Volta a Loulé

Abril 25, 2017 Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião
antonio matias
Professor António Matias

 

Os humilhados serão exaltados:

Na crónica deste mês começo por exaltar as lágrimas do Luís Pereira, quando as dores nas costas não lhe permitiram suportar o esforço dos sucessivos sprints que se disputavam na frente do pelotão. Apetecia-me parar, confortá-lo e ajudá-lo a superar o seu desespero, e com um abraço amigo, abafar o fogo da sua raiva contra o seu corpo dorido que se negou a trabalhar.

Mas a corrida tem que continuar e tivemos que deixar “o nosso menino” na estrada, à espera do, para ele, horroroso carro vassoura, que faz um trabalho importantíssimo, mas onde ele se vai sentir humilhado pelo que esse facto significa: ir para o carro vassoura é desistir e isso nunca está na mente dos grandes guerreiros. A corrida continuou, nunca para. Só o comboio nos pode parar! E isso não aconteceu.

E por falar em comboio, na Volta a Loulé, o nosso TGV Azul começou a mostrar que é uma das equipas mais fortes do pelotão júnior nacional. Prova disso é que trouxemos o troféu da melhor equipa. E só não trouxemos a camisola amarela por erros que foram por nós detetados e tudo faremos para não voltarem a acontecer.

Sprint final de Loulé: duas horas depois, quando se juntou à equipa no hotel, o Luís, que chorou de raiva na estrada, ria às gargalhadas como só ele sabe fazer. Vamos ter saudades tuas Luís, fica bom depressa.




 

 

 

 

 

Taça de Portugal

Poesia “MÃO DE DEUS” (inspirada no Rei Maradona):

E para terminar em beleza         Divinal! Não exagero

Eu vos quero apresentar             Porque só com mão de Deus,

Uma força da natureza                Não diabo eu espero

Com um poder divinal.                O Fábio Costa venceu.

__________________________________

Poesia “VISÃO” (inspirada no Contra-relógio do Pedro)

Eu e o pai do Vieira                     O Pedro Lopes mostrou-nos

Tivemos uma visão                      O que é garra, energia, ardor

Uma visão verdadeira                  Que o Vieira até dizia

De um grande campeão.              Voa! Voa! Meu (con)dor.

Em abril emoções mil

A Taça de Portugal Júnior está ao rubro. Todos querem vencê-la mas nem todos podem. O contra-relógio é a prova da verdade e foi-o mais uma vez na Zambujeira. Se não fosse a mão de Deus outro galo cantaria e o nosso Pedro Lopes seria o líder da Taça de Portugal, mas diz o povo, Voz de Deus, que Ele escreve direito por linhas tortas. Esperemos que o Bom Jesus de Braga (onde se disputará a final no dia 21 de maio) nos ajude a confirmar que “Voz do povo é voz de Deus”.

Mensagem final: Os últimos são os primeiros

– Muito obrigado João Matias por nos fazeres sonhar, por ousares acreditar, por nos fazeres sentir que o sonho comanda a vida. Nunca esqueceremos o que fizeste em Hong-Kong.

– Força José Gonçalves! Acredita José Gonçalves! Sonha José Gonçalves! Nós sonhamos, nós acreditamos em ti. Nós estaremos contigo em cada pedalada tua no Giro de Itália.

Por: Professor António Matias*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do/a autor/a)

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima