Ainda estamos a 1…

Fevereiro 21, 2020 Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião
Hugo Pinto

Esta semana dizemos que ainda estamos a 1…Na semana passada, dizíamos que ainda estávamos a 4. Há duas semanas, de peito cheio, que estávamos a 7 e a ver se não seriam 10. Temo, portanto, pela semana que vem!



Há alturas na vida em que, ao contrário do que é habitual, tudo o que queremos é não ter razão. Esta é, precisamente, uma dessas situações. Só queria ter-me enganado nas minhas previsões relativamente aos últimos jogos do meu querido Benfica. Porém e como, citando Pedro Mexia, um pessimista é um otimista bem informado, não sou dos que acreditam que isto vai de fezadas ou de alinhamentos astrológicos. Muito menos com Parapsicologia do Nhaga ou pseudocoaching do L.F. Vieira. Competência. O que se pede é COMPETÊNCIA, de todos. Do roupeiro ao Presidente. A verdade é que o modelo de jogo do Benfica desta época não está a funcionar. Não quer dizer que seja mau, entenda-se. Na época passada, por exemplo, funcionou às mil maravilhas, traduzindo-se num futebol fantástico e em muitos golos. Acontece que esta época, além de não contarmos com João Félix, a coisa não está a funcionar. Não está, ponto!

Banho de bola e derrota frente ao FCP, mau jogo e derrota em Braga… E Bruninho, nada! Insiste, persiste e não desiste, mesmo de dar com a cabeça na parede.

No momento em que escrevo esta crónica, estamos a horas de defrontar o Shakhtar. Enquanto visitantes, o que é sempre um desafio maior. E basta abrir um diário desportivo para ver Luís Castro, em tom de desafio, a dar o alinhamento do nosso Glorioso. Enfim…Não sei se acertará ou não. Quanto à tática apresentada, independentemente da troca de uma ou duas peças, não deve errar por muito.

E ainda estaremos a 1, precisamente no momento em que visitamos o nosso Gil Vicente. A onze jornadas do fim, parecendo uma enormidade, o certo é que não nos podemos dar ao luxo de perder pontos. E frente ao Gil, aqui em Barcelos, tudo pode acontecer, dependendo do estado de espírito dos nossos galos.

Vamos a ver o que acontece. Mas a verdade é que ando triste com o nosso nível exibicional. A 11 jornadas do fim, corremos o risco de ter uma época perdida…

Viva o Benfica.

E pluribus unum!

Por: Hugo Pinto*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima