A família e o desenvolvimento Psicológico

Dezembro 18, 2021 Atualidade, Concelho, Mundo, Saúde

Não obstante à emergência de saúde pública sentida, e todos os riscos inerentes ao COVID-19, é importante relembrar que, por norma, é na quadra Natalícia que existe em família uma maior intimidade, interação, partilha de experiências e emoções.  Sendo de salientar que é importante frisar que estar em família é englobar todos os momentos do ano, apesar de o impacto nefasto que o COVID-19 tem exercido no seio familiar pode ser o “comprimido” acarretou bastantes problemas na saúde mental na família, bem como diversos desequilíbrios.

Atualmente é complexo atribuir uma definição de família. Mas independentemente da composição, sabe-se que a família é um lugar exclusivo, que representa a intimidade, um lugar repleto de felicidade e amor. A família é mesmo isso: é a nossa fonte de abrigo, é saber que está sempre alguém à nossa espera em casa, com quem se possa partilhar as experiências e vivências do dia-a-dia. Pesa embora, que por vezes estas relações sofrem alguma agitação e confusão. Pelo que nem sempre é possível encontrar esse lugar seguro quando se fala de famílias pautadas pelo desequilíbrio e tensão

Toda relação humana é complexa. Mas mesmo sendo complexa a interação familiar, é de salientar que a importância da família na sociedade é expressiva, principalmente na infância, onde a família é a base de tudo. Boas experiências afetivas na infância têm influência positiva no desenvolvimento que se reflete na fase adulta.

Os primeiros anos de vida são importantes porque o que ocorre na primeira infância faz diferença por toda a vida.

A família é vista como o primeiro espaço psicossocial, modelo das relações a serem estabelecidas com o mundo que permite o desenvolvimento da personalidade de cada ser humano. É através das primeiras experiências sociais e de construção de vínculos que a criança desenvolve os seus valores e personalidade, além de serem a base do seu desenvolvimento psicológico e emocional.

São inúmeros os estudos que têm mostrado que investimentos na primeira infância têm retorno bastante positivo para as crianças e para a sociedade como um todo (Jack P. Shonkoff e Julius B. Richmond, 2009; Britto, Yoshikawa and Boller 2011; Center on the Developing Child, Harvard University 2013; OMS e UNICEF, 2018). Em que crianças que não experienciaram exemplos positivos e valores, como por exemplo suporte, carinho, dedicação, esforço e disciplina, podem desenvolver traumas que, se não tratados, têm grandes probabilidades de evoluírem para perturbações psicológicas mais preocupantes, como depressão, ansiedade, ataques de pânico ou outros perturbações graves

Desde a gravidez e ao longo da primeira infância, todos os ambientes em que a criança vive e se desenvolve, assim como a qualidade dos seus relacionamentos com adultos e cuidadores, têm impacto significativo no seu desenvolvimento físico e cognitivo.

Neste sentido, a família, se for “saudável”, constitui numa fonte de ajuda ativa. Um grupo familiar bem organizado e estável, em que se verifique um sistema de autoridade claro e aceitável, uma comunicação aberta baseada em controlo e apoio, torna-se fundamental no bom desenvolvimento de crianças mentalmente saudáveis, assertivas, autónomas e seguras de si.

Quando a família não é “saudável”, os padrões de autoridade modificam-se, sendo a comunicação e a distribuição de papéis funcionais deteriorados, o que dificulta o controlo dos sentimentos negativos, levando ao aumento da angústia, hostilidade e violência. Por vezes, a falta de respeito dos diversos elementos da família, como a intolerância, a agressividade, o desinteresse ou a superproteção, marcam a personalidade do indivíduo.

Porém, além da angústia provocada pela doença misteriosa e devastadora – Covid-19, as medidas de distanciamento social adotadas para diminuir o número de mortes, trouxeram uma série de desafios para as famílias e primeira infância: criação de laços familiares tóxicos, dependência e proteção excessiva, tornando os ambientes familiares pautados pela ansiedade e instabilidade.  Pelo que, nos dias de hoje, mais que nunca, torna-se imprescindível ter em atenção que as famílias e as crianças submetidas a fatores de stress tóxico ou relações familiares tóxicas, necessitam de intervenções especializadas, o mais cedo possível, para romper com a causa do stress e protegê-las das consequências.

O valor de uma família saudável é imensurável, pois é a base para que o indivíduo construa a sua inteligência emocional, valores, atitudes e bons exemplos.

Se a sua família, as suas crianças e/ou você sentem-se afetados pelo impacto do covid, se sentem que a sua família está instável e/ou desajustada, procure ajuda. A Psicologia trabalha a família focando-se nas emoções, pensamentos e comportamentos do contexto familiar. Assim a Terapia Familiar é importante em casos de conflitos, traumas ou mesmo a necessidade e interesse de se aproximar, reaproximar e conviver bem com os membros desse grupo social.    

Foto: pexels

PUB

218910333_904017513661701_8501182798823808285_n-1.png

PUB

Captura-de-ecra-2021-04-12-as-11.19.30.png

PUB

Claudia-Campanha-Bnh.jpg

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima