Autor

barcelosnahora

barcelosnahora tem 6876 artigos publicados.

Recolha de sangue e de medula óssea no dia 1 de agosto, em Carreira

Julho 31, 2021 em Atualidade, Concelho, Saúde Por barcelosnahorabarcelosnahora

A Barcelos Solidário – Benemérita Associação Humanitária dos Dadores de Sangue do Concelho de Barcelos, vai realizar a recolha de sangue e de medula óssea no dia 1 de agosto, em Carreira, no Centro Paroquial das 09:00 às 12:30.

Como Ser Potencial Dador de Medula Óssea?
Ter entre 18 e 45 anos
Ter no mínimo 50kg e 1.50m de altura
Ser saudável
Nunca ter recebido uma transfusão de sangue, desde 1980

Atendendo à falta de sangue que se verifica no país, agravada pela pandemia do Covid-19, a Barcelos Solidário – Benemérita Associação Humanitária dos Dadores de Sangue do Concelho de Barcelos apela para a dádiva de sangue.

Bloco de Esquerda de Barcelos entrega a sua candidatura autárquica

Julho 31, 2021 em Atualidade, Concelho, Política Por barcelosnahorabarcelosnahora

O Bloco de Esquerda de Barcelos esta sexta-feira, dia 30 de julho, no Tribunal Judicial de Barcelos, as suas candidaturas às próximas eleições autárquicas, sendo o primeiro partido no concelho a fazê-lo.

Além das candidaturas à Câmara e à Assembleia Municipal, encabeçadas, respetivamente, por Manuel Carlos Silva e José Maria Cardoso, o Bloco de Esquerda de Barcelos entregou também as suas candidaturas às Assembleias de Freguesia. Nestas eleições, o Bloco de Esquerda concorrerá em Arcozelo, com lista encabeçada por Carlos Freitas, na UF de Barcelos, Vila Boa e Vila Frescaínha (S. Martinho e S. Pedro), com lista encabeçada por Pedro Sá, em Tamel S. Veríssimo, com lista encabeçada por Cândido Monteiro, e na UF de Alvitos e Couto, com lista encabeçada por Zacarias Leiras.

As candidaturas do Bloco de Esquerda de Barcelos cumprem de forma rigorosa a paridade entre homens e mulheres, contando com pessoas de vários pontos do concelho e de todas as idades, assim como de diversas profissões.

Projeto de criação de pomares comunitário vence Orçamento Participativo do IPCA

Julho 30, 2021 em Atualidade, Concelho, Educação Por barcelosnahorabarcelosnahora

A criação de pomares comunitários nas áreas verdes do Campus e dos polos do IPCA, com espécies autóctones de árvores de frutos acessíveis a toda a comunidade académica, é o projeto vencedor do Orçamento Participativo 2021 do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave.

O projeto “Pomar Comunitário” é uma ideia de Maria da Luz Sangreman, estudante do IPCA que terminou este ano a licenciatura em Solicitadoria. “É uma ideia que já tinha há muito tempo e me parece uma interessante alternativa saudável para os lanches de todas as pessoas da academia, nomeadamente alunos, professores e funcionários, que passam a ter fruta fresca à sua disposição”, explica.
Embora a ideia fosse antiga, aprimorou-a através de uma pesquisa que realizou sobre as espécies de árvores de fruto características da região de Barcelos e do Minho. “Descobri e contactei um investigador que está a estudar as espécies autóctones e desenvolvi uma simulação das que poderiam ser cultivadas nos espaços verdes do IPCA”, refere Maria da Luz Sangreman.

Da conversa com o investigador concluiu, por exemplo, “a importância de serem plantadas várias espécies de árvores, e não apenas uma única, por causa da polinização”.
Segundo Maria da Luz Sangreman, “o público-alvo é todo o universo IPCA, desde o colaborador que encontra uma alternativa saudável para o lanche, até ao estudante que não reúne os requisitos para pedir apoio à alimentação, ou que decide não o fazer”.

“Por outro lado, as árvores de fruto serão uma alternativa a lanches menos saudáveis, como bolachas, bolos ou chocolates. Ao tornar-se de acesso igualmente fácil, a fruta criará melhores condições para a mudança de hábitos alimentares”, acrescenta.

A ideia apresentada na candidatura deste projeto ao Orçamento Participativo do IPCA é que o acesso aos pomares comunitários seja livre, “sem perguntas, sem explicações, sem necessidade de autorização, mas com responsabilidade”. Conforme explica, “pretende-se que todos possam colher uma maçã para comer no momento, ou meia dúzia de peras para levar para casa”.

Maria da Luz Sangreman revela, ainda, que “a ideia surgiu após ler o Plano Estratégico do IPCA em busca de perceber aquilo que é importante, mas não tão visível para os estudantes”. E o que descobriu foi, precisamente, o objetivo de criação de “um Campus verde e saudável”.

O projeto vencedor do Orçamento Participativo foi escolhido através da votação dos estudantes do IPCA. O “Pomar Comunitário” obteve 26,89 por cento dos votos, sendo o preferido de um conjunto de quatro ideias que foram à votação final: “Vip Car” (24,89%), “Sanitários 100% Seguros” (24,44%) e “Forrar auditório da ESG” (23,78%).

O Orçamento Participativo 2021 foi o segundo na história do IPCA. A primeira edição aconteceu em 2019, tendo proposta vencedora resultado na implementação de melhoramentos no espaço disponível para o consumo e preparação das refeições trazidas de casa pelos estudantes, situado no edifício dos Serviços de Ação Social e da Cantina.

A presidente da Equipa de Acompanhamento do Orçamento Participativo do IPCA, Soraia Gonçalves, diz ter sido “com enorme satisfação” que viu crescer a adesão a este projeto nesta sua segunda edição, apesar da atipicidade do momento que se vive desde 2020.

“O número de alunos que participaram aumentou, o que demonstra que a comunidade estudantil vê de forma positiva uma iniciativa que lhe permite ter algo a dizer na governação do IPCA”, sublinha Soraia Gonçalves.
Para a professora da Escola Superior de Gestão, “o projeto vencedor – ‘Pomar Comunitário’ – demonstra também as preocupações com a sustentabilidade ambiental, valor tão importante para a sociedade de hoje”.
“Parece-me que o Orçamento Participativo veio para ficar como uma iniciativa que permite a participação dos estudantes na comunidade IPCA, ao mesmo tempo que prepara cidadãos para o futuro”, conclui.

Fonte: IPCA

Morreu o “Zé da Bagoeira”

Julho 29, 2021 em Atualidade, Concelho Por barcelosnahorabarcelosnahora

Morreu hoje, aos 72 anos, José Simões de Sousa, conhecido como “Zé da Bagoeira”, uma das personalidades mais carismáticas da restauração em Barcelos. Era o proprietário do restaurante e hotel Bagoeira.

O corpo estará a partir desta quinta-feira em câmara ardente na Igreja da Santa Casa da Misericórdia de Barcelos e chegará amanhã, quinta-feira, pelas 10:00, à Igreja Paroquial da Várzea, onde terá lugar a missa fúnebre pelas 16:00. Será, depois, sepultado em jazigo da família no cemitério da freguesia.

Foto: Facebook jorgefalcaobogas

Antiga tesoureira de Fábrica da Igreja em Barcelos condenada por desviar 33 mil euros

Julho 29, 2021 em Atualidade, Concelho, Justiça Por barcelosnahorabarcelosnahora

O Tribunal da Relação de Guimarães confirmou a condenação a três anos de prisão, com pena suspensa, de uma antiga tesoureira da Fábrica da Igreja de Panque, em Barcelos, pelo desvio de mais de 33 mil euros.

Por acórdão de 05 de julho, a que a Lusa hoje teve acesso, a Relação confirma ainda que, para a suspensão da pena, a arguida fica obrigada a pagar, em três anos, 7.200 euros à Fábrica da Igreja.

A arguida foi também condenada ao pagamento de uma indemnização de 28.459 à instituição.

O tribunal imputou-lhe um crime de abuso de confiança qualificado.

Atualmente com 39 anos, a arguida foi tesoureira no Conselho Económico Paroquial (Fábrica da Igreja) de Santa Eulália de Panque, em Barcelos, ente 27 de março de 2012 e 31 de dezembro de 2017.

O tribunal diz que a arguida se aproveitou da confiança que os demais membros daquele Conselho Económico depositavam nela, nomeadamente assinando cheques em branco para pagamento de despesas e entregando-lhe quantias monetárias que se destinavam a ser por ela depositadas no banco.

Ainda segundo o tribunal, a arguida depositou alguns dos cheques na conta do posto de abastecimento de combustíveis em que trabalhava, retirando da caixa os montantes correspondentes.

Também se terá apropriado de montantes referentes a direitos paroquiais, missas e esmolas, jantar do Dia da Mulher, cantar dos Reis e Fundo de Caixa da instituição.

No total, terá dado um desfalque de 33.459 euros, mas, entretanto, já restituiu 5.000 euros.

Nos autos, há uma confissão de dívida, com termo de autenticação, no qual a arguida reconhece ser devedora de 33.500 euros.

Em julgamento, a arguida optou por não prestar declarações.

Após a condenação em primeira instância, a arguida recorreu, alegando que o montante desviado se cifrava em apenas 17.517 euros.

Pedia que a pena fosse reduzida, assim como o valor a pagar para a suspensão da mesma.

A Fábrica da Igreja também recorreu, pedindo o agravamento da pena e o aumento da quantia a pagar.

No entanto, a Relação não deu provimento a nenhum dos recursos.

O tribunal sublinha a “gravidade elevada” da conduta da arguida e a intensidade do dolo, vincando o “longo período”, de cerca de três anos, em que perdurou a ação.

“A conduta da arguida é particularmente censurável, atenta a qualidade de tesoureira de uma entidade com fins de culto religioso e de beneficência social em que recebeu, com a obrigação de restituir, os valores monetários de que se apropriou”, refere o tribunal, destacando ainda a não manifestação de arrependimento.

Texto Agência Lusa

Feirantes senegaleses queixam-se de “acesso bloqueado” à feira de Barcelos

Julho 29, 2021 em Atualidade, Concelho Por barcelosnahorabarcelosnahora

Feirantes do Senegal queixaram-se hoje de serem proibidos de operar na feira semanal de Barcelos e falaram em discriminação racial, mas a câmara contrapôs que é uma questão de cumprimento do regulamento que impede o subaluguer de espaço.

Em resposta escrita enviada à Lusa, a câmara refere que os serviços municipais se depararam com mais de duas dezenas de feirantes “em condições de subaluguer de lugares a feirantes senegaleses”.

“O subaluguer não está autorizado no regulamento da feira, pelo que os serviços municipais atuaram no cumprimento das normas”, acrescenta.

Hoje, cerca de dezena e meia de feirantes senegaleses foram proibidos de entrar na feira de Barcelos e foram manifestar-se junto à câmara.

“Acabaram por nos deixar entrar na feira, mas só por volta das 11:00”, queixou-se Thierno Mboup.

Em causa estão feirantes que não têm lugar na feira mas que têm ali conseguido operar, subalugando espaço de outros.

“Temos cartão de feirante, temos início da atividade, temos tudo. Só não temos lugar porque andamos desde 2008 a pedi-lo e nunca o conseguimos. Em vários outros locais, alguns feirantes que têm espaço de sobra cedem-nos um bocadinho e conseguimos trabalhar todos. Aqui não nos deixam porquê? Por sermos escuros?”, acrescentou Thierno Mboup.

Na resposta à Lusa, a câmara diz ainda que aquele tipo de subaluguer “tem acontecido em anos anteriores e durante este ano, levando os serviços municipais a intervir várias vezes”.

“Neste período de verão, tem tendência a aumentar, pois é uma altura em que a afluência à Feira Semanal de Barcelos é muito grande”, acrescenta.

O caso foi também denunciado pela Atlas – Cooperativa Cultural, que tem um gabinete de apoio a imigrantes e que considera “inaceitável” que, em tempo de pandemia e de crise económica, a Câmara de Barcelos não encontre uma solução para deixar trabalhar aqueles feirantes.

“Os feirantes senegaleses falaram comigo e consideram que estão a ser vítimas de discriminação racial”, referiu Manuel Solla, daquela cooperativa à Lusa.

Texto Agência Lusa

Censos2021: Cerca de 50% da população residente em Portugal concentra-se em 31 dos 308 municípios

Julho 29, 2021 em Atualidade, Concelho, Portugal Por barcelosnahorabarcelosnahora

Cerca de 50% da população residente em Portugal concentra-se em 31 dos 308 municípios, localizados maioritariamente nas Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto, segundo os resultados preliminares dos Censos 2021, divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

“Nos últimos 10 anos, dos 308 municípios portugueses, 257 registaram decréscimos populacionais e apenas 51 registaram um aumento. Na década anterior tinham assistido a quebras populacionais 198 municípios”, indicou o INE.

Segundo os dados preliminares dos Censos 2021, o padrão de litoralização e o movimento de concentração da população junto da capital portuguesa foram acentuados e reforçados durante a última década.

De acordo com o INE, da análise por município conclui-se que “os territórios localizados no interior do país perdem população” e os municípios que assistiram a um crescimento populacional se situam predominantemente no litoral, “com uma clara concentração em torno da capital do país e na região do Algarve”.

Com base nos dados dos Censos 2021, dos 31 municípios que concentram cerca de 50% da população residente em Portugal, os 10 mais populosos são Lisboa, com 544.851 habitantes, Sintra (385.954), Vila Nova de Gaia (304.149), Porto (231.962), Cascais (214.134), Loures (201.646), Braga (193.333), Almada (177.400), Matosinhos (172.669) e Oeiras (171.802).

Os outros 21 concelhos mais populosos são Amadora (171.719), Seixal (166.693), Gondomar (164.255), Guimarães (156.852), Odivelas (148.156), Coimbra (140.796), Vila Franca de Xira (137.659), Santa Maria da Feira (136.720), Maia (134.959), Vila Nova de Famalicão (133.590), Leiria (128.640), Setúbal (123.684), Barcelos (116.777), Funchal (105.919), Viseu (99.693), Valongo (94.795), Mafra (86.523), Viana do Castelo (85.864), Paredes (84.414), Torres Vedras (83.130) e Vila do Conde (80.921).

A maioria destes 31 concelhos estão localizados nas Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto.

Portugal tem hoje 10.347.892 residentes, menos 214.286 do que em 2011, segundos os resultados preliminares dos Censos 2021.

Em termos censitários, a única década em que se verificou um decréscimo populacional foi entre 1960 e 1970, indicou o INE.

Os dados preliminares mostram que há em Portugal 4.917.794 homens (48%) e 5.430.098 mulheres (52%).

A fase de recolha dos Censos 2021 decorreu entre 05 de abril e 31 de maio e os dados referem-se à data do momento censitário, dia 19 de abril.

Texto Agência Lusa

Já conhece o programa Eusoudigital?

Julho 29, 2021 em Atualidade, Concelho Por barcelosnahorabarcelosnahora

Muitos são os consumidores, principalmente aqueles que têm mais de 45 anos, que ainda não têm conhecimentos digitais ou nunca tiveram contacto com internet. Porém o acesso ao mundo digital é essencial à vida atual dos consumidores, principalmente após os desafios causados pela pandemia da doença Covid-19.


