Tag archive

Sopro

A minha vida em Portugal durante 11 meses

Outubro 13, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Dominika Baraniecka

Qual é a ideia estereotipada de Portugal entre os estrangeiros? É um país bastante quentee, com praias incríveis, vinho, fado e saudade. Essas eram as únicas coisas que sabia antes de vir para cá. O meu nome é Dominika, sou da Polónia e nos últimos meses tenho sido voluntária na SOPRO, uma ONGD de Barcelos. Agora, e após estes meses a viver cá, já sei muito mais sobre Portugal.

Uma das coisas das quais tinha certeza antes de me mudar para Barcelos era que estava sempre sol e calor, aqui em Portugal, e que nunca chovia. Infelizmente, quando cheguei a Barcelos, em novembro, choveu torrencialmente por quase duas semanas. Eu fui descuidada ao ponto de levar comigo apenas vestidos de verão, e nada de casaco de chuva ou guarda-chuva…Esta foi a primeira de muitas surpresas que estavam para vir.

Outra surpresa (mas uma positiva) para mim foi que em Portugal as pessoas fazem pausa para almoçar e até saem do local de trabalho para se deslocarem até um restaurante. Na Polónia, é algo bastante incomum! As pessoas têm de levar o seu Tupperware e almoçar rapidamente entre as suas tarefas de trabalho. Não existe um local para descansar ou apreciar a refeição…Mais diferenças? Por exemplo, em quase todas as pequenas aldeias de Portugal existe um café. E o café aqui é de grande qualidade e muito barato!

Existem muitas mais diferenças, principalmente no contacto interpessoal. Algo de que tinha conhecimento antes de vir para Portugal, e que continua a surpreender-me, é o facto de os portugueses se cumprimentarem com beijos nas bochechas. Na Polónia, estranhos geralmente apertam as mãos ou até mesmo acenam um para o outro à distância. Apenas se dá beijos a membros da família ou a amigos. Essa é a razão de, por vezes, me sentir desconfortável quando conheço um novo português, visto que sinto que não os conheço o suficiente para lhes estar a dar beijos…Mas depois, lembro-me que é uma tradição aqui em Portugal e que a devia respeitar.

Outra coisa surpreendente é a reação que algumas pessoas de Barcelos tiveram à minha tentativa de falar com elas em Inglês. Algumas delas perguntaram-me se eu era de facto inglesa e quando lhes respondi “não” elas passaram a perguntar “então, porque estás a falar Inglês?”. Isto pode ser engraçado, mas pensei que os portugueses são tão apegados à sua língua que, por vezes, não pensam que outras pessoas, não da Inglaterra, usam essa língua franca para facilitar a comunicação.

Estas são coisas simples que fui encontrando no meu dia a dia e que me ensinaram uma lição importante. A lição é que cada país, e mesmo cada sociedade, tem as suas próprias tradições e estilos de vida, diferentes de outros. Às vezes pode parecer estranho, outras vezes é o oposto: as tradições parecem incríveis e emocionantes! Diferente não implica melhor ou pior. É extremamente enriquecedor apenas ver e experienciar como outras pessoas vivem as suas vidas.

Por: Dominika Baraniecka*

(Voluntária da SOPRO – Solidariedade e Promoção, em projeto de voluntariado desde novembro de 2018 até outubro de 2019)

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

[Note-se que esta notícia foi escrita em inglês pela Dominika Baraniecka e traduzida pela voluntária da SOPRO, Margarida Pereira.]

SOPRO apresenta números da recolha do Banco de Material Escolar

Setembro 12, 2019 em Atualidade, Concelho, Educação port barcelosnahorabarcelosnahora

O Banco de Material Escolar (BME) da SOPRO fez, no passado dia 7 de setembro, a Campanha de Recolha de Material Escolar para o ano letivo (2019/2020).



Desta forma, a ONGD decidiu enviar uma nota de imprensa com as quantidades de material que conseguiram angariar.

A saber:

450 Cadernos A4 Capa Preta;

6 Blocos de Desenho;

40 Cadernos argolas A5;

80 Cadernos A5 capa Preta;

55 Caixas Lápis de Cor;

15 Caixas marcadores;

2 Caixas aguarelas;

2 Caixas guaches;

10 Afias;

5 Porta lápis;

2 Compassos;

4 Conjuntos Régua, esquadro, transferidor;

3 Réguas;

310 Lápis;

12 Tesouras;

25 Colas Stick;

62 Borrachas;

92 Canetas azuis;

25 Conjuntos de canetas coloridas (verde, azul, preto, vermelho).

“Este trabalho só é possível através da colaboração e participação dos voluntários que se juntaram a nós na nossa recolha. Pois, todo o apoio é fundamental para o sucesso do nosso trabalho”, refere a Organização.

O BME tem como principal objetivo apoiar o acesso à escolaridade. Este projeto está orientado para a recolha de materiais escolares e encaminhamento dos mesmos para famílias carenciadas, devidamente sinalizadas.

“Através desta recolha iremos fazer a diferença junto de 90 famílias, no início deste ano letivo. Mais uma vez, obrigada a todos/as que participaram e apoiaram mais uma intervenção local da SOPRO”, termina.

Fotos: SOPRO.

Karol Brozek: «Adoro Portugal e sei, com toda a certeza, que voltarei!»

Setembro 5, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Educação, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Karol Brozek

Olá! O meu nome é Karol. Sou da Polónia e sou voluntário. Trabalho na SOPRO, uma organização de solidariedade, vivo em Portugal há quase um ano e estou aqui num projeto de SVE (Serviço Voluntário Europeu).



A decisão de ser um participante neste tipo de projetos foi tomada depois de um grave acidente. Após este acontecimento, senti que tinha ganho uma nova oportunidade na vida e cresceu em mim a vontade de fazer algo bom por outras pessoas sem pensar em benefícios próprios. E no fim, esta decisão deu-me muito mais do que esperava. Deu-me muitos amigos incríveis, autoconfiança e um bocadinho de responsabilidade (não muita, porque sou uma pessoa que opera mais em sentimentos e emoções do que em trabalhos que necessitem de organização e racionalização). Neste artigo gostaria de vos contar um pouco sobre as minhas experiências, aventuras e o que senti em Barcelos e em Portugal.

Escolhi Portugal, maioritariamente, por uma única razão: vocês têm o melhor jogador do mundo de futebol e eu sou um fanático por este desporto em especial. Um dos primeiros grandes torneios foi o Euro 2004. Lembro-me dos primeiros jogos do vosso ídolo, Cristiano Ronaldo, e lembro-me também da final infeliz contra a Grécia. Após 15 anos, senti a necessidade de ver os mesmos estádios e cidades que vi na televisão quando era criança. Algo que me surpreendeu bastante e pelo qual não esperava era que, aqui, todos fossem grandes entusiastas em relação ao futebol, até as mulheres! Gostei muito disso. Para mim, é realmente espetacular poder falar com todos sobre futebol. O meu clube favorito é o Gil Vicente e acredito que nesta época eles consigam jogar com o Benfica ou com o FC Porto e até ganhar, e quem sabe, até ser campeão português.

Gosto mesmo muito dos portugueses por serem muito amáveis e ajudarem sempre que podem. Posso descrever isto que acabei de referir com um exemplo muito simples. Se estiveres na rua, na Polónia, e vires outras pessoas, se continuares a sorrir, provavelmente vais reparar que a pessoa para quem sorrias desviou o olhar para o chão com alguma vergonha. Aqui em Portugal, na mesma situação e após alguns instantes, são amigos. Respeito muito isto pois apesar de Portugal não ser o país mais rico do mundo, todos vivem com um sorriso na cara.

Portugal tem também doces e pratos muito bons! O pastel de nata, para mim, é já um clássico português que adoro. A francesinha é muito boa também! Eu adoro peixe, por isso, também aprecio bacalhau, mas para ser honesto, não percebo o seu fenómeno. Talvez tenha vivido pouco tempo em Portugal para o compreender. Relativamente à língua portuguesa, esta é bastante complicada, mas com a ajuda que fui recebendo, já compreendo algumas coisas. No início, não conseguia reconhecer quando uma palavra terminava e outra começava. Para mim, era algo como “eszzszszszeszszszczszzse”. Agora, está bastante melhor!

Outra coisa que apreciei muito em Portugal é o facto de os portugueses viverem com pessoas de diversos países, como por exemplo, Brasil, Venezuela e Cabo Verde, sem conflitos supérfluos e desnecessários. Na Polónia, penso que uma vivência semelhante traria situações bastante diferentes.

Algo que me surpreendeu muito foi o facto de Portugal não apresentar temperaturas de -20 °C, como na Polónia, e, mesmo assim, eu podia ter congelado durante o inverno! Não esperava isto. Achava que seria sempre um tempo incrível e ameno.

Em Barcelos, o que mais gosto é da bonita ponte velha e da pequena e encantadora biblioteca. O dono teve uma ideia de génio. O espaço de leitura com ar fresco e vista incrível fascinam-me.

Relativamente ao meu projeto de SVE, no início, tive algumas tarefas na Ludoteca do Colégio La Salle. Eu e um amigo meu da Polónia preenchíamos o tempo livre dos alunos do Colégio. Esta foi uma experiência nova para mim, que me permitiu conhecer melhor os alunos e partilhar experiências com eles. Trabalhei na ludoteca durante 2 meses e após esse período, o meu amigo da Polónia decidiu voltar para a terra natal. Na mesma altura em que o meu amigo partiu, chegou um novo voluntário à SOPRO, vindo da Turquia. Juntos, fomos trabalhar para a Loja Social de Esposende. Adorei o conceito desta loja! Aqui, não existe dinheiro, mas sim, créditos. As pessoas podem doar alimentos e roupa e receber em troca outro tipo de bens. Isto quer dizer que alguém que necessite, por exemplo, de uma camisola para o inverno, pode ir à loja, trocar t-shirts de verão por créditos e, com esses créditos, levar a camisola de inverno. Após este tempo na loja social, ocorreu o enorme tornado em Moçambique. Nessa altura, todos os membros da SOPRO focaram-se em ajudar as pessoas de lá. Fiquei bastante surpreendido quando vi muitos portugueses a doar produtos úteis, que enviámos para Moçambique. Às vezes penso que os portugueses nasceram para uma coisa: ajudar os outros.

Vi muitos locais bonitos em Portugal, mas o meu preferido é a cidade do Porto. Decidi que outra forma de conhecer Portugal, e também Espanha e as suas pessoas, seria ao realizar o Caminho de Santiago a pé. A viagem demorou 6 dias e trouxe algumas dificuldades (a principal foi ter de fazer parte do caminho com apenas uma perna). Esta foi uma ótima experiência que me fez sentir confiante e poderoso. Este foi o início dos meus treinos. Após esta viagem, decidi participar numa maratona. A 3 de novembro de 2019, em Istambul, irei participar na minha primeira maratona, por isso, cruzem os dedos por mim.

Calma, calma, calma – é a palavra que mais vezes ouvi. Eu gosto deste estilo de vida calmo. Como se estivéssemos em férias constantes. Talvez no supermercado seja ligeiramente problemático, mas não posso reclamar.

Para resumir, adoro Portugal e sei, com toda a certeza, que voltarei!

Adeus!

Por: Karol Brozek*.


**Note-se que esta notícia foi escrita em inglês pelo voluntário Karol Brozek e traduzida pela voluntária da SOPRO, Margarida Pereira.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

SOPRO necessita de voluntários para recolha no próximo sábado

Setembro 3, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

O Banco de Material Escolar (BME) da SOPRO vai realizar, no próximo dia 7 de setembro, no E. Leclerc de Barcelos, a Campanha de Recolha de Material Escolar para o ano letivo (2019/2020) e necessita de voluntários/as para apoiar esta causa.



O BME tem como principal objetivo apoiar o acesso à escolaridade. Este apoio pretende abranger as famílias mais desfavorecidas e, também, prevenir situações de abandono escolar, visto muitas dessas famílias terem dificuldade em manter as crianças devido às suas enormes carências.

Para o desenvolvimento deste projeto, precisam da colaboração de todos. Para isso, caso tenha interesse, junte-se à SOPRO, torne-se voluntário/a no dia 7 de setembro e apoie a Campanha de Recolha de Material Escolar. “Toda a contribuição será fundamental para o sucesso do nosso trabalho”, refere a ONGD em nota.

Para mais e melhores informações:

965 659 916 | 253 837 259 | geral@sopro.org.pt / https://www.facebook.com/soproongd/ / http://www.sopro.org.pt/.

Imagens: SOPRO.

SOPRO e Amigos da Montanha equipam Sala de Aula em Moçambique

Agosto 14, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Educação, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

A SOPRO, com o apoio dos Amigos da Montanha, equipou com carteiras uma sala de aula em Moçambique, na Missão de São Francisco de Assis em Mangunde, uma das Missões de ESMABAMA, na Província de Sofala. Esta ação só foi possível graças aos 2000€ doados pelos Amigos da Montanha na Meia Maratona de Barcelos a favor da campanha “Juntos pela Beira”.



Os fundos doados pelos Amigos da Montanha, foram revertidos na totalidade para esta sala de aula com capacidade para 50 alunos sentados.

A SOPRO continua a angariar fundos para este projeto “Quero a minha Escola de Volta”, que é resultado do trabalho da voluntária Mafalda Pinto, que está a trabalhar em conjunto com a SOPRO em Moçambique, para equipar as salas de aulas com carteiras, com capacidade para 2 pessoas sentadas.

O objetivo é equipar as salas de aulas das Missões de Machanga (40 carteiras), Estaquinha (112 carteiras) e Barada (500 carteiras), todas missões de ESMABAMA. A missão de Barada foi a mais afetada pelo Ciclone Idai, ficou completamente destruída e são necessárias apenas para aqui 500 carteiras para as salas de aulas, para que crianças e adultos possam voltar à escola e possam aprender a ler e escrever.

“Acreditamos que pequenos gestos mudam o Mundo, por isso, agradecemos a todos os que já contribuíram e aos que possam vir a contribuir para continuar a ajudar Moçambique”, refere a SOPRO.

Fotos: DR.

‘Kasia’ Limanówka: «Em Barcelos encontrei os pores do sol mais bonitos que alguma vez vi!»

Julho 31, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Katarzyna Limanówka

Em Barcelos encontrei os pores do sol mais bonitos que alguma vez vi! O sol foi a melhor surpresa que encontrei durante toda a minha estadia em Portugal.



Cheguei a Barcelos no início de novembro do ano passado e fui recebida por chuva intensa e tempo tempestuoso. Fiquei duplamente surpresa porque saí da Polónia com um outono ensolarado e caloroso e imaginava, com toda a certeza, que em Portugal ainda seria tempo de verão. Infelizmente, não era.

Durante a primeira noite, ventos fortes partiram uma pequena janela na minha cozinha, pelo que fiquei ligeiramente assustada. Além disso, a minha mãe ligou-me a descrever como os dias estavam incomuns e quentes na Polónia. Fiquei com ciúmes, mas depois, ouvi a lenda de São Martinho. Depois do 11 de novembro, em Portugal, vem o “segundo verão”. Diz-se que isto acontece devido a São Martinho. De acordo com a lenda, São Martinho ajudou um homem pobre e nu que conheceu num dia chuvoso e frio, dando-lhe o seu casaco. Depois disso, o sol voltou para Portugal. O mesmo aconteceu no ano passado, após a minha chegada. Felicidade e pura alegria apareceram na minha vida. E o sol nunca mais me deixou sozinha. Claro que tive dias chuvosos, mas não tantos como esperava. Li que o inverno em Portugal era bastante chuvoso, mas este ano não o foi. Até os portugueses ficaram espantados. Assim, passei um Natal ensolarado em Portugal, recebi o Ano Novo também com muito sol, e estes momentos, nunca esquecerei.

Mas permitam-me começar de novo… Cześć! Mam na imię Kasia (Olá! Chamo-me Kasia) e vim para Barcelos para integrar um projeto SVE. Sou voluntária e a minha organização de acolhimento é a SOPRO ONGD.

Antes de vir para Portugal, trabalhava no Museu Municipal de Engenharia, em Kraków, e estudava antropologia da cultura na Universidade Jagiellonian. Mas desisti de tudo e decidi tornar-me numa voluntária.

Ouvi falar do SVE pela primeira vez quando tinha 22 anos. Esta é uma história bastante engraçada. Eu estava numa fila de espera enorme para obter um quarto numa residência de estudantes. Estava um pouco nervosa porque haviam poucas vagas, muitas outras pessoas nessa mesma fila e faltavam poucos dias para o início de outro ano letivo. Naquela fila enorme, conheci uma pessoa incrível que tinha voltado da Roménia após o seu projeto SVE e falou da sua experiência. Fiquei espantada com a sua história e rapidamente decidi que, no futuro próximo, iria participar num projeto SVE. Então, aqui estou eu, no ensolarado Portugal, 5 anos depois daquele encontro com o rapaz misterioso, na longa fila de espera.

E estás provavelmente a questionar-te o que estou aqui a fazer.

Nos primeiros 5 meses, estive a trabalhar no centro social Abel Varzim, em Cristelo, onde ajudei crianças com o seu Inglês, organizei oficinas e atividades de artesanato. Ali, encontrei imensas crianças incríveis e fantásticas, cheias de paixão e energia positiva. Irei sentir muitas saudades delas, e já sinto, na verdade porque, desde o início de abril comecei a trabalhar diretamente com a SOPRO.

Depois da enorme tragédia em Moçambique, quando o Ciclone Idai destruiu tantas cidades e matou imensas pessoas, todos os voluntários da SOPRO começaram a ajudar na campanha de Moçambique. A partir desse momento, na maior parte do tempo, ajudei a separar, preparar e embalar caixas com alimentos, roupas e material escolar para as vítimas do Ciclone Idai. Dia após dia, observo o quão generosas são as pessoas que formam a Comunidade de Barcelos e que estão envolvidas em todas as ações organizadas pela SOPRO.

Mas o SVE não é, unicamente, sobre fazer voluntariado. É também uma oportunidade incrível pra descobrir outras culturas, tradições, estilos de vida e conhecer novas pessoas. Durante a minha estadia em Portugal, apaixonei-me pelo Porto. É uma cidade maravilhosa e mágica, que me surpreendeu em cada canto, com todas as porções de arte de rua e parques verdes que lá descobri. Amo passar lá todos os meus fins de semana porque, para mim, vale mesmo a pena e não me surpreende que tantos turistas visitem esta cidade. Não poderiam ter escolhido melhor.

Por fim, gostaria de dizer que sou apreciadora de inúmeras delícias portuguesas, como frutas e vegetais. Poderia passar o resto da minha vida a comer unicamente laranjas do Algarve. A sério! É muito triste que o meu projeto vá terminar em breve pois irei sentir falta de todos estes pores do sol, das laranjas, de Barcelos, do Porto e das pessoas que aqui conheci.

Por: Katarzyna Limanówka.*

Voluntária da SOPRO – Solidariedade e Promoção

Em projeto de voluntariado desde novembro de 2018 até setembro 2019.

Fotos: DR.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

SOPRO envia contentor de doações para Moçambique

Julho 9, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

A SOPRO – Solidariedade e Promoção ONGD enviou, no passado dia 5 de julho, um contentor cheio de doações como roupa, calçado, utilitários de cozinha e material doado no âmbito da Campanha SOS Beira, iniciada em março logo após o Ciclone Idai.



Uma parte deste contentor resulta das doações da campanha SOS Beira, realizada na Ilha de S. Jorge, campanha dinamizada pela voluntária Marina Dias, nos Açores, que em 2018 esteve em Missão na Beira. 

“A ida deste contentor é o resumo do trabalho de todos os voluntários que foram passando pela SOPRO, ajudando a separar e empacotar todas as doações que nos foram entregues. A todos os que tiveram este ato solidário o nosso muito obrigado, como prometido estamos a fazer chegar as centenas de doações a todos os moçambicanos afetados pelo Ciclone Idai”, refere a ONGD em nota.

Além deste contentor a SOPRO tem enviado, desde o Ciclone Idai, apoio financeiro para a Comunidade de Irmãos de La Salle de Moçambique, que fazem a gestão da Escola João XXIIII, onde estão os 150 afilhados da SOPRO. Também tem apoiado as Missões de ESMABAMA, para onde enviaram 2000€ para financiar a compra de carteiras (mesa e banco colocado), para equipar as salas de aulas de uma das Missões de ESMABAMA, podendo os alunos desta missão ter condições mínimas estar numa sala de aula.

A voluntária da SOPRO, Catarina Mendes, que chegou a Moçambique a 9 de julho, reuniu com os Pais dos Afilhados da SOPRO, ouvindo os pedidos de cada família e apoiando-os na medida do possível. A cada um dos afilhados da SOPRO foi entregue um kit de material escolar para que estes jovens possam chegar ao final deste ano letivo (em Moçambique termina em dezembro) com o mínimo de material, já que a maioria deles perdeu quase tudo o que tinha.

“A SOPRO agradece, em nome de todos os Moçambicanos, a todos os que contribuíram para uma vida melhor destes Moçambicanos. Porque acreditamos que pequenos gestos mudam o Mundo, obrigada”, conclui em nota.

Fotos: DR.

Banco de Material Escolar da SOPRO necessita de doações para o novo ano letivo

Julho 3, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura port barcelosnahorabarcelosnahora

O Banco de Material Escolar (BME) da SOPRO já iniciou a preparação do novo ano letivo de 2019/2020.



Este BME tem “como principal objetivo apoiar o acesso à escolaridade. Assim, este projeto está orientado para a recolha de manuais e materiais escolares e encaminhamento dos mesmos para crianças, jovens e famílias devidamente sinalizadas. Este apoio pretende abranger as famílias mais desfavorecidas e também prevenir situações de abandono escolar, visto muitas dessas famílias terem dificuldade em manter as crianças devido às suas enormes carências”, refere a SOPRO em nota.

Para desenvolvimento deste projeto, esta ONGD necessita da colaboração de todos. Para isso, basta doar manuais em vigor e/ou material escolar (novo ou usado) ao banco de material escolar.

Imagem: SOPRO.

Banco de Material Escolar da SOPRO inicia a preparação do novo ano letivo (2019/2020)

Junho 13, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura port barcelosnahorabarcelosnahora

O Banco de Material Escolar (BME) da SOPRO, instituição de solidariedade barcelense, já iniciou a preparação do novo ano letivo – 2019/2020 com a recolha desse tipo de material.



Este BME “tem como principal objetivo apoiar o acesso à escolaridade. Assim, este projeto está orientado para a recolha de manuais e materiais escolares e encaminhamento dos mesmos para crianças, jovens e famílias devidamente sinalizadas. Este apoio pretende abranger as famílias mais desfavorecidas e também prevenir situações de abandono escolar, visto muitas dessas famílias terem dificuldade em manter as crianças devido às suas enormes carências”, refere a SOPRO em nota.

Assim, a instituição sediada em Barcelinhos, precisa da colaboração de todos para o desenvolvimento deste projeto. Para tal, basta doar manuais em vigor e/ou material escolar (novo ou usado) ao Banco de Material Escolar.

Para mais informações, pode contactar a SOPRO através de geral@sopro.org.pt, http://www.sopro.org.pt ou https://www.facebook.com/soproongd.

Imagem: SOPRO.

Caminhada-Bike-Trail Solidário SOPRO 2019 a 2 de junho

Maio 26, 2019 em Atualidade, Concelho, Desporto port barcelosnahorabarcelosnahora

No próximo dia 2 de junho, pelas 10h00, realiza-se a “Caminhada-Bike-Trail SOPRO 2019”, com partida e chegada no Colégio La Salle, em Barcelinhos.



Em relação à Caminhada, de 10km, os participantes saem em grupo, acompanhados com guias, e durante a prova há um abastecimento. No Passeio de BTT, de 15km, o grupo sairá, igualmente, com guias a marcar o seu ritmo, havendo também um abastecimento durante a prova. Em relação ao Trail de 15km, haverá lembranças para os primeiros a terminar.

Os valores de inscrição angariados revertem a favor das vítimas do Ciclone Idai. Sendo eles, 8€ por pessoa no Trail, passeio de BTT ou caminhada a partir dos 17 anos (inclusive); 5€ por pessoa no Trail, passeio de BTT ou caminhada, entre os 10 e os 16 anos inclusive; crianças com idade igual ou inferior a 9 anos gratuito (desde que acompanhadas por um adulto com inscrição). As inscrições devem ser efetuadas através de (basta clicar para aceder automaticamente): https://www.prozis.com/sopro2019. Cada inscrição dá direito a t-shirt, brinde, bifana no pão e caldo verde.

O secretariado funcionará da seguinte forma:

31 de maio, das 10h00 às 13h00 e das 14h00 até às 20h00, na Casa Irmão Manuel, Sede da SOPRO;

1 de junho, das 16h00 até às 20h00, na Casa Irmão Manuel, Sede da SOPRO;

2 de junho, das 8h00 até 9h30, no Colégio La Salle.

Já o programa do evento é o seguinte:

08h00 – Abertura do Secretariado

09h30 – Fecho do Secretariado

09h30 – Aula de Aquecimento pela Barcelos Saudável

10h00 – Início dos Percursos a partir do Colégio La Salle

Abastecimento

11h30 – Chegada ao Colégio La Salle – Balneários disponíveis

12h00 – Bifana no pão e Caldo Verde,

Imagem: SOPRO.

1 2 3 7
Ir Para Cima