“Varalhada” para a justiça

Março 15, 2019 Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião
Ricardo Moreira

Bem-haja, caros leitores do BnH!

Jogou-se a 25ª jornada do Campeonato Nacional e vencemos no Bessa, num campo tradicionalmente difícil. Boavista 1- 2 Sporting Clube de Portugal.



Vitória “arrancada a ferros”, já no tempo extra, na sequência de uma grande penalidade assinalada, por presumível toque em Raphinha, num lance onde, para mim, não existe qualquer tipo de falta.

Raramente falo de arbitragens, pois eles são, sem dúvida, o “elo mais fraco”. Erram como qualquer um dos outros intervenientes no jogo. Umas vezes prejudicam-nos, outras beneficiam-nos. Este ano, não é pelas arbitragens que estamos na luta, apenas e só, pelo 3° lugar. Embora considere a arbitragem portuguesa, no cômputo geral, muito fraca. Muito condicionada, por tudo o que os rodeia. Facto este, que faz com que as arbitragens sejam, muitas vezes, caricatas até. O “vídeo-árbitro” é em prol da cor que dá mais jeito, o que, obviamente, não traz o devido aproveitamento para uma arbitragem mais justa!

Neste jogo, esta grande penalidade a nosso favor, para mim, foi, simplesmente, caricata! Aconteceu num momento em que muitos adeptos já não acreditavam no triunfo frente ao Boavista. Mas acho que esta “Varalhada” até trouxe alguma justiça ao resultado final. Fomos a única equipa que tentou e quis vencer o jogo. “Escreveu-se direito por linhas tortas”!

Não consigo compreender é, mantendo-se tanto tempo o 1-1 que já vinha da primeira parte, Keizer só decidiu (enfim) mexer na equipa aos 78m! Não vejo qual a necessidade de não refrescar a equipa mais cedo; ainda para mais, na maior parte das vezes, muitos jogadores já se “arrastam” no campo.

Assim como, segundo consta, a Academia deve ser o nosso futuro, só que voltámos a entrar em campo sem um único jogador da formação! Acontece pela segunda vez em poucas semanas, algo que não se via no nosso Sporting Clube de Portugal desde 2007. Algo não está a bater certo, de todo!

É uma tristeza, além do mais, que no 11 inicial em campo, de verde e branco, apenas existia um Português: Bruno Fernandes (do mal o menos, para mim, o melhor jogador do campeonato). Como se apenas os estrangeiros fossem bons! Ainda por cima, quando estamos, apenas e só, a lutar pelo 3° lugar. Era mais do que altura para aproveitar e apostar em jovens jogadores da nossa Academia! Esta não é a “política” que me habituei a viver no meu Sporting Clube de Portugal.

Compreendo que o final de época passada foi penoso, foi doloroso e continua a ter as suas consequências! Mas já era tempo de reencontrarmos, definitivamente, um rumo. Sabermos o que realmente queremos para o nosso futuro! Neste momento, algo vai mal e muito inconstante no reino do meu Leão!

Desporto é Vida! Viva o Desporto com Respeito e Fair-Play!

Por: Ricardo Moreira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima