Tag archive

Paulo Alves

Gil Vicente rescinde contrato com Paulo Alves e restante equipa técnica

Fevereiro 23, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto port barcelosnahorabarcelosnahora

O Gil Vicente oficializou, hoje, a rescisão de contrato com Paulo Alves e técnicos-adjuntos.



A notícia vinha sendo veiculada ao longo do dia mas sem confirmações oficiais. No entanto, o clube gilista acabou por confirmar o que se suspeitava: a rescisão com o técnico Paulo Alves.

O teor do comunicado é transcrito aqui na íntegra:

O Gil Vicente Futebol Clube informa que acertou com o treinador Paulo Alves e os técnicos-adjuntos a rescisão, por mútuo acordo na passada quarta-feira, do contrato que unia as partes.

O Gil Vicente Futebol Clube agradece a Paulo Alves e à sua equipa técnica o profissionalismo, empenho e dedicação com que procuraram servir este clube, desejando-lhes os maiores sucessos.

Barcelos, 23 de Fevereiro de 2018.

A direção.

Depois de suceder a Jorge Casquilha, o técnico, que estava na sua terceira passagem pelo Gil Vicente, teve um percurso muito fraco para as expectativas do clube, da direção e dos adeptos. Apenas 7 jogos em que não alcançou qualquer vitória e qualquer golo.

Neste momento, a direção gilista encontra-se à procura de nova equipa técnica para guiar os destinos da sua equipa principal.

Gil Vicente: Paulo Alves aborda momento atual, fala de arbitragens e lança jogo contra Santa Clara

Fevereiro 22, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Em declarações à Gil Vicente TV, o treinador do Gil Vicente, Paulo Alves, abordou vários assuntos que marcam a atualidade gilista.



Começou por falar sobre este momento mau que a equipa está a passar neste momento. “O momento é difícil, apesar da equipa ter equilibrado a maior parte dos jogos, apesar de penaltis falhados, bolas aos ferros, de pelo menos frente ao Porto e ao Sporting a imprensa ter considerado os seus guarda-redes o melhor jogador em campo, as coisas não estão a acontecer, no sentido de fazer golos. Apesar das muitas oportunidades, sendo este último jogo um bom exemplo, os golos não têm aparecido”.

Paulo Alves considera que têm que “olhar para dentro e perceber que todos temos que fazer melhor. Treinadores e jogadores. Temos que dar mais, temos que fazer melhor. Não podemos criticar muito os jogadores porque eles têm feito o seu trabalho, mas a bola não entrando a bem, tem que entrar a mal. Está-nos a faltar um bocadinho essa situação e daí o momento difícil”.

Sobre as últimas arbitragens dos jogos que o Gil Vicente disputou, o treinador gilista incidiu mais a sua atenção nos últimos três, principalmente, no que opôs o clube barcelense à Académica. Espera que seja apenas uma mera coincidência, mas parece-lhe haver facilidade em não se marcar penaltis a favor do Gil ou marcá-los contra, ou anular-se golos ao Gil. “Um sem-número de situações que estão a acontecer. Nestes três últimos jogos, dois deles televisionados, isso foi evidente. Não estamos a inventar. As pessoas viram. Nem sequer estou a querer justificar a situação do Gil com as arbitragens. Há situações que foram bem assinaladas mas há outras, duvidosas, em que arbitra-se sempre em desfavor do Gil. Há dois penaltis assinalados contra nós, há dois golos da Académica que são ilegais e o segundo golo da Académica é precedido de uma cotovelada feia no Sandro, em que a equipa parou e dá o segundo golo. Ficou muito difícil reagir, no momento em que a equipa está, porque a bola começa, de facto, a ‘pesar toneladas’. São três golos anulados contra o Sporting, em que um deles é uma situação duvidosa. O Rui [ndr: Rui Miguel] nem sequer toca na bola, dá um pequeno salto. Mas eu aceito. A questão é que muito fácil anular golos ao Gil, não marcar penaltis a favor do Gil, porque no jogo do Sporting há duas situações também extremamente duvidosas e a tendência é sempre não marcar. Há um sem-número de coisas que eu acredito e espero que seja apenas uma coincidência”.

O futuro e a inclusão na primeira Liga também foram abordados por Paulo Alves. “O Gil está num momento complexo, difícil em termos de situação de futuro. Tem a sua situação resolvida para daqui a ano e meio mas ano e meio é muito tempo no futebol. Há gente aqui que tem que trabalhar durante esse ano e meio. Tem que honrar os seus contratos e tem que fazer o seu trabalho. Desde que cheguei aqui a minha decisão tem sido não tocar nesse assunto no balneário. Temos que fazer o nosso trabalho agora e não estar preocupados com o futuro. Mas espero que não haja nenhuma situação que possa interferir em nada disto. Nós vamos continuar o nosso trabalho, vamos olhar para dentro, para nós e fazer aquilo que nos compete, de uma forma mais vincada, mais determinada. Porque, é verdade, também nos está a faltar um bocadinho isso. Mas há coisas que não podemos escamotear. São muitas coisas. São três jogos apenas. Quero deixar bem claro que não estou a dizer que todas as situações são mal assinaladas. Mas há uma tendência. Há muito caso, muitas situações em três jogos apenas. Espero que isso não tenha a ver com rigorosamente nada e que seja uma coincidência”.



Sobre o jogo do próximo domingo, nos Açores, frente ao Santa Clara, com início marcado para as 15h00, a contar para a 26ª jornada da Ledman LigaPro, Paulo Alves referiu que “o Santa Clara é uma equipa que está motivada, está moralizada. Vem de três vitórias seguidas e perante o seu público é sempre uma equipa difícil. Mas esta Liga também já nos ensinou que isso, sendo importante, não é um dado em si, nem encerra nada de definitivo em relação ao jogo. Temos que ser uma equipa séria, competente. Fazer aquilo que temos que fazer, mas com essa tal determinação e objetividade que nos tem faltado nos últimos jogos. Volto a referir, a equipa tem sido, em muitas partes dos jogos, extremamente dominadora e, até em certos jogos, criado muitas situações mas não está a conseguir. Mesmo no jogo com a Académica, em que o resultado é de 0-4, mas há dois golos ilegais e uma grande penalidade assinalada. A equipa até quando o resultado se foi avolumando, foi sempre dividindo o jogo e foi tendo oportunidades. Mas tem sido difícil. Espero que isso termine e as coisas sejam marcadas conforme têm que ser marcadas. Para um lado e para o outro, não há problema rigorosamente nenhum. A equipa, obviamente, tem que dar mais e acredito que vai dar mais e vai ter essa sorte que nos tem faltado”. O treinador gilista espera “um resultado que possa virar o espírito que, por estes motivos todos, tem estado em baixo. Temos que o ir buscar novamente e fazer do Gil a grande equipa e uma boa equipa, sempre difícil para os adversários, que sempre foi”.

Paulo Alves antevê jogo frente ao União da Madeira: “Em termos de motivação temos que ser superiores”

Fevereiro 3, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

O treinador do Gil Vicente FC, Paulo Alves, fez o lançamento do próximo jogo, frente ao União da Madeira, a contar para a 23ª jornada da LEDMAN LigaPro, que se realiza no domingo, pelas 15h00, na Madeira.



Sobre o processo evolutivo da equipa, sob orientação da equipa técnica por si dirigida, Paulo Alves salientou “que a equipa tem respondido bem e tem já demonstrado, em termos de jogo coletivo, alguns dos conceitos que nós estamos a tentar introduzir. A equipa tem demonstrado já alguma qualidade e alguma preponderância nos jogos. Mas, de facto, temos que também olhar para as coisas de uma forma objetiva e direta, porque não estamos a fazer golos, não estamos a ter aquilo que nós todos, nesta altura, queremos, que são vitórias e pontos. Temos que, de uma forma competitiva, coletiva, organizada, chegar a esse mesmo golo e chegar às vitórias, que, acredito, irão dar a confiança e retirar a ansiedade que, neste momento, tolhe um bocado a lucidez e o raciocínio, para poder fazer as coisas bem feitas. Mas a equipa está consciente disso. Está a lutar por isso. Pior seria se isso não estivesse a acontecer. Acredito que é isso mesmo que falta: um clique e uma pontinha de sorte, também, que é fundamental nestas alturas que surja e que vire a situação aqui. Vamos acreditar nisso e fazer com que isso seja possível já no domingo”.

Sobre aquilo que o balneário tem sentido nestes últimos tempos, o treinador gilista referiu que os jogadores têm a “convicção de que estão a fazer coisas boas e os processos começam a espelhar-se em campo. Eles sabem disso, eles percebem isso. Nós falamos, em grupo, em relação a isso”. Já a vitória “não vai acontecer só porque nós estamos todos a contar que isso aconteça. Mais jogo, menos jogo, vai acontecer porque vamos continuar neste registo. Quando digo neste registo não é para fazer confusão. As coisas não estão bem. Não há como esconder. O otimismo reina nesse sentido. Mas precisamos de algo mais palpável, de golos e de pontos”.

Por fim, sobre o adversário do próximo domingo, uma equipa orientada, ainda esta época, por Paulo Alves, este ressalvou que “é um adversário que conheço bem, embora esteja também, à semelhança do Gil, em transformação. Entraram muitos jogadores novos. Será diferente daquilo que conheci”.

Mas o objetivo gilista passa apenas pela vitória. “O discurso tem que ser no sentido de vitória, de entrega, de capacidade de luta, independentemente daquilo que adversário possa colocar em campo, da questão dos modelos de jogo. Nós, respeitando todos os adversários, percebendo e analisando as capacidades de cada um, temos é que, sobretudo, em termos de motivação própria das equipas que querem ganhar, temos que ser superiores nesse sentido. E, se o formos, estamos mais perto de ganhar”.

Gil Vicente continua em maré de azar e é derrotado em casa pelo Varzim

Janeiro 29, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Em jogo a contar para a 22ª jornada da LEDMAN LigaPro, o Gil Vicente Futebol Clube recebeu, no Estádio Cidade de Barcelos, o Varzim SC, a uma hora (16h00) e dia (segunda-feira) “fora do normal”.



Paulo Alves, técnico gilista, fez entrar no relvado Rui Sacramento, Gabriel, Luiz Eduardo (Vítor Tormena), Sandro, Luís Tinoco, Alphonse, James Arthur (James Igbekeme, 75’), Jonathan Rubio (Aldaír, 59’), Frédéric e Gonçalo Abreu. No banco ficaram João Costa, Reko, Ricardinho e Fall.

Já o barcelense Capucho, técnico varzinista, apresentou Paulo Vítor, Sandro, Tiago Valente, Nelsinho, Nélson Agra, Pintassilgo (Diogo Ramos, INT), Jean Felipe, Stanley (Fábio, 85’), Malele (Seck, 78’), Rúben Macedo e Rui Coentrão. No banco ficaram Paulo Cunha, Zeka, Mário Sérgio e Ruan.

O árbitro foi Sérgio Piscarreta (AF Algarve), coadjuvado por Hugo Ribeiro e Nuno Ferreira, com Rui Licínio (AF Porto) como 4º árbitro.

De destacar, na equipa gilista, a estreia de Gonçalo Abreu e James Arthur no onze inicial, se bem que este último já tinha sido utilizado na última jornada. Também Aldaír, novo reforço, estreou-se, com o guarda-redes barcelense João Costa, igualmente recém-contratado, a ficar no banco.

Os gilistas entraram a “todo o gás”, com o hondurenho Jonathan Rubio a cabecear à barra, após centro do esposendense Frédéric, logo aos 2 minutos. Como se não bastasse esta, eis que o Gil Vicente consegue outra oportunidade, com o mesmo jogador a centrar mas Gonçalo Abreu a cabecear, novamente, ao ferro, aos 9 minutos. O azar começava logo a fazer-se sentir neste jogo para o lados dos da casa.

Ao intervalo o marcador registava um nulo, com os gilistas a iniciarem melhor, lamentando o azar e as bolas ao ferro, e os varzinistas a equilibrarem a contenda.

No reinício, e após grande perdida gilista, o ex-FC Porto B, Rúben Macedo, aos 48 minutos, faz uma diagonal da esquerda para o meio e, em zona frontal, defere um remate colocado, abrindo o marcador e para os forasteiros.

O Gil Vicente demorou a reagir e apenas aos 60 minutos, Gonçalo Abreu, após cruzamento do estreante Aldaír, cabeceou a rasar o poste. Continuava o azar para os gilistas, que tentaram responder ao golo sofrido mas faltava-lhes discernimento no último terço do terreno de jogo. Os visitantes ainda desferiram alguns contra-ataques mas só por uma vez levaram perigo à baliza gilista.

A estatística final mostra um Gil Vicente mais rematador (9-4), com mais posse de bola (54%-46%), mais faltas cometidas (14-13) e mais cantos (8-3). Na disciplina, Luiz Eduardo (18’) e Gonçalo Abreu (36’) foram admoestados com amarelo pelo lado dos gilistas; já pelo dos varzinistas, Sandro (34’), Tiago Valente (66’) e Nélson Agra (69’) foram os “contemplados”.



Por: Gonçalo Santos.

Fotos: Gonçalo Santos e Fernando Rodrigues.

Gil Vicente apresenta novo reforço: Gonçalo Abreu

Janeiro 28, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Foi oficializado hoje o novo reforço para o ataque do Gil Vicente FC, Gonçalo Abreu. O avançado assinou até ao final da época, proveniente do União da Madeira.



Este experiente avançado, de 31 anos, é madeirense, tendo feito a formação no Marítimo, clube pelo qual se estreou como sénior. Ainda atuou pelo Varzim, Feirense e Atlético, sempre emprestado pelos maritimistas. Teve uma curta e pouco frutífera experiência no estrangeiro, nomeadamente no Ermis Aradippou, de Chipre. Voltou a Portugal, e à Madeira, para representar o Camacha, Feirense de novo, Penafiel e União da Madeira, de onde se transfere agora para os gilistas.

O possante jogador (1.90m, 84kg) referiu em conferência de imprensa ter ficado muito feliz quando recebeu a oferta do Gil Vicente, um clube onde gostava de jogar, também por ter sido treinado por Paulo Alves, que lhe deverá ter dado informações sobre o clube gilista. Sempre ouviu falar bem do Gil Vicente e da sua estrutura e agora que está cá, pode comprovar isso. O jogador espera que os resultados melhorem e que ele consiga fazer uma boa época. Os colegas têm-no ajudado a integrar-se o mais rápido possível.

Paulo Alves foi também um dos motivos para aceitar o convite, pois já trabalha com ele há alguns anos, sempre se deram bem. Vem com o intuito de ajudar a equipa e, também, a ajudar o treinador. Gonçalo Abreu reconheceu qualidade na equipa, faltando-lhe “aquele clique” para que possam fazer uma segunda volta muito melhor.

Paulo Alves antevê jogo com Varzim

Também hoje, e também em conferência de imprensa, Paulo Alves, treinador gilista, fez o lançamento do jogo de amanhã à tarde, pelas 16h00, frente ao vizinho Varzim.

Paulo Alves salientou que a equipa está num processo de integração de jogadores novos e os que já cá estavam estão a assimilar os conceitos e as ideias que pretendem – equipa técnica – integrar. De igual modo, estão a tentar recuperar uma ou outra lesão, para que tenham o mais rápido quanto possível toda a gente alinhada em termos de comportamentos e atitudes.

O técnico quer uma equipa “a lutar incessantemente pela vitória”. Já não ganham há algum tempo e tem que, rapidamente, o fazer, no sentido de poderem trabalhar com outra confiança, com outra alegria. “Em cima de vitórias tudo é mais simples, mais fácil e esse é o objetivo de toda a gente aqui neste momento, é virar rapidamente ‘o bico ao prego’, em relação àquilo que tem sido menos bom neste passado recente”, salientou.

Sobre a evolução da equipa, Paulo Alves ressalvou que esta já percebeu algumas coisas, que já se notaram nos jogos. “Convém dizer que nós, contra o Porto B, fizemos um grande jogo, já numa situação em que estávamos perto daquilo que queremos fazer. No Cova da Piedade, sobretudo na segunda parte, mesmo com dez jogadores, fomos uma equipa, em muitos aspetos, superior ao adversário. Tivemos muitas oportunidades na segunda parte. Falta aqui, também, um ‘cliquezinho’ de sorte, uma ponta daquilo que é importante no futebol ter-se, essa tal sorte, que pode significar a mudança. É isso que nós queremos. Também não vai acontecer por acaso. Temos que, todos em conjunto, acreditar que isso é possível e fazer, todos, a mesma força para que isso rapidamente aconteça. E vai, seguramente, acontecer. Não tenho dúvidas. Recuperando os jogadores, integrando estes novos que entretanto chegaram, a equipa vai ficar mais consistente, mais equilibrada e, sobretudo, muito mais preparada para aquilo que são as dificuldades que todos sabemos a segunda liga encerra”, referiu.

Já sobre o confronto com o Varzim, o treinador gilista afirmou que será um jogo extremamente complicado para as duas equipas. “O Varzim passa pelo mesmo que nós estamos a passar, ou seja, está a transformar a sua equipa, também chegaram alguns jogadores novos e, portanto, aquilo que nós falamos aqui, está a acontecer no Varzim”, continuou. “Pelos pergaminhos do clube que é”, o Varzim é normalmente muito aguerrido, que trabalha muito, que luta muito, mas é isso que o Gil Vicente também quer. Por isso, Paulo Alves prevê um jogo extremamente difícil, complicado mas que querem ganhar. “Seja o Varzim, seja outra equipa qualquer, respeitando, obviamente, qualquer adversário que cá venha ou que defrontemos, queremos ganhar e queremos, acima de tudo, fazer com que essa vitória possa ser a mudança de aquilo que tem acontecido em termos menos bons”, terminou.

Nem estória, nem história

Janeiro 12, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Hugo Pinto

Mais um jogo, mais uma vitória. Apesar de o nosso querido SLB continuar a vencer sem convencer. Aborrece-me estar sempre a abordar o desempenho do nosso glorioso desta forma, mas a verdade é que neste jogo adormeci no decorrer da segunda parte. Literalmente, adormeci.



O Benfica continua a jogar para serviços mínimos. Mesmo ganhando, torna-se fastidioso assistir a 90 minutos de futebol sem grande espetáculo, com jogadores que mais parece que já entram em campo cansados. É evidente a desmotivação e a desmobilização do plantel.

Se acham que é só embirração minha, reparem nos números do jogo: 66% de posse de bola (que é como quem diz, tivemos a bola nos pés em dois terços do tempo de futebol jogado); 17 remates, dos quais 11 à baliza; e 10 cantos. Golos: dois! Pouco. Muito pouco. Bem que procuro ter o cuidado de não me tornar repetitivo, mas é inevitável. Entretinha-me mais um empate no tempo do JJ, do que estas vitórias de serviços mínimos.

Aparte isto, foi um jogo sem mais história. E perdoem-me se perdi algo de fabuloso nos cerca de 15 ou 20 minutos da segunda parte em que estive a dormir, mas estou capaz de jurar que não se passou nada de especial. Pizzi a jogar, Jonas a marcar e Krovinovic a dar um ar de sua graça. O resto da malta foi lá mais pelo convívio. Registo ainda a assistência para o golo de Jonas, aos 74 minutos, pelo jovem João Carvalho. Dito isto, continua a apetecer-me gritar: “joguem à bola, pá!”.

“Cá por casa”, regressa Paulo Alves ao comando técnico do Gil Vicente, estreando-se com um empate sem golos frente ao último classificado. Há muito trabalho para Paulo Alves fazer mas estou convencido que é o homem para o serviço. Reforço de inverno foi também o meu conterrâneo João Vasco, a quem desejo as maiores felicidades com as cores do Gil ao peito.
E viva o Benfica!

E sim, continuo a querer o 37…

Por: Hugo Pinto*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Gil Vicente: Paulo Alves, novo treinador, estreia-se com empate sem golos

Janeiro 6, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Em jogo a contar para a 19ª jornada da LEDMAN LigaPro (2ª Liga), o Gil Vicente Futebol Clube (15º) não foi além de um empate caseiro, a zero, frente ao Real (20º e último classificado).



Realizado no Estádio Cidade de Barcelos, com iniciado às 15h00, a turma orientada por Paulo Alves alinhou com Rui Sacramento, Gabriel, Vítor Tormena, Luiz Eduardo, Luís Tinoco, André Fontes, Alphonse, Reko (Jonathan Rubio, 45’), Camara (Fall, 61’), James Igbekeme e João Vasco (João Pedro, 85’). Júlio Neiva, Sandro, Miguel Abreu e Ricardinho ficaram no banco.

Já a equipa vinda de Massamá, e orientada por Filipe Martins, atuou com Tom, Paulinho, Vasco Coelho, Paulo Monteiro (Basso, 78´), Leal, Cazonatti, Fokobo, Cele (Marcos Barbeiro, 85’), Vinícius, Abou Touré e Gildo (Marcelo Lopes, 68’). No banco ficaram Patrick Costinha, Diogo Coelho, Abdoulaye Diallo e Brash.

A equipa de arbitragem foi liderada por Daniel Cardoso (AF Aveiro), coadjuvado por Tiago Mota e Vítor Manuel Silva e tendo como 4º árbitro Pedro Fernandes (AF Braga).

Equipa essa que admoestou com cartão amarelo Paulo Monteiro (36m), Cazonatti (65m), Vítor Tormena (66m) e Paulinho (87m).



A primeira parte teve os visitantes mais por cima do jogo, com mais remates e cantos. A posse de bola, ao intervalo, estava dividida em metades iguais por ambas as equipas. Na segunda parte, os gilistas equilibraram a partida, beneficiando das substituições operadas por Paulo Alves. No final do jogo, as estatísticas apontavam para o Gil Vicente a ter mais posse de bola (51% contra 49%). No entanto, em todos os outros dados, os gilistas ficaram atrás dos homens de Massamá. Assim, ficou 4-6 (remates), 9-21 (faltas cometidas), 4-6 (cantos) e 1-3 (cartões amarelos). Não houve vermelhos. De salientar que, ao intervalo, estes números eram mais desnivelados para o lado dos visitantes.

O novo técnico gilista optou por apresentar no onze inicial os reforços Alphonse (ex-Feirense) e João Vasco (ex-Tondela). O primeiro completou o jogo mas o avançado, de Darque, foi substituído por João Pedro já muito perto do final do jogo.

Com este empate, o Gil Vicente soma o seu 22º ponto, continuando muito próximo da “linha de água”. Já o Real soma o seu 14º ponto e continua como “lanterna vermelha”.

Na próxima jornada, a 20ª, os gilistas jogam de novo em casa, no dia 14 de janeiro, domingo, pelas 11h15, contra o líder FC Porto B, em jogo que será transmitido pela SPORT TV.

Imagem: GVFC (alterada).

Paulo Alves confirmado como novo treinador do Gil Vicente

Dezembro 28, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Está confirmada a notícia, avançada por vários órgãos de comunicação social, sobre a contratação de Paulo Alves como novo treinador do Gil Vicente, rescindindo este o contrato que tinha com Jorge Casquilha. O novo treinador até já treinou a equipa no treino de ontem, sendo que a composição final da sua equipa técnica ainda está a ser tratada.



Tal como Jorge Casquilha, o vila-realense Paulo Alves tem uma longa história de ligação ao clube, quer como jogador, quer como treinador, mas, igualmente, à cidade. De recordar que Paulo Alves rescindiu em outubro passado com o União da Madeira.

Foto: DR.

Gil Vicente derrota União da Madeira com golo perto do fim

Agosto 23, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora




Em jogo disputado hoje, no Estádio Cidade de Barcelos, a contar para a 4ª jornada da LEDMAN Liga Pro, o Gil Vicente recebeu o União da Madeira e venceu por 1-0, com um golo apontado mesmo perto do final do tempo regulamentar.

O Gil Vicente, treinado por Jorge Casquilha, alinhou com Rui Sacramento, Gonçalo Duarte, Sandro, Vítor Tormena, Luís Tinoco, Gastón Camara, (Fall, 55’), André Fontes, (João Pedro, 70’), Jumisse, James Igbekeme (Jonathan Rubio, INT), Rafael Batatinha e Rui Miguel. No banco ficaram Júlio Neiva, Henrique, Rui Faria e Miguel Abreu.

Já o União da Madeira, treinado pelo bem conhecido de Barcelos, Paulo Alves, alinhou com Tony, Sylla, Allef, Romaric, Laércio, Júnior, Ciss (Gonçalo Abreu, INT), Sidy Sagna, Micael, Rodrigo Henrique (Danilo Dias, 79’) e Luan (Flávio Silva, 76’). No banco ficaram Chastre, Mendy, Sérgio Marakis e Paulo Vasconcelos.

Na vertente disciplinar, o árbitro Luís Godinho (AF Évora) admoestou com cartão amarelo Gonçalo Duarte (24’), André Fontes (45’), Jonathan Rubio (79’) e Sidy Sagna (87’).

O jogo foi sempre bem disputado, chegando ao intervalo com uma igualdade a 0. Mesmo perto do final, aos 88 minutos, de livre direto, Luís Tinoco estabeleceu o resultado final em 1 para os gilistas, 0 para os unionistas da Madeira.

No final da partida, Jorge Casquilha referiu, em conferência de imprensa, que o resultado acabou por ser justo porque “quem marca é quem ganha”. Na ótica do treinador, o Gil fez uma primeira parte de qualidade, onde teve hipóteses de chegar ao golo. Na segunda parte, tiveram mais dificuldades, “emocionalmente, a equipa perdeu um pouco o controlo” e acabaram por ter a “sorte do jogo” ao fazer o golo de bola parada. No final, com cinco avançados, a equipa acabou por ficar desequilibrada, passando por alguns calafrios e, com alguma sorte, acabaram por ganhar. Noutros jogos não tiveram sorte e não ganharam, desta vez foi diferente e ganharam o jogo.

Com este resultado, o Gil Vicente subiu ao 6º lugar, quando ainda não se disputaram todos os jogos desta jornada, com 7 pontos em 4 jogos.

Fotos: GVFC e CFU.

 

Taça CTT: Gil Vicente começa a ganhar mas cai na Madeira frente ao União

Julho 30, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Em jogo disputado hoje, no Centro Desportivo da Madeira, em Ribeira Brava, o Gil Vicente Futebol Clube acabou eliminado da Taça CTT (“Taça da Liga”), sendo derrotado pelo CF União da Madeira, por 2-1.

A equipa gilista, treinada por Jorge Casquilha, alinhou de início com Rui Sacramento, Ricardinho, Vítor Tormena, Luiz Eduardo, Luís Tinoco, Jumisse, Miguel Abreu, Jonathan Rubio, João Pedro, Fall e James Igbekeme.

Ao intervalo o resultado mostrava um nulo no marcador mas as redes das balizas começaram a mexer no segundo tempo, logo aos 52 minutos, com o jovem Jonathan Rubio a adiantar os forasteiros de Barcelos. Está de “pé quente” neste início de temporada, o hondurenho de 20 anos.




No entanto, a equipa da casa, treinada pelo bem conhecido em Barcelos, Paulo Alves, acabou por dar a volta ao resultado, com dois golos do brasileiro Luan, aos 76 e 87 minutos.

Assim, a equipa barcelense fica fora da próxima fase desta competição mas sem antes ter conseguido uma grande vitória na Póvoa de Varzim e na Madeira ter sido derrotada apenas nos minutos finais. De relembrar que o sorteio não foi “amigo” do Gil Vicente, pois teve que realizar os dois jogos fora de casa.

Agora, as baterias apontam para o jogo de apresentação aos sócios e simpatizantes, assim como a disputa de Taça Caixa de Crédito Agrícola, frente ao Futebol Clube do Porto, equipa que tem no seu plantel o guarda-redes barcelense João Costa.

Foto: GVFC/DR.

Pin It on Pinterest

Ir Para Cima