O programa EUSOUDIGITAL pretende ajudar um milhão de Portugueses, até 2023, a adquirir noções básicas de uso da internet, plano que envolve uma rede de milhares de voluntários e que conta com o apoio de cerca de 1.500 centros espalhados por todo o País.

É uma iniciativa financiada pela Caixa Geral de Depósitos e promovida pelo MUDA – Movimento pela Utilização Digital Ativa, com o apoio da Estrutura de Missão Portugal Digital e cofinanciado pelo Portugal Inovação Social, POISE-Programa Operacional Inclusão Social e Emprego, Portugal 2020 e pela União Europeia.

Os voluntários envolvidos podem promover ações de sensibilização em contexto familiar ou em locais da sua comunidade, como por exemplo em cooperação com juntas de freguesia, escolas ou até mesmo lares.

Qualquer consumidor pode ser voluntário do programa e contribuir para o seu sucesso. Basta, para isso, ter conhecimentos sobre o mundo digital e registar-se no site: https://www.eusoudigital.pt/pt/voluntarios/ .

Após o registo efetuado, é disponibilizada uma formação gratuita para os mentores, com o objetivo de poder ensinar como utilizar a internet a alunos mais velhos. Esta formação é desenvolvida diretamente na plataforma do programa e pode ser feita ao ritmo de cada voluntário, em vídeo ou ainda através de webinares.

Para mais informações a DECO – Delegação Regional do Minho, sita na Avenida Batalhão Caçadores, 9, Viana do Castelo encontra-se disponível podendo contactar-nos através do 258 821 083 ou por e-mail para deco.minho@deco.pt. Visite o nosso site www.deco.pt

(* A redação do artigo é única e exclusivamente da responsabilidade da DECO)

Barcelos com três novos murais inspirados no artesanato e na arte popular

Julho 28, 2021 em Atualidade, Concelho, Cultura Por barcelosnahorabarcelosnahora

O projeto “Café Cultura | Barcelos”, traz até ao centro da cidade obras de arte criadas por graffiters nacionais, o resultado são três murais inspirados no artesanato e na arte popular, para apreciar no Museu de Olaria e no futuro Centro de Expressão pela Arte.

O artesanato e a arte popular de Barcelos são o fio condutor de um trabalho que resulta da conjugação entre passado e presente, tradição e modernidade, história e contemporaneidade.

Alçado exterior lateral do futuro Centro de Expressão pela Arte de Barcelos

Os trabalhos são feitos pelos graffiters Bruno Filipe, conhecido no mundo das artes como Ekyone, nascido na cidade do Porto, Nelson Fernandes Soares, artista plástico e urbano, oriundo de Guimarães, e Bruno Nogueira, conhecido entre os artistas urbanos como NEK, natural de Espinho.

Parede lateral interna da sala/oficina da Casa Ascensão Correia, do futuro Centro de Expressão pela Arte de Barcelos

A iniciativa contou, ainda, com a participação do curador e criador do projeto “Café Cultura”, José Vicente dos Santos, artista plástico e produtor brasileiro mais conhecido por Vicente Coda Coda.


Muro lateral interior do Museu de Olaria

Fotos: MunicipioBarcelos

Victor Paula vence etapa da Vuelta a Valladolid

Julho 28, 2021 em Atualidade, Concelho, Desporto Por barcelosnahorabarcelosnahora

Na passada sexta-feira a domingo disputou-se em Espanha a 29ª edição da Vuelta a Valladolid Júnior, prova por etapas que, a ACR Roriz Cycling Academy marcou presença.

Nesta participação o maior destaque vai para a vitória do Victor Paula na 3ª etapa que se disputou em Olmedo com 66km de distância.

Foto: ACRRoriz

1 2 3 688
Ir Para Cima