Tag archive

Sporting Clube de Portugal

“Varalhada” para a justiça

Março 15, 2019 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Ricardo Moreira

Bem-haja, caros leitores do BnH!

Jogou-se a 25ª jornada do Campeonato Nacional e vencemos no Bessa, num campo tradicionalmente difícil. Boavista 1- 2 Sporting Clube de Portugal.



Vitória “arrancada a ferros”, já no tempo extra, na sequência de uma grande penalidade assinalada, por presumível toque em Raphinha, num lance onde, para mim, não existe qualquer tipo de falta.

Raramente falo de arbitragens, pois eles são, sem dúvida, o “elo mais fraco”. Erram como qualquer um dos outros intervenientes no jogo. Umas vezes prejudicam-nos, outras beneficiam-nos. Este ano, não é pelas arbitragens que estamos na luta, apenas e só, pelo 3° lugar. Embora considere a arbitragem portuguesa, no cômputo geral, muito fraca. Muito condicionada, por tudo o que os rodeia. Facto este, que faz com que as arbitragens sejam, muitas vezes, caricatas até. O “vídeo-árbitro” é em prol da cor que dá mais jeito, o que, obviamente, não traz o devido aproveitamento para uma arbitragem mais justa!

Neste jogo, esta grande penalidade a nosso favor, para mim, foi, simplesmente, caricata! Aconteceu num momento em que muitos adeptos já não acreditavam no triunfo frente ao Boavista. Mas acho que esta “Varalhada” até trouxe alguma justiça ao resultado final. Fomos a única equipa que tentou e quis vencer o jogo. “Escreveu-se direito por linhas tortas”!

Não consigo compreender é, mantendo-se tanto tempo o 1-1 que já vinha da primeira parte, Keizer só decidiu (enfim) mexer na equipa aos 78m! Não vejo qual a necessidade de não refrescar a equipa mais cedo; ainda para mais, na maior parte das vezes, muitos jogadores já se “arrastam” no campo.

Assim como, segundo consta, a Academia deve ser o nosso futuro, só que voltámos a entrar em campo sem um único jogador da formação! Acontece pela segunda vez em poucas semanas, algo que não se via no nosso Sporting Clube de Portugal desde 2007. Algo não está a bater certo, de todo!

É uma tristeza, além do mais, que no 11 inicial em campo, de verde e branco, apenas existia um Português: Bruno Fernandes (do mal o menos, para mim, o melhor jogador do campeonato). Como se apenas os estrangeiros fossem bons! Ainda por cima, quando estamos, apenas e só, a lutar pelo 3° lugar. Era mais do que altura para aproveitar e apostar em jovens jogadores da nossa Academia! Esta não é a “política” que me habituei a viver no meu Sporting Clube de Portugal.

Compreendo que o final de época passada foi penoso, foi doloroso e continua a ter as suas consequências! Mas já era tempo de reencontrarmos, definitivamente, um rumo. Sabermos o que realmente queremos para o nosso futuro! Neste momento, algo vai mal e muito inconstante no reino do meu Leão!

Desporto é Vida! Viva o Desporto com Respeito e Fair-Play!

Por: Ricardo Moreira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Construir demora muito, Destruir quase nada!

Março 8, 2019 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Ricardo Moreira

Bem-haja, caros leitores do BnH!

Jogou-se a 24ª jornada do Campeonato Nacional e regressámos às vitórias. Sporting Clube de Portugal 3 – 1 Portimonense.



Dois golos logo no início do jogo, num ápice, fizeram antever uma goleada, que afinal não aconteceu. O empate até podia, muito bem, ter acontecido.

Entrámos muito bem no jogo, mas, a ganharmos por 2-0, os nossos jogadores recuaram muito no terreno, passaram boa parte do tempo a trocar bolas no reduto defensivo, sem progressão, nem construção de lances atacantes, o que deu motivação ao Portimonense. A equipa algarvia reduziu, galvanizou-se e esteve a um pequeno passo de empatar. Desta vez tivemos sorte.

Voltámos a não convencer. A jogar desta maneira, vamos ter muitas dificuldades em chegar ao 3° lugar!

Obviamente que esta coisa do “ADN de Campeão” não surge do nada, constrói-se, é preciso muito tempo, muito esforço, para ele surgir. Construir demora muito, destruir quase nada! A gente que o diga!!!

O “destituído”, conjuntamente com alguns energúmenos, encarregaram-se do assunto, no que ao futebol diz respeito.

Pior, esses “fiéis da desgraça” ainda insistem, a todo o custo, querer destruir de vez o nosso Sporting Clube de Portugal! Basta cortarem-lhes as “regalias” e o amor ao clube passa a ser uma treta! Futebol dos tempos modernos! Demasiados negócios, demasiado dinheiro envolvido, demasiados interesses pessoais, em que a Paixão do Futebol, inevitavelmente, a cada dia, fica mais para segundo plano!

Para nós, continua a ser uma época sofrível!

Os acontecimentos do final de época deixaram o nosso “Leão em Sangue”! As feridas (ainda) estão bem abertas. A destabilização é constante. Surge de todo o lado. O caminho vai ser longo, penoso. Mas o caminho faz-se caminhando!

Resta-nos (por agora) o Orgulho no Clube eclético que somos!

Nas modalidades continuamos a fazer História!!!

Desporto é Vida! Viva o Desporto com Respeito e Fair-Play!

Por: Ricardo Moreira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Quem não marca, não ganha!

Março 1, 2019 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Ricardo Moreira

Bem-haja, caros leitores do BnH!

Jogou-se a 23ª jornada do Campeonato Nacional e quem não marca, não ganha! Acabámos empatados nos Barreiros. SC Marítimo 0-0 Sporting Clube de Portugal.



Depois de uma primeira parte muito fraca, em que praticamente não criámos perigo, Keizer, desta feita, não perdeu tempo, mexendo (bem) na equipa ao intervalo.

Na segunda parte, encostámos o Marítimo “às cordas”, mas nessa fase, o guarda-redes adversário acabou por defender tudo! Não fomos capazes de conseguir marcar um golo, que certamente nos daria a vitória! 

Também houve complacência do árbitro, com as atitudes constantes de queima de tempo de jogo. Misturado com alguma falta de sorte, conduziram a uma perda de mais dois pontos, que, apesar de tudo, acho que foi merecido.

Merecido porque quem não aborda estes jogos para entrar com tudo, marcar primeiro e gerir o resultado depois, põe-se a jeito para perder pontos. Foi precisamente o que nos aconteceu. Nos primeiros 45 minutos, praticamente não quisemos nada com o jogo!

Na segunda parte, lutámos e procurámos até ao fim a vitória. Tentámos tudo, mas “pagámos a fatura” de não marcar, com a perda de 2 pontos.

O final da partida demonstrou, também, a falta de tranquilidade que reina no nosso Sporting. A impotência de corresponder, atualmente, aos objetivos do clube, conjugado com o (ainda) não ultrapassado fatídico final de época, coloca-nos a jogar sobre “brasas” e numa ansiedade tal, que nada de bom nos traz. Os resultados falam por si. O momento do nosso Sporting Clube de Portugal fala por si.

Temos, urgentemente, de reencontrar a estabilidade e a União! Fatores fundamentais para, paulatinamente, irmos crescendo.

Com Esforço, Dedicação e Devoção, voltarmos a ser coesos, fortes, unidos em prol de um bem maior: a Glória do nosso Sporting Clube de Portugal!

Desporto é Vida! Viva o Desporto com Respeito e Fair-Play!

Por: Ricardo Moreira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Montanha Russa

Fevereiro 21, 2019 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Ricardo Moreira

Bem-haja, caros leitores do BnH!

Jogou-se a 22ª jornada do Campeonato Nacional, e quando nada o fazia prever, obtivemos uma concludente vitória sobre um dos candidatos ao título. Sporting Clube de Portugal 3-0 SC Braga.



Claro domínio de jogo, do princípio ao fim. Vitória em toda a linha, sem margem para qualquer dúvida! Derrotámos uma equipa que não perdia desde a 14ª jornada! Que nas 3 épocas anteriores tinha sempre pontuado em Alvalade!

Desta vez, a nossa superioridade foi total, o que se traduziu, não só, na exibição (uma das melhores da temporada, senão mesmo a melhor) como no concludente resultado.

Três pontos muito importantes, que nos encurtam a distância relativamente à equipa que acabámos de derrotar.

Depois de uma fraca exibição, em Alvalade, para a Liga Europa, eis que, de seguida, fazemos uma das melhores exibições da época.

O futebol é mesmo uma “caixinha de surpresas”! O que hoje é verdade, amanhã já pode ser mentira! Mais uma vez, fomos do 8 ao 80, num ápice.

Até Keizer, que surpreendeu completamente com nova tática (3-4-3), passou em dias, de besta a bestial!  Já nem sei em que acreditar!

O que sei, é que este foi um dos melhores, se não mesmo, o melhor desempenho, esta época, do nosso Sporting Clube de Portugal, e desta feita, com muito dedo do treinador.

O futebol também é isto, as emoções e adrenalina dos momentos. Mas para se vencer títulos, acima de tudo, é preciso manter uma certa regularidade. Algo que, este ano, não estamos a conseguir, de todo.

Esta época tem sido mesmo uma “montanha russa” no nosso Sporting Clube de Portugal!

Depois do “aterrorizante” final de época passado, toda esta instabilidade, até a nível exibicional, sinceramente era de prever.

Ainda para mais, o “circo” fora das 4 linhas ainda vende demasiado, para deixarem, certos “palhaços” completamente sem filtro!

Desporto é Vida! Viva o Desporto com Respeito e Fair-Play!

Por: Ricardo Moreira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Serviços Mínimos

Fevereiro 14, 2019 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Ricardo Moreira

Bem-haja, caros leitores do BnH!

Jogou-se a 21ª jornada do Campeonato Nacional e finalmente regressámos às vitórias! (seis jogos depois)



Num estádio que tem funcionado esta época, para nós, como uma espécie de talismã: 3 jogos ali disputados, para 3 competições diferentes, outros tantos triunfos leoninos. Primeiro por 4-1 para a Taça da Liga; depois por 2-0 para a Taça de Portugal.

Não houve duas sem três.

Desta feita, para o campeonato: Feirense 1 – 3 Sporting Clube de Portugal. Apesar de tudo, conseguimos um resultado muito superior à exibição.

Entrada em jogo muito ansiosa por parte do Sporting, com posse de bola infrutífera, devido aos muitos passes falhados, ausência de fio de jogo e falta de dinâmica ofensiva. Só aos 32′ fizemos o primeiro remate!!! Fomos para intervalo a vencer por 1-0, graças a um autogolo do Feirense.

Sinceramente acho que não merecíamos, de todo, esta vantagem ao intervalo.

Apesar de termos defrontado a equipa classificada na última posição do campeonato (não vence há 19 jogos), essa equipa conseguiu, na primeira parte, criar mais situações de perigo. Muito fraca a primeira parte, para um Sporting Clube de Portugal!

Na segunda parte, entrámos mais serenos, também devido ao golo que nos deu vantagem já perto do intervalo. Lá melhorámos um pouco e, mais uma vez, através do nosso melhor jogador, Bruno Fernandes (novamente o melhor jogador em campo), resolvemos o jogo. Foi ele o autor do segundo e do terceiro, do nosso Sporting Clube de Portugal. E já leva 20 marcados, (só nesta época) proeza para um jogador que atua na posição de médio.

Espero muito mais do nível exibicional do meu Sporting Clube de Portugal.

Vamos a 9 pontos do Porto, a 8 do Benfica e a 7 do Braga!!!

É fundamental vencermos a equipa minhota no próximo embate em Alvalade.

Desporto é Vida! Vive o Desporto com “Respect” e “Fair-Play“!

Por: Ricardo Moreira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Da euforia à frustração

Fevereiro 7, 2019 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Ricardo Moreira

Estamos a atravessar a pior fase da “era” Keizer. Já não restam dúvidas, regredimos a nível de futebol jogado. Não sei se foi o efeito “surpresa” no início da “era” Keizer, que nos fazia ser bem melhor do que os adversários que defrontávamos. Jogávamos bem melhor do que aquilo que estamos a jogar atualmente. As últimas exibições já deixavam antever o descalabro.



No derby, para o campeonato, fomos nitidamente inferiores ao nosso rival. Exibição para esquecer mesmo. Paupérrima, senão mesmo, a nossa pior da época.

Temos, também, que agradecer a alguns energúmenos e a Bruno de Carvalho, por terem destruído um plantel, com a “brincadeira” do final da época passada. Tudo isso foi muito mau, e estamos, agora (e continuamos), a sofrer as verdadeiras consequências.

Mesmo sabendo o ponto de partida, o “trágico” final de época que vivemos, a atípica pré-época, faz com que o Sporting esteja, hoje, mais longe dos 3 primeiros classificados. Veremos se esta perda anímica dá, pelo menos, para manter o 4º lugar, o que não é, de forma alguma, garantido, caso se mantenha este paupérrimo nível exibicional, agravado com algumas opções, no mínimo duvidosas, que Keizer está a ter nestes últimos jogos.

Derrota em Guimarães (só pecou por escassa), derrota em Tondela (exibição tão fraca), empate em casa com o Porto (jogámos encolhidos para o empate). Depois, um empate com um Braga (vitória nas grandes penalidades). Mais um empate com o Porto (vitória novamente nas grandes penalidades). Dando o “bis” na (desprestigiada) Taça da Liga.

Da euforia desse bom momento (vitória na Taça da Liga), à frustração do momento atual (joga-se novamente tão pouco), foi um ápice. Keizer até já viu “lenços brancos” em Alvalade! Quem diria, em tão pouco tempo!

Por agora, resta-nos ter saído da Luz com um “balão de oxigénio” (nova derrota, mas desta feita pela margem mínima 2-1), para tentarmos a reviravolta, na segunda mão das meias-finais da Taça de Portugal, em Alvalade.

Por: Ricardo Moreira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Tremendo Zero

Janeiro 18, 2019 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Ricardo Moreira

Bem-haja caros leitores do BnH!

Jogou-se a 17ª jornada, a última da primeira volta do Campeonato Nacional, e no Clássico deu empate. Sporting Clube de Portugal 0 – 0 Futebol Clube do Porto.



A meu ver, foi mais um clássico com pouco futebol! Jogo fraco, entre duas boas equipas!

Estávamos a 8 pontos do adversário e, mesmo assim, Marcel Keizer montou um sistema de jogo apostando, essencialmente, em não perder o seu primeiro clássico do futebol português.

Com um jogo “mastigadinho”, feito de passes lateralizados e muitos atrasos ao guarda-redes (inclusive com Renan, muitas vezes, a guardar a bola e a demorar muito a repô-la em campo, para ganhar tempo).

Nada de futebol ao primeiro toque ou de progressão rápida, como era característico nos primeiros jogos com Keizer ao comando. Ao contrário do que parecia com Keizer, que há mês e meio assegurava ter o “futebol de ataque” como filosofia de jogo, inspirado no dinâmico Ajax da década de 70.

Neste clássico pareceu que o mister Keizer aprendeu rápido a falar o nosso “idioma futebolesco”.

O futebol de retranca muito à portuguesa, concebido mais para não sofrer do que tentar arriscar para ganhar é conceito que parece estar a ser assimilado de forma bem rápida pelo técnico oriundo da Holanda.

Sob este prisma, Keizer foi bem-sucedido. O clássico, afinal, terminou em 0-0, apesar de que precisávamos muito mais do que o adversário de vencer este jogo, disputado em nossa casa.

Definitivamente, parece que voltamos a regredir, pois jogar em casa seja contra quem for, com o intuito de não perder, sem sequer se arriscar para tentar ganhar, (quando realmente precisávamos de ganhar) não me parece estar no “ADN” do nosso Sporting.

Finda a primeira volta, o líder continua a oito pontos de distância.

Com mais de 45 mil espectadores nas bancadas, o espetáculo foi demasiado pobre, para realmente haver sempre assim tanto público nos estádios!

Tremendo zero, quer no resultado, quer na exibição, quer no espetáculo do futebol em si!

Desporto é Vida! Vive o Desporto com “Respect” e “Fair-Play“!

Por: Ricardo Moreira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Voltaram as oscilações exibicionais

Janeiro 11, 2019 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Ricardo Moreira

Bem-haja, caros leitores do BnH.

Na 15ª jornada do Campeonato Nacional, recebemos e vencemos, por 2-1, o Belenenses SAD, que era, até este jogo, uma equipa sem derrotas fora de casa e a segunda menos batida do campeonato. Deu-nos uma boa réplica, mas o nosso triunfo pareceu-me incontestável. Os 3 pontos ficaram, com justiça, em Alvalade.



Já na jornada seguinte, na 16ª, deslocamo-nos a Tondela e perdemos por 2-1.

Voltei a não gostar da exibição da nossa equipa.

O nosso golo solitário resultou de uma jogada às “três pancadas” já no minuto 76, quando jogávamos contra dez desde os 51′, por expulsão de um defesa da equipa beirã.

A superioridade numérica de pouco ou nada nos valeu. Grande parte do segundo tempo decorreu com a equipa desorganizada, sem finalizadores de classe (não temos no plantel um verdadeiro substituto a Bas Dost).

Pela primeira vez, não gostei de Keizer. Acho que não estudou o adversário devidamente.

Terminámos a partida com dois centrais como pontas-de-lança?!?!

O caudal ofensivo nunca se traduziu em qualidade de passe ou decisões corretas no momento de rematar à baliza. Foi mais um autêntico “chuveirinho”, a ver no que dava. Não deu em nada! É pouco, muito pouco, para quem quer algo mais do que se classificar para a Liga Europa.

Depois de um início fulgurante, com Keizer ao leme, as exibições começam novamente a oscilar demasiado e, principalmente nos dois últimos jogos fora, as exibições foram demasiado fracas, sem dúvida alguma! Assim se foram 6 pontos num ápice.

O plantel é curto, a qualidade é restrita e o cansaço parece-me evidente demais, para continuarmos na “luta” pelo título.

Já estamos a 8 pontos da liderança e já jogamos o clássico como se de uma final se tratasse, pois só a vitória nos pode fazer reentrar na disputa pelo título.

Espero, sinceramente, que a reabertura de mercado dê, pelo menos, para equilibrarmos o plantel, pois senão parece-me, de todo, que será uma época para lutarmos, apenas e só, por um lugar na Liga Europa.

Desporto é Vida! Vive o Desporto com “Respect” e “Fair-Play“.

Por: Ricardo Moreira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

 

Travão a fundo

Dezembro 28, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Ricardo Moreira

Bem-haja, caros leitores do BnH!

Jogou-se a 14ª jornada do Campeonato Nacional e saímos derrotados do D. Afonso Henriques. V. Guimarães 1-0 Sporting Clube de Portugal.

A primeira derrota da “era” Keizer. Foi também o primeiro jogo em que ficámos sem marcar sob o seu comando, após 7 partidas em que fizemos 30 golos.



Eu disse que as dificuldades iam surgir a qualquer momento. E assim foi, mas apesar das ausências importantes, não esperava, nesta fase, um jogo tão fraco da nossa parte. O Guimarães foi muito superior e dominou quase todo o jogo. Um resultado, sem dúvida, lisonjeiro para a nossa equipa. O Vitória de Guimarães merecia ter vencido por uma diferença mais dilatada. Só o nosso guarda-redes (a figura do jogo) impediu isso.

Foi um Sporting totalmente condicionado pela tática do onze Vitoriano.

Luís Castro estudou muito bem a nossa equipa e neutralizou o nosso jogo ofensivo. Fomos incapazes de penetrar e criar velocidade pelas alas, e perdemos duelos sucessivos no meio-campo.

Não restam dúvidas que temos um plantel curto e, ainda para mais, com as ausências de Nani, Battaglia, Coates, Montero e até Wendel, tudo se torna muito limitado.

De qualquer das maneiras, o mais preocupante é que depois de boas exibições, não esperava tanta inoperância, tanta lentidão da nossa equipa. A realidade é que não fomos capazes sequer de discutir a vitória em Guimarães, num estádio onde, no ano passado, vencemos por 5-0. Depois de boas exibições consecutivas, foi um autêntico “travão a fundo”. Exibição fraca, quase não construímos oportunidades de golo, quando já éramos o melhor ataque da Liga.

O futebol tem destas coisas. O futebol é o momento. E aqui fica a prova que de uma semana para a outra, tudo muda! Fomos uma “sombra” do que vínhamos a ser na “era” Keizer.

Descemos ao 3º lugar da classificação, agora a 5 pontos do líder.

Resta-nos reagir no imediato, pois ainda falta muito para jogar, muito para lutar, muito para ganhar!

Desporto é Vida! Vive o Desporto com “Respect” e “Fair-Play“!

Termino com votos de Boas Entradas para os leitores do BnH. Bom Ano Novo!

Por: Ricardo Moreira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Em tons de Goleadas

Dezembro 20, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Ricardo Moreira

Bem-haja, caros leitores do BnH!

Jogou-se a 13ª Jornada do Campeonato Nacional e, desta feita, foi uma reviravolta em tons de goleada! Sporting Clube de Portugal 5 – 2 Nacional da Madeira.



Mais um jogo que não começou bem para nós. Meia-hora inicial de domínio da equipa forasteira, que surpreendeu o nosso conjunto, com as suas linhas avançadas e dois golos marcados nos primeiros 25 minutos.

Noutros tempos, parecia logo tudo perdido. Hoje em dia, respira-se confiança! Isso ajuda, e muito, nos momentos mais complicados. Mesmo a perdermos por 0-2 aos 25 minutos, acredito que éramos milhares, confiantes que a reviravolta iria acontecer, mais minuto, menos minuto. Pois nesta fase somos capazes de fazer golos a qualquer momento. Assim foi. Mais uma vez, soubemos dar a volta à adversidade e fazer uma segunda parte avassaladora, concluída com nova goleada. Já somos o melhor ataque da Liga!

Para os oitavos de final da Taça de Portugal, apenas três dias depois, mais uma goleada, precisamente pelos mesmos números! Sporting Clube de Portugal 5-2 Rio Ave.

7 jogos na “era” Keizer, 30 golos marcados, uma média de mais de 4 golos marcados por jogo! Seis goleadas em sete jogos. É obra! Futebol simples, de passe para a frente, extremamente atrativo, na constante procuro do golo. Dá gosto ver este futebol.

Continua de “vento em popa” a nova “era” Keizer!

De repente parece tudo simples e fácil. Não só vencer, não apenas convencer, mas ganhar sempre por muitos, como se não houvesse equipas adversárias, e o resto da temporada fosse uma “avenida, sem lombas, nem curvas”, rasgada à nossa frente. Mas…quem já pensar que será sempre assim, está tremendamente enganado. As adversidades serão imensas e vão surgir constantemente. Temos lacunas. Esta procura constante do golo, com futebol totalmente ofensivo, origina também algumas fragilidades defensivas, bem patentes. Falta, sem dúvida, fazer esse equilíbrio e isso leva o seu tempo.

Não se pode simplesmente esperar que tudo mude, assim num ápice, do 8 para o 80. Apesar de “prematuro”, há algo muito diferente para melhor, neste rejuvenescido Sporting Clube de Portugal, disso não restam dúvidas!

Depois de um final de época “assustador”, continuarmos, jornada após jornada, na luta pelo título (obtendo bons resultados) é meritório, mas até vencermos o que quer que seja, temos muito que lutar, e continuar com todo este Esforço, Dedicação e Devoção, para atingirmos novamente a Glória!

Uma coisa é certa, as notícias da “morte” do Sporting Clube de Portugal, que muitos previram há poucos meses, eram manifestamente exageradas, que felizmente, em tão pouco tempo foram dissipadas.

Concordo plenamente com o nosso novo Presidente Varandas, que deixamos de ser motivo de “chacota”! Realmente, também se pode obter sucesso, mantendo a postura, o bom senso, e o saber estar! O nosso futebol tanto precisa disso, pois a cada dia, mais excesso de programas sobre futebol, onde assistimos a constantes espetáculos degradantes, tudo em prol de audiências e negócios, onde o Desporto, e o Futebol mais concretamente, só sai denegrido e a perder, com tantos “mestres da tática”!

Desporto é Vida! Vive o Desporto com “Respect” e “Fair-Play“!

Termino com os meus votos de Boas Festas Natalícias para os leitores do BnH!

Por: Ricardo Moreira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

1 2 3 9
Ir Para Cima