Arquivo Mensal

Dezembro 2019 - page 12

PSD Barcelos critica Câmara em relação à captação de Fundos Comunitários

Atualidade/Concelho/Mundo/Política Por

Em comunicado datado de 01 de dezembro e assinado pelo Presidente da Comissão Política, José Novais, o PSD Barcelos criticou a Câmara Municipal de Barcelos pelo baixo nível de financiamento captado de Fundos Europeus, colocando-se “ao nível dos Concelhos médios e muito abaixo do que é conseguido pelos Concelhos grandes”, contrariamente aos projetos aprovados para apoio empresarial, com Barcelos em 3º lugar.



Segue o comunicado na íntegra:

«Empresários Barcelenses à frente da Câmara na captação de Fundos Comunitários

O NORTE 2020 publicou os valores de PROJETOS APROVADOS para apoio ao INVESTIMENTO MUNICIPAL nos 86 Municípios da CCDRN, apoiados por Fundos Comunitários, contabilizados até à data de 31 de outubro 2019.

O PSD de Barcelos lamenta a posição modesta da Câmara de Barcelos no ranking dos financiamentos aos diversos Municípios, porque está ao nível dos Concelhos médios e muito abaixo do que é conseguido pelos Concelhos grandes.

1 – Porto – 22 projetos – 40.182.815,12€

2 – Gaia – 38 – 35.550.172,21

3 – Matosinhos – 52 – 27.343.956,29

4 – Braga – 21 – 23.696.514,03

5 – Maia – 41 – 18.827.577,95

6 – Bragança – 24 – 17.548.325,17

7 – Chaves – 46 – 17.364.477,58

8 – Viana Castelo – 32 – 16.633.654,67

9 – Famalicão – 22 – 16.486.386,95

10 – Valongo – 25 – 15.775.845,56

11 – Gondomar – 47 – 11.611.034,02

12 – Barcelos – 21- 10.854.943,64

13 – Povoa Varzim – 21 – 10.695.710,68

14 – Guimarães – 20 – 10.104.081,18

15 – Espinho – 12 – 9.215.296,41

16 – Mirandela – 13 – 8.539.737,16

17 – Amarante – 16 – 8.206.813,51

18 – Santo Tirso – 32 – 7.807.219,10

19 – Feira – 14 – 7.690.696,12

20 – Fafe – 16 – 7.610.538,55

21 – Ponte de Lima – 19 – 7.305.674,77

22 – Arcos Valdevez – 12 – 7.087.128,99

Em posição contrária estão os “PROJETOS APROVADOS para apoio ao INVESTIMENTO EMPRESARIAL”, da iniciativa das Empresas.

1 – PORTO – 547 – projetos 56.882.847,50€

2 – GUIMARÃES – 381 – 55.002.939,38

3 – BARCELOS – 252 – 40.195.052,41

4 – Braga – 329 – 39.195.874,60

5 – Oliveira Azeméis – 179 – 38.604.395,21

6 – Gaia – 304 – 38.006.711,20

7 – Maia – 252 – 34.813.061,65

8 – Famalicão – 257 – 33.024.632,86

9 – Feira – 213 – 29.457.724,12

10 – Paredes – 185 – 28.238.153,13

Os apoios ao investimento municipal destinam-se à “construção ou modernização de infraestruturas coletivas, de que são exemplo as escolas, a promoção do património cultural e natural, a aposta em eficiência energética, a promoção das TIC nos serviços públicos, bem como da reabilitação e mobilidade urbanas”.

“No contexto do sistema de incentivos às micro e pequenas empresas com investimentos na região, o NORTE 2020 apoia projetos de qualificação ou internacionalização, inovação e I&DT. Acresce, ainda, o estímulo ao microempreendedorismo previsto no SI2E – Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego”.

Durante 10anos o Presidente da Câmara e os executivos PS não estiveram à altura dos Empresários Barcelenses, para desenvolver estratégias de aproveitamento dos Fundos Comunitários para desenvolver Barcelos!

A Câmara de Barcelos distingue-se pela inoperância, incompetência, desleixo e negligência, prisioneira da estratégia de interesse pessoal do Presidente da Câmara, do executivo e do PS, não coloca o superior interesse do nosso concelho em primeiro lugar e Barcelos continua a ficar para trás face aos grandes concelhos!

Barcelos 1 de dezembro de 2019.»

Festival Palco de Terra encerra com atribuição de prémio anual

Atualidade/Concelho/Cultura/Mundo Por

Decorreu em Barcelos, mais concretamente em Balugães, mais um Palco de Terra, festival de teatro organizado pela companhia local, o Teatro de Balugas.



De 23 de novembro a 1 de dezembro, vindo da Galiza, do Minho e de Trás-os-Montes, o teatro montou palco nesta terra do Minho. O diretor do Festival, Cândido Sobreiro, afirmou que “esta edição evidenciou que o festival se tornou num dos mais importantes eventos do teatro amador no Minho, quer pela diversidade e qualidade dos trabalhados apresentados, quer pela importância da atribuição do prémio anual” .

O teatro de revista “Braga por um Canudo”, com texto de Mário Mendes e adaptação de Fernando Pinheiro, foi apresentado pelo Grupo Cénico de Arentim e abriu a programação. O segundo dia do festival pertenceu à companhia galega Teatro Afeccionado San Fins de Rebordans, que levou à cena a peça “Bar Manolo”, um texto de Jean-Pierre Martínez. O festival continuou com o Grupo de Teatro Fórum Boticas e uma das clássicas comédias gregas “Lisístrata ou a greve do sexo”, adaptado da obra de Aristófanes.

No passado domingo, o certame fechou com a atribuição do prémio PALCO DE TERRA que distinguiu, na categoria Personalidade, o encenador e ator Dantas Lima pelo trabalho desenvolvido ao longo de mais de 40 anos de teatro no Minho e, na categoria Instituição, o Núcleo Promotor do Auto da Floripes 5 de Agosto pelo trabalho desenvolvido na preservação, valorização e promoção da relíquia do teatro popular português, o Auto da Floripes.

O prémio anual PALCO DE TERRA foi instituído para reconhecer e agradecer o trabalho e o esforço de pessoas e instituições no âmbito do teatro realizado no meio rural e da criação artística sobre o Minho.

Foto: TB.

Barcelense José Faria em quinto lugar nos 300km da ALUT – Algarviana Ultra Trail

Atualidade/Concelho/Desporto/Mundo Por

Na prova mais longa de Portugal, o atleta cumpriu o exigente desafio em 47h16m

Foram 95 atletas – 86 homens e 9 mulheres – de 8 nacionalidades (Portugal, Espanha, Brasil, França, Escócia, Inglaterra, Polónia e Uruguai) que iniciaram, na passada quinta-feira, 28 de novembro, pelas 16h30, o desafio que os levaria de Alcoutim ao Cabo de São Vicente, em Sagres, pela Via Algarviana. Sendo as 72 horas o tempo limite para a conclusão da prova.



José Faria, atleta da VELHA GUARDA, apoiado pela ARCH MAX, participou pela segunda vez nesta prova. O barcelense de 33 anos é uma referência entre os amantes de longas distâncias, sendo conhecido pela sua regularidade, resistência e amplo currículo.

Recentemente, conquistou o 8º lugar nos 100km do Trail Amigos da Montanha e o 4º lugar nos 85km do Ecotrail Funchal-Madeira.

Paul Giblin, do Reino Unido, venceu esta terceira edição da ALUT. O atleta da COMPRESSPORT completou os 300 km da prova em 38h06m, batendo o recorde da prova, que pertencia ao, até agora, único vencedor, João Oliveira, com a marca de 41h40m.

Patrícia de Carvalho foi a grande vencedora feminina do ALUT, tendo terminado os 300km em 64h47min, nesta que foi a sua terceira participação na prova.

O igualmente barcelense Sérgio Matos também completou este longo desafio, tendo cruzado a meta após 68h46m de prova.

Foto: DR.

Casa do Menino Deus e Amar 21 comemoram Dia Internacional da Pessoa com Deficiência

Atualidade/Concelho/Cultura/Educação Por

Entre hoje e amanhã, no âmbito da comemoração do Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, a Casa do Menino Deus tem, na sua instituição, a presença da Associação AMAR 21.



Têm à venda alguns biscoitos e agendas para o ano de 2020, como forma de colaborarem com esta Associação.

Imagem: CMD.

ACEGE Minho organiza jantar debate sobre “A Inteligência artificial e trabalho futuro”

Atualidade/Concelho/Cultura/Mundo Por

Evento terá lugar no restaurante “Os Mouros”, em Arcozelo

No próximo dia 06 de dezembro, pelas 19h30, terá lugar um jantar debate dedicado ao tema “A inteligência artificial e trabalho futuro”, organizado pela ACEGE – Associação Cristã de Empresários e Gestores do Minho.



O jantar contará com a participação de Pedro Arezes, Presidente da Escola de Engenharia da Universidade do Minho, e de D. Jorge Ortiga, Arcebispo de Braga.

As inscrições podem ser efetuadas através de www.acegebraga.pt ou 966 779 644.

Imagem: ACEGE.

Gil Vicente derrota Sporting por 3-1

Atualidade/Concelho/Desporto/Mundo Por

O Estádio Cidade de Barcelos recebeu mais um grande jogo, com o Gil Vicente FC a receber o Sporting CP, em jogo a contar para a 12ª jornada.



Sob arbitragem de Hugo Miguel (AF Lisboa), coadjuvado por Bruno Jesus e Ricardo Santos, sendo Dinis Gorjão (AF Setúbal) o 4º árbitro, o jogo contou com os seguintes alinhamentos de equipas:

Gil Vicente – Denis, Henrique Gomes, Rúben Fernandes, Ygor Nogueira, Fernando Fonseca, Kraev, Soares, Claude Gonçalves, Arthur Henrique (Lourency, INT), Baraye (João Afonso, 86’) e Sandro Lima (Naidji, 73’). No banco ficaram Wellington, Romário Baldé, Leonardo e Edwin Vente.

Sporting – Luís Maximiano, Rosier, Tiago Ilori (Eduardo, 83’), Mathieu, Acuña, Doumbia, Wendel (Bolasie, 68’=, Bruno Fernandes, Vietto, Luiz Phellype e Jesé Rodríguez (Rafael Camacho, 76’). No banco ficaram Diogo Sousa, Luís Neto, Borja, e Miguel Luís.

Os gilistas marcaram primeiro, por Kraev. Bola metida na esquerda, Ilori parecia ter o lance controlado, mas perde a bola. O Gil Vicente entra na área, onde o internacional búlgaro aparece sozinho e a não falhar. O Sporting empatou aos 49 minutos da primeira parte, com Bruno Fernandes a lançar uma bola longa para as costas da defesa gilista, com Wendel a ser mais rápido, a isolar-se e a empatar o jogo a 1 bola, resultado com que se saiu para o intervalo.

Na segunda parte, foi o Gil Vicente a marcar de novo, com Sandro Lima a converter uma grande penalidade aos 55’. Com as várias paragens, o árbitro deu imenso tempo de compensação e quando se esperava que os sportinguistas ainda conseguissem empatar, aos 99 minutos de jogo, o internacional argelino Naidji “matou” o jogo e fechou o marcador em 3-1 para o Gil Vicente FC. Bola recuperada ainda na defesa gilista, com Naidji a galgar terreno, ninguém a sair-lhe ao caminho, a olhar para os lados e num último assomo, a driblar dois defensores e a não perdoar.

O próximo jogo gilista é em Vila do Conde, frente ao Rio Ave FC, no dia 09 de dezembro, segunda-feira, pelas 20h15.

1 10 11 12
Ir Para Cima