Tag archive

Recovery IPSS

Abril com várias atividades em prol da prevenção dos maus tratos na infância

Abril 16, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Educação, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

A Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Barcelos, em parceria com várias entidades e instituições barcelenses, leva a cabo um extenso rol de atividades de sensibilização, no âmbito do “Abril 2018 – Mês da Prevenção dos Maus Tratos na Infância”.



Assim, já a 19 de abril, entre as 10h00 e as 16h00, o “Autocarro da Prevenção” estará no Largo do Senhor da Cruz, com atividades de sensibilização e animação, destinadas às crianças e à comunidade.

No dia seguinte, entre as 9h00 e as 17h30, “O Autocarro da Prevenção vai às Escolas”, numa ação de sensibilização nos Agrupamentos de Escolas, destinada a crianças, jovens e agentes educativos.

A 21 de abril, entre as 10h00 e as 13h00, há uma mostra das várias instituições que integram a CPCJ de Barcelos e intervêm na área da promoção e proteção das crianças, com o tema “Unidos pela Prevenção”.

Durante o mês de abril, haverá várias outras atividades, desde distribuição de pulseiras e laços azuis alusivos ao “Mês de Abril”, passando por ações de sensibilização e a realização de um laço azul e sua colocação nos edifícios.

As instituições parceiras da CPCJ de Barcelos nesta iniciativa são a Comissão Nacional da Proteção das Crianças e Jovens em Risco, Município de Barcelos, Rede Social de Barcelos, Barcelos Cidade Educativa, RECOVERY IPSS, APAC, Casa dos Sonhos, Centro Abel Varzim, Casa de Acolhimento Paula Azevedo, IEFP, Cruz Vermelha Portuguesa, Open B, ACIB, Centro Paroquial de Arcozelo e Casa do Menino de Deus.

Imagem: CPCJ-B.

Barcelense RECOVERY IPSS conquista o 2º lugar do Prémio Manuel António da Mota

Dezembro 3, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Em cerimónia realizada hoje, no Palácio da Bolsa, no Porto, a associação barcelense RECOVERY IPSS, presidida por Miguel Durães, foi distinguida com o 2º lugar do Prémio Manuel António da Mota, entregue pelo Primeiro-Ministro, António Costa, e atribuído pela Fundação Manuel António da Mota.



O 1º lugar foi conquistado pela matosinhense AE20 – Associação para a Educação de Segunda Oportunidade (Escola de Segunda Oportunidade de Matosinhos) e o 3º foi para G.A.TO – Grupo de Ajuda a Toxicodependentes.

Foram, ainda, distinguidas sete instituições com uma menção honrosa, que receberam cinco mil euros. Foram elas a Associação das Orquestras Sinfónicas Juvenis Sistema Portugal; Associação para o Planeamento da Família; Centro Social e Cultural São Pedro de Bairro; Crianças da Vila – Associação de Proteção de Menores e da Família; Fundação do Gil; Santa Casa da Misericórdia de Marco de Canaveses; e Santa Casa da Misericórdia do Peso da Régua.

O momento da entrega do 2º prémio ao presidente da RECOVERY IPSS, Miguel Durães:

 

Foto e vídeo: MD.

RECOVERY IPSS promove recolha de alimentos para ajudar famílias barcelenses nesta quadra natalícia

Novembro 29, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Sábado, dia 2 de dezembro, entre as 9h00 e as 20h30, a barcelense RECOVERY IPSS, presidida por Miguel Durães, promove uma recolha de alimentos no hipermercado E.LECLERC de Barcelos.



Segundo a instituição de apoio ao cidadão na área da saúde mental e candidata ao Prémio Manuel António da Mota 2017, o intuito desta recolha é o de apoiar agregados familiares do concelho de Barcelos nesta quadra natalícia, de família e numa altura em que as necessidades das pessoas se refletem ainda mais nas suas vidas.

Este apoio não é destinado a outras instituições mas a utilizadores carenciados da RECOVERY IPSS e a alguns agregados barcelenses, previamente selecionados.

Aliás, neste momento a referida associação ainda não tem o número certo de famílias que poderá ajudar porque isso dependerá, logicamente, da quantidade de alimentos recolhidos. Por tal, ganha ainda maior relevância a ajuda e contribuição de todos.

Esta é uma iniciativa que a RECOVERY IPSS realiza desde 2013, numa ideia que surgiu para colmatar as necessidades financeiras dos seus utilizadores e que, depois, se alargou a mais algumas famílias do concelho de Barcelos.

Imagem: RECOVERY IPSS.

Miguel Durães reeleito Presidente da Direção da RECOVERY IPSS

Novembro 14, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

Em ato eleitoral decorrido no último sábado, a lista encabeçada pelo psicólogo barcelense Miguel Durães saiu vencedora, eleita por unanimidade e sem votos nulos ou brancos. Era a única lista (re)candidata a mais um mandato para o próximo quadriénio 2017-2021.



O Barcelos na Hora contactou o – de novo – e recém-eleito Presidente da Direção da RECOVERY IPSS, Miguel Durães, que acedeu responder, por escrito, a três questões que lhe endereçámos.

1 – Que balanço faz do último mandato?

MD – Fazemos um balanço positivo deste último mandato. Consolidámos a Unidade que temos de apoio a Adultos, contratualizada com os organismos competentes do Ministério da Saúde e do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social. Assinámos os primeiros contratos-programa com o Governo da República Portuguesa, de duas Unidades de Cuidados Continuados Integrados na Saúde Mental para a Infância e Adolescência, instaladas em Barcelos. Aumentámos a assistência a um número maior de agregados familiares em situação de desvantagem social e aumentámos, de igual modo, o apoio na saúde e a nível social a pessoas portadoras de doença mental grave. Assinámos, também, acordos com universidades, outras IPSS, “organismos vivos” da sociedade e mais de 30 Empresas. E participámos, ativamente, na defesa e reivindicação dos direitos destas pessoas em muitas iniciativas e organismos locais, nacionais e internacionais.

2 – Tem uma explicação para o facto de haver apenas uma lista, a sua, candidata à Direção desta IPSS, neste ato eleitoral?

MD – Creio que é apenas por reconhecimento da dedicação e do trabalho que temos desenvolvido. As pessoas sabem que onde estou, estou pelas razões certas e sabem que os nossos órgãos sociais são compostos por pessoas que primam pela credibilidade, transparência e entrega à causa.

3 – Que expectativas têm para este novo mandato, para estes próximos quatro anos?

MD – Esperamos consolidar as nossas novas Unidades de Cuidados Continuados Integrados e apoiar o máximo de pessoas possível! Tudo faremos para continuar a melhorar a qualidade da prestação dos cuidados que prestamos a quem mais precisa. Brevemente, haverá também outras novidades que, esperemos, possam colocar Barcelos no Mapa pelas melhores razões.

Foto: MD.

Nova edição do calendário solidário “Ao Serviço da Terra” já está disponível para compra

Novembro 6, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

A partir desta semana, quem quiser adquirir o calendário solidário “Ao Serviço da Terra” já o poderá fazer, bastando para isso deslocar-se a um dos pontos de venda que constam na imagem de destaque, comprando através dos membros do Grupo Agrícola de Barcelos – mentores da iniciativa – ou, mesmo, tratando da compra online e à distância.



De relembrar que as receitas da venda destes calendários revertem, na sua totalidade, para a atividade social da RECOVERY IPSS, associação barcelense presidida por Miguel Durães, que agradeceu “ao Grupo Agrícola de Barcelos pelo nobre gesto, assim como a colaboração da Associação Dinamizar a Rua Direita e a todos os lojistas e entidades” que se envolveram nesta iniciativa, vendendo calendários nos seus espaços e estabelecimentos.

Assim, para a compra online ou à distância, utilize os contactos que constam na imagem que se segue. Os locais onde pode deslocar-se para adquirir calendários, constam, como referido, na imagem de destaque.

Calendário Agrícola Solidário, em prol da RECOVERY, é apresentado, esgota e 2ª edição já vem a caminho

Outubro 18, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura port barcelosnahorabarcelosnahora

Numa breve análise, é verdade que o título desta notícia parece demasiado longo e até pode confundir. Mas como lerá a seguir, os factos ocorreram tão rapidamente que mal a comunicação social começou a reportar a apresentação deste calendário solidário…já ele tinha esgotado e vem reedição a caminho. No entanto, avancemos para os factos.



Na passada sexta-feira, dia 13 de outubro, no Auditório do Centro de Investigação & Desenvolvimento do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), pelas 21h00, foi apresentado o Calendário Agrícola Solidário, uma ideia levada a cabo pelo Grupo Agrícola de Barcelos e cujo valor das vendas reverterá para a RECOVERY IPSS, uma instituição barcelense de apoio na área da saúde mental.

O Auditório foi pequeno para tantas pessoas, que quiseram assistir mas, também, apoiar e ajudar a referida IPSS. E foram várias as figuras ligadas à política, ao ensino, ao associativismo e aos vários setores de atividade económica e social barcelense que marcaram presença nesta apresentação oficial do calendário.

Filipe Figueiredo, representando o Grupo Agrícola de Barcelos e “mentor” deste projeto, referiu, na sua intervenção, que este calendário servia, para além de ajudar uma IPSS barcelense, igualmente para ajudar a “desmistificar” a ideia de que a agricultura é só para os mais velhos e que os agricultores são pessoas que andam “sujas” e sem estudos. Figueiredo salientou que, hoje em dia, já há imensas pessoas a trabalharem na agricultura que têm estudos, são instruídos e sabem cuidar-se. Abordou a importância da agricultura para o país e, principalmente, para o concelho de Barcelos, dando o exemplo do setor leiteiro, pois este coloca Barcelos como o maior produtor do país. Filipe Figueiredo referiu-se, igualmente, ao porquê de ter escolhido a RECOVERY, salientando que quando contactou esta IPSS e foi recebido pelo seu presidente, Miguel Durães, viu uma instituição a recebê-lo “de braços abertos” e com muita força e vontade em participar na ideia. Também deixou a sua opinião sobre o trabalho por ela desenvolvido, em prol da saúde mental, sendo algo que o surpreendeu pela positiva, deixando-o com a certeza de que teria feito a escolha certa. Por fim, agradeceu a todas as pessoas que ajudaram na concretização desta ideia, a todos os patrocinadores e, claro está, a todos os “modelos” que tiveram a “coragem” e “ousadia” em participar neste calendário.

Filipe Figueiredo (à direita)

Filipe Figueiredo que, pela voz de Manuel Garcia – Presidente da União de Freguesias de Silveiros e Rio Covo Santa Eulália e, também, “modelo” do calendário –, recebeu um agradecimento por parte de todos os que participaram no calendário, levando a uma ovação de pé pelos presentes.

Já Sónia Monteiro, em representação do IPCA, salientou ser uma honra para esta instituição receber este evento, sendo que estarão sempre abertos a ajudar neste tipo de projetos. Abordou a evolução do IPCA, desde Arcozelo até às instalações do Campus atual, deixando no ar uma ideia sua– fez questão de ressalvar para que não se ficasse a pensar que seria novo projeto do IPCA –, surgida ao ouvir o discurso de Filipe Figueiredo, de que talvez fosse uma boa ideia, no futuro, o IPCA criar uma escola agrária.

Sónia Monteiro

O Presidente da Direção da RECOVERY IPSS, Miguel Durães, começou por agradecer a todos a presença no evento, abordando a importância da agricultura para a economia barcelense e do nosso país, referindo que “vários são os estudos e os relatos vivos de jovens que estão a trocar empregos nos serviços pelo campo e por projetos agrícolas inovadores e exportadores”. Entrando mais na sua área, Durães salientou que a “saúde mental é uma prioridade de saúde pública e todos os dados e estudos efetuados em países mais desenvolvidos nos últimos trinta anos assim o demonstram”. Introduzindo com uma ligação entre ambas as áreas, este responsável referiu que “está mais que comprovado que tanto a agricultura como a saúde mental são prioridades urgentes, na nossa saúde, na nossa economia, no nosso futuro como sociedade” para, depois, terminar com um sentido agradecimento ao Grupo Agrícola de Barcelos e a todos aqueles que ajudaram na concretização deste Calendário Agrícola Solidário.

Miguel Durães

Entretanto, e como surge no título, os 1000 exemplares deste calendário já esgotaram, tal foi a aceitação e adesão por parte das pessoas. No entanto, quer Filipe Figueiredo, quer Miguel Durães, confirmaram ao nosso jornal que já há uma nova edição do calendário prestes a chegar, por forma a poderem corresponder à grande procura de que está a ser alvo. Informaram, igualmente, os pontos de venda já estabelecidos para se poder adquirir um destes exemplares, sendo que mais tarde poderão ser mais. Na imagem que se segue constam os nomes dos referidos estabelecimentos onde os poderá adquirir.





Mais, os responsáveis por este projeto aconselham a que, quem pretenda adquirir o calendário mas não se possa deslocar aos locais acima referidos ou não seja mesmo de Barcelos, faça a sua compra por outra via, bastando, para isso, usar os contactos que surgem na imagem que se segue.

Fotos: DR.

Calendário Agrícola Solidário angaria fundos em favor da IPSS barcelense RECOVERY

Outubro 6, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura port barcelosnahorabarcelosnahora

Numa iniciativa que se pode considerar como sendo “ousada”, um grupo de agricultores barcelenses, de nome “Grupo Agrícola de Barcelos”, decidiu seguir o célebre exemplo de um grupo de bombeiros de Setúbal e criar um calendário para 2018, onde surgem figuras masculinas em “poses de trabalho”, com o tronco desnudado, e alguns dizeres que servem de incentivo e promoção da agricultura de Barcelos.


O nome que deram ao projeto foi “Ao Serviço da Terra – Calendário Agrícola Solidário 2018”, e tem como objetivo, para além do solidário, o de chamar a atenção para um setor com muito peso na economia do concelho de Barcelos.

Ora, este calendário será apresentado e lançado, no próximo dia 13 de outubro, pelas 21h00, no Auditório 1 da Escola Superior de Gestão do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), estando, igualmente, em exposição na Expo Barcelos, que decorrerá, nesse mesmo fim de semana, no Estádio Cidade de Barcelos.

Mas mais do que as imagens “saudáveis” que surgem no calendário, este é um projeto com fins solidários, pois a totalidade da receita gerada pela venda dos calendários reverterá para a RECOVERY IPSS, presidida por Miguel Durães, que é uma Instituição Particular de Solidariedade Social sem fins lucrativos.

Em declarações a este jornal, o responsável pela IPSS começou por agradecer aos elementos do grupo que organizou esta iniciativa. “Em primeiro lugar, gostava, em nome de toda a família da RECOVERY IPSS, agradecer ao Grupo Agrícola de Barcelos pela iniciativa plena de energia positiva e solidária”, referiu Miguel Durães.

Miguel Durães

Sobre o destino das receitas resultantes deste projeto, Durães salientou que “irão reverter a 100% para a nossa atividade social, nomeadamente para as duas novas respostas da RECOVERY IPSS, as Unidades de Cuidados Continuados Integrados de Saúde Mental na Infância e Adolescência”.

Miguel Durães deixa, inclusivamente, um “apelo à participação de todos os barcelenses nesta iniciativa, que põe duas áreas da sociedade em destaque pela positiva e que, normalmente, estão em segundo plano: a Agricultura e a Saúde Mental”.

O Presidente da REVOVERY IPSS terminou as suas declarações com um novo agradecimento, “uma vez mais, aproveito a oportunidade para agradecer esta grande iniciativa de responsabilidade social, da sociedade civil, em torno dos que estão em situação de desvantagem social”, concluindo com um “Bem Hajam!”

Por fim, uma informação muito importante, principalmente para quem quer adquirir um destes mil calendários por forma a ajudar a RECOVERY IPSS. Assim, pode adquirir na cerimónia de lançamento (de participação livre e aberta); no local onde estarão expostos, na Expo Barcelos, durante esse mesmo fim de semana; nas instalações da IPSS em questão, sita na Rua Dr. Sebastião Matos, nº58/68, em Vila Frescaínha São Martinho (perto do Centro Escolar António Fogaça); e, nas semanas seguintes, estarão à venda em algumas lojas do comércio local.

Prevalência da Doença Psiquiátrica em Portugal

Agosto 16, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura port barcelosnahorabarcelosnahora
Rita Rodrigues

Hoje vou falar sobre a incidência da doença mental em Portugal, situação que preocupa cada vez mais o país e o mundo. Os dados são assustadores e, cada vez mais, aumenta esta incidência.



No Primeiro Relatório Epidemiológico Nacional de Saúde Mental (2015) foi realizado um estudo com pessoas de nacionalidade portuguesa, com mais de 18 anos e de ambos os géneros. Pessoas não-institucionalizadas, residentes em morada privada e apenas no continente, constituindo uma amostra que é representativa da população adulta de Portugal.

De acordo com o estudo realizado, verificou-se que a prevalência das perturbações psiquiátricas é superior a um quinto, ou seja, significa que Portugal tem a mais elevada prevalência de doenças psiquiátricas da Europa, conjuntamente com a Irlanda do Norte.

Ainda de acordo com o 1.º relatório Epidemiológico Nacional de Saúde Mental, Portugal, relativamente aos outros países europeus, apresenta maior prevalência de doença psiquiátrica em quase todos os grupos de perturbações do foro mental.

De acordo com os dados estatísticos, Portugal, em comparação com outros países da Europa, nas perturbações:

  • de Ansiedade posiciona-se em 1.º lugar;
  • do Humor posiciona-se em 3.º lugar;
  • de Controlo dos Impulsos posiciona-se em 1.º lugar;
  • por Utilização de Substâncias posiciona-se em 3.º lugar;

Com os resultados deste estudo podemos concluir que 1 em cada 5 pessoas da amostra apresentou perturbação psiquiátrica; que as perturbações de ansiedade são as que têm maior prevalência em Portugal, sendo que as mulheres, pessoas separadas e viúvas apresentam maior frequência de perturbação psiquiátrica. As perturbações não apresentam distribuições semelhantes entre sexos; se por um lado as mulheres apresentam mais perturbações depressivas e de ansiedade, os homens acabam por ter uma maior incidência de perturbações por abuso de substâncias e de controlo de impulsos.

Deixo, para reflectir, uma frase de Nathanael West “Os números constituem a única linguagem universal”.

Por: Rita Rodrigues*.

Psicóloga e Diretora Técnica da Unidade Paul Adam Mckay, da Associação RECOVERY IPSS.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do/a autor/a)

Associação barcelense RECOVERY IPSS é finalista do prestigiado Prémio Manuel António da Mota

Agosto 5, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

A RECOVERY IPSS, presidida por Miguel Durães, foi escolhida como uma das dez instituições finalistas do Prémio Manuel António da Mota, passando à 2ª fase, como anunciado ontem, dia 4 de agosto.

Este é um prémio atribuído pela Fundação Manuel António da Mota, cujo mecenas é o Grupo Mota-Engil e tem a TSF como parceiro de comunicação.

O Comité de seleção, composto por representantes da Fundação Manuel António da Mota e TSF – Rádio Notícias, deliberou a passagem à 2ª Fase de dez instituições finalistas, sendo elas, a barcelense Associação RECOVERY IPSS; a AE2O – Associação para a Educação de Segunda Oportunidade; a Associação das Orquestras Sinfónicas Juvenis Sistema Portugal; a Associação para o Planeamento da Família; o Centro Social e Cultural S. Pedro de Bairro; a Crianças da Vila – Associação de Proteção de Menores e da Família; a Fundação do Gil; o G.A.To- Grupo de Ajuda a Toxicodependentes; a Santa Casa da Misericórdia de Marco de Canaveses; e a Santa Casa da Misericórdia do Peso da Régua.

A fase seguinte será a da avaliação das candidaturas por parte do Júri de seleção, que é composto por Padre Lino Maia – Presidente da Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade (CNIS); Dr.ª Maria Joaquina Madeira – Coordenadora Nacional do Ano Europeu do Envelhecimento Ativo e da Solidariedade entre Gerações em 2012; Dr.ª Maria Manuela Eanes – Presidente do Conselho de Curadores da Fundação Manuel António da Mota; Dr.ª Maria Manuela Mota – Vogal do Conselho de Administração da Mota-Engil SGPS e Presidente do Conselho de Administração da Fundação Manuel António da Mota; e Eng.ª Maria Inês Mota Sá – Vogal do Conselho de Administração e Membro da Comissão Executiva da Fundação Manuel António da Mota.




De acordo com a nota publicada na página do prémio (http://premiomam.mota-engil.pt/ ), o “processo de escolha da candidatura vencedora envolverá, nos termos do Regulamento do Prémio, a apreciação in loco dos projetos concorrentes, ação esta integrada no conjunto de reportagens que a TSF-Rádio Notícias irá realizar com cada uma das instituições finalistas”. Assim, cada uma das instituições finalistas será contactada tendo em vista o agendamento das reportagens em apreço.

Miguel Durães

Em declarações ao nosso jornal, o presidente de Direção da RECOVERY IPSS, Miguel Durães, salientou que “sabemos que este é um Prémio muito concorrido no nosso país. Sermos selecionados para a fase final do prémio nacional desta prestigiada Fundação é um grande reconhecimento do nosso trabalho junto dos que estão em situação de desvantagem social e económica, junto daqueles que mais precisam. Pela primeira vez em Portugal existem Unidades de Cuidados Continuados Integrados de Saúde Mental na Infância e Adolescência, que estão sediadas cá em Barcelos. Estamos felizes porque trabalhamos muito e damos muito de nós a esta causa. Da nossa parte, vamos continuar a fazê-lo e a acreditar que um mundo melhor é possível. As crianças e as famílias que sofrem com este drama exigem isso mesmo, o melhor de todos nós”.

O “Prémio Manuel António da Mota” distinguiu, anteriormente, instituições que se destacaram nos domínios da luta contra a pobreza e exclusão social (2010), promoção do voluntariado (2011), promoção do envelhecimento ativo e solidariedade entre gerações (2012), promoção da cidadania europeia e da concretização dos objetivos nacionais inscritos na estratégia Europa 2020 (2013), naqueles que foram os Anos Europeus dedicados a estes temas, tendo distinguido em 2014 as instituições que atuam no domínio da valorização, defesa e apoio à família nas mais variadas áreas, por ocasião do 20º aniversário do Ano Internacional da Família. Em 2015, distinguiu as instituições socialmente inovadoras nas respostas aos problemas sociais, tendo, em 2016, consagrado instituições que se notabilizaram na apresentação de projetos nos domínios da educação, emprego e combate à pobreza e à exclusão social.

Na edição deste ano, a 8ª, a Fundação Manuel António da Mota retoma o tema do combate à pobreza e à exclusão social, com particular enfoque na pobreza infantil, dos jovens e das famílias, acolhendo, ainda no seu âmbito, as questões da educação e do emprego, com que o tema da pobreza se encontra transversalmente correlacionado, distinguindo instituições que se notabilizem pelos projetos apresentados nestes domínios.

O anúncio da candidatura vencedora terá lugar numa cerimónia a realizar no dia 3 de dezembro, a partir das 14h30, no Palácio da Bolsa, na cidade do Porto.

A referida fundação, na nota publicada, refere que “muito nos honrará a presença na cerimónia de todas as instituições concorrentes, ficando desde já aqui o convite que será oportunamente formalizado”, deixando, por fim, uma mensagem a todas as candidaturas, “os nossos parabéns às candidaturas finalistas, e uma saudação muito especial a todas as instituições que nos honraram com a sua candidatura e a quem queremos testemunhar o nosso mais profundo agradecimento”.

Fotos e imagens: RECOVERY/FMAM.

A voz da pessoa com experiência de doença mental

Junho 29, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura, Educação port barcelosnahorabarcelosnahora
Rita Rodrigues

O termo “participação” da pessoa com experiência de doença mental em contexto de prestação de serviços refere-se ao envolvimento na vida de forma mais ampla, assim como a uma colaboração ativa na prestação de serviços.

A Participação do utilizador (utente) pode definir-se como:

  1. Reconhecimento de que o utilizador é um indivíduo único;
  2. Utilizadores que desenvolvem a confiança, para expressar uma opinião;
  3. Utilizadores que expressam a sua opinião própria, em vez de darem respostas que pensam ser as que os serviços e/ou profissionais querem ouvir;
  4. Os serviços e o indivíduo trabalhando em conjunto nas decisões que o afetam;
  5. O utilizador aprender sobre si mesmo(a) e começar a compreender que ao direito de participação e tomada de decisão estão associadas responsabilidades;

De acordo com o manual elaborado pela Comissão Consultiva para a Participação de Utentes e Cuidadores – Princípios Orientadores para a Participação do Utente (2005), existe um conjunto de princípios orientadores para a participação da pessoa com experiência de doença mental de modo a que os serviços de saúde mental, reabilitação psicossocial e de suporte ao utilizador compreendam e utilizem estes princípios para reforçar a voz do utilizador dentro do contexto da prestação de serviços.




Assim, abaixo serão referidas as 5 principais razões para a participação da pessoa com experiência de doença mental:

A participação :

  1. Proporciona oportunidades adicionais de recuperação para a pessoa com experiência de doença mental;
  2. permite que os serviços tenham maior capacidade para responder de forma adequada;
  3. é um direito ético e democrático;
  4. é um dos meios de igualar o relacionamento de poder entre o serviço e a pessoa;
  5. pode melhorar a qualidade dos serviços e é uma parte integrante do Sistema de Qualidade no campo da saúde mental e reabilitação psicossocial.

Por outro lado, há vários tipos de interações que podem influenciar a sua participação, como por exemplo, o ambiente, os relacionamentos, qualidades e características pessoais.

Por: Rita Rodrigues*.

Psicóloga e Diretora Técnica da Unidade Paul Adam Mckay da Associação RECOVERY IPSS.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do/a autor/a)

Ir Para Cima