Tag archive

Partido Social Democrata - page 2

Caminhada Ecológica “Nas Margens do Cávado” a 15 de junho

Junho 11, 2019 em Atualidade, Concelho, Desporto, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

No próximo dia 15 de junho, pelas 9h30, realiza-se a Caminhada Ecológica “Nas Margens do Cávado”, organizada pela estrutura local do Partido Social Democrata.



O percurso inicia em Barcelinhos, junto à Ponte Medieval, e dirige-se para Rio Covo Santa Eugénia e Areias de Vilar. A participação é gratuita. Para mais informações, contactar 253 812 472 ou psdbarcelos@gmail.com.

Imagem: PSD B.

José Manuel Fernandes defende que “Melhores salários para todos deve ser desígnio nacional”

Junho 8, 2019 em Atualidade, Mundo, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

O Eurodeputado José Manuel Fernandes lançou, ontem, o repto para que Portugal assuma como “desígnio nacional” o objetivo de “garantir melhores salários para todos os trabalhadores”, porque isso implicaria “uma estratégia sustentável de desenvolvimento e progresso não só económico, mas sobretudo social e humanista”.



Num debate organizado pela UGT, em Vila Nova de Famalicão, subordinado ao tema “Penosidade no trabalho por turnos”, José Manuel Fernandes reconheceu que “há muitas indignidades salariais”, mas destacou o papel da União Europeia na promoção de valores à escala global, privilegiando a inclusão e a promoção de competências humanas como fatores fundamentais de desenvolvimento.

“Não podemos ter medo de acarinhar e estimular a iniciativa privada, o empreendedorismo, a competitividade e a produção de valor acrescentado. Só assim, com uma economia forte, assente nas pequenas e médias empresas, podemos triunfar à escala global e garantir, de forma sustentada, melhores salários para todos os portugueses, tanto do setor público como do privado”, defendeu o Eurodeputado.

Lamentando a existência de “salários demasiado baixos, até para trabalhos de elevada competência e exigência técnica”, José Manuel Fernandes reclamou uma postura social e humanista de exigência e ambiciosa, capaz de gerar “melhor qualidade de vida e uma economia forte”. E, sobre isso, advertiu que “não podemos confundir produtividade com mais horas de trabalho. Nem é com salários baixos que vamos construir uma economia mais forte à escala global”.

Também “sem medo da globalização”, José Manuel Fernandes assumiu a defesa de uma sociedade aberta, livre, sem fronteiras” e “com respeito pela democracia, pela diversidade, pelo multiculturalismo e, acima de tudo, pela dignidade humana”.

Nesse âmbito, destacou a ambição permanente da União Europeia pela promoção da qualidade de vida dos cidadãos, com forte valorização dos direitos sociais e da valorização das competências humanas, da investigação e da criação de valor acrescentado como fatores de diferenciação e de competitividade à escala global.

“Quem acha que podemos vencer a globalização com fronteiras fechadas, está enganado. Só em conjunto podemos vencer os desafios”, afirmou.

No debate moderado pelo diretor do Correio do Minho, Paulo Monteiro, participaram também o especialista em medicina do trabalho, Mário Freitas, o sociólogo e professor universitário, João Duque, e o deputado Nuno Sá. Na sessão intervieram, ainda, o presidente da UGT-Braga, César Campos, e o vereador da Câmara famalicense, Augusto Lima.

O trabalho por turnos abrange cerca de 20% dos trabalhadores da Europa. Apesar dos riscos e impactos negativos ao nível profissional, social e também familiar e da saúde dos trabalhadores, foi unânime o reconhecimento da necessidade insuperável da sociedade relativamente a serviços e operações em contínuo ou permanência. Nesse âmbito, importa salvaguardar legislação e regulação que façam valer “os princípios e valores da dignidade humana e da promoção da qualidade de vida para todos”, questão onde a UE se assume como líder mundial.

Fonte e fotos: JMF.

Câmara de Barcelos lança novo comunicado sobre detenção do seu Presidente

Junho 4, 2019 em Atualidade, Concelho, Mundo, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

Hoje, a Câmara Municipal de Barcelos lançou novo comunicado sobre a polémica da detenção do seu Presidente, Miguel Costa Gomes, no âmbito do processo “Teia” e da instauração da medida de coação aplicada ao mesmo, de prisão domiciliária com pulseira eletrónica e proibição de contacto com funcionários da Câmara.



Leia o comunicado na íntegra:

«A Câmara Municipal de Barcelos tomou conhecimento ontem, dia 3 de junho, da decisão do Tribunal de Instrução Criminal do Porto acerca das medidas de coação aplicadas ao Sr. Presidente da Câmara Municipal e do anúncio do recurso daquela decisão.

A Câmara Municipal continuará a acompanhar de forma serena o desenvolvimento do processo até final do julgamento, convicta de que Miguel Costa Gomes provará a sua inocência.

O executivo municipal mantém-se no exercício pleno das suas funções e competências, no respeito pelo mandato que lhe foi conferido, garantindo o normal funcionamento dos serviços à população.»

Recorde-se que já anteriormente, aquando da detenção, o Município lançou um comunicado em que abordava o polémico assunto. Segue-se o referido comunicado, igualmente na íntegra:

«Comunicado do Município de Barcelos

Perante as notícias vindas a público, o Município de Barcelos vem informar que, no dia de hoje, foram realizadas diligências inspetivas por parte da Polícia Judiciária, as quais contaram com total colaboração institucional, designadamente na prestação/fornecimento de documentação e informação.

Não obstante o comunicado da Polícia Judiciária que veio a público, não se vislumbra como que se possa afirmar que já foi apurado o que quer que fosse quanto às diligências instrutórias do processo, que se encontram ainda em curso. Assim, temos como mero lapso as conclusões que a PJ escreve no seu comunicado.

O Município de Barcelos tem-se pautado pelo respeito e cumprimento escrupuloso da lei, estando por isso tranquilo com o desenrolar das diligências em curso.»

No dia seguinte à detenção de Miguel Costa Gomes, o Secretariado do PS Barcelos enviou para as redações, e colocou nas suas redes sociais, um comunicado mostrando solidariedade para com o Presidente da autarquia. Na íntegra:

«Os Barcelenses foram ontem surpreendidos pelas notícias vindas a público sobre as diligências feitas pela polícia judiciária ao Município de Barcelos. De imediato, perante a comunicação social, demonstramos a nossa solidariedade com o Presidente da Câmara Municipal e informamos que aguardaremos com serenidade o desenrolar dos acontecimentos.

Com o avolumar das notícias publicadas sobre a matéria em causa, adensa-se a convicção da ausência de fundamentação nas imputações produzidas.

Como refere o comunicado da Câmara Municipal de Barcelos, “não se vislumbra como se possa apurar o que quer que seja quanto as diligências instrutórias do processo.”

Reiteramos a solidariedade para com o Presidente da Câmara Municipal de Barcelos e esperamos, com serenidade o desenrolar do processo.

Não podemos, no entanto, deixar de lamentar o circo mediático montado, bem como declarações censuráveis de responsáveis políticos locais.

O Secretariado da Comissão Política»

Em comunicado datado de hoje e com o título “E agora PS?!”, a concelhia do PSD de Barcelos reagiu a toda esta polémica. Comunicado esse que transcrevemos, igualmente, na íntegra:

«O PSD de Barcelos manifesta uma profunda preocupação quanto ao futuro imediato do Município de Barcelos, na sequência da prisão domiciliária, com pulseira electrónica, do Presidente da Câmara.

Lamentamos o momento negro e a imagem negativa (para o Concelho) que os canais de televisão e demais órgãos de comunicação social têm difundido por todo o País, relacionadas com a detenção do Presidente da Câmara pela Polícia Judiciária no dia 29 de Maio, ficando nos calabouços da PJ até ao dia 3 de Junho.

Estamos perante uma situação vergonhosa e muito grave, única na história de Barcelos, prisão de um Presidente da Câmara pelos motivos que lhe são imputados, com medidas altamente restritivas do exercício da função de Presidente da Câmara de Barcelos.

Perante esta situação perguntamos:

Quais as consequências para o futuro funcionamento do executivo PS?

Como pode um concelho ser credível com estas permanentes notícias?

A esta situação continua o PS a chamar Defender Barcelos?

Isto é Paixão por Barcelos?

Aguardamos que a Justiça faça o seu trabalho, porém, os Barcelenses têm motivos sérios para estar apreensivos, quanto à governação do PS no Município de Barcelos.

Até ao presente momento o PS – concelhia de Barcelos, limitou-se à emissão de um curto comunicado, em que estranhava as diligencias de inquérito e afiançava a confiança política no seu Presidente. Conhecidas, porém, as medidas de coação aplicadas o PS mantém num silêncio mordaz, desrespeitador de Barcelos e dos Barcelenses.

Barcelos, 3 de Junho de 2019.

O Presidente da Comissão Política Concelhia.»

Quase como que parecendo em resposta ao “repto” deixado pelo comunicado do PSD Barcelos, a Comissão Política do PS Barcelos, presidida por Manuel Mota, alguém muito próximo de Miguel Costa Gomes e com cargo de confiança na Câmara Municipal, emitiu novo comunicado, igualmente hoje, mas após o do PSD Barcelos, onde aborda a situação de Miguel Costa Gomes, nomeadamente, em relação à medida de coação, e onde critica a tomada de posição da oposição. Leia a transcrição integral:

«Foram ontem conhecidas as medidas de coação aplicadas pelo TIC Porto ao Presidente da Câmara Municipal de Barcelos.

De imediato foi também conhecido o anúncio do recurso dessa mesma decisão.

A concelhia de Barcelos do Partido Socialista de Barcelos reitera a solidariedade com o Presidente da Câmara Municipal de Barcelos, Miguel Costa Gomes, convictos de que provará a sua inocência.

Continuaremos, pois, a acompanhar com serenidade o desenvolvimento do processo até ao seu final.

Salientamos, ainda, como refere o comunicado de hoje da Câmara Municipal de Barcelos, que o executivo municipal se mantém “no exercício pleno das suas funções e competência, no respeito pelo mandato que lhe foi conferido, garantindo o normal funcionamento dos serviços à população”.

Lamentamos, todavia, as tomadas de posição política dos partidos da oposição que, com total desconhecimento do processo e antes mesmo de qualquer julgamento ou sentença, pretendem subverter os mais basilares princípios de um estado de direito democrático.

O Presidente da Comissão Política

Manuel Mota»

Instada a comentar este último comunicado do PS barcelense, fonte do PSD Barcelos salientou ao Barcelos na Hora que, “não falando pela Concelhia Social Democrata, mas apenas, como militante”, considera que “o PS Barcelos está a vir, agora, tentar defender quase o indefensável e, numa postura de ‘Calimero’ ou ‘virgem ofendida’, fazer-se de vítima quando, todos sabemos, fosse ao contrário e estivessem outros partidos e outra pessoa à frente dos desígnios da Câmara, fosse essa pessoa detida num processo como estes, e veríamos o PS Barcelos a ‘disparar raios e coriscos’ na direção dessa pessoa e do partido, ou partidos, em questão”. Já sobre o processo em concreto, não se quis pronunciar, “por ser um processo ainda a decorrer”.

Foto: DR.

José Manuel Fernandes refere que “Continuarei a dar o máximo pela nossa terra”

Maio 23, 2019 em Atualidade, Mundo, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

Continuar a “dar o máximo” na defesa da região no Parlamento Europeu e prosseguir com a política de proximidade, que o manteve sempre junto das populações e instituições do Minho, são os compromissos assumidos pelo Eurodeputado do PSD José Manuel Fernandes perante os autarcas de freguesia e dos municípios do Minho.



“Continuarei a dar o máximo para ajudar a puxar pelas nossas terras, pelas nossas potencialidades e mais valias. Continuarei a exercer uma política de proximidade, divulgando e explicando fundos e programas que possam favorecer o nossos território, empresas e pessoas de diferentes gerações”, assumiu José Manuel Fernandes, perante os autarcas minhotos.

Ao longo da campanha para as eleições europeias, o Eurodeputado e candidato do PSD dirigiu-se de forma especial aos autarcas, nomeadamente os presidentes de Junta, com quem tem mantido uma forte ligação. “São os grandes obreiros do desenvolvimento e lutadores permanentes na defesa da coesão”, justificou.

Encontros com autarcas em Braga, Monção, Terras de Bouro, Fafe e Vizela culminaram um programa de iniciativas que abrangeu todos os concelhos minhotos, onde sobressaiu o reconhecimento pelo trabalho que tem sido desenvolvido por José Manuel Fernandes, tanto no Parlamento Europeu como na região.

“Continuarei a exercer uma política de proximidade. Estarei, novamente, nas escolas, instituições, empresas e associações sempre que me convidarem. Sempre, junto das pessoas. Continuarei a lançar concursos para os jovens. Continuarei a informar e divulgar programas e fundos europeu e a publicar o livro “Pela Nossa Terra”, onde não me esqueço das nossas freguesias e dos nossos autarcas, porque considero que todos somos importantes na construção de um presente e um futuro melhores”, afirmou o eurodeputado.

Lembrando que o PSD apresenta a única lista que garante um lugar elegível a alguém do Minho, José Manuel Fernandes entende que “é muito importante continuar a ter uma voz no Parlamento Europeu que defenda a nossa região”.

“Nem sempre temos consciência que as creches, os lares, os hospitais, as escolas, as bolsas de estudo, a formação profissional, as estradas onde passamos, a água que bebemos, o saneamento, têm na sua grande maioria financiamento de fundos europeus”, refere o eurodeputado e assume agora a coordenação da região Norte no grupo do PSD no Parlamento Europeu.

José Manuel Fernandes salienta ainda “a qualidade de uma lista com pessoas de mérito reconhecido unanimemente e que representa as diferentes gerações e todas as regiões do país”. Aproveitando ainda para destacar as propostas do PSD para uma Europa que aposte na investigação para a cura do cancro, no apoio à natalidade, na juventude e dinamização da economia com objetivo de criar mais e melhor emprego.

Sobre o trabalho realizado na UE, citou as propostas para novos programas de apoio específico ao emprego. Valorizou e defendeu as especificidades da região, designadamente os produtos locais, a agricultura e desenvolvimento rural, a indústria, as pequenas e médias empresas.

O Eurodeputado minhoto esteve na negociação anual do orçamento europeu do qual Portugal recebe cerca de 13 milhões de euros por dia. Negociou o Plano Juncker, que já apoiou mais de 12 mil pequenas e médias empresas portuguesas, o novo mecanismo europeu de proteção civil para fazer face aos incêndios, o Fundo de Solidariedade que deu a Portugal 50,6 milhões de euros para apoiar as regiões afetadas pelos incêndios.

Como negociador dos próximos fundos europeus (para 2021-2027), José Manuel Fernandes sublinha que os eurodeputados do PSD lideraram o processo para a aprovação, no Parlamento Europeu, de uma proposta onde os fundos para Portugal não são cortados, ao contrário do que aceita o governo socialista face à proposta inicial da Comissão Europeia.

O Eurodeputado social democrata e coordenador do PPE na comissão dos orçamentos chama, ainda, a atenção para o esforço a desenvolver para que as verbas vindas de programas da União Europeia sejam “geridas de forma transparente e justa, com objetivo de reforçar a coesão territorial, criar emprego, combater a pobreza, melhorar a nossa qualidade de vida”.

Fonte e fotos: JMF.

José Manuel Fernandes considera “uma vergonha o desaproveitamento de fundos para assuntos marítimos e pescas”

Maio 23, 2019 em Atualidade, Mundo, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

O Eurodeputado José Manuel Fernandes aponta o mar como uma das áreas estratégicas de maior potencial para impulsionar a economia nacional e criar mais e melhor emprego. Portugal tem a terceira maior zona económica e exclusiva e acesso privilegiado ao oceano. No entanto, “é inaceitável a falta de investimento e de estratégia num setor onde o país pode e deve diferenciar-se no contexto europeu”.



“É uma vergonha o desaproveitamento de fundos europeus por parte do governo neste setor. A taxa de execução das verbas atribuídas a Portugal através do Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos e das Pescas (FEAMP) está apenas nos 20%. Isto acontece quando estamos a ano e meio de encerrar o período de execução (2014-2020), que já leva decorridos cinco anos e meio”, acusou o Eurodeputado e candidato do PSD ao Parlamento Europeu.

Numa sessão pública, em Esposende, sobre os desafios para o mar e a economia azul, José Manuel Fernandes defendeu que os oceanos devem estar no “topo da agenda política europeia, assumindo-se como prioridade política transversal e transdisciplinar”.

“O mar para nós é património, cultura e história. Mas é também desenvolvimento, lazer e trabalho”, afirmou o Eurodeputado, propondo que a presidência portuguesa da UE, no primeiro semestre de 2021, assuma como prioridade o mar e a economia azul.

Na definição de um plano de investimento para a economia azul, recomendou a aposta na digitalização, inovação e biotecnologia azul, na exploração dos fundos oceânicos, nas energias renováveis e na aquicultura.

José Manuel Fernandes salientou ainda os aspetos sociais ligados à política das pescas, em defesa do incremento das “competências dos pescadores e a diversificação do seu rendimento, através de atividades complementares, bem como a responsabilidade coletiva pela preservação e sustentabilidade dos recursos e do meio ambiente aquático”.

“Temos de apostar no mar, na economia azul e no apoio os pescadores, nomeadamente aqueles que se ocupam da pesca artesanal, até porque se trata de uma atividade que é sustentável e ajuda a nossa gastronomia”, afirmou o eurodeputado social democrata, que esteve também em Castelo de Neiva, Viana do Castelo.

José Manuel Fernandes chamou, igualmente, a atenção para a necessidade de “dar condições de segurança aos nossos pescadores” e “assegurar financiamento para operações de desassoreamento, que é essencial para a atividade piscatória”.

A erosão costeira é outra das problemáticas salientadas na jornada dedicada ao mar e que as alterações climáticas poderão vir a aprofundar. Por isso mesmo, o Eurodeputado e coordenador do PPE na comissão dos orçamentos considerou mais inaceitável o desaproveitamento dos fundos europeus por parte do atual governo socialista.

Fonte e fotos: JMF.

José Manuel Fernandes considera que PSD dá aos jovens “motivos extra” para votarem nas eleições europeias

Maio 22, 2019 em Atualidade, Mundo, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

“Desta vez, os jovens têm motivos extra e responsabilidades acrescidas para irem votar” no próximo domingo nas eleições para o Parlamento Europeu. O apelo é lançado pela vice-campeã mundial de kickboxing, Sofia Lobo, que anteontem foi apresentada como mandatária para a juventude do distrito de Braga pela candidatura às europeias do PSD.



“Não há dúvida alguma que o PSD está a dar aos jovens voz, espaço e meios para intervirem, influenciarem e decidirem diretamente ao nível da ação política. Para o PSD, os jovens contam e são valorizados. Isso acontece não apenas pelas políticas e compromissos direcionados para a juventude, mas também pela forma como está a chamar os jovens a assumirem poder e intervenção nas instituições políticas”, elogiou Sofia Lobo, agradecendo o convite do eurodeputado e candidato social democrata José Manuel Fernandes.

Sete vezes campeã nacional de kickboxing, bicampeã ibérica e atual vice-campeã mundial da modalidade, Sofia Lobo vincou que o espaço disponibilizado para os jovens pelo PSD – que colocou como número dois da lista europeia Lídia Pereira, de 27 anos e líder da maior organização de juventude da Europa – tem de ser bem correspondido, a favor dos jovens e também da sociedade em geral.

“Os jovens interessam-se pelo futuro, não apenas por eles próprios, mas também pelo planeta e pelo modo de vida da sociedade em geral. Independentemente da opção partidária ou política de cada um, importa que cada jovem vote, ainda que eu considere que a opção correta é o PSD”, apelou a campeã de kickboxing.

Sensibilizada por a candidatura social democrata não se limitar apenas ao futebol e ter uma visão mais inclusiva do desporto, Sofia Lobo vincou o facto do PSD “marcar a diferença, também na juventude”.

“Habitualmente, os políticos e os partidos gostam de falar dos jovens, mas nunca lhes abrem espaço ou áreas de poder, mas temos de reconhecer – porque é justo – que o PSD surpreendeu e esteve bem ao indicar uma jovem com o valor da Lídia Pereira para número dois”, justificou a mandatária para a juventude.

Na apresentação, que teve lugar num ambiente descontraído no Parque da Juventude em Vila Nova de Famalicão, participaram o presidente da Câmara, Paulo Cunha, o líder da JSD distrital, Firmino Costa, e vários deputados à Assembleia da República.

José Manuel Fernandes salientou a importância de chamar novos protagonistas para a atividade política, “ainda para mais quando se trata de pessoas que se diferenciam como exemplo de dedicação, determinação e empenho nas causas”.

Aproveitando para reiterar que, “para o PSD, a juventude conta”, o Eurodeputado e candidato lembrou que o grupo social democrata no Parlamento Europeu assumiu a juventude como “uma prioridade da União Europeia” e liderou o processo que levou ao reforço dos programas europeus ao nível da educação, formação, Juventude e Desporto (Erasmus +), da oportunidade de primeiro emprego (rede Eures) e do voluntariado (o novo Corpo Europeu de Solidariedade).

Para o próximo mandato, José Manuel Fernandes adiantou que o PSD propõe iniciativas destinadas à promoção do empreendedorismo jovem, através da criação de linhas específicas nos programas de apoio ao investimento e da simplificação dos processos de candidatura.

Além disso, aposta no reforço do programa DiscoverEU, que foi proposto também pelo grupo do PSD e que garante aos jovens uma experiência de mobilidade na Europa com bilhetes gratuitos de Interrail.

O Eurodeputado e número três do PSD referiu ainda que os social democratas – por sugestão de Lídia Pereira – conseguiram já aprovar no Parlamento Europeu um projeto para um orçamento participativo destinado a propostas dos jovens europeus, com 5 milhões de euros.

“O PSD apresenta um programa de propostas extremamente importantes para os portugueses e para a consolidação da União Europeia, assim como a melhor lista de candidatos com competências e qualidades internacionalmente reconhecidas, assegurando simultaneamente um equilíbrio inédito entre diferentes gerações e as regiões do país”, realçou José Manuel Fernandes.

Fonte e fotos: JMF.

José Manuel Fernandes desafia jovens para valores de “persistência, rigor e trabalho”

Maio 18, 2019 em Atualidade, Mundo, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

A atleta Mariana Machado, do Sporting Clube de Braga, é a mandatária para a juventude no concelho de Braga da candidatura do PSD às eleições europeias. O Eurodeputado José Manuel Fernandes sublinha o exemplo de “persistência, rigor e trabalho” de uma verdadeira campeã do atletismo, que frequenta o 1º ano de Medicina na Universidade do Minho e “dá o máximo diariamente” nos treinos, sem que isso a impeça de assumir uma participação ativa em questões cívicas e políticas.



“É um exemplo para todos os jovens, com particular destaque no âmbito destas eleições europeias, para que todos os jovens não se limitem a reconhecer que de facto a União Europeia é uma grande conquista para as novas gerações, mas façam questão de intervir e lutar para que a permanente melhoria desta construção fantástica que trouxe paz, progresso e qualidade de vida”, desafia José Manuel Fernandes.

Na apresentação pública da mandatária jovem concelhia – que teve lugar no edifício do GNRation, com a participação do líder da JSD/Braga, João Freitas Alcaide – José Manuel Fernandes confessou ser “um orgulho ter a Mariana Machado, que foi considerada a Jovem Promessa do Ano por parte da Confederação do Desporto de Portugal em janeiro, como mandatária da Juventude em Braga.

“A Mariana Machado é um exemplo de esforço, dedicação, rigor e trabalho. Frequenta o 1º ano do curso de Medicina na Universidade do Minho, e treina arduamente todos os dias. A Mariana é uma autêntica campeã. Tem brilhado a nível nacional e internacional, tem-nos enchido de orgulho e é, agora, uma ajuda fundamental para o desafio das Europeias de 26 de maio”, assumiu o Eurodeputado e terceiro da candidatura do PSD liderada por Paulo Rangel.

José Manuel Fernandes chamou a atenção que “o PSD é, na verdade, o partido que valoriza verdadeiramente os mais jovens, e coloca a juventude bem no centro das suas prioridades”, frisando o facto de a lista social democrata como nº 2 Lídia Pereira, uma jovem de 27 anos e líder da maior estrutura política de juventude da Europa.

O Eurodeputado destacou ainda a posição do PSD na defesa do reforço do financiamento do programa Erasmus+, na promoção de iniciativas como o “Eures – O teu primeiro emprego” e no apoio à medida DiscoverEu, que vai permitir aos jovens viajar na Europa com um passe gratuito interrail.

Por seu turno, Mariana Machado afirmou que “é um privilégio” e assumiu-se “muito feliz” por ser mandatária da juventude nestas eleições de 26 de maio, em que vai exercer, “pela primeira vez”, o direito de voto.

“As Europeias são, infelizmente, as eleições em que se verificam as taxas de abstenção mais elevadas. No entanto, estas eleições são absolutamente essenciais para a nossa região, para Portugal e para a União Europeia. Por estas razões, apelo, em particular, à participação e ao voto dos mais jovens como eu, mas não posso deixar de apelar ao voto da população em geral”, declarou Mariana Machado.

A jovem atleta acrescentou ao pedido: “E, como é óbvio, apelo ao voto em José Manuel Fernandes. Esta é, sem dúvida, mais uma corrida que queremos vencer”.

Fonte e fotos: JMF.

José Manuel Fernandes alerta para emergência de intervenção estruturada em defesa da floresta à escala europeia

Maio 17, 2019 em Atualidade, Mundo, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

O Eurodeputado José Manuel Fernandes defende a emergência de uma intervenção estruturada em defesa da floresta à escala europeia, com o objetivo de fazer face às alterações climáticas e, simultaneamente, favorecer a rentabilidade de territórios de baixa densidade.



“Portugal será, seguramente, dos Estados-Membros que mais terá a ganhar com a criação de uma nova prioridade na União Europeia para a floresta, que promova, em simultâneo, o rendimento dos proprietários, a sustentabilidade ambiental e o combate aos incêndios”, sustentou José Manuel Fernandes.

“Missão Floresta” é a proposta da candidatura do PSD ao Parlamento Europeu para levar avante no próximo mandato, integrada num programa que dá prioridade à coesão territorial, económica e social, razão pela qual os social democratas reiteram a recusa em aceitar cortes na política de coesão e na agricultura e desenvolvimento rural – conforme propõe a Comissão e a que o governo do PS tem dado anuência.

Numa jornada de campanha que levou os social democratas a visitar, ontem, a Feira Franca e a percorrer as ruas de Fafe, onde, à tarde, protagonizou uma ação de animação com questões ligadas à União Europeia, José Manuel Fernandes deslocou-se algumas freguesias do concelho, incluindo Quinchães e Aboim, que integra uma das maiores manchas contínuas de carvalho-cerquinho da Europa.

“É fundamental apostar na silvicultura e na valorização e ordenamento das nossas florestas, aproveitando os recursos do Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural (FEADER), que têm sido largamente desperdiçados por Portugal”, apontou o Eurodeputado, coordenador do PPE na comissão dos orçamentos.

José Manuel Fernandes realçou ainda a importância estratégica atribuída pelo PSD à modernização e valorização da agricultura, tendo em conta o impacto “na criação de emprego, no reforço da segurança, qualidade e autossuficiência alimentar e na fixação das populações nas regiões de baixa densidade populacional”.

Nesse contexto, José Manuel Fernandes recusou, terminantemente, as posições do governo socialista relativamente à proposta da Comissão para o próximo quadro financeiro plurianual da UE, para 2021-2027, que representaria cortes de quase 3,6 mil milhões de euros em fundos sobretudo da Política de Coesão, da agricultura e desenvolvimento rural.

Em sede de alterações climáticas e preservação ambiental, é preciso garantir o financiamento da agricultura de precisão e permitam cumprir as novas condicionalidades e exigências para os agricultores no âmbito da Política Agrícola Comum.

Tendo em conta a escassez de água com que o nosso país se tem confrontado nos últimos anos, é crucial que se lancem mais iniciativas que garantam o apoio a projetos de irrigação e regadio, captação e armazenamento de água em Portugal.

O Eurodeputado e candidato do PSD frisou, ainda, a necessidade de aproveitar os financiamentos através do Horizonte 2020 e do seu sucessor, o Horizonte Europa, para incentivar “o investimento na inovação, investigação, evolução tecnológica e digitalização”.

Fonte e fotos: JMF.

José Manuel Fernandes: “PSD aposta na reindustrialização europeia para promover emprego”

Maio 16, 2019 em Atualidade, Mundo, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

O Eurodeputado José Manuel Fernandes apontou, ontem, o sucesso da revitalização dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC), pela atual gestão da WEST SEA, como a demonstração da importância de uma agenda para a reindustrialização à escala europeia, tendo como objetivo central a promoção do emprego.



“Os Estaleiros assumem um papel fundamental para a coesão económica, territorial e social. São essenciais na criação de emprego, ajudam nas exportações, reforçam a nossa economia. Tudo isto tem um impacto reforçado no Alto Minho”, afirmou José Manuel Fernandes, no final de uma visita aos ENVC, onde foi recebido pelo presidente da WEST SEA, Carlos Martins.

O Eurodeputado, e candidato do PSD nas eleições europeias de 26 de maio, destacou o processo “difícil e com um início fortemente contestado, mas em que o tempo acabou por provar ser a melhor solução para salvar uma indústria e um setor nevrálgico, não só para a região, mas sobretudo para o país”.

“Constatei a qualidade dos navios produzidos, o aumento de encomendas e reparações. Recordo que o Governo de Passos Coelho encontrou os estaleiros navais de Viana do Castelo em agonia. A dívida estava em mais de 300 milhões de euros, os prazos de reparação e de construção nunca eram observados, o que resultava em prejuízos acrescidos.  As encomendas resumiam-se a alguns navios da marinha portuguesa e a promessas venezuelanas não concretizadas. Tudo isto foi superado”, lembrou.

