Tag archive

Paulo Alves

Nem estória, nem história

Janeiro 12, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Hugo Pinto

Mais um jogo, mais uma vitória. Apesar de o nosso querido SLB continuar a vencer sem convencer. Aborrece-me estar sempre a abordar o desempenho do nosso glorioso desta forma, mas a verdade é que neste jogo adormeci no decorrer da segunda parte. Literalmente, adormeci.



O Benfica continua a jogar para serviços mínimos. Mesmo ganhando, torna-se fastidioso assistir a 90 minutos de futebol sem grande espetáculo, com jogadores que mais parece que já entram em campo cansados. É evidente a desmotivação e a desmobilização do plantel.

Se acham que é só embirração minha, reparem nos números do jogo: 66% de posse de bola (que é como quem diz, tivemos a bola nos pés em dois terços do tempo de futebol jogado); 17 remates, dos quais 11 à baliza; e 10 cantos. Golos: dois! Pouco. Muito pouco. Bem que procuro ter o cuidado de não me tornar repetitivo, mas é inevitável. Entretinha-me mais um empate no tempo do JJ, do que estas vitórias de serviços mínimos.

Aparte isto, foi um jogo sem mais história. E perdoem-me se perdi algo de fabuloso nos cerca de 15 ou 20 minutos da segunda parte em que estive a dormir, mas estou capaz de jurar que não se passou nada de especial. Pizzi a jogar, Jonas a marcar e Krovinovic a dar um ar de sua graça. O resto da malta foi lá mais pelo convívio. Registo ainda a assistência para o golo de Jonas, aos 74 minutos, pelo jovem João Carvalho. Dito isto, continua a apetecer-me gritar: “joguem à bola, pá!”.

“Cá por casa”, regressa Paulo Alves ao comando técnico do Gil Vicente, estreando-se com um empate sem golos frente ao último classificado. Há muito trabalho para Paulo Alves fazer mas estou convencido que é o homem para o serviço. Reforço de inverno foi também o meu conterrâneo João Vasco, a quem desejo as maiores felicidades com as cores do Gil ao peito.
E viva o Benfica!

E sim, continuo a querer o 37…

Por: Hugo Pinto*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Gil Vicente: Paulo Alves, novo treinador, estreia-se com empate sem golos

Janeiro 6, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Em jogo a contar para a 19ª jornada da LEDMAN LigaPro (2ª Liga), o Gil Vicente Futebol Clube (15º) não foi além de um empate caseiro, a zero, frente ao Real (20º e último classificado).



Realizado no Estádio Cidade de Barcelos, com iniciado às 15h00, a turma orientada por Paulo Alves alinhou com Rui Sacramento, Gabriel, Vítor Tormena, Luiz Eduardo, Luís Tinoco, André Fontes, Alphonse, Reko (Jonathan Rubio, 45’), Camara (Fall, 61’), James Igbekeme e João Vasco (João Pedro, 85’). Júlio Neiva, Sandro, Miguel Abreu e Ricardinho ficaram no banco.

Já a equipa vinda de Massamá, e orientada por Filipe Martins, atuou com Tom, Paulinho, Vasco Coelho, Paulo Monteiro (Basso, 78´), Leal, Cazonatti, Fokobo, Cele (Marcos Barbeiro, 85’), Vinícius, Abou Touré e Gildo (Marcelo Lopes, 68’). No banco ficaram Patrick Costinha, Diogo Coelho, Abdoulaye Diallo e Brash.

A equipa de arbitragem foi liderada por Daniel Cardoso (AF Aveiro), coadjuvado por Tiago Mota e Vítor Manuel Silva e tendo como 4º árbitro Pedro Fernandes (AF Braga).

Equipa essa que admoestou com cartão amarelo Paulo Monteiro (36m), Cazonatti (65m), Vítor Tormena (66m) e Paulinho (87m).



