Arquivo Mensal

Maio 2021

Câmara de Barcelos diz que acionista minoritário inviabilizou “acordo da água”

Atualidade/Concelho/Política Por

A Câmara de Barcelos anunciou hoje que o acionista minoritário da Águas de Barcelos (AdB) se recusou a assinar o contrato prometido em 19 de maio de 2017 para cessão da sua participação a favor do município.

Em comunicado, a autarquia acrescenta que, perante o “incumprimento verificado, vai ponderar todas as medidas a adotar, no sentido de preservar o superior interesse de Barcelos e dos barcelenses”.

“Na presença do notário, Gaspar Borges e a empresa ABB recusaram-se a assinar o referido documento com a argumentação de que não concordavam com a minuta, que o prazo estava passado e a falta do visto do Tribunal de Contas”, descreveu.

Diz ainda que os demais intervenientes no acordo estiveram presentes no ato para o assinarem, “só não o tendo feito porque era condição contratual prévia a transmissão das ações por parte da ABB e de Gaspar Borges”.

A ABB é detentora de 25 por cento da AdB, a empresa concessionária da água e saneamento de Barcelos.

A Câmara de Barcelos aprovou, em 2017, a aquisição de 49% da concessão, um negócio passaria pela aquisição dos 25% detidos pela ABB e de 24% da participação do acionista maioritário.

Segundo a Câmara, o contrato assinado em 2017 “foi sendo aditado na sua vigência através de sucessivas prorrogações, uma vez que se estava a aguardar a aprovação do reequilíbrio económico e financeiro por parte do sindicato bancário da concessionária”.

A Assembleia Municipal de Barcelos já tinha aprovado o financiamento bancário municipal para a concretização desta operação.

A água e o saneamento de Barcelos foram concessionados, em 2005 e por 30 anos, à AdB, então constituída pela Somague Ambiente (75% do capital) e pela construtora ABB (25%).

Em 2010, e porque os consumos previstos no contrato de concessão nunca foram alcançados, a AdB requereu a constituição do tribunal arbitral, com vista à reposição de equilíbrio económico-financeiro da concessão, resultando daí a condenação do município no pagamento de 172 milhões de euros, até 2035.

Uma condenação que, com juros e segundo a Câmara, poderia já ascender a mais de 217 milhões de euros.

Face a essa situação, a Câmara diz ter conseguido um acordo extrajudicial para adquirir 49% da AdB, livrando-se daquela condenação.

Fonte: Lusa

Inaugurado Relvado Sintético do Clube de Futebol ‘Os Ceramistas’

Atualidade/Concelho/Desporto Por

No passado sábado, dia 29 de maio de 2021, foi inaugurado o relvado sintético no campo de futebol 1º de Janeiro, na freguesia de Galegos São Martinho, em Barcelos.

O presidente do clube, Jorge Alvarenga, destacou a ajuda mútua e a união como elementos essenciais na concretização deste “projeto de sonho”, manifestando um “grande orgulho”. Salientou, ainda, o bom ambiente diretivo e agradeceu o apoio da família, expressando as dificuldades existentes na gestão entre a vida privada e a vertente desportiva.

A cerimónia iniciou-se com a bênção do campo pelo pároco da freguesia, José Araújo. Seguiu-se o discurso do presidente da Junta, Fernando Pinto, que realçou a “extensão imensa de obras” que realizou com o auxílio da Câmara Municipal.

Na inauguração estiveram presentes o presidente da Câmara Miguel Costa Gomes, o presidente da Assembleia Municipal, Horácio Barra, e o presidente da Assembleia da Freguesia, Fernando Loureiro. Participaram, igualmente, a direção do clube, ex-presidentes da associação, jogadores dos escalões de formação (escolinhas, infantis, juvenis e juniores) e seniores e respetivas equipas técnicas, tratando-se de uma cerimónia restrita ao grande público, tendo em conta a atual situação pandémica e as normas impostas pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

De acordo com folheto informativo da associação desportiva, ‘Os Ceramistas’ surgiram oficialmente a 1 de Janeiro de 1968 e têm como missão “desenvolver, formar e acompanhar crianças e jovens através da prática desportiva, neste caso, o futebol”, prevendo, no futuro, o “alargamento a outras modalidades desportivas”.

Deputado Carlos Eduardo Reis visita obra Social Franciscana Missionária de Maria “O Viveiro”, em Arcozelo

Atualidade/Concelho/Política Por

O Deputado Carlos Eduardo Reis realizou hoje uma visita à obra Social Franciscana Missionária de Maria “O Viveiro”, em Arcozelo, no Concelho de Barcelos, onde foi possível conhecer as dificuldades provocadas pela pandemia a esta Instituição, bem como as necessidades para continuar a prestar um serviço social muito importante para a população local.

Esta visita insere-se na iniciativa do Grupo Parlamentar do PSD para assinalar o Dia da Criança, com a realização de visitas de vários deputados do Grupo Parlamentar do PSD a diversas instituições de acolhimento, creches e jardins de infância em todo o país.

Sindicato diz que insolvência da Coelima “é um caso de polícia”

Atualidade/Economia/Minho Por

O coordenador do Sindicato Têxtil do Minho e Trás-os-Montes, Francisco Vieira, afirmou hoje que a insolvência da Coelima, em Guimarães, é “um caso de polícia que merece uma investigação criminal”.

Num plenário de trabalhadores à porta daquela empresa têxtil de Guimarães, no distrito de Braga, Francisco Vieira disse também que o pedido de insolvência fazia parte do plano para “matar” a Coelima.

“Isto é um caso de polícia, que merece uma investigação criminal”, referiu o sindicalista, aludindo à administração dos últimos 10 anos, “sempre a somar prejuízos”.

Para Francisco Vieira, trabalhador da Coelima desde 1968, a última administração entrou com o “objetivo claro de matar a empresa”, tendo a apresentação à insolvência sido o último ato desse plano.

“A decisão de apresentar à insolvência só tinha uma finalidade: matar a empresa”, referiu Francisco Vieira, trabalhador daquela empresa desde 1968.

A Coelima, que completa no próximo ano 100 anos, tem mais de 250 trabalhadores e foi apresentada a insolvência em abril.

Na quarta-feira, a administração disse que não vai apresentar um plano com vista à recuperação da empresa, após o que apareceu um consórcio com sede em Guimarães que apresentou, na sexta-feira, uma proposta de compra da Coelima, colocando como condição, entre outros pontos, a manutenção dos postos de trabalho, bem como a assunção dos direitos e antiguidade dos trabalhadores.

A proposta deu entrada no Tribunal de Comércio de Guimarães, no distrito de Braga.

“Se não tivesse surgido esta proposta, hoje era o último dia da Coelima. Estava tudo planeado para isso, as certidões de óbito [papéis para o desemprego] já estavam elaboradas”, sublinhou Francisco Vieira.

Afirmando que tudo será feito para garantir a continuidade da empresa e a manutenção dos postos de trabalho, o sindicalista disse que a Coelima tem bens avaliados em 15 milhões de euros, além de um “património sem preço”, constituído pelo saber e pela experiência dos trabalhadores.

Por isso, manifestou-se “muito esperançado” na proposta de compra já apresentada, ao mesmo tempo que apelou a que outros investidores possam aparecer.

Entretanto, assegurou, os trabalhadores vão continuar a ocupar os seus postos de trabalho.

Segundo Francisco Vieira, está já agendada, para sexta-feira, uma reunião no Ministério da Economia, para pedir a intervenção do Governo na resolução do problema.

“O Estado pode ajudar, e muito, através da Caixa Geral de Depósitos, que é um dos maiores credores”, referiu.

No plenário, marcou também presença a coordenadora da CGTP, Isabel Camarinha, que apelou à união dos trabalhadores e que garantiu o recurso a “todas as instâncias” para resolver o problema da empresa e a manutenção dos postos de trabalho.

“A empresa está a querer aproveitar-se da pandemia, mas nós não aceitamos isto”, referiu, admitindo que a via judicial pode ser um dos caminhos.

O anúncio da sentença de declaração de insolvência foi publicado em 22 de abril, com a empresa a apresentar um passivo de perto de 30 milhões de euros e cerca de 250 credores no final de 2020.

Constituída em 1922 e uma das maiores produtoras de roupa de cama, a têxtil de Guimarães integra o grupo MoreTextile, que em 2011 resultou da fusão com a JMA e a António Almeida & Filhos e cujo acionista principal é o Fundo de Recuperação gerido pela ECS Capital.

Fonte: Lusa

Foto: @itfeelslikefilm|unsplash

Mário Figueiredo é o candidato da CDU à Presidência da Câmara Municipal de Barcelos

Atualidade/Concelho/Política Por

Mário Figueiredo, natural de Barcelos, membro da Assembleia Municipal de Barcelos desde 2019 pela CDU, é candidato à Presidência da Câmara Municipal de Barcelos.

“O que muito me motiva para aceitar esta candidatura é permitir aos eleitores a escolha de um projeto político alternativo e distinto, alicerçado no Trabalho, Honestidade e Competência,” afirma Mário Figueiredo na apresentação da sua candidatura.

Luís Leandro apresenta-se como candidato da CDU à Assembleia Municipal de Barcelos.

Foto: CDU

“Com esta candidatura, a CDU defende os interesses e aspirações dos barcelences, na luta pelo desenvolvimento e melhoria das condições de vida dos cidadãos,” Luís Leandro.


Foto: CDU

Ema Paulino é a primeira mulher eleita Presidente da ANF

Atualidade/Portugal/Saúde Por
Ema Paulino

Ema Paulino foi eleita Presidente da Direção da Associação Nacional das Farmácias (ANF) para o triénio 2021-2023, com 58% dos votos, contra 36% da lista adversária. É a primeira vez que uma mulher é eleita para dirigir a ANF. A lista A, liderada por Ema Paulino, conquistou 1340 votos, contra 825 da lista F, num total de 2165 farmácias apuradas. Foram ainda contabilizados 147 votos nulos ou em branco.  Ficam por apurar os votos de 199 farmácias, processo que estará concluído na próxima sexta-feira, dia 4 de junho de 2021.

Ema Paulino propõe um Novo Rumo para a ANF, dando “prioridade ao reequilíbrio das contas através de uma gestão rigorosa e transparente”. Apresenta como principais objetivos “aproximar a Associação de todos os Associados, defender e valorizar as farmácias e os farmacêuticos na rede de cuidados de saúde, bem como recuperar o poder de intervenção e influência da ANF junto dos centros de decisão, das autoridades e de todos os parceiros da saúde”.

Ema Paulino foi membro da Direção Nacional da Ordem dos Farmacêuticos (OF) e representou esta organização no Grupo Farmacêutico da União Europeia (PGEU) e na Federação Internacional Farmacêutica (FIP), da qual foi CEO interina. Pertenceu à Direção da ANF durante 9 anos, de 2003 a 2012, e foi, entre 2012 e 2019, Presidente da Secção Regional do Sul e Regiões Autónomas da Ordem dos Farmacêuticos. Foi, até à eleição para a ANF, membro da Comissão Técnica de Vacinação da Direção-Geral da Saúde, desde 2018, e, desde 2020, da Comissão Técnica de Vacinação Contra a COVID-19. Integra a delegação da FIP à Assembleia Mundial da Saúde, da Organização Mundial da Saúde.

Ema Paulino conta, na equipa da Direção, com os Vice-presidentes Diogo Gouveia, Paula Dinis e Paulo Fernandes. João Cordeiro preside à Mesa da Assembleia Geral, Paulo Barradas é Presidente do Conselho Fiscal e Helena Amado é Presidente do Conselho Disciplinar.

Foto:@tbelabuseridze|unsplash

17º Congresso Ibérico “A Bicicleta e a Cidade” de 3 a 5 de junho

Ambiente/Atualidade/Concelho Por

De 3 a 5 de junho, o Município de Barcelos acolhe o 17º Congresso Ibérico “A Bicicleta e a Cidade”, no Auditório Municipal, onde mais de 50 oradores internacionais, irão debater o tema “A era da infraestrutura”.

Num ano em que a pandemia da Covid-19 impulsionou a utilização da bicicleta em todo o mundo e conduziu a alterações na mobilidade urbana e no espaço público, as palestras deste Congresso Ibérico assumem uma particular importância, quando as cidades são desafiadas a repensar as suas estratégias de mobilidade a favor deste veículo de duas rodas e do futuro sustentável.

