A Ascensão do Empreendedor

Outubro 21, 2020 Atualidade, Concelho, Economia, Mundo, Opinião
Raúl Peixoto

O meu nome é Raúl Peixoto, tenho 24 anos e vivo na pequena freguesia de Tamel Santa Leocádia, em Barcelos.

Desde muito novo que sempre gostei de me envolver em atividades, sejam elas associativas, recreativas, religiosas ou desportivas. Com o tempo e após finalizar a minha licenciatura em Gestão em Viana do Castelo, onde criei algumas iniciativas no associativismo, decidi criar os meus projetos no mundo empresarial. Sou uma pessoa simples, humilde e muito ambiciosa. Considero-me um empreendedor.



Sou fundador e gestor de 2 empresas, a B&BI, uma agência de marketing digital e a Proximus, uma empresa de saúde ao domicílio. Sou fundador de uma comunidade de empreendedores, a Royal Network, e fundador de um grupo empresarial chamado Ana.Vi Group. Sou um estudante para sempre e um íman de pessoas de valor.

Uma longa caminhada está pela frente, muitos desafios para superar e muitas vitórias para conquistar, com uma certeza premente: Sempre acompanhado por muitas e muitas pessoas.

Como tal, inicio o desafio na escrita desta crónica com o objetivo de lançar alguns conceitos que considero relevantes com o que vou aprendendo nos livros que leio, nas aprendizagens que tenho, na experiência que vou adquirindo. Espero, profundamente, que seja um ponto de motivação para ação para o leitor que lê os artigos de opinião, e que tenha a ambição de ser empreendedor em tudo o que faz na vida.

Se o leitor tem como objetivo, na sua vida, ser uma pessoa feliz, de bem com a vida, que gosta de fazer o bem aos outros, que valoriza a sua família, que quer experienciar o melhor que a vida tem para nos dar, então eu identifico-me consigo. Nos artigos desta crónica irá encontrar várias reflexões que podem ajudar a tomar as melhores decisões com o objetivo de atingir esse modo de viver. Se à medida que lê esta apresentação se identifica com esta forma de pensar, então acompanhe os artigos porque irá gostar e será valioso para si.

Então vamos a isso!! 🙂

Mentalidade de longo prazo: O segredo para a prosperidade

Existe, na sociedade, um pensamento de curto prazo, que defende que aquilo em que nos envolvemos deve dar resultado num curto espaço de tempo. Defende, também, que se os resultados não aparecem passado esse pequeno intervalo de tempo, significa que não nascemos para aquele desafio, seja ele sermos um bom namorado, um bom colaborador, um bom vendedor, ou até um bom empreendedor. Este é um dos principais fatores que faz com que as pessoas iniciem algo e, pouco tempo depois, se deixem de esforçar da mesma forma que se esforçavam no momento inicial e, aos poucos, vão deixando cair por terra as suas ambições…E à medida que vão estando cada vez mais estagnados, a sua crença de que não nasceram para ser empreendedores, ou para vencer nos desafios que se propõem, vai aumentando, criando uma experiência negativa e um sentimento negativo no que diz respeito ao desafio. Isto que faz com que nunca mais queiram sequer aproximar-se, novamente, de serem empreendedores e ainda influenciando pessoas à sua volta para que não o façam, porque não tiveram a capacidade de o fazer.

A verdade é que o erro não está no conceito de se ser empreendedor, nem nas suas origens, a verdade é que o erro está na mentalidade da pessoa que ainda não sabe o que precisa de saber para levar avante os projetos em que se envolve.

Olhando para a história das pessoas mais bem-sucedidas, percebemos que existe quase um padrão de comportamento em todas elas. Em muitos dos casos, grandes projetos começaram pequenos, alguns deles numa garagem e, em muitos deles, esse projeto passa meses e anos a ter prejuízo, até que esteja no ponto chave para começar a ter resultados, em alguns casos, a ter resultados absolutamente estratosféricos. Se hoje em dia perguntassem aos fundadores do Facebook, da Coca-Cola, da Amazon, do Alibaba, da Microsoft, da Apple, se voltando com o tempo atrás, tomariam a mesma decisão em continuar com os seus projetos visionários, mesmo eles passando meses e meses sem dar resultado nenhum, qual acham que seria a resposta de cada um deles?

Pois bem, certamente que todos eles persistiriam, porque está na mentalidade deles persistirem na dificuldade e não desistirem até atingirem o que realmente pretendem. E estas mentes são as mentes que mudam o mundo, que inovam, que geram prosperidade para si próprios, para as suas famílias, e para as pessoas de quem gostam. Estas mentes que não desistem são as que experienciam a vida ao máximo e que são livres de tomarem as suas próprias decisões, porque não dependem de ninguém, dependem apenas e só de si próprios, porque conquistaram o seu próprio caminho.

Então, se tivesse que qualificar o primeiro passo que devemos dar para nos tornarmos empreendedores, é adotarmos um hábito de pensamento a longo prazo, que irá permitir-nos persistir perante a dificuldade e perante o fracasso, e não desistir quando convivemos com estes acontecimentos. As pessoas que pensam a longo prazo, têm escrito, no seu sangue, que o fracasso não faz delas fracassadas, o fracasso é apenas uma passagem no processo para serem pessoas bem-sucedidas (o que quer que seja, para cada um de nós, o sucesso). Pessoas que pensam a longo prazo, sabem que a dificuldade momentânea, ou que a falta de resultado momentâneo, significa que ainda existe algo mais a fazer para reverter a situação. Pessoas com esta mentalidade assumem que a responsabilidade pelo seu futuro depende, única e exclusivamente, delas e não têm a coragem de culpar os outros (quem quer que seja) porque estão bem cientes de que a responsabilidade está sempre do seu lado.

Somando a tudo isto, as pessoas que pensam desta forma programam-se para sacrificar o seu prazer momentâneo em prol do prazer MAIOR futuro. Isto significa que não se preocupam em faltar a uma festa, em comprar um telemóvel mais fraco, em faltar a um jantar dispendioso, em andar num carro mais fraco, em colocar a sua viagem de sonho em fila de espera, tudo em prol da construção do seu futuro. Pensam que, neste momento, a sua atenção terá que ser direcionada para a construção daquilo que a médio/longo prazo dará a liberdade para fazer tudo o que poderia fazer, mas com muita mais liberdade, com menos privações e com mais possibilidades para escolherem aquilo que querem, e fazerem-no quando bem entenderem.

Porque, afinal, o objetivo é sermos pessoas livres que tomam as suas próprias decisões, no momento que entendem que é mais indicado.

Adotando o pensamento de longo prazo, e fazendo a coisa certa HOJE, pode dirigir-se tranquilamente ao encontro de uma vida próspera, possibilitando dar segurança à sua família, experienciando, junto deles, as melhores coisas que a vida tem para dar.

Gostou do conteúdo deste artigo?

Então não pare por aqui…

Se o leitor gosta de ler, sugiro que leia os seguintes livros, que são duas bíblias que deve ter na sua mesa de cabeceira e que vão ajudar a adotar esta forma de pensar:

Pense e Fique Rico, Napoleon Hill

Capa do livro “Pense e fique rico” (Imagem: DR)

Pai Rico e Pai Pobre, Robert Kiyozaki

Capa do livro “Pai Rico e Pai Pobre” (Imagem: DR)

Por: Raúl Peixoto* (Jovem Empreendedor Barcelense)

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Imagens: DR.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima