Tempo de esquecer

Julho 7, 2017 Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião
Joana Martins

 

Solta-te dos medos

Das amarras que te prendem

Das fobias, dos segredos

Dos que não te entendem.

 

É tempo de esquecer

As frustrações que te dominam

Deixa esmorecer

As ilusões que te asfixiam.

 

Deixa de fingir

Vê o que está à tua frente

Não deixes de acreditar e sentir

Que ainda há boa gente.

 

E quando te sentires atada

Presa a um nada, que já nada é

Não te esqueças que és muito amada

E por esses mantém-te de pé.

 

É tempo de esquecer

Quem se esqueceu de ti!

 

Guarda nas lembranças

Quem um dia te fez sorrir

E mantém as esperanças

Que o melhor há-de vir…

 

É tempo de esquecer

Quem se esqueceu de ti!

 

Mas nunca te esqueças de ti!

 

Por: Joana Martins*.

(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade do/a autor/a)



Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima