Tag archive

Seleção Nacional de Futebol

Transferências ou trapalhadas…eis a questão

Setembro 15, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
José Costa

Na crónica desta semana, uma referência especial a outras modalidades em que o Sporting Club de Portugal se destacou:

Supertaça de Futebol Feminino: Sporting 3 – Braga 1, em Coimbra, com Ana Capeta a protagonizar um hat-trick, que no prolongamento garantiu este troféu.



Supertaça de Futsal Masculino: Sporting 3 – Benfica 2. Para resumir, basta citar Nuno Dias, o técnico Sportinguista: “Penso que, acima de tudo, o Sporting CP foi melhor e venceu com toda a justiça contra uma equipa que tem muita qualidade e que nos obrigou a trabalhar nos limites para segurar a vantagem. Quando é assim, o futsal está de parabéns. Estamos todos de parabéns pelo que conquistámos, principalmente o Sporting pelo título que conquistou e que já fugia há dois anos”, concluiu.
Além dos dois títulos ganhos, também a equipa de andebol se destacou, ao conseguir a qualificação para a fase de grupos da EHF Champions League.

Agora no que ao futebol de onze diz respeito, depois da pausa no campeonato para os jogos da seleção, e apesar de todas as polémicas de propostas reais ou não, o certo é que William Carvalho se mantém, agora como capitão no lugar de Adrien Silva, transferido para o Leicester, mas que tudo indica, por atraso de 14 segundos no processo de registo junto da FIFA, em princípio ficará sem jogar até janeiro de 2018! Assim, no campeonato, em jogo frente ao Feirense, mais uma vez o Sporting “viu-se aflito”, de tal modo que, só nos descontos conseguiu alcançar a vitória, por 2-3. Continuando, deste modo, na frente do campeonato, juntamente com o F. C. Porto, este com vantagem em golos.

Para a Liga dos Campeões, frente ao Olympiacos, Jorge Jesus contou com a equipa na sua melhor condição, com uma primeira parte soberba, que garantiu a vitória histórica (2-3), num terreno sempre muito difícil. Aos 2 minutos, Doumbia abriu o marcador e, depois disso, a “dupla do costume”, primeiro Gelson, aos 13 minutos, a ampliar a vantagem e, mais tarde, Bruno Fernandes – o “jogador sensação” desta época, ao serviço do Sporting – marcou o terceiro golo, aos 43 minutos. Na segunda parte, o Olympiacos veio determinado a virar o resultado e, nos últimos minutos do jogo, Pardo marcou dois golos, que serviram de aviso para que o Sporting, em próximos jogos da Liga dos Campeões, esteja concentrado até ao fim do jogo, até porque os adversários são de respeito – Juventus e Barcelona –, não sendo permitidos erros de desconcentração. De referir que a vantagem poderia ter sido bem maior não fosse os vários remates ao ferro, que falharam golo por milímetros. Por fim, salientar a 21ª presença de Rui Patrício em jogos da Liga dos Campeões, tornando-se, assim, o jogador sportinguista com mais presenças.

Uma referência às seleções nacionais de futebol, para onde o Sporting contribuiu com muitos atletas. Assim, nas fases de qualificação em curso, foram bem-sucedidas, em duas das quatro “finais”. A seleção A venceu: Portugal 5 – Ilhas Faroé 1 e Hungria 0 – Portugal 1. A seleção de Futebol Sub-21, com a equipa das quinas a vencer: Portugal 2 – País de Gales 0.

Finalmente, um último destaque ao hóquei em patins. No mundial que decorreu na China, Portugal esteve, na fase de grupos, quase para ficar com os “olhos em bico”, tendo sido derrotado pela campeã em título, Argentina, e não fazendo melhor frente a Itália, com desempenhos sofríveis. Tendo sofrido bastante para passar à fase seguinte, com uma vitória em jogo impróprio para cardíacos. Nessa fase, venceu sem problemas Moçambique, por 6-2, e na meia-final acabou por vencer a Argentina, naquilo que poderíamos chamar de uma final antecipada, não fosse a final efetivamente ser frente a Espanha, outra “eterna” rival da equipa portuguesa, que acabou por levar a melhor, apesar de termos lutado até às penalidades, onde não conseguimos ser melhores.

O nosso Gil Vicente, num jogo onde estive de coração repartido, foi a Alcochete vencer o Sporting B, por 0-1, garantido, assim, uma vitória importante sobre um adversário nada fácil e em casa deste.

Por: José Costa*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do/a autor/a)

Maior teste!

Setembro 3, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Hugo Pombal Lopes

Como havia dito na semana passada, o Benfica teria contra o Rio Ave o seu maior teste desde o começo da nova época.



Infelizmente, a profecia e a iminente escorregadela do Benfica confirmaram-se!

O Benfica não jogou melhor que o adversário e, quanto muito, teve sorte no empate.

A equipa de Vila do Conde foi atrevida e não teve medo de discutir o jogo, não chegou ao golo por mero acaso ou por um contra-ataque feliz! Chegou ao golo porque procurou mais e melhor do que o Benfica.

À hora desta publicação, o mercado de transferências já fechou e o Benfica reforçou tudo menos (na minha opinião) o essencial, nomeadamente, o eixo da defesa.

Temos 4 pontas de lança que deviam ter direito a serem todos titulares ao mesmo tempo e temos 4 centrais (temos?) que, neste momento, nenhum me parece dar garantias.

O Luisão vai servindo mas a agilidade e resistência são cada vez menores; o Jardel não está em condições físicas há um ano e notou-se, novamente, na última partida; e temos Lisandro, que para mim, tinha tudo para ser um novo Garay mas tarda em afirmar-se.

Ou a estrutura do Benfica confia no Rúben Dias e no Kalaica para serem o próximo Lindelöf ou, então, parece-me que vamos andar aflitos até (pelo menos) Janeiro.

Portugal jogou esta quinta-feira com as Ilhas Faroé e o volume do resultado era mais que previsível. Contudo, acho pertinente, mais uma vez, destacar Cristiano Ronaldo.

Não sou fã das características que o definem enquanto jogador, mas a nível profissional, não há ninguém que o possa pôr em causa! Está sempre motivado e o jogo pela Seleção veio, mais uma vez, provar isso mesmo.

Parabéns, por isso, ao português Ronaldo e que ganhemos à Hungria para na última jornada “ir à boca” aos suíços.

Um bom domingo para todos!

Cumprimentos!

Por: Hugo Pombal Lopes*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do/a autor/a)

Barcelense Nélson Oliveira volta à Seleção e logo com um golo

Agosto 31, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora




Nélson Oliveira, avançado da equipa inglesa Norwich City, que disputa a Premiership (2ª Liga Inglesa), regressou aos convocados da Seleção Portuguesa de Futebol e somou, mesmo, mais uma internacionalização A por Portugal, apontando um golo à seleção das Ilhas Faroé. O jogo disputou-se hoje, no Estádio do Bessa, no Porto.

Este barcelense, de Carreira, tem 26 anos e esteve algum tempo afastado das convocatórias. No entanto, o grande momento em que se encontra e, igualmente, a boa época passada que disputou, contribuíram para que o Selecionador Nacional Fernando Santos o convocasse para esta dupla jornada de qualificação para o Mundial 2018, na Rússia.

Nélson Oliveira, que passou pelo Santa Maria, Sporting de Braga, Bairro de Misericórdia, Benfica (camadas jovens e sénior), Rio Ave, Paços de Ferreira, Deportivo (Espanha), Rennes (França), Swansea (País de Gales), Nottingham Forest (Inglaterra) e Norwich City (atual clube), somou, assim, a sua 17ª internacionalização A e apontou o seu 2º golo ao serviço da “seleção de todos nós”.

Portugal alinhou com Rui Patrício, Cédric, Pepe, José Fonte, Eliseu, William Carvalho, João Moutinho (André Gomes, 72’), João Mário (Quaresma, 59’), Bernardo Silva, André Silva (Nélson Oliveira, 81’) e Cristiano Ronaldo. No banco ficaram Bruno Varela, Beto, Ricardo Pereira, Fábio Coentrão, Danilo Pereira, Bruno Fernandes, Gelson Martins e Bruma.

Já a seleção das Ilhas Faroé, território dependente da Dinamarca, alinhou com Nielsen, Naes, Davidsen, Gregersen, Faero, Sorensen, Baldvinsson, Edmundsson (Johannesen, 73’), Joensen (Lokin, 80’), Vatnhamar (Bartalsstovu, 65’) e Jakobsen. No banco ficaram Gestsson, Hansen, Jonsson, Askham, Eli Nielsen e Olsen.

Portugal iniciou muitíssimo bem o encontro, com um grande golo de Cristiano Ronaldo, aos 3 minutos. O mesmo jogador apontou, ainda, mais 2 golos: aos 29’, de grande penalidade, e aos 64’. Pelo meio, as Ilhas Faroé ainda reduziram para 2-1, por Baldvinsson. No entanto, William Carvalho marcou o 3-1, aos 58’, Ronaldo apontou o 4-1 e o barcelense Nélson Oliveira fechou a contagem portuguesa, aos 84’, num golo pleno de oportunidade.

Foto: DR.

Ir Para Cima