José Manuel Fernandes aproveitou para enaltecer a coragem e o sentido de Estado de Pedro Passos Coelho e do ex-ministro Pedro Aguiar-Branco que, contra a “corrente”, fizeram a subconcessão à MARTIFER. “Na altura, a esquerda opôs-se e quase inviabilizou esta solução de sucesso, porque não gosta da iniciativa privada. Em boa hora, nasceram, assim, os Estaleiros WEST SEA”, acusou.

O Eurodeputado sublinhou dados positivos da empresa: nos primeiros três anos reparou mais de 160 navios, emprega de forma direta e indireta cerca de mil trabalhadores, a atividade cresce de tal forma que se exigem obras estruturais para possibilitarem mais encomendas e navios de maior porte, a diversificação das encomendas aumentou, os prazos são cumpridos e os clientes renovam as encomendas.

José Manuel Fernandes defendeu a proposta da candidatura do PSD para o Parlamento Europeu, referindo que a aposta social democrata na reindustrialização da economia europeia “privilegia os investimentos na área da inovação disruptiva, mercado digital e tecnologias com aplicação empresarial, bem como os investimentos limpos e amigos do ambiente”.

Fonte e foto: JMF.

José Manuel Fernandes avança com proposta de plano europeu para apoio ao Comércio Local

Maio 15, 2019 em Atualidade, Mundo, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

O Eurodeputado José Manuel Fernandes quer colocar o comércio na agenda das instituições europeias. É que, de acordo com o mesmo, apesar da importância na economia e nas áreas urbanas, o setor não é uma prioridade da União Europeia. Uma situação que o candidato do PSD, reconhecido como o eurodeputado português mais produtivo e mais influente no Parlamento Europeu, promete alterar no próximo mandato.



“Portugal, com clara vocação comercial, precisa de colocar o comércio na agenda das instituições europeias, onde atualmente, e apesar da sua importância na vida das cidades, não é prioridade”, assumiu José Manuel Fernandes, no final de uma reunião, ontem, com a direção da Associação Comercial de Braga.

Os representantes do comércio assumiram o compromisso de entregar um relatório com contributos concretos para o Plano de Apoio ao Comércio Local que o eurodeputado José Manuel Fernandes vai propor no Parlamento Europeu, na próxima legislatura.

Coordenador do PPE na comissão dos orçamentos, José Manuel Fernandes explicou que o comércio pode congregar vários fundos europeus do próximo quadro financeiro plurianual (2021-2027) para ajudas ao investimento (com juros próximos de zero), bem como à qualificação profissional e à internacionalização deste ramo de atividade.

Lembrando que o comércio representa 14% da riqueza criada em Portugal (valor que sobe para 30 por cento se incluída a restauração e outros serviços) e 14,3% do emprego, o Eurodeputado acentuou que o setor apenas capta 3% dos fundos comunitários destinados a Portugal.

Defendeu que o Plano deve ter dimensão nacional, embora possa ser gerido regionalmente, e necessita de ser construído numa base de cooperação entre instituições do setor.

“Preciso do contributo dos comerciantes e suas associações para que o Plano seja exequível e, sobretudo, para que seja eficaz o que nem sempre sucede com os apoios europeus, muitos dos quais ficam em Lisboa e não chegam às empresas e às regiões”, apelou.

O candidato do PSD assinalou que, e ao contrário do que muitas vezes acontece, “é preciso conceber a estratégia para depois colocar, dentro do projeto, as medidas capazes de a concretizar”.

Salientou que, entre as suas propostas está a criação de uma estrutura de apoio ao investimento, um organismo que serviria para facilitar o acesso dos empresários aos programas comunitários: “o acesso aos undos deve evitar uma complexidade excessiva, sob pena de estes não chegarem aos destinatários”.

Na ocasião, os dirigentes da ACB, em especial o diretor-geral Rui Marques, enalteceram o propósito de José Manuel Fernandes e prometeram, a curto prazo, o envio de um relatório com sugestões e medidas, de forma a que o Plano possa ser integrado no próximo Quadro Financeiro, que já começou a ser debatido em Bruxelas.

Criticaram, ainda, o centralismo – e a burocracia – na gestão dos fundos pelo atual governo do PS, o que – frisaram os comerciantes presentes – dificulta o acesso ao investimento e leva alguns a desistir. Lembraram que o caminho do comércio eletrónico, por onde passa, em boa parte o futuro do setor, só pode ser trilhado com cooperação entre os empresários e apoios específicos.

Fonte e foto: JMF.

Ir Para Cima