O Congresso Ibérico tem início no dia 3 de junho, data em que se assinala o Dia Mundial da Bicicleta, e conta com o alto patrocínio de Sua Excelência, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. Na sessão de abertura, com o início agendado para as 9h, estará presente Eduardo Pinheiro, Secretário de Estado da Mobilidade. Nesta ocasião, o Município de Barcelos irá anunciar o maior investimento de sempre no âmbito da mobilidade, que pretende posicionar Barcelos como uma referência no uso da bicicleta como meio de locomoção diário.

A criação de uma Ciclovia Circular, com uma extensão de 7,2 km, na área mais densa da cidade, tocando nos principais equipamentos públicos, estabelecimentos escolares e pontos de comércio e serviços, é uma das apostas mais emblemáticas. Com este projeto, pretende-se reduzir a acessibilidade ao centro da cidade de automóvel, para diminuir as emissões poluentes e o ruído, melhorando, assim, a saúde e o bem estar da população.

Este projeto visa, ainda, estreitar a ligação da cidade ao Instituto Politécnico do Cávado e Ave – IPCA, através do programa “U-Bike”, em que o Politécnico disponibiliza bicicletas à comunidade académica. No futuro, um corredor ciclável ligará o IPCA ao centro da cidade e, daí, à estação ferroviária.

É objetivo da autarquia de Barcelos integrar a bicicleta numa mobilidade assente numa rede de transportes públicos, em que a futura rede alargada de autocarros urbanos será fundamental, tal como as ligações a parques de estacionamento e interfaces como a estação ferroviária, que assegurarão facilidade na transição de modo de transporte.

Este investimento na mobilidade faz de Barcelos o palco ideal para a Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta e a congénere espanhola ConBici organizarem a 17ª edição do Congresso Ibérico “A Bicicleta e a Cidade”, um dos mais importantes fóruns europeus de discussão de políticas de promoção da mobilidade ciclável, que se realiza, de dois em dois anos, de forma alternada, em Portugal e em Espanha.

Fonte: MB

Barcelos participa em encontro europeu e debate impactos da pandemia e importância da União Europeia

Atualidade/Concelho/Economia Por

O Município de Barcelos participou num encontro inserido no âmbito do programa “Europa para os cidadãos”, a iniciativa aconteceu em formato online e juntou dezenas de pessoas de vários países europeus.

Os efeitos da pandemia no emprego foi precisamente o mote da iniciativa, que juntou representantes das cidades que fazem parte da plataforma “Oito cidades para construir a nossa Europa”. Este consórcio junta as cidades de Barcelos, Teruel (Espanha), Kistelek (Hungria), Heraklion (Grécia), Narva (Estónia), Victoria (Roménia), Skrad (Cróacia) e Gerace (Itália).

Barcelos esteve representado pela Vice-Presidente da Câmara Municipal de Barcelos, Armandina Saleiro, que, durante a sua intervenção, destacou a importância do encontro, como forma de “ajudar a refletir sobre as políticas locais e nacionais, num cruzamento com as políticas europeias, em temas tão importantes como a integração das minorias, a emigração, as cidades inteligentes e sustentáveis, a situação de emprego e os valores europeus”.

Armandina Saleiro aproveitou também o encontro para falar na importância da cooperação entre os 27 países da União Europeia: “Ser da comunidade europeia significa valorizar a identidade de cada território, de cada povo, mas, ao mesmo tempo, significa partilhar um sentido de pertença e valores comuns, como a solidariedade, o desenvolvimento e a paz. Apesar de estarmos em países distintos, verificamos que são muitos os problemas e as realidades que nos unem, pelo que este espaço de encontro e de reflexão pode traduzir-se num contributo muito importante para as políticas locais e para o desenvolvimento das nossas comunidades. O tema deste encontro ganha especial significado neste contexto de pandemia e de grande incerteza para todos nós. Só invocando um espírito de solidariedade e de cooperação entre os 27 membros da comunidade europeia será possível ultrapassar a verdadeira crise social e de saúde pública”.

