Arquivo Mensal

Setembro 2018 - page 2

Barcelenses em destaque no Grande Trail Serra D’Arga 2018

Atualidade/Concelho/Desporto/Mundo port

2500 atletas na maior Festa do Trail Running Nacional

Nos últimos oito anos, todos os finais de setembro, a “Grande Festa” de Trail Running ruma ao Alto Minho e tem a Serra d’Arga como palco principal. Comprovando que este evento é muito mais do que uma prova desportiva, é a celebração da família do trail, um encontro de amigos em comunhão com a Natureza, é momento de superação pessoal e transposição de limites.



A Serra d’Arga tem um território com 4500 hectares e faz parte do maciço montanhoso da Peneda-Gerês. Também conhecida por Montanha Sagrada, devido aos seus trilhos seculares, esconde em si vários quilómetros de calçadas romanas que ligam as populações, de aldeia em aldeia, tornando-a num local único e mágico. Aqui, há um microclima próprio. Não temos em Portugal outra serra com tamanha altitude encostada ao Atlântico. Apenas dez quilómetros separam o mar dos 825m de altitude máxima desta serra na zona Norte de Portugal, onde os ventos fortes arrastam a massa de ar húmido do Atlântico que dá vida a este local.

A edição de 2018 realizou-se de 21 a 23 de setembro e trouxe, uma vez mais, novidades para os seus participantes. A inclusão da vizinha Galiza no projeto Grande Trail Serra d’Arga (GTSA) é uma delas. O rio Minho e o Monte de Santa Tecla foram palco da prova Sunset 13km na sexta-feira e a do GTSA Aventura 80km ao romper do dia de sábado. Com partida às 6h00 no centro de Caminha, os atletas dos 80 quilómetros seguiram para a travessia do rio Minho em kayak, subiram ao Monte de Santa Tecla, regressando para a mata do Camarido com nova travessia a pares em kayak. Subiram ao Monte de Santo Antão, depois ao Monte da Sra. das Neves e entraram em Dem. Aqui, o percurso passou a ser coincidente com o do GTSA 53km, correndo os participantes dos 80 quilómetros em conjunto com os da versão de 53 quilómetros. Um grande desafio que uniu a volta completa à Serra d’Arga, com Caminha e La Guarda, Galiza. Esta nova aventura de 80 quilómetros foi ganha pelos barcelenses João Rodrigues (10h14m13s) e Mariana Ballester (14h30m51s).

O GTSA KM Vertical aconteceu também no sábado, dia 22, às 10h30, em Estorãos, permitindo assim que os seus participantes vissem a partida do GTSA 53km em Dem e se deslocassem, depois, para a partida. Com a partida do GTSA 53km às 9h00 e do KM Vertical às 10h30, houve uma grande massa humana e uma grande festa no alto da Senhora do Minho.

Os vencedores da prova rainha do evento, os 53 quilómetros, foram Hélio Fumo, da equipa Runners do Demo/Compressport, com 05h22m44s e Sofia Roquete do AMCF-Arrábida Trail Team com 06h51m35s.

No domingo, dia 24 de setembro, decorreram, em simultâneo, três provas competitivas: o Trail Longo, com 33km e 21km, e o Trail Curto com 14km. Teve ainda lugar uma caminhada de 7km. Todas as provas foram circulares, com partida e chegada em S. Lourenço da Montaria, no Município de Viana do Castelo.

Esta edição contou com nove provas de vários níveis de dificuldade e para todas as idades e perfis: Sunset Trail 13km, GTSA Aventura 80km, GTSA Ultra Trail 53Km, KM Vertical, Trail Longo 33Km, Trail longo 21Km, Trail Curto 14Km, Caminhada 7Km e Trail Jovem.

Nesta edição estiveram presentes cerca de 2500 atletas, oriundos de vinte e quatro países diferentes, com destaque para Espanha, França, Cabo Verde e Portugal. Apesar de forte contingente de atletas internacionais, a 8ª edição do Grande Trail Serra d’Arga foi dominada por atletas portugueses na prova rainha, tanto na vertente masculina como feminina.

O Grande Trail da Serra D´Arga é organizado pela Carlos Sá Nature Events® com o apoio e colaboração das Câmaras Municipais de Caminha, Viana do Castelo, Ponte de Lima e La Guarda; Juntas de Freguesias de Dem, São Lourenço da Montaria, Estorãos, Arga S. João, Arga de Cima e Arga de Baixo. Foram, ainda, parceiros desta edição a Impetus, Berg Outdoor, 4moove, Ecomobile rent-a-car, Milaneza, Chocolates Avianense e Águas do Fastio.

A Grande Festa do Trail Nacional já tem data marcada para o próximo ano. A rumaria à Serra d’Arga será de 20 a 22 de setembro de 2019.

Fonte: GTSA.

Fotos: DR / Susana Luzir e Miguel Ferreira.

João Almeida, da ACR Roriz, triunfa na Taça da Madeira de Ciclismo

Atualidade/Concelho/Desporto/Mundo port

No passado dia 8 de setembro, a ilha da Madeira foi o palco para a última etapa da Taça da Madeira de Ciclismo de Estrada, organizada pela Associação de Ciclismo da Madeira.



O atleta da ACR RORIZ SEISSA | KTM-BIKESEVEN | MATIAS&ARAÚJO | FRULACT, João Almeida, vou o grande vencedor da prova, na categoria de Cadetes.

Foto: DR.

Chega de confiar na sorte

Atualidade/Concelho/Desporto/Mundo/Opinião port
Vítor Sá Pereira

Olá, caríssimos leitores!

Estamos de regresso às competições depois da “secante” paragem para seleções e taça dos “seguros”!

Comecemos por aí. Continua sendo tradição a dificuldade do FCP na Taça da Liga! Frente ao Chaves, a nossa equipa apresentou um onze forte, mesmo com algumas alterações e, mais uma vez não, consegue segurar uma vantagem até final!



Depois seguiu-se a Liga dos Campeões, onde o adversário estava perfeitamente ao alcance de trazer os 3 pontos e mais alguns milhões, que tanta falta fazem aos cofres do nosso clube. Demo-nos ao luxo de falhar um penalty e só marcámos com outra penalidade “caída do céu”! A exibição foi estranha e o resultado menos mau. O melhor desta jornada foi o regresso a um estádio onde escrevemos uma das mais bonitas páginas da nossa historia (2004) e, também, a marca de Casillas na Champions.

A confirmação do nosso momento exibicional menos bom foi o jogo em Setúbal. O resultado foi ótimo e importante, mas o Setúbal esteve muito tempo por cima de nós e perto de empatar. Espero que isto mude e já chega de confiar na sorte!

Venha o Tondela e que a equipa vença com qualidade e critério. É um jogo importante pois antecede a visita ao nosso “salão de festas”.

Para terminar, achei estranho Augusto Baganha (ex-presidente do IPDJ) dizer que recebeu pressões para ajudar o Benfica e também o facto de Luisão terminar a carreira à 5a jornada! Será que foi para desviar atenções de Paulo Gonçalves??!…LOL…Parabéns ao Luisão pelo profissionalismo, dedicação e longevidade no clube dos “processos”. Coisa rara!

Até à próxima…e desculpem, mais uma vez, qualquer “sinceridadezinha”!

Por: Vítor Sá Pereira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

The king is dead. Long live the king.

Atualidade/Concelho/Desporto/Mundo/Opinião port
Hugo Pinto

De volta às crónicas semanais do nosso Glorioso, esta semana começo pela retirada do nosso capitão, que abandona os relvados aos 37 anos de idade.



Ainda me lembro da sua chegada ao Benfica. Jovem, de 23 anos, titular da seleção de sub-23 do Brasil, foi imensamente criticado. Alto, tosco, rachão, cepo, foram alguns dos adjetivos com que foi brindado na altura. De facto, os seus 192 cm de altura não fazem dele o jogador mais ágil do mundo. Mas foi mostrando outros atributos. Normalmente, bem posicionado, foi mostrando uma fabulosa clarividência na leitura de jogo e, não raramente, soube impor o seu poderio físico para levar a melhor sobre os adversários. A sua altura, certamente, uma mais-valia.

Muitos centrais passaram pelo Benfica e jogaram a seu lado. Muitos e bons. Veja-se os casos de David Luiz e Garay, entre outros. Todos eles chegavam e partiam. Mas o nosso capitão permanecia. Como alguém disse um dia, foram 15 anos a vender centrais (parceiros, na defesa). De certa forma, porque todos brilharam mais, porque lá estava o vozeirão tão característico do capitão, a marcar o ritmo, a inspirar confiança.

Por isso, ontem, apesar da bonita cerimónia, ficou um sentimento de que faltou algo. E faltou. Ainda me lembro, em miúdo, da despedida do (infame) Michel Platini. Grande vedeta da altura, ídolo no seu país e no mundo. Substituído a minutos do fim da partida pelo próprio filho.  Ou mais recentemente, Rui Costa, aclamado e retirado de campo em braços. Todos eles abandonaram a arena como guerreiros, num jogo, num estádio cheio e num momento de apoteótica gratidão. E para Luisão, o guerreiro entre guerreiros,…uma cerimónia de “bate palmas”, com a família, amigos e staff do clube. Que tão pouco, meus senhores. Que avareza de gratidão, senhores diretores do SLB. Quanta insensibilidade, Zé Colmeia…Merecia mais. E melhor. Mas não. Foi antes: The king is dead. Long live the (new) king. Quem sabe, irão emendar a mão, ainda…Até ver.

Quanto ao último jogo, mais uma vitória. Um Benfica em crescendo de forma, facilmente venceu o Aves por 2-0. O jogo já é mais agradável de acompanhar e já se vislumbram lances de bom futebol. Muito graças a talentos como o de João Félix, que pratica um futebol de poeta. Mas não um rimador qualquer, saudosista e fatalista. Mais um Fernando Pessoa, escrevendo A Mensagem, anunciando o Império e o temerário Dom João II.  Azar dos azares (que o Glorioso, de vez em quando, bem precisa de ir ao Nhaga) antes do final do encontro este miúdo maravilha lesiona-se. Vai notar-se a tua ausência, João. Rápidas melhoras. Tu mereces e nós precisamos.

Ainda assim, continuo a registar que as vitórias surgem muito mais da qualidade individual dos jogadores, do que fruto de um ataque bem organizado, não indolente e não perdulário fruto de todo o movimento ofensivo, como seria desejável. E talvez dessa forma, se aproveitassem mais as quase incontáveis oportunidades que se criam ao longo de todo o jogo, talvez fossem 4 ou 5 golos, em vez de apenas 2.

Mas como diz o tio do outro: nunca pior!

E viva o Glorioso!

Por: Hugo Pinto*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Venceu quem marcou

Atualidade/Concelho/Desporto/Mundo/Opinião port
Ricardo Moreira

Bem-haja, caros leitores do BnH!

Jogou-se a 5ª jornada da Liga e, tal como no ano passado, repetimos, na Pedreira, o mesmo resultado negativo, pelos mesmos números: SC Braga 1-0 Sporting Clube de Portugal.

O Sporting não foi feliz e perdemos um jogo que até podíamos ter ganho (na minha opinião venceu quem marcou), mas isso não nos inibe de reconhecer deficiências, no nosso “teste” mais duro até ao momento, e reconhecer que há muito trabalho pela frente, que tem de ser feito, para se verificar necessárias melhorias no jogo da nossa equipa.



Foi a nossa primeira derrota no campeonato, “chumbámos” no nosso primeiro exame a sério! Obviamente que na maioria das opiniões futebolísticas, tudo muda do dia para a noite. Por vezes, basta uma derrota para se criticar tudo e todos, e se passar de bestial a besta.

Quem não gostava de terminar o campeonato com todos os jogos contados por vitórias? Seria inédito, mas sabemos que isso não acontece e o campeonato é uma prova de regularidade.

É um facto que, depois desta primeira derrota, já li e reli, que afinal não temos equipa para ser candidatos a nada. Que o mister Peseiro não tem capacidade para nos levar à conquista de títulos. Quando, até agora, estava a fazer um bom trabalho, conseguindo “colocar-nos” no “mapa restrito” dos candidatos ao título, quando no início do campeonato nada o fazia prever.

Sinceramente, continuo a achar que estamos a fazer um bom início de campeonato, depois de todas as dificuldades que o final da época passado nos colocou “às costas”. Claro está, os adeptos querem esquecer tudo muito rápido e, por muito que nos custe, não podemos, nem conseguimos, esquecer do dia para a noite que “carregamos um enorme fardo às costas”, vindo do traumático final de época passada. Sim, traumático, e talvez o exemplo mais evidente disso, é que o jogador considerado o mais valioso da época passada: Bruno Fernandes, neste momento é talvez o jogador, neste início de campeonato, mais aquém do seu real valor. Por muito que nos custe, tudo leva o seu tempo a ser ultrapassado. E tudo tem de ter um fio condutor. E se dependesse de mim, jamais um jogador que rescindiu e depois achou por bem voltar atrás (isso até aceito devido aos factos e fundamentos ocorridos) seria um dos capitães de equipa.

O caminho faz-se caminhando! Haverá sempre percalços num campeonato tão longo. Por isso, acredito que não será uma derrota em Braga que nos irá afastar do bom caminho que está, novamente, a ser traçado.

Desporto é Vida! Vive o Desporto com “Respect” e “Fair-Play“!

Por: Ricardo Moreira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

“Pai Zé” com uma vida dedicada ao Basquete de Barcelos

Atualidade/Concelho/Desporto port

A figura de destaque do Basquete Clube de Barcelos (BCB) que hoje lhe mostramos é o coordenador Zé Luís, ou como é, carinhosamente, apelidado pelos atletas, o “Pai Zé”.



Nasceu para a modalidade no BCB, ou seja, a sua formação foi feita no clube barcelense. Passou por outros clubes, nos últimos 5 anos, como o GDAS ou o Viana, mas acabou por voltar onde pertence, ao BCB.

No primeiro ano da volta, foi responsável pela equipa sénior masculina e pelos Sub-12. No segundo ano, foi jogador sénior e treinador do minibasquete e dos Sub-16 masculinos.

O seu percurso foi sempre feito em crescimento e dedicação. Nesta nova época que se avizinha foi-lhe confiada, juntamente com Vítor Costa, a coordenação técnica do clube.

Em notícias anteriores, vários foram os atletas que se nomearam Zé Luís como uma referência para eles. No entanto, desengane-se quem julga que é uma pessoa permissiva. Zé Luís tem um nível de exigência máximo, com os atletas dos 4 anos até aos seniores. Grita, obriga a repetir vezes sem conta até ser a técnica correta. Isto durante o treino. Fora de campo, ouve, sorri e está no apoio emocional a cada um do clube. Talvez por isso, seja o “Pai Zé” de que toda a gente tem orgulho.

Foto: BCB.

Design em exposição no Museu de Olaria a partir de 29 de setembro

Atualidade/Concelho/Cultura/Mundo port

O design como reinvenção da olaria

A Câmara Municipal de Barcelos inaugura no próximo sábado, 29 de setembro, na Sala da Capela do Museu de Olaria, a exposição do designer e criativo André Teoman, intitulada “Tesouros de Barro”, que estará patente até 31 de dezembro.

As peças em barro incluídas nesta exposição retratam pequenas histórias de caça ao tesouro, mapas misteriosos que saem de dentro de garrafas de cor verde, palas dos piratas a tapar-lhes o olho, a perna de pau, imagens fortemente ligadas ao imaginário infantil.



O barro é um tesouro escondido, revelador de riqueza e identidade cultural e evidencia uma tradição em extinção, a técnica de olaria ancestral.

Teoman homenageia também o conhecimento e habilidade dos oleiros de Barcelos e alia, por isso, a técnica da roda com o figurado, pouco comum na atividade de olaria.

Os objetos são importantes na medida em que são fontes de memórias, de associações, de interrelações, além da utilidade e aparência, tidas como prioritárias. Muitas vezes tornam-se tesouros, porque a eles estão associados momentos únicos de felicidade, sentimentos especiais, pequenas histórias.

No mesmo dia, os alunos do Mestrado em Design e Desenvolvimento do Produto da Escola Superior de Design do IPCA expõem peças de cerâmica utilitária baseada na herança cultural da olaria regional (barros vermelho e preto) da sub-região do Cávado, no átrio da Sala da Capela do Museu de Olaria.

A exposição tem como objetivo demonstrar o potencial do design como catalisador para o reconhecimento do legado regional (humano, técnico e cultural) e acrescento de valor através de novas abordagens.

Imagem: CMB.

IPCA com 3ª fase de candidaturas de acesso aos Cursos Técnicos Superiores Profissionais aberta

Atualidade/Concelho/Educação/Mundo port

O Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) tem aberta a 3ª fase de Candidaturas aos Cursos Técnicos Superiores Profissionais 2018/2019, que decorre de 26 a 28 de setembro.



As vagas disponíveis são 34 vagas para o presente ano letivo em três cursos a funcionar no Polo de Guimarães (AVE PARK) e em Vila Nova de Famalicão (CITEVE). Pela primeira vez em Vila Nova de Famalicão, o IPCA vai lecionar os CTeSP´s nas instalações do CITEVE e dispõe de 7 vagas no curso de Design de Moda e 17 vagas no curso de Exportação e Logística.

Em Guimarães, localizado no AVE PARK o IPCA tem 10 vagas disponíveis para o CTeSP em Design de Calçado.

Até dia 28 de setembro, os candidatos que tenham já concorrido à 1ª e 2ª fase de candidaturas e pretendam concorrer a esta 3ª fase, têm apenas de enviar um mail para o endereço tesp@ipca.pt e indicar o número de candidatura e o curso escolhido, sendo admissível uma única opção.

Para os candidatos que concorram pela 1ª vez a candidatura é realizada exclusivamente online em https://www.siga.ipca.pt/cssnet/ mediante o pagamento de uma taxa de candidatura no valor de € 25 (vinte e cinco euros).

Os Cursos TeSP´s são um novo tipo de formação superior, com a duração de dois anos que incluem seis meses de estágio numa empresa. Estes cursos conferem o Diploma de Técnico Superior Profissional e é um curso de Nível 5 do Quadro Nacional de Qualificações.

Foto: IPCA.

Município de Barcelos aposta em aplicação digital para promover património

Atualidade/Concelho/Cultura/Mundo/Política port

Framie sugere aos seus utilizadores três rotas temáticas

Com o objetivo de promover e dinamizar o património natural, cultural e artístico de Barcelos, a Câmara Municipal de Barcelos criou, através da aplicação digital Framie – Coleciona o Mundo, três rotas temáticas que permitem aos seus utilizadores descobrirem de forma ativa e divertida o melhor que o concelho tem para oferecer.



A Framie é uma aplicação mobile, para já disponível apenas para iOS, que visa a criação de uma rede de coleções fotográficas temáticas que as pessoas completam com os seus próprios registos.

A ‘app’ funciona da seguinte forma: o utilizador procura no portefólio da Framie uma coleção de que goste e adiciona ao seu portefólio pessoal; depois, o desafio é encontrar cada um dos itens da coleção e tirar a fotografia que corresponde à moldura; feitas todas as correspondências a coleção fica completa.

Além da componente de jogo, a Framie tem uma componente social, permitindo seguir outros utilizadores e ver as suas coleções.

As três rotas temáticas criadas para melhor conhecer o concelho são “Monumentos de Barcelos”, “Experienciar Barcelos” (que inclui a Rota da Olaria e Rota do Figurado) e “Património Natural de Barcelos”.

Os utilizadores da aplicação serão, assim, guiados pelos pontos de interesse determinados em cada rota, construindo no seu telemóvel uma coleção digital as suas próprias fotografias, podendo partilhá-las nas suas redes sociais.

A aplicação Framie – Coleciona o Mundo foi desenvolvida por estudantes da Universidade do Porto, incluindo barcelenses, tendo sido distinguida como melhor projeto na área “ICT & Services” 2017 em Portugal e disputou o prémio de melhor startup universitária do mundo em Copenhaga.

Barcelos assinala Dia Mundial do Turismo

O marketing digital é o tema da ação de formação que irá decorrer hoje, pelas 14h30, no Posto de Turismo de Barcelos. Realizado no âmbito do Dia Mundial do Turismo, o workshop visa dotar os profissionais de competências no domínio do marketing digital, de forma a alertar para a necessidade de um posicionamento nesta área, sendo que este é um dos maiores fatores de competitividade estratégica na ação operacional destes profissionais.

O Dia Mundial do Turismo contemplou, ainda, da parte da manhã, um percurso pedestre pelo Caminho de Santiago, descida do Rio Cávado em canoa (entre Barcelos e Esposende), visita guiada à feira de Barcelos e workshop de pintura de galos.

Fonte e imagens: CMB.

Nuno Maia, da ACR Roriz, termina “Rota da Vitela” em 11º lugar

Atualidade/Concelho/Desporto/Mundo port

O concelho de Fafe recebeu, no passado dia 16 de setembro, a última etapa do Campeonato do Minho de BTT-XCM – AFA Cycles.



A “Rota da Vitela” foi organizada pelo Clube de Ciclismo – Fafe a Pedalar, em parceria com a Associação de Ciclismo do Minho, e foi disputada em trilhos do referido concelho, começando e terminando no centro da cidade. A partida deu-se por volta das 10h00, tendo o percurso da Maratona a extensão de 70km e do passeio 40km.

Um dos participantes foi Nuno Maia, da ACR RORIZ SEISSA | KTM-BIKESEVEN | MATIAS&ARAÚJO | FRULACT, que conseguiu terminar no 11º posto na categoria de Master 35.

Foto: DR.

Ir Para Cima