Tag archive

Poesia

Dançando…

Abril 13, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Joana Martins

Dançando com o vento

Seguindo sem pensar

Dei passos no tempo

Com a luz de um olhar…

.

Dançando me entreguei

Ao ritmo do luar

Esqueci a razão

Deixei-me levar…

.

Dançado voei

Voei, sem pensar

E sonhei, sonhei…

Com o impossível de alcançar.

.

Dançando com o horizonte

Queria lá chegar

Mas não passei a ponte

E deixei-me ficar.

.

Dançando cansei

E tive de parar

Pensei em mim

E se quero mudar?

.

Dançando, vou aprendendo

A viver dançando.

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Já se conhecem os vencedores do concurso de poesia da Águas de Barcelos

Abril 9, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Educação port barcelosnahorabarcelosnahora

Após a análise de mais de nove centenas de poemas de alunos do 3º e 4º ano, do Ensino Básico do concelho, o Júri do concurso de poesia «Falar de Água com Amor», promovido pela Águas de Barcelos, já selecionou os trabalhos vencedores.



O poema «Água e Barcelos», da autoria de Afonso Tomás P. Dias, da EB1 de Galegos – Santa Maria é o grande vencedor. O segundo lugar foi atribuído a Patrícia Vieira Rodrigues, da EB1 de Ponte, e o terceiro lugar foi atribuído a Filipa Ribeiro Nibra, da EB1 de Aldreu. A entrega de prémios será brevemente agendada e os melhores poemas por escola serão expostos em data e local a informar em breve.

A forte adesão ao projeto trouxe a concurso poemas de alunos de todos os agrupamentos escolares do concelho e contou com o envolvimento de 42 escolas. A decisão do júri não foi fácil, pois, em avaliação, estiveram trabalhos de grande qualidade literária e reveladores do grande empenho das escolas e alunos na participação deste projeto.

Eis o poema vencedor:

“Água e Barcelos”

Há um bem preciso

Sobre o qual vamos falar

É fonte para a nossa vida

Que precisamos aprender a preservar

.

Está nos rios e nos mares

Cristalina e sem igual

Pode ser doce ou salgada

Mas sempre especial

.

Água é o seu nome

Do ambiente a brotar

Magnífico dom da Natureza

Que devemos respeitar

.

Em Barcelos ou Portugal

E no Mundo inteiro é preciso alertar

A água é presente, passado e futuro

Por isso a ordem é poupar

.

A todos sem exceção

Lançamos o alerta

É preciso respeitar a água

E gastar na dose certa

.

Na nossa escola

Temos um desejo profundo

Que juntos cuidemos do ambiente

Porque as crianças são o Mundo

.

Afonso Tomás P. Dias

EB1 Galegos – Santa Maria

O Concurso de Poesia sob o tema «Falar de Água com Amor» tinha como objetivo “fomentar, junto dos mais jovens o gosto pela escrita e pela leitura, desafiando os alunos dos agrupamentos escolares do concelho a assinalaram o Dia de São Valentim com um poema recheado de sentido”. O júri composto Bernardete Costa, Vítor Pinho e José António Serra, analisou os trabalhos com base na originalidade, criatividade, coerência e pertinência ao tema. Com ideias e vocabulários compatíveis à sua categoria, os poemas deveriam conter as palavras “Águas” e “Barcelos”.

Imagem: DR.

A Procura

Março 21, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Joana Martins

Procuro o cheiro

O abraço, o sabor

Da loucura a memória

A alegria e a cor.

.

Pinto de saudade

A alegria que vivi

E guardo a verdade

Do que nunca esqueci.

.

Escondo em mim

A resposta do que sei

Digo não, mas quero sim

Tirar do baú, o que guardei.

.

Não são diamantes

Mas têm muito valor

São sentimentos

Guardados com calor.

.

Procuro em mim

O que nunca esqueci

E sim, é verdade…

Nunca me esqueci de ti!

.

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Mais de 900 alunos do 1º Ciclo falam de “Água com Amor”

Março 19, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Educação port barcelosnahorabarcelosnahora

Vencedores são conhecidos em breve

Depois do desafio lançado pela Águas de Barcelos, mais de nove centenas de alunos do 3º e 4º ano, do 1º Ciclo do Ensino Básico, assinalaram o Dia de São Valentim com um poema recheado de sentido. A concurso estão poemas de alunos das escolas públicas do concelho, que se encontram agora em análise por um júri composto por Bernardete Costa, Victor Pinho e José António Serra.



O entusiasmo das escolas refletiu-se numa forte adesão e satisfação, com a participação de todos os agrupamentos escolares do concelho de Barcelos, num total de 973 alunos (789 no ano letivo anterior).  Os critérios prendem-se com a originalidade, a criatividade, a coerência e a pertinência ao tema. Com ideias e vocabulários compatíveis à sua categoria, os poemas devem conter as palavras “Águas” e “Barcelos”.

Após a análise, os melhores poemas serão expostos em data a definir. Serão, ainda, atribuídos o primeiro, o segundo e terceiro prémios, sendo que o aluno vencedor receberá um tablet de oferta; o segundo classificado receberá um MP4; e o terceiro, um MP3. À escola vencedora (do aluno vencedor) será oferecido um vídeo projetor. Todos os participantes receberão diplomas de participação.

O Concurso de Poesia, sob o tema “Falar de Água com Amor”, tem como objetivo fomentar, junto dos mais jovens, o gosto pela escrita e pela leitura.

Sobre o júri, Bernardete Costa nasceu em Esposende, em 1949, tendo sido registada em Barcelos, onde residiu grande parte da sua vida. Em 1975, iniciou a carreira como docente no então ensino primário. Em 1984, muda-se para Vila Nova de Famalicão, onde se estreia na escrita jornalística e literária. O seu gosto pela escrita levou-a a publicar algumas obras literárias. Assim, em 2000, editou o primeiro livro de poemas “A Guardadora de Ausências”, com prefácio de Urbano Tavares Rodrigues. A boa receção da obra por parte da crítica, entusiasmou-a a continuar a escrever, especialmente poesia. Em 2001, publicou o segundo livro, “Lugares do Tempo” (prémio literário da Câmara Municipal de Barcelos); em 2002, “Insubmissão dos Afetos”; e, em 2004, “Cerejas aos Molhos”, poesia dedicada à infância, todos com a chancela da extinta Campo das Letras. Igualmente dedicado à infância, publicou; em 2009, o livro de contos “O Doce Canto da Sereia e Outras Histórias”. Publicou, depois, pela mão da “Atelier de letras”, o livro de Poemas para a juventude “Transpiração”, com a apresentação do jovem escritor, Valter Hugo Mãe. De novo para a infância, pela editora “Atelier de Letras”, em 2012, “A casa sol e o telhado poema”. Em 2013, agora pela mão da jovem editora Blossom Birds, apresenta novamente poesia em “Cânticos de Sedução”. Mais recente; em 2015, apresenta, de novo pela Atelier de Letras, o livro de poesia infanto/juvenil “A luz dos Animais e das Coisas”. Além destas obras, tem artigos dispersos em antologias várias e publica textos inéditos no seu blog: http://bernardetecosta.blogs.sapo.pt. Bernardete Costa retornou às origens e vive, atualmente, na avenida virada ao rio Cávado, em Esposende.



Licenciado em História pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, Victor Pinho possui o curso de especialização em Ciências Documentais pela mesma Universidade e é Chefe do Gabinete de Bibliotecas do Município de Barcelos. Técnico Superior do Câmara Municipal de Barcelos, dirige a Biblioteca Municipal há 33 anos, tendo proferido diversas conferências sobre Leitura Pública e História Local.  É ainda membro da Comissão de Toponímia e responsável pelo programa cultural da Feira do Livro.

Autor de diversos trabalhos de História Local, a maior parte dos quais publicados na “Barcelos Revista” e nos semanários “A Voz do Minho” e “Jornal de Barcelos”, onde tem vindo a publicar “Os Presidentes do Município de Barcelos”, desde o liberalismo até à atualidade. É ainda o Coordenador Científico dos Fascículos que este mesmo jornal está a publicar sob o tema “Concelho de Barcelos – Freguesias”. É autor do livro “Dicionário de Barcelenses”, publicado em 2017, e que foi Prémio Literário do Município de Barcelos, 2009, na modalidade de investigação. É coautor do livro “D. José Domenech: defensor do trabalho e prestante cidadão”, publicado em 1999, em que divulga a vida e obra deste industrial espanhol de serração de madeiras e que contribuiu para a fixação, em Barcelos, de muitos cidadãos espanhóis. No prelo, está o livro “Teatro Gil Vicente: um século de histórias”, que retrata a história cultural e social de Barcelos, antes e depois da fundação daquela casa de espetáculos. É membro do Rotary Clube de Barcelos, do qual foi presidente em 1998/1999 e presidente da Assembleia Geral da Tertúlia Barcelense, da qual foi presidente em 2000/2001. Foi Presidente do Definitório (Conselho Fiscal) da Santa Casa da Misericórdia de Barcelos, de 2009 a 2014; da provedoria do Eng.º Mário Azevedo e do Dr. António Pedras; Presidente da Direção do IPIR – Instituto Português de Imprensa Regional, de 2002 a 2008; e Vice-Provedor da Real Irmandade do Senhor Bom Jesus da Cruz de Barcelos, de dezembro de 2003 a março de 2007, da provedoria do Dr. Vale Ferreira.

José António Serra é docente do Ensino Básico, geógrafo e urbanista, pela Universidade do Minho. Possui obras editadas, sobre o empreendedorismo da mulher, a defesa da igualdade de género. A par disso, tem incursões no mundo da poesia. De resto, um gosto que procura incutir nos seus discentes, quer na escrita criativa, quer na participação em concursos de poesia.

Em termos de jornalismo, colaborou em alguns órgãos de imprensa com o heterónimo Vítor Serra e outros. Possui inúmeros trabalhos de investigação publicados, dedicados quer a figuras locais: Garcia de Guilhade, Teotónio da Fonseca, António Ferraz, José Novais, Felgueiras Gayo, Gaspar Goes do Rego, Queirós Veloso, Pedro de Barcelos, Martins Lima, Miranda de Andrade, João Cardoso de Albuquerque, Gomes Pereira, Júlio Vieira Ramos, Jaime de Séguier, Augusto Soucasaux, Artur Roriz, Abade do Louro, Cardoso e Silva, Lapa Carneiro, Alfredo Carvalhais, João Macedo Correia, Cândido da Cunha, Gonçalves Torres, Jerónimo, Fernando Lopes entre outros; ao urbanismo; ao património paisagístico e natural; ao património arqueológico, arquitetónico, monumental e artístico; à literatura, entre outras.

Do mesmo modo, é autor de diversos artigos de opinião como cidadão do mundo. Foi vencedor do prémio literário atribuído pelo Município de Barcelos, na modalidade da investigação, ao trabalho “A Feira de Barcelos do Século XIII Até Ao Presente: evolução da fisionomia dos espaços”, em 2011.

Presentemente, trabalha no projeto “Águas, Fontes, Fontanários e Outras Tipologias”.

Imagem: DR.

Tempera o tempo

Fevereiro 16, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Joana Martins

Dá-lhe sabor

Dá-lhe cor

Deixa ferver

Deixa ser

Uma pitada de açúcar

Mexe sem parar

Junta-lhe água

Deixa chover

Estrelas cadentes

Rasgam o céu

Continua a mexer

Não pares no tempo

Que o tempo pare

Apenas para te lembrar

Do que valeu a pena

E deixou a saudade no ar

Mexe, mexe devagar

Um dia de cada vez

Deixa o sol aquecer

E fazer brilhar

O tempo que passou sem parar

Porque um dia vais olhar

O tempo como um conselheiro

Um professor.

E vais aprender

Que não fizeste tudo bem

Mas que falhaste no que não fizeste!

Faz!

Faz o tempo valer cada segundo.

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Águas de Barcelos desafia novamente alunos a falarem de água com amor

Janeiro 16, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Educação, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Versos estão a ser elaborados pelos alunos do 3º e 4º ano do concelho

Com o objetivo de continuar a fomentar junto dos mais jovens o gosto pela escrita e pela leitura, a Água de Barcelos desafia os alunos do 3º e 4º ano, do Ensino Básico, a assinalarem o Dia de São Valentim com um poema recheado de sentido.



O Concurso de Poesia, sob o tema «Falar de Água com Amor», abrangerá todas as escolas públicas do 1º ciclo do ensino básico do concelho e cada participante poderá concorrer com apenas um trabalho.

A poesia deverá ser original, criativa, coerente, pertinente ao tema, com ideias e vocabulários compatíveis à sua categoria, bem como conter as palavras “Águas” e “Barcelos”. Para participar, cada escola deverá enviar os seus poemas a concurso, num envelope, com os poemas devidamente identificados com o nome do aluno, bem como o nome da escola, até ao dia 14 de fevereiro.

Os melhores poemas serão depois expostos em data a definir. Serão ainda atribuídos o primeiro, o segundo e o terceiro prémios, sendo que o aluno vencedor receberá um tablet de oferta, o segundo classificado receberá um MP4 e o terceiro, um MP3. À escola vencedora (do aluno vencedor) será oferecido um vídeo projetor. Todos os participantes receberão diplomas de participação.

Imagem: DR.

Recomeçar

Dezembro 31, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Joana Martins

O ano a terminar

É tempo de balanço

Tive dias de lutar

Tive dias de descanso.

Dias de felicidade,

Dias sem cor também

De carinho, necessidade

Sem amor, não vivo sem.

De força vivo eu

Inundo na gratidão

Das boas pessoas que a vida me “deu”

E guardo-as no coração.

Sim, fui premiada

De amigos de verdade

Sinto-me uma sortuda

Quero levá-los para a prosperidade.

Porque especiais são as pessoas

Que nos fazem sentir especiais.

Termino agradecendo,

Por tudo que deles recebi

Nunca esquecendo

Tudo o que com eles vivi.

É tempo de recomeçar

E quero tê-los sempre a meu lado

Porque mais do que ter, é dar

Amar e ser amado.

 

Um ano muito feliz para todos!

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Deixa-te levar…

Outubro 30, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Joana Martins

Corre o vento lá fora

Deixa-te levar

Chegou a hora

De ganhar asas e voar.

Voa,

Deixa-te levar…

E mesmo que doa

Acredita,

Vai passar!

Imagina-te leve,

Vai valer a pena

Deixa que o sonho te leve

Leve como uma pena.

Sai de ti e vai!

Perfuma o céu

Pinta-o de Sol e calor

Despe o véu

E deixa o arco-íris ganhar cor.

E nos dias que a chuva teimar

Deixa encher o copo

Até transbordar

No fim, deixa-o cair…

Não segures pesos

Que te impeçam de voar

Dá novamente às asas

Deixa-te levar…

E vai!

Vai ser o que queres

Com quem queres

Com quem te deixa ser!

Com quem te deixa sonhar…

 

Força nisso!!!

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Acordei feliz

Julho 13, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Joana Martins

Sabes aquele dia

Que acordas feliz

Parece que sentes a maresia

Fazer-te cócegas no nariz?

Parece que ouves as ondas do mar

Nada te prende

E queres mergulhar.

Uma chama, em ti, acende

Deixas-te queimar.

Sentes o calor

De um sorriso sincero

Por dentro amor

Dos demais espero.

Os raios de sol, me iluminam a alma

Sinto-me serena

Tranquila, calma.

Penso em mim

Mas nos outros também

Um sentir de cetim

Só desejo o bem.

Apalpo a vida

Rasgo a liberdade

Toco enternecida

Tamanha felicidade.

 

Acordei feliz

Sei lá…

 

Feliz, de quem fica feliz, com a felicidade dos outros.

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Sente

Junho 18, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Joana Martins

Sobre sentir

Sei apenas que sinto

Tenho muito que descobrir

Não minto.

Sinto com intensidade

O amor

A amizade.

E, muitas vezes, sofro por isso.

Por acreditar demais

Por dar demais.

Mas se não for assim

Qual o propósito?

Viver é tudo

E no tudo sou tudo em mim.

Fico triste

Quando vejo que os outros

Não são como pensava

Mas feliz por não ser como os outros.

Sou autêntica nos erros

Nas verdades

Não há metades

No que sinto.

Ou sinto

Ou não vale mais a pena sentir.

E aí me afasto…

Perdida no meu interior vasto

De querer.

O que quero?

Quero o meu canto

Rodeado de pessoas imperfeitas

Que não se sentem grandes

Em ser mais que alguém,

Grandes em ser quem são.

E essas têm de ter bom coração!

Senão,

Deixo-as ir…

Por: Joana Martins*.


(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

 

1 2 3 6
Ir Para Cima