo.

Já no jogo com o Boavista, tivemos direito a festival de golos e a mais uma exibição encantadora de João Félix. Frente a um Boavista longe dos seus tempos áureos, o resultado, mesmo dilatado, não foi surpreendente.

Em Alvalade, toda uma outra história. Jogámos frente a um dos arquirrivais e estava tudo em aberto. Um jogo de tudo ou nada em que ambas as equipas precisavam de ganhar. Mais do que a vitória, nova goleada e nova exibição de gala.

De lamentar, apenas as atitudes démodés de alguns elementos ou agentes do mundo do futebol, que continuam a armar em virgens ofendidas, ou a cinicamente professar uns ideais e a fazer o seu oposto. Depois, lemos e/ou ouvimos afirmações em que como estratégia de um desporto se recomenda um “pisão” (leia-se: uma agressão deliberada) num colega de profissão. Enfim, são escolas

Agora, como nunca antes,

Viva o Benfica. Et pluribus unum.

Por: Hugo Pinto*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Ponto Chiclete

Janeiro 18, 2019 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Hugo Pinto

Vermos nosso querido glorioso jogar é já uma experiência muito mais agradável que o era num passado ainda muito recente. Ainda não estando perfeito, é um futebol muito mais ofensivo, com mais gente na área, não sendo por acaso que se marcam mais golos. E da mesma forma que se marcam mais golos, também se sofrem menos. Tantas vezes eu referi que quem está a atacar, não tem de estar a defender. É de La Palice.



Estar melhor não é, porém, estar bom. Aliás, como aprendi bem cedo, o bom é inimigo do ótimo. E não há maior pecado do que contentarmo-nos com o “já está bom”, hipotecando assim o excelente. O nosso Benfica, pois, ainda não está bem em ponto rebuçado. Está mais em ponto Chiclete. O sabor está lá, a consistência ainda não. Com certeza pelo facto do o novo treinador ainda não ter tido tempo de implementar por inteiro o seu modelo de jogo. Mas, a seu tempo, veremos se isto vai continuar a ser bom, ou passar a ser excelente. Seja como for, já ganhamos pelo facto de jogarmos um futebol arrojado, sem cobardias, nem medinhos patéticos.

Hoje teremos mais uma prova de fogo, frente a um sempre difícil Vitória de Guimarães. Não se espera que saia já tudo perfeito. No entanto, é com alguma expectativa que aguardo por este jogo para ver se há algum tipo de evolução, ou se começamos já a perceber um modelo definitivo de jogo ou um “onze típico”.

Acima de tudo, espero por 90 minutos bem passados, de preferência com uma vitória com alguns golos.

E viva o Benfica. Et pluribus unum.

Por: Hugo Pinto*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

 

Como água do vinho

Janeiro 11, 2019 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Hugo Pinto

Ano novo, vida nova. Mas esteve por pouco para continuar a ser a “velha vida”.



Todos perceberam que eu já não suportava, nem mais um segundo, o futebol enfadonho do Rui Vitória. Depois, comecei a embirrar também com o Rui Vitória, sobretudo agora mais no final. E eis quando me preparava para começar a embirrar com o Vieira, acontece o inevitável: Rui Vitória na RUA!!

A embirração com o Vieira passava apenas pelo facto de manter RV a todo o custo, quando era clarividente que já não havia as menores condições para tal.

Já o Rui Vitória, era de uma mediocridade insuportável. No empate para a Taça, aquela desculpa “natalícia” de que os jogadores estavam descentrados e que se fosse preciso ganhar, teriam ganho, deu-me a volta ao bolo-rei. No Benfica só se joga para ganhar. Se ele não sabe isso, nunca deveria sequer ter sido contratado.

O jogo com o Portimonense parece ter sido, finalmente, a gota de água. Ainda bem que os desgraçados dos centrais cometeram dois erros infelizes. Se esse é o preço de ver o RV na RUA, por mim, foi barato. O jogo em si, estava a ser tão mau como qualquer outro dos anteriores. Mas, não o parecendo, os nossos azares foram a nossa sorte.

Prova provadíssima de que quase tudo aquilo que escrevi até hoje estava, mais ou menos, certo, foi o último jogo, contra o Rio Ave. O SLB apresenta-se num 4-4-2, com Seferovic mais fixo e o João “miúdo-maravilha” Félix mais solto, nas costas do ponta de lança. Dois extremos e dois homens a fazer jogo no meio campo. Resultado: 4-2. Mesmo quando estávamos a perder por 0-2, pelo futebol que então jogava, eu acreditei que iríamos ganhar aquele jogo. E disse, a quem estava comigo a ver o jogo e é testemunha, “hoje vamos ganhar por 5-2 ou 6-2”. Errei. Por um. Ganhámos com 4 golos. Bom futebol, muitos lances de ataque e… golos. Porque, pura e simplesmente, tínhamos homens na área. Muitos. E, repito e repetirei sempre: no futebol a melhor defesa é o ataque. Simplesmente, se estamos a atacar, obrigamos os outros a defender. Simples como 2+2=4. E mesmo correndo o risco de sofrer 2 golos, habilitámo-nos a marcar 4. E o meu povo gosta. E há espetáculos e sem Rui, há vitória.

A manutenção do treinador até final da época, parece-me bem. Gostei do que vi. Gostei do arrojo, do atrevimento. Como escreveria Virgílio: “Fortuna audaces juvat” (a sorte favorece os audazes). E só para deixar água na boca, houve um interino, há uns anos, que estava provisório, foi ficando, e ficando, e hoje é um dos melhores de sempre (se não, o melhor). De seu nome, Josep Guardiola.

E viva o Benfica. Et pluribus unum.

Por: Hugo Pinto*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Barrigada

Dezembro 28, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Hugo Pinto

Depois de tanto “bater” no treinador e equipa, eis que surge o presente de Natal que os Benfiquistas tanto ansiavam. O Benfica a jogar à Benfica. Com goleada e tudo.



É certo que não vimos o melhor Braga desta temporada. Mas também não é menos verdade que vimos, provavelmente, o melhor Benfica. Receio, até, que tenhamos visto uma exibição única, quando na verdade o que eu gostava mesmo era de ver o Benfica jogar sempre assim. Até podia ganhar por 1-0, mas que jogasse a sério.

Alguém acordou ou algum despertador tocou, mas a verdade é que os jogadores estavam irreconhecíveis, para melhor.

Vejamos se esta senda vitoriosa veio para ficar. Espero sinceramente que sim.

Ao contrário do habitual, resta-me dar os parabéns aos jogadores por saberem merecer o “manto sagrado” e ao treinador por, desta vez, ter sabido ser treinador Grande e de um Grande.

Aguardemos por mais, nas próximas jornadas.

Viva o Benfica. Estão de parabéns, todos.

A todos os leitores do Barcelos na Hora, com especial carinho aos benfiquistas, que 2019 seja um ano próspero e feliz. E prenda aos Benfiquistas, lá para maio.

Por: Hugo Pinto*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

The highlights

Dezembro 20, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Hugo Pinto

Olá, companheiros Benfiquistas.

Na crónica de hoje vou aproveitar para, ao contrário do habitual, referir os pontos altos do nosso Glorioso, até ao Natal (sendo que ainda iremos jogar com o Braga no dia 23).



Então, é ainda com a magnífica exibição do Benf…do Rui Vitória em Montalegre, que faço notar os seguintes momentos de glória e virtuosismo encarnado às mãos deste mago do empata por 1-0:

Ferva o leite com o açúcar, a casca de limão e os paus de canela. Deixe arrefecer e retire a casca de limão e os paus de canela.
Entretanto bata os ovos.
Depois de o leite já estar frio, passe as fatias de pão pelo leite e depois pelo ovo batido.
Frite as fatias de pão dos dois lados em óleo quente.
Escorra-as sobre papel absorvente e polvilhe com uma mistura de açúcar e canela.
Poderá regar as fatias douradas com uma calda de açúcar, se for da sua preferência.

A todos, votos de um Excelente Natal! E de um treinador novo no sapatinho.

Bem hajam. Viva o Benfica!

Por: Hugo Pinto*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Que luz foi essa, Vieira?

Dezembro 13, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Hugo Pinto

Caríssimos leitores.

Cada vez mais me custa escrever esta crónica. Não por si mesma, mas porque aquilo que tenho para dizer se vai tornando tão monótono e repetitivo como os jogos do nosso amado SLB.



Aquilo custa mesmo ver. Não me prende 15 minutos seguidos. Jogos há em que adormeço por alguns instantes. E não, não estou a ser metafórico. Chego a adormecer. Eu sei que é no nosso Benfica. Mas este não é “O” Benfica. É uma equipa medrosa, indolente, taticamente medíocre, que defende sofrivelmente e ataca “ao calhas”. Vive à espera de milagres fruto de talento individual. E não pode ser.

Este Benfica de Rui Vitória nunca me agradou. Não sou nenhum iluminado, nem tenho especiais dotes de “olheiro”. Mas sei fazer análises factuais. E é factual que desde a chegada de Rui Vitória ao Benfica que o paradigma começou a mudar. Foi dois anos campeão, mas, parece-me, a conduzir o Ferrari do outro. Agora é preciso mudar o óleo ao Ferrari e ao que dá a perceber, este treinador nem o pneu sabe mudar.

O futebol que o SLB joga hoje lembra muito a mediocridade de Quique Flores ou o estilo de “tiki taka dos chineses” desse “guru do futebol” que é Lopetegui.

Veja-se o exemplo do Sporting. Apenas mudou de treinador e os jogadores parecem outros. Jogam que se farta. E no Benfica, a mediocridade e o fastio do costume…

E por tudo isto me custa tanto, cada vez mais, escrever estas crónicas, em tom de agreste avena ou frauta ruda, e não de tuba canora e belicosa.

Troca de treinador, Vieira. Troca, por Toutatis e Belenos. Por Marte ou por Ceres. Por Júpiter, por Rã. Por Cristo ou Maomé. Pelo amor ao Deus ou profeta que tu quiseres… Mas troca. Para que a minha próxima crónica comece como a d´O poeta mor:

Que eu canto o peito ilustre [Glorioso],
A quem Neptuno e Marte obedeceram:
Cesse tudo o que a Musa antígua canta,
Que outro valor mais alto se alevanta.

E viva o Benfica.

Por: Hugo Pinto*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

O Campeão (já) voltou (?)

Dezembro 6, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Hugo Pinto

Era bom que sim. Muito se passou desde a última vez que escrevi esta crónica. Más exibições do Benfica; Rui Vitória na calha para sair. Uma manhã de alívio e alegria seguida de uma tarde de desilusão. E no fim, tudo na mesma.



A Filipe Vieira “acendeu-se-lhe” uma luz e tudo na mesma no ninho da águia.

Ora, todos nós estávamos expectantes para ver o que dali viria. Um treinador, quanto a mim, ainda mais sem condições, a partir do momento em que foi à “mestra” levar duas reguadas e depois não apresenta rigorosamente nada de novo aqueles com quem trabalha.

Exemplo disso foi o jogo logo na jornada a seguir. Na primeira tarde vimos o futebol tedioso do costume. Mas depois do intervalo e da ida de LFV ao balneário, admirável mundo novo, os jogadores “aprenderam” todos a jogar futebol e ganhámos por 4. Afinal, o que tem faltado naquele balneário é uma voz firme (e novidades?).

Para a Taça da Liga nova vitória, mas continua a não convencer. Vamos a ver o que nos trazem os próximos “episódios”.

Saudações encarnadas.

Por: Hugo Pinto*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Previsão/vontade meteorológica

Novembro 17, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Hugo Pinto

Oxalá Chova. No dia 1 de dezembro havia de chover muito em Lisboa. Mas de uma forma tão clamorosa, que o fabuloso relvado do Estádio da Luz ficasse um tudo nada, digamos, encharcado. Pesado.

Assim, aquela espécie de tiki-taka-dos-chineses do RV não funcionaria, as bolas longas pelas alas não funcionariam e o Feirense acabava a vencer 0 – 1 ao intervalo.



Em desespero e com a coragem de quem já não pode fazer pior do que perder, RV fazia o que fez na última jornada e passava a jogar com dois avançados. Assim, quem sabe, acabaríamos a ganhar por 3-1. O RV não sabe, mas para marcar golos é preciso ter homens na frente, diante da baliza.

Dia 1 de dezembro também se comemora o Dia da Independência do domínio dos espanhóis. E vai-se a ver, conseguíamos enviar o nosso “espanhol” de volta para onde veio. Duvido que lá o quisessem. Mas isso já não era problema nosso.

Poderíamos, então, iniciar o nosso calendário do advento desportivo e começar a contar os dias até a vinda de Jesus (par)à Luz. Quem diz Jesus, diz André Villas-Boas, que está sem clube e diz que procura um clube em que o queiram. E assim como assim, quem engole um lagarto, também engole um sapo, para ter um Andrade a treinar as papoilas saltitantes. Desde que com isso se jogasse bom futebol e ganhássemos jogos.

Assim me despeço, um vosso amigo e lampião desconsolado.

(Oh Vieira, manda lá o RV plantar couves para o Natal…chiça…)

Por: Hugo Pinto*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

As manchas e os maus treinadores, removem-se com Ajax

Novembro 9, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Hugo Pinto

Já dizia o Eça, que o “os governos são como as nódoas: removem-se com benzina”. Inspirado nele, eu digo que os maus treinadores são como as manchas, removem-se com Ajax.



É certo que também o Eça tinha um outro aforismo, também muito engraçado, em que dizia que “os governos e as fraldas das crianças devem ser mudados com frequência, normalmente pelo mesmo motivo”. Aí, discordo. Por exemplo, se ainda hoje tivéssemos o JJ como treinador, talvez já fossemos penta, hexa…, e quem sabe ele teria aperfeiçoado a arte de ir a finais europeias e ganhá-las. Sim, porque isto de ter como objetivo passar aos “oitavos” das competições, mas ser sistematicamente o último do grupo, não ajuda nada à causa.

Assim, foi com imensa alegria que li esta semana que havia a possibilidade de Jesus voltar à Luz em dezembro. Ainda fiquei com receio que fosse uma partida de mau gosto. Porque Jesus vir à luz em dezembro, acontece todos os anos e, normalmente, comemora-se com a missa do galo. Mas espero, para bem de todos nós, que seja mesmo o Jorge Jesus a regressar ao SLB, para que de novo sejamos gloriosos. Nós e ele. Haja um Rei-Mago que o traga. Não deve ser por falta de camelos, lá por aquelas bandas.

Quanto aos recentes jogos do Benfica… é isto. É ler crónicas em retroativo até janeiro, s.f.f.

Esperemos que o Natal, este ano, chegue em novembro e nos traga a desejada prenda no sapatinho.

A todos um abraço lampião.

Por: Hugo Pinto*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

1 2 3 5
Ir Para Cima