Tag archive

Violência Doméstica

Quem me ama, trata-me bem!

Fevereiro 14, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Educação, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Tradicionalmente, a 14 de fevereiro celebra-se o dia de S. Valentim, usualmente conhecido como “Dia dos Namorados”. Todavia, todos os anos, milhares de jovens, rapazes e raparigas, são alvo de abusos e violência, fruto de relações excessivas, em que muitas vezes se confunde afeto com propriedade ou supremacia sobre o outro.



Contrariamente ao que é frequente pensar-se, a violência não existe apenas sob a forma de agressão física. Controlar o telemóvel, a forma de vestir ou os amigos com quem se mantém contacto, cerceando a liberdade social e individual de cada um, são outras formas de violência, na forma psicológica e emocional.

A Comissão de Proteção de Crianças e Jovens em Perigo de Barcelos, associando-se a iniciativas de cariz idêntico, como é exemplo o projeto Ser Igual, do GASC, pretende aproveitar esta data para assinalar o problema. Para tal e em colaboração com as Forças de Autoridade – Escola Segura , PSP e GNR, Associações de Estudantes de Escolas Secundárias do Concelho e meios de comunicação social local, Barcelos Popular e Rádio Barcelos, desenvolverá um conjunto de atividades que iniciam a 14 de fevereiro e se desenrolarão até final do mês.

Com esta iniciativa, pretende-se, mormente, ajudar a vencer o estigma e a vergonha no momento da denúncia, empoderando os jovens para que recusem ser vítimas de relações abusivas, assim como divulgar formas de obter ajuda.

Em Barcelos, várias entidades estão disponíveis para receber denúncias, quer em casos de violência no namoro, quer relativamente à violência doméstica, nomeadamente: GASC, SOPRO, GNR e PSP.

E porque o primeiro passo é denunciar, se é vítima, ou se conhece alguém que seja vítima de violência no namoro ou de violência doméstica, denuncie. Pode fazê-lo presencialmente ou por telefone, no Projeto Ser, do GASC – 253 816 196; no Gabinete de Atendimento à Vítima de Violência doméstica, da SOPRO – 965 659 916; ou ainda via PSP – 253 802 570; ou GNR – 253 830 180. Tem ainda disponível a Linha de Emergência Social – 144; ou na CPCJ de Barcelos – 253 822 113.

Lembre-se: “Quem me ama, trata-me bem!”

Por: Equipa da CPCJ Barcelos.

Hoje há concentração em Braga Contra a Violência Doméstica

Maio 14, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

Dezenas de pessoas juntam-se, em Braga, Contra a Violência Doméstica e em homenagem às mulheres assassinadas em Portugal, vítimas de violência género.



Esta concentração é organizada por um grupo de técnicas/os de apoio à vítima de instituições públicas e privadas do distrito de Braga, e vai realizar-se esta segunda-feira, dia 14 de maio, pelas 17h00, numa ação pública de sensibilização sobre a temática da violência doméstica, na Avenida Central em Braga.

Com esta iniciativa pretende-se assinalar os 18 anos da alteração do Código Penal que determinou que a Violência Doméstica passasse a figurar como um crime público, alteração essa que, em 2000, foi aprovada por unanimidade por todos os partidos com assento na Assembleia da República.

A iniciativa, que consistirá numa performance, “pretende, sobretudo, chamar a atenção para uma problemática que todos os anos continua a fazer dezenas de vítimas mortais, dados que serão evocados no evento como forma de salientar os números sangrentos de quase duas décadas deste crime público em Portugal”, salientam os organizadores em nota.

Os técnicos envolvidos nesta iniciativa acabam de concluir o Curso TAV (Técnicos de Apoio às Vítimas), promovido pela UMAR (União de Mulheres Alternativa e Resposta), entidade que há mais de 40 anos iniciou em Portugal uma intervenção pioneira nas áreas do feminismo e da igualdade de género, sendo responsável, nomeadamente, pelo Observatório de Mulheres Assassinadas, cujo trabalho permite a identificação e registo das vítimas de violência doméstica a cada ano em Portugal.

“Porque a maioridade desta Lei sem a consequente diminuição de ocorrências nos torna mais responsáveis a todos/as enquanto cidadãos e cidadãs, saímos à rua neste dia”, terminam.

A organização, como referido, está a cabo de Formandas e Formandos da formação de agentes qualificados/as que atuem no domínio da Violência Doméstica e/ou da prevenção da vitimização ou revitimização desta – Técnicos/as de Apoio à Vítima, desenvolvida no âmbito do projeto “Norteando a Igualdade de Género”, POISE-03-4436-FSE-000363 – Formação de públicos estratégicos, financiado pelo POISE, Portugal 2020 e União Europeia.

Imagem: DR.

 

Ir Para Cima