Já o responsável pelo IEFP em Barcelos, Armando Santos, destacou as medidas que têm sido utilizadas para mitigar o desemprego em Portugal, nomeadamente o recurso ao teletrabalho, com a duplicação da percentagem de pessoas a trabalhar a partir de casa, passando de 15,5%, antes da pandemia, para mais de 38%, depois de declarada a atual situação de saúde pública mundial, ultrapassando países como a Alemanha ou a França.

O programa “Europa para os cidadãos” é um projeto que permite dar voz a estudantes e à comunidade em geral sobre problemas do quotidiano, numa lógica de respeito pela diversidade, mas com o compromisso de um trabalho centrado nas pessoas, no seu bem estar e no bem comum.

Fonte: MB

Recolha de sangue e de medula óssea no dia 06 de junho, em Perelhal

Atualidade/Concelho/Saúde Por

A Barcelos Solidário – Benemérita Associação Humanitária dos Dadores de Sangue do Concelho de Barcelos, vai realizar a recolha de sangue e de medula óssea no dia 06 de junho, em Perelhal, na Junta de Freguesia das 09:00 às 12:30.

Como Ser Potencial Dador de Medula Óssea?

Ter entre 18 e 45 anos

Ter no mínimo 50kg e 1.50m de altura

Ser saudável

Nunca ter recebido uma transfusão de sangue, desde 1980

Atendendo à falta de sangue que se verifica no país, agravada pela pandemia do Covid-19, a Barcelos Solidário – Benemérita Associação Humanitária dos Dadores de Sangue do Concelho de Barcelos apela para a dádiva de sangue.

Viagem histórica “Do Ferro ao Ouro” vai passar por Barcelos, Braga e Esposende

Atualidade/Concelho/Cultura Por

As cidades de Barcelos, Braga e Esposende vão acolher a partir de sexta-feira e até 26 de setembro, 139 espetáculos inseridos na Viagem histórico-cultural “Do ferro ao Ouro”, foi hoje divulgado.

Em comunicado de imprensa, a autarquia de Esposende explica que os espetáculos visam a “divulgação e integração territorial” através de “criações, recriações, performances, experiências imersivas e reinterpretações”, numa simbiose entre o “contemporâneo, a história e o património do território”.

As atividades pretendem ainda potenciar a atração de fluxos turísticos crescentes”, assim como “a participação direta das comunidades locais”.

Para tal, a organização prevê uma “extensa rede de parceiros” e privilegia a “mediação criativa e interação direta com o público”, sem esquecer a perspetiva de viagem pelo tempo e território.

O arranque do projeto acontece na sexta-feira, no Salão Medieval da Reitoria da Universidade do Minho, em Braga, com o Coro de Câmara de Barcelos e termina a 26 de setembro com a Nova Comédia Bracarense, no Espaço Vita também em Braga.

“Todos os eventos do programa são de acesso gratuito, estando todas as atividades sujeitas às normas da Direção-Geral da Saúde em vigor na altura da sua realização”, salienta a organização.

Os eventos vão estender-se por 21 locais “associados a espaços distintivos que valorizam o património cultural”, nomeadamente sítios arqueológicos, monumentos, jardins históricos, museus e palácios.

Tendo em conta os períodos históricos, a viagem histórico-cultural vai ter três ações principais: O Galaico-Romano (organizada pelo concelho de Esposende), O Legado Medieval (organizada pelo concelho de Barcelos) e O Esplendor Áureo (organizada pelo concelho de Braga).

A iniciativa é co-financiada pelo programa NORTE 2020 – Programa Operacional Regional do Norte, Portugal 2020 e pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), sob o “Domínio da Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos.

“A programação cultural em rede é promovida em parceria pelo município de Esposende (que assume a condição de parceiro líder) e pelos municípios de Barcelos e Braga, e pela Esposende 2000, estas na qualidade de entidades copromotoras”, descreve a autarquia de Esposende.

O total do investimento “ascende a 313.246,30€, sendo investimento elegível 296.269,49€, comparticipado a 100% pelo FEDER”, acrescenta.

A viagem histórica pretende contribuir ainda para atingir as metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), incluídos na Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU).

Fonte: Lusa

1 2 3 13
Ir Para Cima