A primeira parte teve os visitantes mais por cima do jogo, com mais remates e cantos. A posse de bola, ao intervalo, estava dividida em metades iguais por ambas as equipas. Na segunda parte, os gilistas equilibraram a partida, beneficiando das substituições operadas por Paulo Alves. No final do jogo, as estatísticas apontavam para o Gil Vicente a ter mais posse de bola (51% contra 49%). No entanto, em todos os outros dados, os gilistas ficaram atrás dos homens de Massamá. Assim, ficou 4-6 (remates), 9-21 (faltas cometidas), 4-6 (cantos) e 1-3 (cartões amarelos). Não houve vermelhos. De salientar que, ao intervalo, estes números eram mais desnivelados para o lado dos visitantes.

O novo técnico gilista optou por apresentar no onze inicial os reforços Alphonse (ex-Feirense) e João Vasco (ex-Tondela). O primeiro completou o jogo mas o avançado, de Darque, foi substituído por João Pedro já muito perto do final do jogo.

Com este empate, o Gil Vicente soma o seu 22º ponto, continuando muito próximo da “linha de água”. Já o Real soma o seu 14º ponto e continua como “lanterna vermelha”.

Na próxima jornada, a 20ª, os gilistas jogam de novo em casa, no dia 14 de janeiro, domingo, pelas 11h15, contra o líder FC Porto B, em jogo que será transmitido pela SPORT TV.

Imagem: GVFC (alterada).

Paulo Alves confirmado como novo treinador do Gil Vicente

Dezembro 28, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Está confirmada a notícia, avançada por vários órgãos de comunicação social, sobre a contratação de Paulo Alves como novo treinador do Gil Vicente, rescindindo este o contrato que tinha com Jorge Casquilha. O novo treinador até já treinou a equipa no treino de ontem, sendo que a composição final da sua equipa técnica ainda está a ser tratada.



Tal como Jorge Casquilha, o vila-realense Paulo Alves tem uma longa história de ligação ao clube, quer como jogador, quer como treinador, mas, igualmente, à cidade. De recordar que Paulo Alves rescindiu em outubro passado com o União da Madeira.

Foto: DR.

Gil Vicente derrota União da Madeira com golo perto do fim

Agosto 23, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora




Em jogo disputado hoje, no Estádio Cidade de Barcelos, a contar para a 4ª jornada da LEDMAN Liga Pro, o Gil Vicente recebeu o União da Madeira e venceu por 1-0, com um golo apontado mesmo perto do final do tempo regulamentar.

O Gil Vicente, treinado por Jorge Casquilha, alinhou com Rui Sacramento, Gonçalo Duarte, Sandro, Vítor Tormena, Luís Tinoco, Gastón Camara, (Fall, 55’), André Fontes, (João Pedro, 70’), Jumisse, James Igbekeme (Jonathan Rubio, INT), Rafael Batatinha e Rui Miguel. No banco ficaram Júlio Neiva, Henrique, Rui Faria e Miguel Abreu.

Já o União da Madeira, treinado pelo bem conhecido de Barcelos, Paulo Alves, alinhou com Tony, Sylla, Allef, Romaric, Laércio, Júnior, Ciss (Gonçalo Abreu, INT), Sidy Sagna, Micael, Rodrigo Henrique (Danilo Dias, 79’) e Luan (Flávio Silva, 76’). No banco ficaram Chastre, Mendy, Sérgio Marakis e Paulo Vasconcelos.

Na vertente disciplinar, o árbitro Luís Godinho (AF Évora) admoestou com cartão amarelo Gonçalo Duarte (24’), André Fontes (45’), Jonathan Rubio (79’) e Sidy Sagna (87’).

O jogo foi sempre bem disputado, chegando ao intervalo com uma igualdade a 0. Mesmo perto do final, aos 88 minutos, de livre direto, Luís Tinoco estabeleceu o resultado final em 1 para os gilistas, 0 para os unionistas da Madeira.

