Antonio Perri: “Aprender melhor o português e conhecer, cada vez mais, a cultura portuguesa”

Junho 12, 2020 Atualidade, Concelho, Educação, Mundo, Opinião
Antonio Perri

Bom dia a todos,

O meu nome é Antonio Perri e fiz voluntariado durante um ano na Associação SOPRO.



Sou italiano de Corigliano-Rossano, uma pequena cidade no litoral na região Calábria, no sul da Itália.

Se pudesse descrever a minha experiência de voluntariado, digamos, identificava quatro partes.

A primeira parte, descrevia como “o drama”, foi o momento de chegada, a saída da minha zona de conforto. Este período destabilizou-me, sendo que quando cheguei falava só italiano e a comunicação com a associação e com os colegas de casa foi difícil.

A segunda parte, eu descreveria como “adaptação”. Nesta fase, finalmente consegui fazer-me entender, consegui perceber a cultura portuguesa e aceitar a atmosfera de Barcelos, uma cidade com muita chuva, uma realidade muito diferente da minha, sendo habituado a viver numa cidade onde sempre bate o sol.

Neste período, comecei o voluntariado na Associação Humanitária de Rio Covo Santa Eugenia, que desde o primeiro momento foi uma experiência bonita. Nesta associação conheci pessoas muito simpáticas e, ao mesmo tempo, passei tempo muito precioso junto a elas. A minha tarefa era realizar o transporte dos idosos de casa para a associação e vice-versa. Durante a tarde, ajudava servir o lanche e ajudava na realização de várias atividades. Sempre que havia um aniversário, eu fazia o bolo, visto que em Itália, nos últimos anos, trabalhei como chefe pasteleiro.

Durante este período, dediquei muito tempo ao meu canal de YouTubeIn Cucina com Mago Totonno” (https://www.youtube.com/channel/UCIHrOwVeS10F61K3r-E0XGA). Se gosta de cozinhar comida italiana, recomendo que subscreva este canal.

A terceira parte, descrevo como “Descobrindo Portugal”.

Bem, como já percebeu a partir do subtítulo, nesta fase, comecei a visitar Portugal e tentei, sempre que possível, mergulhar na sociedade portuguesa e devo dizer que fiquei fascinado ao perceber como é semelhante ao sul da Itália. No verão de 2019, visitei o Algarve durante 13 dias, todos os dias eu visitava uma cidade diferente. Uma das cidades que mais gostei foi Albufeira, que tem uma costa linda e, durante a noite, transforma-se em algo único.

Outra cidade bonita é Lagos, uma cidade menos turística, mas muito bonita, com um panorama da costa de tirar o fôlego. Outro local que me fascinou em Portugal foi Sintra, uma vila extraordinária com seus castelos, todos com estilos diferentes. Quando visitei a vila, parecia que vivia num mundo encantado com uma atmosfera única.

A quarta fase pode ser descrita como “COVID-19”. No final do meu projeto, quando eu estava em dúvida em regressar a casa ou ficar e procurar trabalho, permitindo-me aprender melhor o Português. O COVID-19 forçou-me a ficar em casa segregado, em quarentena. Não consegui voltar a Itália porque a situação era bastante trágica e tudo isto deixou-me um pouco desmoralizado, também porque eu celebrei os meus 30 anos em casa, em Barcelos. Felizmente, os meus colegas de casa fizeram o melhor para passar uma noite agradável.

Neste momento, estou à procura de trabalho como pasteleiro ou como auxiliar de saúde, para aprender melhor o português e conhecer, cada vez mais, a cultura portuguesa.

Queria agradecer à minha associação italiana SIKANIE e à SOPRO por me dar a oportunidade de ter vivido esta experiência e por me apoiar em tudo durante a pandemia.

Também queria aproveitar para agradecer a todos os voluntários que conheci durante este período e que deixarão, dentro de mim, muitas memórias bonitas, que levarei comigo para sempre.

Por: Antonio Perri*. (Voluntário Europeu da SOPRO 2019/2020)

Fotos: Arquivo pessoal de Antonio Perri.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima