Tag archive

Paisiel

Lena D’Água é uma das 14 novas confirmações do Milhões de Festa

Agosto 10, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Há mais 14 nomes confirmados para o “Milhões de Festa”, que se realiza entre 6 e 9 de setembro, em Barcelos, numa organização da Câmara Municipal em parceria com a promotora Lovers & Lollypops.



Lena D’Água e Primeira Dama com a Banda Xita, Mouse on Mars, The Bug feat. Miss Red, Scúru Fitchádu, Vaiapraia e as Rainhas do Baile, Grabba Grabba Tape, The Evil Usses e Paisiel são os grupos confirmados, mas porque o festival também se faz na pista de dança, o “Milhões” vai receber DJ K-Sets, DJ PayPal, Cumbadélica, Eduardo Morais, Independent Music Podcast e os DJ’s da Casa.

O festival já tem alinhamento diário, que revelaremos abaixo. Os bilhetes diários já estão à venda, por 20 euros. O passe geral custa 60 euros. O primeiro dia é de entrada livre.

Os novos nomes juntam-se aos já anunciados Electric Wizard, Squarepusher, Os Tubarões, Nubya Garcia, Gazelle Twin, Circle, The Heliocentrics, 700 Bliss, Bala, Natalie Sharp apresenta BodyVice, The Mauskovic Dance Band, UKAEA, Warmduscher, Pharaoh Overlord, Mirrored Lips, Indignu, WWWater, Krake Ensemble, Cacilhas, Afrodeutsche, Ensemble Insano, Suave Geração, Kink Gong, Gonçalo e Tajak.

Em breve serão anunciados os últimos nomes do festival.

Reconhecidos como um dos mais definidores e versáteis projetos de eletrónica alemã, a dupla Mouse on Mars forjou uma linguagem musical única, que oscila entre o caos incontrolável e as estruturas meticulosamente montadas. Livres de escolas, convenções de género e os constrangimentos do mercado estabelecido, Jan e Andy trabalham há mais de 24 anos no mapeamento do seu próprio percurso, entre pop, arte, música de dança e criação avant-garde.

Será, porventura, um dos nomes fetiche do “Milhões de Festa”. Sob nomes como The Bug, Techno Animal, King Midas Sound ou Ice, Kevin Martin tem vindo a explorar as franjas do dub, da música experimental e do noise, assumindo-se como uma das mais transversais figuras na reinvenção e recontextualização da cultura sound system.

Regressa a Barcelos na companhia da provocadora Miss Red, MC israelita que, um dia, lhe saltou para o palco e roubou o microfone, e com a qual tem vindo a incendiar os palcos mundiais.

Começou a cantar na década de 70, ao lado dos Beatnicks, mas foi nos anos 80 que Lena d’Água começou a assumir-se como uma das mais marcantes vozes da pop-rock nacional. No boom do rock português, com os Salada de Fruta e a Banda Atlântica, antes de se aventurar a solo, pavimentou o caminho que a elevaria ao estatuto de ícone na música nacional. Neste concerto, sobe ao palco com Manel Lourenço, o cantor e compositor que se apresenta como Primeira Dama, e com os membros do coletivo Xita Records.

Scúru Fitchádu, do crioulo Escuro Cerrado ou Denso, é uma encruzilhada entre as linhas de baixo distorcidas, as baterias aceleradas, o noise e a concertina/ferro. Projeto mais recente do produtor Sette Sujidade, desbrava novas linguagens entre a tradição do funaná cabo-verdiano e a fúria do punk. O resultado é, por isto tudo, complicado, distinto, invulgar e sujo e tem tomado em assaltos de pancada o universo da música nacional.





Alinhamento diário:

6 setembro

Ensemble Insano

Indignu

700 Bliss

The Mauskovic Dance Band

DJ’s da Casa

7 setembro

Squarepusher

Circle

Warmduscher

Lena d’Água e Primeira Dama com a Banda Xita

Krake Ensemble

Scúru Fitchádu

Cumbadélica

Mirrored Lips

Cacilhas

Grabba Grabba Tape

DJ K-Sets

The Evil Usses

8 setembro

Electric Wizard

Gazelle Twin

The Bug feat. Miss Red

Nubya Garcia

DJ PayPal

Bala

Natalie Sharp apresenta BodyVice

Vaiapraia e as Rainhas do Baile

Afrodeutsche

WWWater

Kink Gong

Gonçalo

Eduardo Morais

9 setembro

Os Tubarões

Mouse on Mars

The Heliocentrics

UKAEA

Pharaoh Overlord

Tajak

Suave Geração

Paisiel

Independent Music Podcast.

Fonte: CMB.

Fotos: DR.

Imagem: MF (alterada).

Paisiel esta sexta-feira no Jazz ao Largo

Julho 25, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

No próximo dia 27 de julho, pelas 21h30, no Teatro Gil Vicente, atua o projeto musical Paisiel, do português João Pais Filipe e do alemão Julius Gabriel.



Esta é a terceira e última data deste Ciclo de Jazz, sendo que a sua programação esteve a cargo do Festival Jazz ao Largo, que tinha como objetivo alargar a oferta de jazz para além dos dias do próprio festival. Já agora, este Ciclo Jazz ao Largo é uma organização do Município de Barcelos.

Paisiel é o nome do projeto musical do baterista, percussionista e escultor sonoro João Pais Filipe e o do saxofonista alemão Julius Gabriel. Está alicerçado numa exploração individual do som e das possibilidades expressivas dos instrumentos, com a música deste duo a corresponder a um impulso de sistematização de referências, sem correspondências, nem afinidades óbvias – melodias texturadas e abstratas propulsadas por uma percussão simultaneamente mecânica e existencial, que se metamorfoseiam num transe cinético.

Músicos heterodoxos e digressivos, movendo-se livremente entre a música experimental, o jazz, o rock e restantes declinações indecifráveis de novas categorias musicais, João Pais Filipe e Julius Gabriel criam música radiográfica que habita algures numa zona intermédia entre a receção e a emissão de sinal, como uma central telefónica do cosmos.

A entrada é gratuita mas necessita reservar lugar.

Fonte e imagem: AB.

Pin It on Pinterest

Ir Para Cima