No final da partida, Jorge Casquilha referiu, em conferência de imprensa, que o resultado acabou por ser justo porque “quem marca é quem ganha”. Na ótica do treinador, o Gil fez uma primeira parte de qualidade, onde teve hipóteses de chegar ao golo. Na segunda parte, tiveram mais dificuldades, “emocionalmente, a equipa perdeu um pouco o controlo” e acabaram por ter a “sorte do jogo” ao fazer o golo de bola parada. No final, com cinco avançados, a equipa acabou por ficar desequilibrada, passando por alguns calafrios e, com alguma sorte, acabaram por ganhar. Noutros jogos não tiveram sorte e não ganharam, desta vez foi diferente e ganharam o jogo.

Com este resultado, o Gil Vicente subiu ao 6º lugar, quando ainda não se disputaram todos os jogos desta jornada, com 7 pontos em 4 jogos.

Fotos: GVFC e CFU.

 

Taça CTT: Gil Vicente começa a ganhar mas cai na Madeira frente ao União

Julho 30, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Em jogo disputado hoje, no Centro Desportivo da Madeira, em Ribeira Brava, o Gil Vicente Futebol Clube acabou eliminado da Taça CTT (“Taça da Liga”), sendo derrotado pelo CF União da Madeira, por 2-1.

A equipa gilista, treinada por Jorge Casquilha, alinhou de início com Rui Sacramento, Ricardinho, Vítor Tormena, Luiz Eduardo, Luís Tinoco, Jumisse, Miguel Abreu, Jonathan Rubio, João Pedro, Fall e James Igbekeme.

Ao intervalo o resultado mostrava um nulo no marcador mas as redes das balizas começaram a mexer no segundo tempo, logo aos 52 minutos, com o jovem Jonathan Rubio a adiantar os forasteiros de Barcelos. Está de “pé quente” neste início de temporada, o hondurenho de 20 anos.




No entanto, a equipa da casa, treinada pelo bem conhecido em Barcelos, Paulo Alves, acabou por dar a volta ao resultado, com dois golos do brasileiro Luan, aos 76 e 87 minutos.

Assim, a equipa barcelense fica fora da próxima fase desta competição mas sem antes ter conseguido uma grande vitória na Póvoa de Varzim e na Madeira ter sido derrotada apenas nos minutos finais. De relembrar que o sorteio não foi “amigo” do Gil Vicente, pois teve que realizar os dois jogos fora de casa.

Agora, as baterias apontam para o jogo de apresentação aos sócios e simpatizantes, assim como a disputa de Taça Caixa de Crédito Agrícola, frente ao Futebol Clube do Porto, equipa que tem no seu plantel o guarda-redes barcelense João Costa.

Foto: GVFC/DR.

Novo nome apontado a treinador do Gil Vicente: Jorge Casquilha

Maio 19, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Em notícia avançada pelo portal zerozero.pt, citando o jornal A Bola, Jorge Casquilha poderá ser o novo técnico do Gil Vicente para a próxima época. Na mesma notícia, refere-se que Álvaro Magalhães poderá realizar o último jogo, enquanto treinador, no domingo.

gil

Este é mais um nome, a juntar ao de Paulo Alves e Tuck, como possível treinador da equipa barcelense, que mantém a esperança de regressar à Primeira Liga, por considerar que a descida de divisão foi ilegal.

A concretizar-se, será um regresso a uma casa, e uma terra, que Casquilha conhece bem, pois representou o Gil Vicente, enquanto jogador, durante oito anos (entre 97/98 e 04/05).




Jorge António Rosa Casquilha tem 48 anos e já treinou clubes como o Santa Maria, Valdevez, Merelinense, Moreirense, Leixões, União de Leiria, Académico de Viseu e, esta época, o União da Madeira.

Enquanto jogador, representou, como referido anteriormente, o Gil Vicente mas, também, o Torres Novas, Mirense, Académica, Amora, Feirense (de onde se transferiu para os gilistas) e Sporting de Espinho.

Ir Para Cima