Tag archive

Rotary Club de Barcelos

Rotary de Barcelos recebe Governador do Distrito 1970

Janeiro 24, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Foi numa sala cheia do Hotel Bagoeira, que o Rotary Club de Barcelos, e demais convidados, receberam José Carvalhido da Ponte, Governador do Distrito 1970 do Rotary Portugal, no passado dia 22 de janeiro, pelas 20h00.



O evento contou com a presença de vários Clubes dos distritos de Braga, Viana do Castelo, Porto e Aveiro, assim como, com a da Vice-Presidente da Câmara Municipal de Barcelos, Armandina Saleiro, entidades convidadas, entre elas, o nosso jornal, representado pelo nosso Diretor, Pedro Soares de Sousa.

Após a saudação das bandeiras, um dos primeiros atos cerimoniais foi a admissão de Isaque Ferreira, Presidente da Junta de Freguesia de Cristelo e responsável pela Delegação de Barcelos da Liga Portuguesa Contra o Cancro, como membro do Rotary Club de Barcelos.

Findos os discursos das demais personalidades, nomeadamente, da Presidente do Rotary Club de Barcelos, Cláudia Santos, do representante do Club padrinho – Guimarães – do de Barcelos, e de Armandina Saleiro, foi a vez de José Carvalhido da Ponte discursar, fazendo-o de uma forma “fora das normas”, não ficando estático num local, mas, pelo contrário, percorrendo os espaços por entre mesas e participantes. Abordou as virtudes dos rotários, os caminhos que devem percorrer, o trabalho e obras do Rotary, projetos levados a cabo, o seu livro de poesia, alegorias e conselhos, entre outros temas e assuntos.

Por falar em projetos, deteve-se um pouco mais no de Cachéu, nomeadamente, da “Casa das Mães”, projetos esses que mereceram, por parte do Club de Barcelos, uma doação para ajudar na concretização dos mesmos.

Por entre as trocas de lembranças – por exemplo, o Governador entregou um livro de poesia de sua autoria –, o Rotary de Barcelos entregou a José Carvalhido da Ponte um Galo de Barcelos particularizado com temas alusivos ao Rotary e a Viana do Castelo, de autoria da artesã barcelense Sílvia Barbosa, conhecida, local e afetivamente, como “Sílvia dos Galos”.

Ao Barcelos na Hora, José Carvalhido da Ponte salientou que tem visto um “Distrito entusiasmado, que procura, a todo o custo, rejuvenescer e construir projetos transformadores da comunidade”, realçando que “o trabalho, pelo menos durante as VOG’s, é muito intenso, mas compensatório pelas experiências que nos são proporcionadas”.

Um dos momentos da noite foi o visionamento de um vídeo promocional da Conferência Distrital, que “é sempre um momento e balanço do ano rotário e de reflexão sobre um ou outro tema mais pertinente”, referiu o Governador do Distrito 1970. Esta Conferência irá ter um relato de Boas Práticas, quer dos clubes, quer das equipas distritais, tempos de convívio e degustação gastronómica (por exemplo, no Santoínho), visitas guiadas à cidade, “Baile do Governador” e muita música.

Instado a avaliar o trabalho desenvolvido pelo Club de Barcelos, José Carvalhido da Ponte disse que viu “um clube com muito entusiasmo e bons projetos, com uma líder (Cláudia Santos) firme, mas próxima dos companheiros pelos afetos, pela simpatia, pelo sorriso. Percebi que a Presidente se acompanha de um Conselho Diretor empenhado. É um clube de referência”, concluiu.

Já Cláudia Santos, a referida Presidente do Rotary Club de Barcelos, salientou que, para ela, este jantar superou todas as suas expectativas. “Uma sala repleta de amigos. Entrada de um novo companheiro, Senhor Isaque Ferreira, fundador da empresa Frutas do Cávado, que muito nos honra com o seu Sim ao nosso movimento, tendo sido apadrinhado pelo nosso companheiro Francisco Pereira. Um serviço de excelência pela parte do Restaurante Bagoeira. A alegria e companheirismo de todos os presentes. A presença da Vice-Presidente da Câmara Municipal, Dr.ª Armandina Saleiro. As presenças das Corporações dos Bombeiros de Barcelos, Barcelinhos e Viatodos. E a incrível formação Rotária e apresentação do projeto Girassol do nosso Amigo Governador, José Luís Carvalhido da Ponte. É impossível não ficar apaixonado por este movimento, quando existe tanto entusiasmo envolvido”.

Esta Visita Oficial do Governador não se restringiu apenas ao jantar. O dia teve uma receção na Câmara Municipal de Barcelos, pelas 15h00, com a Vice-Presidente como cicerone. “Foi um encontro ‘mágico’. Se este ano o lema é a conexão ‘Rotary Conecta o Mundo, nada melhor do que sentir a conexão da amizade. Quando através do olhar se sente harmonia, não é necessário mais nada para que tudo corra bem. Dialogámos sobre o nosso percurso em Barcelos, sobre o Lema de entrega nas ações dos rotários. Foi um discurso aberto e amigo”, referiu a Presidente rotária.

Uma hora mais tarde, visitaram a AMAR 21 – Associação de Apoio às Crianças com Trissomia 21 e outras perturbações do neuro-desenvolvimento, em Vila Boa, onde esta IPSS está a produzir o Doce de Barcelos. “Sentimos o entusiamo e perfeição que estas crianças colocam neste projeto. É nestas alturas que vemos que os sonhos são possíveis de realizar e que vale a pena a nossa entrega”, revela Cláudia Santos. Seguiu-se a visita à nova sede desta IPSS, localizada na antiga escola primária de Vilar do Monte, onde conheceram o espaço entregue à AMAR 21. “É incrível ouvir as suas ideias, que nos tocam o coração e nos dão vontade de fazer parte dos seus projetos. Fomos cativados e daremos o nosso melhor”, salienta.

A tarde terminou com uma reunião de trabalho entre o Conselho Diretor do Club e o Governador, onde fizeram o balanço, fizeram um check-up “à saúde do clube”, tendo projetado os próximos seis meses.

Sobre esta Visita Oficial do Governador, Cláudia Santas refere que o clube barcelense “é grato pela amável visita do nosso Governador. Sendo professor e poeta, tem uma forma apaixonada de encarar a vida e os desafios. É impossível não sentir as suas vontades. Foi assim que nos unimos à sua causa e da sua esposa, Professora Maria Adelaide Ponte, que caminha a seu lado com muito amor. Essa causa é o Projeto Girassol – Construção de um jardim de infância em Cachéu, na Guiné-Bissau, jardim este, pensado para ser sustentável e perdurável no tempo. Podem contar connosco e nós podemos contar com eles. Juntámos sinergias com muita amizade”.

Sobre os primeiros seis meses de mandato, seu e do Conselho Diretor, a Presidente do Club de Barcelos salienta que “foram 6 meses de trabalho, focados na conexão com a comunidade Barcelense e com os companheiros dos outros clubes”, sendo que, para futuro, têm muitos desejos, sendo um deles “conseguir apoiar a Amar 21, que é uma IPSS jovem, com sonhos que encantam”, assim como, “continuar a conectar com a comunidade, promovendo eventos de interesse para a evolução social. Acima de tudo, manter o nosso companheirismo e projetá-lo para o bem da sociedade. ‘CONECTAR’”, concluiu.

Fotos: BnH e RCB.

[Ndr: notícia atualizada a 24.01.2020, pelas 16h00]

Rotary de Barcelos recebe Visita Oficial do Governador a 22 de janeiro

Janeiro 13, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

No próximo dia 22 de janeiro, pelas 20h00, o Rotary Club de Barcelos recebe a Visita Oficial do Governador do Distrito 1970, José Luís Carvalhido da Ponte.



Este evento decorrerá no Restaurante Bagoeira, sendo, “sem dúvida nenhuma, o evento mais importante para a vida de um Clube Rotário”, refere Cláudia Santos, Presidente do Club barcelense.

José Luís Carvalhido da Ponte é vimaranense. Professor, tem percorrido os clubes desde o início do ano rotário 2019/2020, “deixando a sua pegada filantrópica ao levar mensagens de evolução social e formas de o conseguir, apoiando o Aqui e o Além através do Movimento Rotário”, continua a responsável.

Em relação aos leitores, “temos o gosto de o convidar para este jantar festivo, que se pretende ser um excelente momento de confraternização e amizade. Venham ouvi-lo e interiorizar que é possível ser uma semente de Ação na evolução do mundo”, conclui.

Para poder participar basta seguir as instruções que seguem com convite abaixo:

Foto: José Carvalhido da Ponte (arquivo pessoal).

Imagem: RCB.

Direito de Associação

Janeiro 5, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo, Opinião, Política port barcelosnahorabarcelosnahora
Pedro Soares de Sousa

Caros leitores,

Durante o mês de novembro, iniciámos dois espaços de opinião da responsabilidade do Rotary Club de Barcelos e do Lions Clube de Barcelos, duas grandes instituições locais, nacionais e internacionais que nos honram com a sua presença neste projeto.



Tendo este facto em conta, decidi escrever um pouco sobre estas e outras instituições, agremiações, associações, grupos, entre outros, principalmente, por ser um tema que me desperta interesse.

Segundo a INFOPÉDIA da PORTO EDITORA, uma associação é: «1 – ato ou efeito de associar ou associar-se; aliança; união; 2 – grupo de pessoas assim reunidas; 3 – ato de associar alguém a algo; colaboração; 4 – união de esforços de várias pessoas para prosseguir um fim comum; 5 – pessoa coletiva sem fim lucrativo (…)». Já o da PRIBERAM (online) refere que Associação é: «1 – reunião de pessoas para um fim comum. = AGREMIAÇÃO, CONSOCIAÇÃO, SOCIEDADE; 2 – sociedade; 3 – comunidade; 4 – conexão».

Associativismo, segundo a INFOPÉDIA, é: «1 – movimento partidário da criação de associações (cívicas, laborais, culturais, etc.) para defesa de interesses ou para obtenção de objetivos comuns; (…)», sendo que no da PRIBERAM, associativismo é: «movimento organizado ou prática de associação de grupos sociais, nomeadamente de grupos laborais e sectoriais».

Se consultarmos a Constituição da República Portuguesa, encontramos, no Artigo 46º, “Liberdade de associação”, que afirma:

«1. Os cidadãos têm o direito de, livremente e sem dependência de qualquer autorização, constituir associações, desde que estas não se destinem a promover a violência e os respetivos fins não sejam contrários à lei penal.

2. As associações prosseguem livremente os seus fins sem interferência das autoridades públicas e não podem ser dissolvidas pelo Estado ou suspensas as suas atividades senão nos casos previstos na lei e mediante decisão judicial.

3. Ninguém pode ser obrigado a fazer parte de uma associação nem coagido por qualquer meio a permanecer nela.

4. Não são consentidas associações armadas nem de tipo militar, militarizadas ou paramilitares, nem organizações racistas ou que perfilhem a ideologia fascista».

O Artigo 51º, “Associações e partidos políticos”, também refere algo, a meu ver, que importa muito a este assunto. Senão, vejamos: «1. A liberdade de associação compreende o direito de constituir ou participar em associações e partidos políticos e de através deles concorrer democraticamente para a formação da vontade popular e a organização do poder político».

Neste concelho, tal como por este nosso país afora, e mesmo pelo mundo, há milhares e milhares de associações, agremiações, sociedades, comunidades, clubes, grupos, partidos, sindicatos, federações, confederações, entre outras entidades que reúnem pessoas em volta de objetivos comuns e em prol dos mesmos. Sejam solidários, partidários, associativos, corporativos, federativos, comunitários, cívicos e muito mais.

Em relação a estes dois novos espaços, falando do Rotary International, e usando informação consultada online, sabemos que foi fundado em 1905 e tem cerca de 1,22 milhões de membros, sendo uma “rede global de líderes comunitários, amigos e vizinhos que veem um mundo onde as pessoas se unem e entram em ação para causar mudanças duradouras entre si mesmas, nas suas comunidades e no mundo todo”, tendo como missão “servir ao próximo, difundir a integridade e promover a boa vontade, paz e compreensão mundial por meio da consolidação de boas relações entre líderes profissionais, empresariais e comunitários”, sendo dirigidos por Governadores e Presidentes. (in: https://www.rotary.org/pt )

Por seu turno, os Lions foram fundados em 1917 e “servem”. Segundo nova consulta, ficamos a saber que “é bem simples assim e tem sido” desde que começaram nesse ano. “Os clubes são lugares onde as pessoas se reúnem para doar o seu precioso tempo e trabalho para melhorar as comunidades e o mundo”, tendo como missão “empoderar os voluntários para que sirvam às suas comunidades e atendam às necessidades humanas, fomentam a paz e promovam a compreensão mundial por meio dos Lions clubes”, sendo a sua visão “ser o líder global em serviços comunitários e humanitários”. À imagem da instituição anterior, os Lions também são dirigidos por Governadores e Presidentes. (in: https://www.lionsclubs.org/pt)

Estas duas instituições têm associadas a si a ideia de elitismo e de que, para se ser rotário ou lion, é preciso pertencer-se a estratos mais altos da sociedade, com capacidade financeira alta e é difícil conseguir pertencer/entrar nelas. No entanto, do que conheço, e das pessoas com quem interajo, não tenho nada essa ideia. É a minha perceção, das experiências que vou tendo, principalmente, desde que o Rotary Club de Barcelos e o Lions Clube de Barcelos decidiram colaborar com este vosso projeto que é o “Barcelos na Hora”.



Ainda tendo em conta o direito de associação plasmado na Constituição Portuguesa e, presumo, na maioria das legislações da esmagadora maioria dos países, as pessoas têm o direito de associar-se, entrar, aderir, fazer parte de outro tipo de instituições – li, no SOL online, uma denominação que considero muito curiosa: “organizações de caráter discreto”, em sequência de proposta de Projeto-lei do PAN sobre estas organizações [NdA: se se interessa por este tema/assunto, consulte a referida notícia e conheça algumas das posições e opiniões em relação a esta proposta, em: https://sol.sapo.pt/artigo/681376/igreja-com-opus-rejeita-revisao-da-concordata]. Organizações essas, também com fortes traços rituais e hierárquicos, em que os seus membros podem optar pelo anonimato (algo a que, a meu ver, têm direito) e em que os objetivos podem ir além da solidariedade, sendo até mais para apoio e desenvolvimento espiritual de seus membros, sejam homens, sejam mulheres. Não posso esconder que, quiçá, a maioria das pessoas desdém essas instituições e seus membros (também por culpa de algumas ações realizadas por certas pessoas que a elas pertencem ou pertenceram), mas elas existem, têm história, já influíram na história de muitos países e terras, e devem ser, a meu ver, igualmente respeitadas pois, se não for para «promover a violência e os respetivos fins não sejam contrários à lei penal», então, as pessoas devem ser livres de a elas pertencerem ou pretenderem pertencer.

Uma delas é a Maçonaria, fundada em 1717. Segundo uma das muitas páginas dedicadas ao tema, e mesmo pertencentes, presumo, a Obediências ou Lojas, a Maçonaria «É uma Ordem iniciática e ritualística, universal e fraterna, filosófica e progressista, baseada no livre-pensamento e na tolerância, que tem por objetivo o desenvolvimento espiritual do homem com vista à edificação de uma sociedade mais livre, justa e igualitária.

A Maçonaria não aceita dogmas, combate todas as formas de opressão, luta contra o terror, a miséria, o sectarismo e a ignorância, combate a corrupção, enaltece o mérito, procura a união de todos os homens pela prática de uma Moral Universal e pelo respeito da personalidade de cada um. Considera o trabalho como um direito e um dever, valorizando igualmente o trabalho intelectual e o trabalho manual.

A Maçonaria é uma Ordem de duplo sentido: de instituição perpétua e de associação de pessoas ligadas por determinados valores, que perseguem determinados fins e que estão vinculadas a certas regras.

É Iniciática, porque só pode nela ingressar quem se submeta à cerimónia de iniciação, verdadeiro “batismo” maçónico, que significa literalmente o começo, e simboliza a passagem das trevas à “Luz”». (in: https://grandelojasimbolicaportugal.com/ [Grande Loja Simbólica de Portugal])

Em Portugal, consta-se que tenha iniciado em 1727, sendo que teve interregnos ou manteve-se de tal forma “adormecida” que poderá ter sido dada como “extinta”, principalmente na época sob regime salazarista e marcelista. Com a “Revolução dos Cravos”, começou a sua “reconstrução”.

Hoje em dia, ainda de acordo com a mesma página, existem seis Obediências Maçónicas portuguesas com reconhecimentos internacionais: O Grande Oriente Lusitano, A Grande Loja Simbólica de Portugal, A Grande Loja Simbólica da Lusitânia (mista), A Grande Loja Legal de Portugal/Grande Loja Regular de Portugal, A Federação Portuguesa «O Direito Humano» e A Grande Loja Feminina de Portugal.

O ano de 2019 marcou o início da primeira Pós-Graduação em “Maçonaria e Sociedades Iniciáticas”, na Universidade Autónoma de Lisboa, com alguns Grão-Mestres a pertencerem ao quadro docente da pós-graduação.

Mesmo não sendo “bem-vista” pela esmagadora maioria das pessoas, a Maçonaria também tem objetivos e projetos solidários, conforme se pode constatar nesta reportagem do Jornal I, de 27.02.2015:

https://ionline.sapo.pt/artigo/264296/macons-da-caridade-discreta-as-influ-ncias-indesejadas?seccao=Portugal.

Ou nesta entrevista a Pedro Rangel, antigo Grão-Mestre da Grande Loja Simbólica de Portugal, de 14.04.2019: https://infocul.pt/actualidade/pedro-rangel-um-macon-e-um-homem-livre-e-de-bons-costumes/ (basta clicarem nos links para acederem).

Outra destas Instituições é o Opus Dei, cujo Prelado atual é o Monsenhor Fernando Ocáriz, sendo constituída por Clubes, centros e locais de atividades.

O Opus Dei foi fundado em 1928, em Espanha, e está presente em 61 países. A 2 de outubro desse ano, São Josemaria Escrivá de Balaguer, durante um retiro espiritual em Madrid, funda, “por inspiração divina”, o Opus Dei, que “entra” em Portugal em 1945.

É «constituído por um prelado, por um presbitério ou clero próprio e por leigos, mulheres e homens. No Opus Dei não há diferentes categorias de membros. Há, sim, diversos modos de viver a mesma vocação cristã, de acordo com as circunstâncias pessoais de cada um: solteiros ou casados, sãos ou doentes, etc.» (in: https://www.opusdei.org/pt-pt/article/cristaos-no-meio-do-mundo/ [Opus Dei Portugal]).

Para além destas, mais conhecidas e difundidas (há uma miríade delas), em minha opinião, poderíamos abordar a Carbonária – julgo que já inexistente em Portugal e de que ouvi falar pela primeira vez nas aulas de História de Portugal, do Professor José Prata, aquando do meu curso superior para me tornar professor – que ficou mais conhecida, para nós, portugueses, pelo regicídio de 1908, em que elementos desta organização planearam e levaram a cabo o assassinato do Rei D. Carlos e seu filho, Príncipe Luís Filipe; ou a Ordem “Rosacruz”, popularizada na Europa no início do século XVII, com Lojas, Capítulos ou “Átrium” (in: https://www.amorc.org.pt/ [AMORC – Ordem Rosacruz]); ou mesmo os Illuminati, nome dado a vários grupos, quer reais, quer fictícios – “personagens” de muitos livros e filmes, por exemplo – , cujos objetivos eram (ou são) fazer oposição à superstição, obscurantismo, influência religiosa sobre a vida pública e abuso de poder do estado.

Concluindo, na minha opinião, quer se goste ou desgoste, se ache legal ou ilegal, sejam mais abertas ou mais secretas, elitistas ou não, sejam mais solidárias ou apenas sirvam interesses, todas estas entidades são (ou eram) legítimas, e quem pertence (ou pertenceu) a elas, à partida, não está (ou não esteve) lá forçado e, por isso, está (ou estava) a usufruir do seu direito de associação plasmado na Constituição da República Portuguesa, sendo o direito à reserva da vida privada um dos direitos, liberdades e garantias consagrados nessa mesma Constituição.

Teríamos aqui “pano para mangas”, principalmente para alguém como eu, que gosta deste tipo de sociedades, instituições, ordens, organizações, grupos…

No fundo, apenas quero expressar a minha alegria e agradecimento pelo facto dos dois clubes barcelenses (Rotary e Lions) terem aceite o nosso desafio e decidido participar, e enobrecer, ainda mais, este nosso projeto que é o Barcelos na Hora. Muito obrigado!

Por: Pedro Soares de Sousa*. (Professor e Diretor do Barcelos na Hora)

Fontes:

https://dicionario.priberam.org/associativismo

https://www.infopedia.pt/dicionarios/lingua-portuguesa/associativismo

https://dicionario.priberam.org/associa%C3%A7%C3%A3o

https://www.infopedia.pt/dicionarios/lingua-portuguesa/associa%C3%A7%C3%A3o

https://www.parlamento.pt/Legislacao/Paginas/ConstituicaoRepublicaPortuguesa.aspx

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Foto: DR.

ROTARY: Dezembro, VIVER O NATAL

Dezembro 15, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Natal

Em dezembro, celebramos o Natal, mês da partilha, mês de entender o significado das palavras:  Entrega, Perdão, Carinho e Desapego.

Mês da caridade e da generosidade.

Mês fundamental para “Dar de Si, antes de pensar em Si”

Como alguém dizia:

“A caridade e a generosidade não são a mesma coisa. Dar alguma coisa de simbólico, e que pouco nos custou, é caridade; ajuda o outro, mas exige um sacrifício pequeno. A generosidade é caridade exponencialmente acrescentada. É a extravagância na caridade.”

E tu?

Como serás neste Natal?

Como Conectarás o Mundo?

A todos um desejo de união, partilha, e de sorrisos.

É fundamental, que no tempo de hoje, EXISTAM SORRISOS.



As reuniões são abertas!

Façam gosto na nossa página do facebook e apareçam nas nossas ações. https://www.facebook.com/RotaryBarcelos/

Sintam o Espirito Rotário.

Bem-Hajam! Sorriam todos os dias! Com o vosso sorriso… façam alguém feliz!

ROTARY: Palestra “Viver Sem Limites”

Dezembro 10, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura port barcelosnahorabarcelosnahora

No passado dia 3 de dezembro, o hotel Bagoeira recebeu mais uma reunião do Rotary Club de Barcelos, que organizou uma palestra de modo a assinalar o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência.



O Club de Barcelos convidou profissionais da Associação Amar 21, de Barcelos, fazendo-se esta representar pela Presidente, Carla Alexandra Lopes, e pela equipa multidisciplinar da Associação, constituída por: Antónia Ruivo, Sara Sampaio, José Freitas e Rita Linhares, não faltando, como não poderia deixar de ser, os jovens da Amar 21, que demonstraram como executam com carinho um dos doces a que se chama “Pedras do Cávado”.

“É de enaltecer a entrega destes jovens, de todas as idades, pois a Mimi é um exemplo de como, mesmo sendo introvertidos, conseguimos espalhar afetos com sinceridade”, refere Cláudia Santos, Presidente do Rotary de Barcelos, salientando que “é importante mostrar à sociedade que vale a pena investir nas diferenças, pois embora elas existam, vêm acompanhadas de aptidões que pode ser realçadas e exequíveis a nível da evolução social. Conseguir ver para além da diferença, é o que todos os dias faz renascer a possibilidade de evolução mundial”

Foi uma reunião em que a AMAR 21 apresentou o seu Passado, o seu Presente e os projetos envolventes a desenvolver no futuro, em que já estão a dar os primeiros passos, e a necessidade que existe de procurar apoios e de manter a resiliência. São verdadeiramente dinâmicos e enriqueceram todos os presentes com a sua palestra.

“Enquanto presidente do RC de Barcelos, agradeço o empenho destes profissionais, que fizeram da nossa reunião um momento único de crescimento pessoal, aos companheiros e amigos a sua presença. Agradeço também ao presidente da Associação Fibro, Jorge Mandim, pela sua presença e pelo uso da palavra para valorizar todo o trabalho desenvolvido pelas diversas associações de apoio às pessoas com deficiência e incapacidades que nos ajudou a perceber que todas as associações que existem batalham para dar uma vida condigna à pessoa com deficiência”, continuou a presidente.

“Gostei muito das tuas palavras”, “obrigada por teres vindo!” foram algumas das palavras ditas pelos jovens.

As realizações da AMAR 21 passam por conseguir tornar este projeto autossustentável e como uma marca para a população, sabendo que podem contar com a Doce Barcelos e a AMAR 21 para darem um futuro aos seus filhos, capacitando-os para o mercado de trabalho.

“A AMAR 21 agradece o convite da parte do Rotary Club de Barcelos em poder, assim, mostrar o seu trabalho e dar a oportunidade aos nossos mini chefes de mostrarem do que são capazes”, refere a associação.

“Termino, citando o comendador Arménio Pinheiro Miranda, Barcelense, que no seu livro ‘Ignorância-Apologia da Ignorância Positiva’, escreveu, e passo a citar: «…só cabe a mensagem que todos normalmente damos e devemos continuar a dar: solidariedade e afetividade para com quem tem a sorte menor de nascer com alguma deficiência, para que, por essa razão, não se sinta menor e seja feliz.»”, concluiu Cláudia Santos.

Fotos: RCB.

Rotary de Barcelos e Amar 21 organizam palestra “Sonhar Sem Limites”

Novembro 30, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

O Dia Internacional da Pessoa com Deficiência será assinalado pelo Rotary Club de Barcelos, em com junto com a Associação Amar 21, com a organização de uma palestra com tema: “Sonhar Sem Limites”.



O evento terá lugar a 03 de dezembro, pelas 21h30, no Hotel Bagoeira, sendo de entrada livre. Para inscrição, contactar a organização através do número 927 058 059 ou do e-mail claudiandreia76@gmail.com.   

“Nesta palestra vamos conhecer o Passado, Presente e Sonhos para o Futuro, para o qual a Amar 21 está a desenvolver várias iniciativas”, refere o Club.

Vai também ter um momento especial, em que os jovens, a partir do projeto “(Re)inventa os Alimentos”, vão ensinar os processos para confecionar o doce “Pedras do Cávado”.

Imagem: RCB.

ROTARY: Tertúlia sobre “Viver com a Diabetes”

Novembro 24, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

No passado dia 19 de novembro, o Hotel Bagoeira recebeu mais uma reunião do Rotary Club de Barcelos, que organizou uma tertúlia tendo por foco a doença da diabetes.



Para esta tertúlia, o Club convidou os profissionais do Hospital Santa Maria Maior (HSMM) de Barcelos, Natacha Moreno, João Pedro Abreu e Sofia Neco da Palme.

Natacha Moreno, oftalmologista, alertou para a importância do seguimento do diabético, no âmbito das consultas de oftalmologia, e que estes doentes, através do seu médico de família, têm direito a seguimento hospitalar. Ao serem encaminhados, são chamados no prazo de 30 dias, estabelecido por lei. Foi garantido que não existem atrasos no HSMM, assim, os doentes têm a garantia dos recursos necessários, dependendo do estado evolutivo da doença.

Já João Abreu alertou para a importância dos cuidados diários com a alimentação e para a prática de exercício físico, chamando à atenção que todos o devemos fazer, sob medida preventiva, para não sermos diabéticos tipo 2 no futuro. No HSMM existe uma equipa multidisciplinar ligada à diabete. Além de poder afetar a visão, salientou que também incide sobre os rins, o coração, a circulação, a irrigação nervosa e os pés. Assim, nas consultas periódicas é realizado um check-up rigoroso.

Sofia Neco da Palme, com todo o seu dinamismo, deu-nos exemplos práticos para usar no dia a dia, como prevenção, tanto para a diabetes tipo I, como para a diabetes tipo II. A cada doente é dado um plano de tratamento idealizado especificamente para si.

Esteve presente, igualmente, a Associação Diabéticos do Minho, com a sua Vice-Presidente, Juliana Santos, diabética Tipo I, a dar o seu testemunho, ajudando a perceber as dificuldades diárias, quer com as tarefas normais do dia a dia, quer com a interação social, deixando a sensação de que é necessário encarar a doença de frente e ser resiliente. Paula Cardoso, que integra a Associação Diabéticos do Minho e o HSMM, sendo enfermeira pediátrica, focou os doentes predominantes da diabetes tipo I, transmitindo a atenção que é dada a estas crianças e o seu grau de responsabilidade com que crescem, para saberem controlar e viver com a diabetes. Transmitiu, igualmente, quais os direitos do doente diabético. O papel fundamental da associação é exercido na luta pelos direitos e no auxílio ao doente. Também ao cuidador é prestado apoio, sendo que ele também tem que lidar com esta doença, 365 dias no ano.

“Enquanto Presidente do Rotary Club de Barcelos, agradeço o empenho destes profissionais, que fizeram da nossa reunião um momento único de crescimento pessoal; aos companheiros, amigos e convidados presentes. Continuaremos com o nosso objetivo de deixar a nossa pegada filantrópica na sociedade Barcelense, fazendo jus ao lema deste ano: ROTARY CONECTA O MUNDO”, salientou Cláudia Santos.

A Presidente tornou a informar que as reuniões são abertas, incentivando as pessoas “gostarem” da página Facebook do Club barcelense e a aparecerem nas suas ações: https://www.facebook.com/RotaryBarcelos/ .

“Sintam o Espirito Rotário. Bem-hajam! Sorriam todos os dias! Com o vosso sorriso…façam alguém feliz!”, concluiu.

Fotos: RCB.

Rotary de Barcelos leva a cabo tertúlia “Viver com a Diabetes”

Novembro 12, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

No próximo dia 19 de novembro, pelas 21h30, realiza-se uma tertúlia dedicada ao tema “Viver com a Diabetes”, organizada pelo Rotary Club de Barcelos.



O salão do Hotel Bagoeira receberá todos aqueles que pretendam participar, de forma gratuita, onde poderão trocar ideias e ouvir as preleções de um(a) médico(a), um(a) médico(a) oftalmologista e um(a) enfermeiro(a) do Hospital Santa Maria Maior, EPE – Barcelos.

As inscrições poderão ser realizadas através de Cláudia Santos (Presidente do Rotary Club de Barcelos), pelos contactos 927 058 059 e e-mail claudiandreia76@gmail.com.

“Sendo uma doença que afeta atualmente 422 milhões de pessoas em todo o mundo, e comemorando-se este mês o seu dia mundial [Ndr: 14 de novembro], o Rotary Club de Barcelos promove uma Tertúlia com profissionais do Hospital Santa Maria Maior, de modo a sermos elucidados e podermos tirar dúvidas relativas a esta doença crónica”, salienta Cláudia Santos.

ROTARY: “Dar de si antes de pensar em si!”

Novembro 10, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Barcelos conta com um Rotary Club há 52 anos! São 23 membros, profissionais, empenhados no seu contributo social pelo desenvolvimento da comunidade Barcelense. Desenvolvem ações, projetos locais e internacionais, atribuição de bolsas de estudo, banco de cadeiras de rodas e palestras sobre temas atuais.



Reúnem à terça-feira, no Hotel Bagoeira, pelas 21h30, onde, através do companheirismo, se planifica e proferem palestras.

Ser rotário é sinónimo de dedicação e coragem, independentemente da idade! É ser um profissional de referência e colocar-se ao serviço da comunidade. É mudar vidas! É ser altruísta, ter boa vontade e ser uma “pessoa em ação!”

Eu acredito que é importante ter bons amigos, ser positivo, arregaçar as mangas e ir correr atrás dos objetivos traçados! Se cada um se envolver e der o seu melhor…tudo é possível.

No passado dia 24 de outubro, comemorou-se o Dia pela PÓLIO[mielite]. Com o contributo do Rotary Club de Barcelos, 862 crianças serão vacinadas. Para mim, esta é uma forma de deixar a nossa pegada filantrópica e a tradução do lema rotário deste ano: “O Rotary Conecta o Mundo”.

Este mês é dedicado à Fundação Rotária Internacional. A força do Rotary Internacional está na sua rede global de líderes comunitários e especialistas que atuam no combate à pobreza, na melhoria da saúde e da educação.

Ao trabalhar em parceria, ROTARY implementa mudanças duradouras através da combinação de ações locais e de recursos de uma organização verdadeiramente internacional.

Apesar de atuar em vários segmentos, ROTARY concentra a sua área de atuação em seis áreas específicas com maior impacto local e global: a promoção da paz, o combate de doenças, o fornecimento de água, a melhoria da saúde de mães e filhos, o apoio à educação e o suporte para o crescimento de comunidades

Todos os Rotários são incentivados a participar nos projetos da Fundação Rotária Internacional e a realizar doações ao Fundo Anual Todos os Anos.

As reuniões são abertas!

Façam gosto na nossa página do Facebook e apareçam nas nossas ações. https://www.facebook.com/RotaryBarcelos/

Sintam o Espirito Rotário.

Bem Hajam! Sorriam todos os dias! Com o vosso sorriso…façam alguém feliz!

Por: Cláudia Santos* (Presidente Rotary Club de Barcelos 2019/2020).

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Rotary de Barcelos e Universidade+ ajudam futuros candidatos ao Superior

Outubro 19, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Educação, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

No passado dia 15 de outubro, o Hotel Bagoeira recebeu mais uma reunião do Rotary Club de Barcelos, que organizou uma palestra destinada aos jovens, nomeadamente, àqueles que têm pretensões de aceder ao Ensino Superior. Esta sessão contou com a colaboração do projeto – agora associação – Universidade+.



O Rotary Club de Barcelos existe há 52 anos e tem como objetivo, “através do usufruto do companheirismo, poder fortalecer a sociedade local e mundial”, refere Cláudia Santos, Presidente do Club barcelense.

Tendo em conta, precisamente este objetivo, neste ano rotário o Club pretende “interagir, todos os meses, com a comunidade barcelense, levando a cabo palestras positivas”.

“Neste mês de outubro, lembrámos a população que Barcelos tem a Universidade Sénior, onde, através do Professor José Campinho, conhecemos os projetos da instituição, que tem como objetivo, a integração social da população sénior. Alertámos, também, que é preciso ajudar os nossos jovens que se preparam para ingressar no Ensino Superior. Para isso, convidámos as jovens promotoras do Projeto Universidade +”, explicou a Presidente.

Foi uma palestra que deu frutos. “Através desta palestra, garantimos, com a ajuda do nosso companheiro Francisco Pereira e da ACIB, um local onde estas jovens possam desenvolver o seu projeto, facultando, gratuitamente aos jovens barcelenses, uma sessão mensal, planificada com temas de esclarecimento para que estes possam ingressar no Ensino Superior sem medo”, salientou, concluindo que “são este tipo de ações que nos enaltecem e fazem ver que as horas de vida que passamos em Rotary são bem empregues”.

Em relação ao ano rotário 2019/2020, Cláudia Santos refere que o Club pretende, “também, ajudar o nosso Governador, José Carvalhido da Ponte, a realizar o seu sonho com a construção de um infantário em Cachéu, na Guiné; a Associação Amar 21, nos seus objetivos; e, a nível mundial, a sermos mais uma ‘gota’ de ajuda na luta contra a irradicação da Poliomielite, doença fulminante que atinge a população infantil em países como o Afeganistão e o Paquistão”.

Para a Presidente, o Rotary permite-lhe a “entrega social e saber que faço parte de um plano maior de Amor”. Cláudia Santos termina, em nome do Rotary Club de Barcelos, com um agradecimento ao Barcelos na Hora, pela “oportunidade de divulgação das nossas iniciativas, contribuindo, assim, todos juntos, para uma Cidade de Barcelos POSITIVA”, relembrando que, este ano, o lema do Rotary é: “Rotary Conecta o Mundo”.

Já o Projeto Universidade+, nas palavras da sua nova Presidente da Direção, Ana Rodrigues, “visa descomplicar a entrada no ensino superior através de palestras, partilha de experiências e de informação nas redes sociais”.

A ideia para o Projeto surgiu-lhe “quando andava no segundo ano de licenciatura. Na altura, em conversa com uma amiga, ela comentou comigo que no 12º ano, ainda com bastantes dúvidas acerca do que fazer no futuro, como de resto é comum a muitos jovens estudantes, teve oportunidade de privar com um colega, que se havia também formado em Direito na Universidade do Minho, e este elucidou-a acerca de muitas questões, não só relativas ao curso em si, mas também, acerca da própria entrada no Ensino Superior e o ambiente aí vivido. Apercebi-me, aqui, que também eu gostaria de ter tido alguém que me guiasse e ajudasse nesta fase transacional, que muitas vezes está rodeada de várias dúvidas e incertezas. Portanto, agora já no segundo ano, detinha um conjunto de informações e experiências que seriam muito úteis de partilhar com os estudantes do ensino secundário e que poderiam ajudar alguns destes jovens a ter uma transição mais tranquila e desmistificada”.

Da ideia inicial, à ação. “Pela mão de uma pessoa bastante querida, entrei em contacto com uma grande parte dos atuais voluntários do Projeto, que frequentavam diferentes escolas secundárias de Barcelos, sendo que com muitos deles ainda não tinha qualquer tipo de relação. Foi, realmente, uma sorte ter encontrado uma equipa tão interessada e empenhada, que desde o início se identificou e reconheceu valor na minha ideia e acreditaram que poderíamos devolver, de alguma forma, à comunidade, através da partilha de informações relevantes e experiências acerca desta fase transacional”.

Assim, efetuaram a sua primeira sessão em abril de 2018, e perante o feedback positivo e interesse demonstrado pelos alunos, “decidimos estabelecer um plano anual de atividades e embarcar num ano embrionário em 2018/2019. Neste primeiro ano, partimos exatamente com a mesma expectativa, a de ajudar o outro através de sessões mensais de cerca de hora e meia, nas quais abordávamos temas de relevo relativos à entrada no ensino superior, pautando pela informalidade e confiança com os alunos, esclarece Ana Rodrigues.

“Contudo, o Projeto foi recebendo um feedback cada vez mais positivo e várias oportunidades, como apresentarmo-nos em escolas secundárias e realizar parcerias, foram surgindo, pelo que tivemos de assumir um compromisso ainda maior e responder à responsabilidade, que, entretanto, tinha crescido também”, ressalva.

Esse crescimento implicava, para o Projeto, “não só, mais empenho e sacrifício, mas também, a realização de um desejo partilhado por todos, que se consubstanciou num grande passo, a aquisição de personalidade jurídica, que, burocraticamente, não acarretou muitas dificuldades. Mas é preciso denotar que todos as ferramentas necessárias à exequibilidade do Projeto, até este momento, eram inteiramente suportadas pelos voluntários, incluindo o processo de aquisição de personalidade jurídica, que pelo seu elevado custo, levou-nos, mais uma vez, a utilizar a nossa criatividade e proatividade, o que resultou na nossa participação na Festa da Juventude, onde conseguimos angariar algumas ajudas. Agora, esta situação fica mais agilizada, pois podemos receber donativos de quem reconheça valor à nossa iniciativa”.

Uma dúvida que fica no ar é se este Projeto tem alguma ligação a entidades do Ensino Superior, para, por exemplo, divulgarem o seu trabalho, valências e mais-valias. Ana Rodrigues esclarece que essa relação “não existe”. “Seria, de facto, um tema interessante de abordar, uma vez que sendo os voluntários alunos em diferentes casas, acabamos sempre por, no fundo, partilhar informações e discorrer bastante acerca de certas licenciaturas e Universidades ou Institutos Politécnicos”.

Sobre o convite que lhes foi endereçado pelo Rotary Club de Barcelos, Ana Rodrigues salienta que este foi “muito bem-recebido por nós, sendo que, desde logo, chamou à atenção pela possibilidade de nos darmos a conhecer e publicitar o Projeto. Porém, era também importante para nós demonstrar às gerações acima da nossa que, muitas vezes, somos rotulados como desmotivados ou reativos, mas aqui todos nós levamos muito a sério o compromisso que temos para com o associativismo, desejamos efetivamente apresentar um bom trabalho e difundir este espírito proativo e solidário com todos os jovens com que nos cruzamos”, concluindo que julgam ter cumprido “com o que nos foi proposto e ficámos muito felizes pelas reações positivas que recolhemos e o reconhecimento de valor ao nosso Projeto. É, por isso e para isso, que trabalhamos. Não podendo deixar de agradecer a todos os envolvidos esta valiosa oportunidade e a forma como fomos recebidos”.

No futuro imediato, este próximo ano letivo “avista-se como desafiador e intenso para nós, pois melhorámos a nossa planificação e tornámo-la bastante ambiciosa em todas as perspetivas, todos os nossos departamentos estão prontos para trabalhar e responder afirmativamente à confiança e responsabilidade que foi depositada em nós. Seguimos com o nosso modelo de palestras mensais, pautado pela informalidade e proximidade com os estudantes, mas sempre de uma forma ativa e lúdica, e com muitas novidades. Apostamos na divulgação e esperamos ver iniciativa também por parte dos alunos”, sendo que na imagem que se segue surgem os temas para este ano, sem prejuízo das datas poderem sofrer alterações.

Sobre as sessões, na “A primeira escolha” irão “lidar com as dificuldades que os alunos têm em encontrar interesse no percurso tomado no 10º ano, fornecendo, também, ferramentas que lhes permita superar esse impasse”. Em “A ansiedade” pretendem “abordar o tema cada vez mais gritante na vida dos estudantes, a ansiedade. A sessão será assistida por uma psicóloga, que fornecerá uma orientação no controlo dessa emoção”. Já em “Médias, notas e exames” abordarão “a situação atual das classificações dos alunos, guiando-os mediante os seus objetivos”. Na sessão “Licenciaturas”, intendem “abrir os horizontes dos alunos aos mais variados cursos existentes e ajudá-los nas suas indecisões e questões”. A vida de estudante do Ensino Superior não se concerne apenas ao estudo, trabalho e exames. Em “Vida Académica” tencionam “fornecer uma explicação e comparação de todo o envolvente da vida universitária e abordar as diferentes tradições da academia”. “Vida para além da universidade” pretende “dar destaque à importância das atividades extracurriculares, partilhando o testemunho das nossas experiências”. A sessão “Antena Livre” é “dedicada à discussão aberta de questões relacionadas com a fase de transição do ensino secundário para o ensino superior”. Por fim, “Pais e filhos” trata-se de “uma sessão dirigida aos pais dos alunos, procurando abordar as suas maiores preocupações, nomeadamente os apoios socioeconómicos, bem como sensibilizá-los para alguns dos problemas que os seus filhos terão que lidar nesta fase”.

Imagens: DR.

Ir Para Cima