89 (!) Paróquias de Barcelos

Outubro 21, 2018 Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião
Pedro Sousa

Inicio hoje uma nova “empreitada” na minha vida, que me levará a abordar, não só, assuntos/eventos divulgados aqui, no Barcelos na Hora, como outros da atualidade do nosso Concelho. Espero conseguir. Já agora, nomeei este espaço de “Olhar Barcelos”!

Sendo um “neobarcelense”, pois resido cá apenas desde 2013, já conheço o concelho desde 2008 – uma “migalha” para quem já vive cá durante toda a sua vida –, quando iniciei o ensino de Inglês por dezenas de freguesias de Barcelos. E foi assim que comecei a conhecer, para além dessas freguesias, os seus habitantes.

O que me traz hoje aqui são as 89 (!) Paróquias do arciprestado de Barcelos! Oitenta e nove! (Confesso que, por extenso, o número não me parece tão grande…mas é!!) Quando falo disto a amigos “não barcelenses”, o pasmo é o resultado mais evidente.

Com a implementação (polémica!) da reorganização administrativa das freguesias, o concelho de Barcelos passou a ter “só” 61 freguesias e uniões de freguesias. “Só”! Mas as Paróquias mantiveram-se e continuaram a ser 89 (!). Cada uma com o seu orago e com veneração de mais Santos e Santas para além deste.

Agora que a fase de maior incidência de festas religiosas e populares já passou, atrevo-me a analisar, levemente, este aspeto da cultura religiosa – e não só – de Barcelos. Aliás, como Diretor deste jornal online, sinto bem “na pele” o facto deste concelho ter esta magnitude tal que torna hercúlea a tarefa de divulgar e /ou cobrir todas as festas. Simplesmente – e aqui faço a minha penitência – não conseguimos. Peço desculpa por todas aquelas que não ajudámos a divulgar, mesmo que nos possamos escusar no facto de nem sempre recebermos nota ou sermos alertados para a festa em questão.

As festas em Barcelos unem famílias e amigos. E sei bem do que falo, por experiência pessoal. Nos dias das festas, há filhos e filhas da terra que voltam, que a visitam, que visitam os seus. Há dezenas e dezenas de espetáculos musicais e de atos religiosos, muitos dos quais, quase exclusivos dessa freguesia e/ou do concelho. E o fogo de artifício?! (cada vez mais, infelizmente, colocado em causa pelo flagelo dos fogos florestais) Admito que acho admirável o esplendor que a maioria dos habitantes do concelho tem pelo fogo de artifício. Na hora deste, é vê-los de olhar colocado no céu para admirarem a miríade de luzes e cores que o pintam. Sabem que mais? Eu também já o faço!

As procissões são sempre tradições fortes nestas festas, quer sejam as de Velas, quer sejam as “Majestosas”. As fanfarras a abrir, os figurantes, os andores, as autoridades eclesiásticas e civis, os estandartes, os pálios, as bandas a fechar e os fiéis. Tudo isto faz com que as festas nas 89 (!) Paróquias de Barcelos sejam ainda mais esplêndidas!

Sem qualquer tipo de desprimor para com as demais, a Festa das Cruzes é o expoente máximo das festas de Barcelos. Milhares e milhares de pessoas visitam a cidade; dezenas de eventos religiosos e não só; os arcos, os tapetes de flores, os concertos, o fogo de artifício (lá está!), os carrocéis e zona de diversões, a “Batalha das Flores” e a procissão das Cruzes, entre outros. Nesta última, podemos constatar a tal magnitude das 89 (!) Paróquias e das suas Cruzes. Mesmo os ateus e agnósticos – que saibam, claro, respeitar as tradições religiosas seculares – não conseguem ficar indiferentes a este ato religioso. Sempre que assisto a esta procissão, dou por mim a maravilhar-me com a exuberância das 89 (!) Cruzes; a tentar reconhecer alguém que nela vá a desfilar (e vejo alguns antigos alunos, por exemplo); ou, mesmo, a admirar os pormenores de cada uma delas.

Não me delongo mais. Deixo apenas um pedido aos barcelenses (saído de um “neobarcelense”): tenham orgulho nas vossas 89 (!) Paróquias, nas vossas tradições religiosas e continuem a mantê-las bem vivas na nossa memória. (Louvo aqui os milhares de paroquianos que, todos os anos, fazem parte das comissões de festas por esse concelho fora) Eu, enquanto alguém que gosta de observar, “estudar” e vivenciar as tradições e costumes, as histórias e estórias, e o dia a dia de uma comunidade, agradeço-vos imenso.

Até breve!

Por: Pedro Sousa*. (Professor e Diretor do Barcelos na Hora)

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Fotos: DR.

 

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima