Autor

barcelosnahora

barcelosnahora tem 6518 artigos publicados.

UF Barcelos disponibiliza e-balcão para resposta aos CENSOS 2021

Abril 17, 2021 em Atualidade, Concelho, Mundo, Portugal Por barcelosnahorabarcelosnahora

A União das Freguesias de Barcelos, Vila Boa e Vila Frescainha (São Martinho e São Pedro) informa que terá início na próxima segunda-feira, dia 19 de abril, o período de resposta aos CENSOS 2021, preferencialmente através da Internet em www.censos2021.ine.pt.

A resposta aos Censos 2021 pela Internet permite uma abordagem fácil, segura e rápida para os cidadãos no atual contexto epidemiológico.

A participação da população nestes recenseamentos, para além de obrigatória nos termos da legislação, é sobretudo, um direito de cidadania e um ato cívico fundamental para o conhecimento do País.

Quando a resposta pela Internet não for possível, a população tem ao dispor outras alternativas, nomeadamente o e-balcão, para apoio à resposta, que na União das Freguesias de Barcelos irá funcionar nos seguintes locais e horários :

Sede em Barcelos:

  • Terça e Sexta, das 14:30 às 17:30;
  • Sábado, das 9:30 às 13:00.

Sede em Vila Boa:

  • Segunda e terça, das 9:00 às 13:00;
  • Quarta, das 9:00 às 13:00 e das 16:30 às 20:30.

Sede em Vila Frescainha (São Martinho):

  • Segunda, terça, quarta e quinta, das 16:30 às 20:30.

Sede em Vila Frescainha (São Pedro):

  • Segunda, terça, quarta e quinta, das 16:30 às 20:30.

Para qualquer dúvida, não hesite em contactar a União das Freguesias de Barcelos, através dos números 253 812 694 / 914 677 967.

I Liga – Gil Vicente vence Benfica por 2-1

Abril 17, 2021 em Atualidade, Concelho, Desporto, Portugal Por barcelosnahorabarcelosnahora

O Benfica perdeu hoje por 2-1 na receção ao Gil Vicente, na 27.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, terminando uma série de seis vitórias seguidas na prova e distanciando-se ainda mais do líder Sporting.

Os visitantes chegaram a dispor de uma vantagem de dois golos, marcados por Léautey, aos 35 minutos, e Lourency, aos 81, de pouco valendo aos anfitriões – que não perdiam no campeonato há 10 jogos – o autogolo de Vítor Carvalho, aos 87, que fixou o resultado final.

O Benfica manteve-se com 57 pontos, menos três do que o FC Porto, segundo colocado, que apenas joga no domingo, no estádio do Nacional, e menos 12 relativamente ao líder Sporting, enquanto o Gil Vicente passou a somar 31.

Com este desaire, o Benfica vê chegar ao fim um ciclo de seis vitórias consecutivas na I Liga e pode atrasar-se na luta pelo segundo lugar, ficando ainda mais longe do líder Sporting, que passou a dispor de 12 pontos de vantagem.

Os ‘encarnados’, que mantêm os 57 pontos com que entraram esta tarde na Luz, podem ver fugir o FC Porto, que, com 60 pontos, joga no domingo, na Madeira, frente ao Nacional, e ser apanhados pelo Sporting de Braga, que, com 54 pontos, visita ainda este sábado o Rio Ave.

Já o Gil Vicente regressa às vitórias no campeonato, depois do desaire da última ronda, frente ao Moreirense, e soma agora 31 pontos.

Sem mexer no ‘onze’ que goleou na última jornada, em Paços de Ferreira, por 5-0, o Benfica, orientado por Jorge Jesus, entrou na Luz a controlar as operações, mas com pouca acutilância na hora de atacar a baliza defendida por Denis, com Seferovic muito bem controlado pelos centrais gilistas.

À passagem do minuto 15, o Gil Vicente deixou um primeiro aviso, num contra-ataque ‘oferecido’ por um mau passe de Adel Taarabt, e, aos 35, materializou mesmo a ameaça e fez ‘mexer’ o marcador.

Numa jogada individual, o extremo francês Leautey arrancou para área benfiquista, ‘dançou’ frente a Vertonghen e colocou a bola entre o poste e Helton Leite, com o brasileiro a voar tarde e a ser batido.

Sem conseguir responder, o Benfica demonstrou grandes dificuldades em ligar o jogo entre defesa e o ataque e o melhor que conseguiu foi um cabeceamento de Waldschmidt, com a bola a perder-se pela linha de fundo, num exemplo contundente do desacerto das ‘águias’ na primeira parte.

O Benfica reentrou para a segunda parte sem Lucas Veríssimo na defesa e com Everton no ataque, e o Gil aproveitou as mudanças para criar a primeira oportunidade após o reatamento, com Lourency a chegar ligeiramente atrasado ao cruzamento milimétrico de Joel e a já só apanhar a bola de raspão.

Depois foi a vez de Seferovic desperdiçar o golo, por duas vezes: o suíço, melhor marcador do Benfica na liga, com 16 golos, protagonizou a melhor oportunidade do Benfica, num remate que ‘tirou tinta’ do poste de Denis e, pouco depois, num remate acrobático, enviou a bola por cima da baliza gilista.

Em tarde completamente desinspirada, em contraponto com a exibição da última jornada, o avançado helvético voltou a deixar Jorge Jesus desesperado com novo falhanço: Rafa ludibriou Talocha no flanco direito, cruzou para o coração da área, Darwin deixou passar para Seferovic, mas o suíço não acertou convenientemente na bola e esta passou ao lado do poste.

O Benfica não marcou e foram os visitantes que o conseguiram, por Lourency, ao minuto 81. Numa brecha aberta na defesa do Benfica, com Otamendi a falhar a marcação, o brasileiro do Gil Vicente arrancou que nem uma flecha para a baliza de Helton Leite e, já dentro da grande área, disparou forte e a meia altura, fazendo o 2-0.

O melhor que o Benfica conseguiu foi reduzir para 2-1, embora tenha sido, mais uma vez, o Gil Vicente a marcar, num autogolo de Vítor Carvalho, os 87 minutos.

Desde a defesa, Vertonghen, com um passe em profundidade, isolou Rafa, o extremo ‘disparou’ para defesa de Denis, mas a bola acabou por embater no médio gilista e encaminhar-se para o fundo da baliza.

Equipas:

– Benfica: Helton Leite, Vertonghen, Lucas Veríssimo (Everton, 46), Otamendi, Diogo Gonçalves, Grimaldo (Pedrinho, 85), Weigl (Cervi, 85), Taarabt (Pizzi, 61), Rafa, Waldschmidt (Darwin, 61) e Seferovic.

(Suplentes: Vlachodimos, Gilberto, Gabriel, Pizzi, Cervi, Everton, Pedrinho, Darwin e Gonçalo Ramos).

Treinador: Jorge Jesus.

– Gil Vicente: Denis, Joel, Rodrigo, Ruben Fernandes, Talocha (Henrique Gomes, 90+1), Vítor Carvalho, Lucas Mineiro, Pedro (Gonçalves, 66), Leautey (Kanya Fujimoto, 77), Lourency (Diogo Silva, 90+1) e Marques (Samuel Lino, 77).

(Suplentes: Beunardeau, Diogo Silva, Gonçalves, Kanya Fujimoto, Baraye, Samuel Lino, Henrique Gomes, Paulinho e Mantuan).

Treinador: Ricardo Soares.

Árbitro: Fábio Veríssimo (AF Leiria).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Lucas Veríssimo (31) e Denis (90+1).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

Fonte: Lusa

Foto: Facebook GVFC

* Atualização 17/04/2021 às 20:30

Recolha de sangue e de medula óssea dia 23 de abril em Alvito S. Pedro

Abril 17, 2021 em Atualidade, Concelho, Mundo, Saúde Por barcelosnahorabarcelosnahora

Barcelos Solidário – Benemérita Associação Humanitária dos Dadores de Sangue do Concelho de Barcelos, vai realizar a seguinte recolha de sangue e de medula óssea:

No dia 23 de abril, em Alvito S. Pedro, na Junta de Freguesia das 15:00 às 19:00 horas. 

Como Ser Potencial Dador de Medula Óssea?

Ter entre 18 e 45 anos

Ter no mínimo 50kg e 1.50m de altura

Ser saudável

Nunca ter recebido uma transfusão de sangue, desde 1980

Atendendo à falta de sangue que se verifica no país, agravada pela pandemia do Covid-19, a Barcelos Solidário – Benemérita Associação Humanitária dos Dadores de Sangue do Concelho de Barcelos apela para a dádiva de sangue.

Município de Barcelos comemora o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios

Abril 16, 2021 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

O Município de Barcelos volta a associar-se às Comemorações do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios que se realiza nos dias 17 e 18 de abril, este ano subordinado ao tema “Passados complexos. Futuros diversos”.

Este tema apela à reflexão crítica do passado, promovendo a criação de outros discursos, de diferentes abordagens que suportem pontos de vista inclusivos e diferenciados e impulsionando o entendimento do património enquanto fator de união, de partilha, de cidadania e de resiliência na evolução e valorização de sítios, paisagens, práticas e coleções.

Respondendo ao desafio da Direção Geral do Património Cultural, o Município Barcelos convida a uma descoberta dos recantos da antiga vila medieval, usando como guia um texto e um desenho do foral de Barcelos, disponível no site do Município.

O Dia Internacional dos Monumentos e Sítios foi criado pelo International Council on Monuments and Sites e aprovado pela UNESCO, com o objetivo de promover o património e sensibilizar o público para o esforço global despendido na proteção das heranças patrimoniais culturais.

Fonte: MB

Centro de Testagem COVID-19 do IPCA já entrou em funcionamento

Abril 16, 2021 em Atualidade, Concelho, Educação, Saúde Por barcelosnahorabarcelosnahora

O IPCA passa a dispor de um Centro de Testagem à COVID-19 tendo sido os primeiros testes realizados no dia 15 de abril. Visando a realização de testes rápidos de antigénio a todos os estudantes, docentes e funcionários que reiniciem as atividades presenciais a partir de 19 de abril, este centro fica instalado no edifício A do Campus do IPCA, em Barcelos.

Os testes rápidos de antigénio têm por objetivo o rastreio do SARS-CoV-2, o novo coronavírus responsável pela pandemia COVID-19 que serão realizados no edifício A do Campus do IPCA.

A estratégia de realização de rastreios regulares para SARS-CoV-2 constitui, na atual situação epidemiológica, uma ação adicional às medidas não farmacológicas para uma retoma mais segura das atividades educativas e letivas presenciais.

A presidente do IPCA, Maria José Fernandes, explica que “o objetivo é garantir, tanto quanto é possível, a máxima segurança para todos aqueles que, a partir da próxima segunda-feira, regressam às aulas presenciais e ao trabalho presencial”.

“Além de uma questão de saúde pública estão também em causa questões muito importantes, designadamente a necessidade de assegurar aos nossos estudantes as melhores condições de aprendizagem”, realça Maria José Fernandes.

Para a presidente do IPCA, “é fundamental evitar que o ensino superior volte a ficar confinado e essa é uma responsabilidade de todos nós, dirigentes, docentes, estudantes e pessoal não docente”.

“O IPCA vai, por isso, proporcionar as condições de segurança, mas caberá a cada um de nós, independentemente do resultado do teste à COVID-19, cumprir as escrupulosamente as habituais medidas não farmacológicas de prevenção, designadamente o distanciamento físico, a higienização frequente das mãos, a utilização das máscaras, a limpeza das superfícies e a ventilação dos espaços”, alerta Maria José Fernandes.

A realização dos testes laboratoriais para SARS-CoV-2 em contexto de rastreios destina-se a pessoas sem sintomas sugestivos de COVID-19 e não deve ser aplicada a quem tenha história de infeção, laboratorialmente confirmada, nos últimos 90 dias.

Por uma questão de precaução, nesta fase os testes devem ser aplicados também a quem já foi vacinado contra a COVID-19.

Os resultados dos testes laboratoriais serão conhecidos menos de 24 horas após a sua realização, de forma a isolar, rápida e atempadamente, todas as pessoas com resultados positivos e serem iniciados os procedimentos previstos.

A instalação de um Centro de Testagem COVID-19 no IPCA enquadra-se no “Programa de Testagem CVP – Ensino Superior”, no âmbito da colaboração entre a Direção-Geral do Ensino Superior (DGES) e a Cruz Vermelha Portuguesa.

Além do fornecimento dos kits de testes rápidos, o programa prevê a formação de recursos humanos nas instituições de ensino superior que não disponham de profissionais habilitados para este tipo de intervenção. Esta é uma forma de garantir a criação das condições adequadas à realização massiva de testes em todas as universidades e politécnicos do país. Desde o início da Pandemia, o IPCA dispõe de uma comissão de prevenção da COVID-19 assim como uma linha telefónica de apoio, disponível 24h por dia, a toda a comunidade académica: 253 802 199.

Fonte: IPCA

Festival “Convergências” em Braga e Galiza evoca Zeca Afonso e Rosalía de Castro

Abril 16, 2021 em Atualidade, Concelho, Cultura, Europa Por barcelosnahorabarcelosnahora

As localidades de Braga e Ponteareas e Padrón, estas duas na Galiza, vão acolher, de 19 de abril a 09 de maio, o festival luso-galego “Convergências”, com uma dezena de atividades de música, teatro e literatura, foi hoje anunciado.

Em comunicado, a Universidade do Minho (UMinho) refere que o festival, nesta sétima edição, prestará tributo ao cantor Zeca Afonso e à escritora Rosalía de Castro.

O festival integra-se no programa de Braga 2021 – Capital da Cultura do Eixo Atlântico.

Cristina Branco, Uxía, Óscar Ibáñez e Manuel Freire são alguns dos artistas do programa.

A organização cabe ao Centro de Estudos Galegos (CEG) da UMinho e ao grupo Canto d’Aqui, com o apoio dos municípios de Braga e Pontearias, bem como da Xunta da Galiza, em Espanha.

O programa arranca na próxima segunda-feira, às 19:00, no Altice Forum Braga, com uma arruada dos Bomboémia e o concerto folk dos Canto d’Aqui e do gaiteiro Óscar Ibañez & Tribo.

Este evento abre a Braga 2021 – Capital da Cultura do Eixo Atlântico.

Já o Centro de Juventude de Braga acolhe no dia 23, às 19:00, um tributo a Rosalía de Castro, com o fado de Cristina Branco e Uxía Senlle e, na manhã seguinte, a narração oral “Estórias familiares” do ator Quico Cadaval.

No dia 25 de abril, às 11:00, evoca-se no Theatro Circo a Revolução dos Cravos e Zeca Afonso, com os cantores de intervenção Manuel Freire e Francisco Fanhais, ladeados por Jorge Cruz ao piano e pelas vozes dos Canto d’Aqui.

O mesmo local vai ser palco no dia 30, às 19:00, da peça teatral “A Fronteira”, pela companhia galega Furabolos.

As atividades em maio decorrerão na Galiza, a primeira das quais no dia 07, no auditório principal de Ponteareas, com o lançamento do livro “Alfredo Guisado. Xente d’a Aldea e Outros Textos das Orixes”, de Carlos Pazos-Justo, sobre o poeta que levou a Galiza a Fernando Pessoa.

O dia terminará com as “Estórias familiares” narradas por Quico Cadaval.

Na noite seguinte, é a vez de ouvir naquele mesmo espaço as canções de Abril e polifonias tradicionais do Minho, através do Grupo Folclórico da UMinho e dos Canto d’Aqui.

Estes dois grupos assegurarão ainda o concerto de encerramento, dia 09 de maio, na Fundação Rosalía de Castro, em Padrón, aliando canto, dança, interpretação e poesia.

As atividades previstas podem sofrer alterações caso haja uma “eventual reconfiguração” do contexto pandémico.

Fonte: Lusa

Burocrática Regina

Abril 16, 2021 em Atualidade, Concelho, Mundo, Opinião Por barcelosnahorabarcelosnahora

Nós, portugueses, sempre fomos um povo de navegadores. Descobrimos terras longínquas e desconhecidas e demos um grande contributo para o mundo global de hoje. Mas enquanto os nossos antepassados navegavam mares distantes, nós estamos condenados a navegar um mar burocrático, que cada vez mais nos afoga. O Estado e a sua burocracia são um problema, quando deveriam ser vistos como algo positivo e benéfico. É mais obstáculo para os cidadãos e as empresas, que têm de gastar dinheiro, tempo e recursos para o ultrapassar. E claro que isto afeta severamente a competitividade económica e afasta investimento estrangeiro. Interagir com o estado português é quase como se fosse mais um imposto.

O que eu acho mais engraçado é que isto é algo que as próprias instituições públicas reconhecem porque sentem a necessidade de incluir guias e manuais para nos ajudar a navegar a confusão burocrática. Neste tempo de pandemia e confinamento este problema agrava-se à medida que as empresas e os portugueses recorrem aos apoios. Por exemplo, o manual de apoio à candidatura ao Layoff Simplificado precisa de 26 páginas para explicar como se requer o apoio. E quando chegam a meio do processo e estão tão confusos que decidem que querem desistir? Simples, basta consultar o manual de 8 páginas a explicar como desistir do processo para perceber que não vão sair disto com a sanidade intacta.

Isto leva os portugueses a recorrer aos serviços de privados para resolver o problema da burocracia e poderem aceder aos apoios a que têm direito. Isto prejudica seriamente a eficácia dos mesmos. Primeiro, porque parte dos apoios recebidos são usados para pagar por estes serviços, reduzindo assim o apoio líquido. Segundo, o estado torna-se inacessível e afasta as pessoas dos apoios que precisam, principalmente aqueles com menos rendimentos e educação, que são exatamente os que mais necessitam.

Barcelos não é exceção. Alias, acredito que a Câmara de Barcelos esmera-se em burocracia e ineficiência. Processos ficam em espera durante meses, ou até mesmo anos, e durante esse tempo todo há uma falta de apoio e de transparência. Fica-se com a sensação de que a Câmara não tem um sentido de responsabilidade para com os Barcelenses, que apenas faz os seus deveres por obrigação. Obviamente que nem todos têm este problema, quem tem um amigo dentro da Câmara tem a vida mais simplificada. Depois há sempre a suspeita de que se calhar as coisas são assim de propósito, mas não ouviram isto de mim.

Isto cria problemas sérios para qualquer projeto em Barcelos, e daí o seu desenvolvimento, tanto económico como social. Afasta investimento vindo de fora do concelho, é preferível investir num concelho vizinho porque é mais fácil, mais rápido e há melhores condições do que em Barcelos; e abafa aqueles que já estão dentro do concelho, o que leva alguns a moverem-se para os concelhos vizinhos, inteira ou parcialmente. Esta derrama prejudica o emprego, os rendimentos e o desenvolvimento geral.

Mesmo quando a Câmara toma a iniciativa, faz-lho com tal peso burocrático que reduz a eficácia da mesma. Por exemplo, criaram as Bolsas de Estudo do Ensino Superior. Uma ideia nobel e com potencial. No entanto, criou-se um processo tão desnecessariamente burocrático que roça no ridículo; são precisos 15 tipos de documentos de todo o agregado familiar, mais 12 facultativos. Obviamente que isto desencoraja candidaturas. Se calhar o objetivo é esse! Demonstra que não há interesse na iniciativa em si, mas antes que o interesse está no seu valor político.

A Câmara Municipal deveria ser um companheiro para os Barcelenses que está lá para os apoiar. No mínimo que não estorve, mas idealmente deveria ser um ponto de apoio no desenvolvimento e crescimento de Barcelos. Mas na realidade, o que acontece é que a Câmara demonstra um desinteresse pelos seus deveres para com os Barcelenses e mesmo quando toma a iniciativa é apenas por interesse próprio.

Enquanto isso os Barcelenses, e os Portugueses em geral, são deixados de lado a navegar um atormentado mar de burocracias.

Por: João Cardoso* (Membro da Iniciativa Liberal)

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Covid-19: Portugal avança no desconfinamento, exceto em 11 concelhos

Abril 16, 2021 em Atualidade, Economia, Educação, Portugal Por barcelosnahorabarcelosnahora

Portugal avança na segunda-feira para a terceira etapa do desconfinamento com o regresso às aulas presenciais no secundário e no ensino superior e com a reabertura de lojas, restaurantes e cafés, mas onze concelhos não acompanham esta nova fase.

A decisão da generalidade do país avançar para a próxima fase do processo de desconfinamento foi anunciada pelo primeiro-ministro, António Costa, após o Conselho de Ministros de ontem que analisou a evolução da pandemia da covid-19 nas últimas duas semanas.

O plano de desconfinamento do Governo prevê quatro fases, duas já implementadas a 15 de março e a 05 de abril, estando a próxima prevista para 19 de abril e a última para 03 de maio.

Na segunda-feira, Portugal entra no seu o 15.º estado de emergência no contexto de pandemia de covid-19.

Na generalidade do território nacional vai ser possível, a partir da próxima segunda-feira, entrar na próxima fase do desconfinamento, incluindo oito concelhos que conseguiram baixar a taxa de incidência de 120 novos casos de covid-19 por 100 mil habitantes: Borba, Cinfães, Figueiró dos Vinhos, Lagoa, Ribeira de Pena, Soure, Vila do Bispo e Vimioso.

Outros 13 concelhos também seguem para esta nova fase, apesar de terem atingido a barreira dos 120 casos por 100 mil habitantes, o que implica que fiquem em situação de alerta e com uma particular atenção no controlo da pandemia nos próximos 15 dias.

Estes concelhos são Aljezur, Almeirim, Barrancos, Mêda, Miranda do Corvo, Miranda do Douro, Olhão, Paredes, Penalva do Castelo, Resende, Valongo, Vila Franca de Xira e Vila Nova de Famalicão.

Sete concelhos – Alandroal, Albufeira, Beja, Carregal do Sal, Figueira da Foz, Marinha Grande e Penela – continuam com uma taxa de incidência acima do limite dos 120 casos e, por essa razão, mantêm as regras e restrições em vigor na segunda fase do desconfinamento.

Neste mapa de risco há quatro concelhos – Moura, Odemira, Portimão e Rio Maior – que continuaram a apresentar mais de 240 casos de covid-19 por 100 mil habitantes, o que obriga a implementar as regras anteriores do desconfinamento, entre as quais o encerramento das esplanadas, das lojas até 200 m2 com porta para a rua, dos ginásios e dos museus, monumentos, palácios, galerias de arte e similares.

A retoma do ensino presencial para os alunos do ensino secundário e do ensino superior avança em todo o território continental, independentemente do nível de risco de cada concelho.

Reabertura do secundário e do ensino superior 

Nesta terceira fase do deconfinamento, os cerca de 300 mil estudantes do ensino secundário e os quase 400 mil do ensino superior podem regressar às aulas presenciais a partir de segunda-feira.

A medida significa que todos os alunos e professores do secundário deixam o ensino à distância, mas o mesmo pode não acontecer no superior, uma vez que as universidades e os institutos politécnicos têm autonomia para decidir como será o regresso ao ensino presencial.

Reabertura de restaurantes e cafés

Também na segunda-feira, os restaurantes, cafés e pastelarias poderão abrir o serviço de mesa no interior, limitado a grupos de quatro pessoas, para além do serviço de esplanada que já estava autorizado, mas que passa agora a ter um limite de seis pessoas.

Esta abertura aplica-se à generalidade do país, exceto em sete concelhos, que se vão manter com as regras atualmente em vigor e outros quatro que vão recuar para as regras mais apertadas da primeira fase de desconfinamento.

Centros comerciais e lojas reabrem com regras de lotação

Os centros comerciais e todas as lojas, independentemente da sua dimensão, podem reabrir na segunda-feira, cumprindo a lotação fixada pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Esta abertura aplica-se à generalidade do país, exceto em sete concelhos (Alandroal, Albufeira, Beja, Carregal do Sal, Figueira da Foz, Marinha Grande e Penela), que se vão manter com as regras atualmente em vigor, e quatro (Moura, Odemira, Portimão e Rio Maior), que vão recuar para as regras mais ‘apertadas’ da primeira fase de desconfinamento.

Regras para voos e encerramento de fronteiras

As regras para a circulação aérea mantêm-se iguais na próxima fase do plano de desconfinamento e a fronteira terrestre com Espanha permanece fechada nos próximos 15 dias.

Em relação aos voos do exterior, na generalidade das origens que tenham menos de 500 casos por 100.000 habitantes implica um teste negativo à covid-19.

No caso do Reino Unido, os passageiros continuam a poder entrar em território nacional só com o comprovativo de um teste negativo para SARS-COV-2, enquanto nos voos do Brasil, além do teste, será necessário o cumprimento de quarentena.

 Retoma das modalidades desportivas de médio risco

Também a partir de segunda-feira será possível retomar a prática das modalidades desportivas de médio risco, assim como a atividade física ao ar livre de até seis pessoas.

No lote de médio risco estão incluídas as principais modalidades coletivas, casos do andebol, basquetebol, futebol, futsal, hóquei em patins e voleibol, cujas divisões profissionais prosseguiram durante o segundo confinamento geral, em vigor desde 15 de janeiro.

Corfebol, futebol de praia, hóquei e hóquei em linha, polo aquático, aquatlon, hóquei subaquático e râguebi subaquático também regressarão ao ativo, assim como o râguebi em cadeira de rodas, que completará o leque de desportos para pessoas com deficiência.

Casamentos, batizados e eventos exteriores com limitações

Os casamentos e batizados voltam a ser permitidos no território continental, ainda que limitados a 25% da capacidade de ocupação dos espaços onde esses eventos decorram.

Já os eventos exteriores nos concelhos que avançam para a próxima fase ficam sujeitos a uma diminuição de lotação de cinco pessoas por 100 metros quadrados.

Lojas do cidadão com marcação

 As lojas do cidadão é outro dos serviços que reabrem com atendimento presencial por marcação na generalidade do país, à exceção dos concelhos que não avançam para esta nova fase do descofinamento.

Dever geral de recolhimento mantém-se

Nesta nova fase de desconfinamento, o dever geral de recolhimento mantém-se, uma vez que o Governo considera necessária a contenção de circulação para o controlo da pandemia.

Fonte: Lusa

Foto:@pevangelista_ny|unsplash

Programa “Caminhar para conhecer Barcelos” regressa com trilho do Monte D’Assaia às Terras de D.António Barroso

Abril 15, 2021 em Ambiente, Atualidade, Concelho, Lazer Por barcelosnahorabarcelosnahora

A Câmara Municipal de Barcelos volta a apresentar o programa “Caminhar para Conhecer Barcelos”, que inclui 14 iniciativas a realizar entre abril e dezembro de 2021, visando promover e potenciar o património natural e cultural do concelho, muitas vezes situado fora das rotas turísticas habituais.

Esta iniciativa insere-se no conjunto de ações criativas que promovem a descoberta identitária do concelho de Barcelos e constitui um fator complementar à oferta para todos os que escolhem Barcelos para passar férias ou simplesmente um fim de semana numa das muitas unidades de alojamento espalhadas pelo território.

Para além da interpretação dos argumentos diferenciadores do território desde a natureza, à paisagem, aos vinhos, ao património religioso, até às artes e ofícios tradicionais, este programa que promove a criatividade e contacto com as gentes de Barcelos, permite a fruição do território em diversas perspetivas: turismo de natureza (Caminhar para Conhecer Barcelos – 10 rotas), turismo náutico (2 ações) ,turismo religioso (uma ação), rotas criativas do vinho e da vinha (3 ações), visita teatralizada à cidade de Barcelos(uma ação), Mundo Maravilhoso do Figurado (uma ação) e uma ação de Touring Performing.

As inscrições para a participação neste programa são gratuitas e obrigatórias e  limitadas ao número de lugares, e devem ser realizadas com 10 dias de antecedência no Gabinete de Turismo e Artesanato ou através dos seguintes contactos: turismo@cm-barcelos.pt; tel. 253 811 882.

As inscrições e o normal decorrer das atividades estão condicionadas às regras sanitárias da Direção Geral de Saúde.

Estão previstas as seguintes etapas ao longo do ano:

24 de abril: No Trilho do Monte D’Assaia às Terras de D.António Barroso
15 de maio: No Trilho do Rio Cávado até ao Areal de Caíde
22 de maio: No Trilho da Terra Condal à Colina Sagrada dos Barcelenses
19 de junho: Pelos Trilhos de Monte de S.Gonçalo até ao Santuário Rupestre
24 de julho: Pelos Trilhos da “Chã de Arefe”
25 de setembro: Trilho do Monte do Facho
09 de outubro: Trilho das Poças
16 de outubro: Trilho da Broa Tradicional
13 de novembro: Trilho da Sra. da Consolação às margens do Rio Cávado 11 de dezembro: Pelo Trilho do Mundo Rural

Fonte: MB

Foto: @chiro|unsplash

“Benfica está no seu melhor”, mas Gil Vicente quer pontos da Luz – Ricardo Soares

Abril 15, 2021 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

O treinador do Gil Vicente considerou hoje que o Benfica atravessa a sua melhor fase, mas frisou a ambição de trazer pontos do Estádio da Luz, no sábado, na 27.ª jornada da I Liga de futebol.

“Espero um jogo difícil, diante de uma equipa que dispensa apresentações e que, provavelmente, está no seu melhor. Mas nós também estamos no nosso melhor e vamos ao Estádio da Luz claramente com a intenção de conquistar alguma coisa, fazer um bom jogo e trazer pontos de lá”, disse Ricardo Soares na conferência de imprensa de antevisão.

A derrota caseira da última jornada (2-1 com o Moreirense) pôs fim a um ciclo de três vitórias consecutivas dos minhotos, mas Ricardo Soares considerou que foi um jogo que “não traduziu” a evolução da equipa nas partidas anteriores.

“A equipa está bem, sinto-a confiante, confiança que há uns tempos não tinha, a equipa cresceu, está mais madura e segura de si própria e ciente das dificuldades que vai ter até ao fim”, afirmou.

Para o técnico da equipa de Barcelos, o Benfica, que vai com seis jogos seguidos a vencer no campeonato, todos sem sofrer golos, “está a ter o retorno do investimento que fez”.

“O Jorge Jesus disse há uns tempos que a equipa não rendia por causa de um conjunto de incidências [covid-19] que a enfraqueceram. Algumas pessoas pensavam que essa observação não fazia sentido, mas o tempo veio dar-lhe razão. Nós passámos por uma situação parecida que atrasou a evolução da equipa”, lembrou.

Questionado sobre se considera o Benfica a melhor equipa do campeonato neste momento, o treinador gilista notou ser “uma pergunta difícil” de responder.

“O que é a melhor? A que joga melhor em posse de bola, ou a que sai melhor em transições? É uma questão de gosto. O que sei é que o Benfica é uma equipa extremamente forte neste momento, como outras, uma das melhores equipas tendo em conta a qualidade defensiva e agressividade ofensiva”, disse.

Contudo, para Ricardo Soares, se “o Benfica está mais capaz, a defender e atacar com mais qualidade, o Gil Vicente também defende e ataca melhor”.

“Vamos ao Estádio da Luz discutir o resultado e queremos ter a capacidade e coragem de impor o nosso jogo em vários momentos”, reforçou.

O treinador admitiu ainda que “é claramente mais fácil jogar contra o Benfica com o estádio vazio”, lembrando ter já defrontado as ‘águias’ na Luz diante de 64 mil espetadores.

“Mas gostaria que o estádio estivesse cheio, mesmo sabendo que isso seria uma vantagem para o nosso opositor, porque o futebol sem público faz pouco sentido”, acrescentou.

Ricardo Soares deixou ainda elogios a Seferovic, melhor marcador do campeonato a par do sportinguista Pedro Gonçalves, com 16 golos.

“É um excelente jogador, um goleador, naquela zona do terreno é muito eficaz. Sai muito da marcação, faz um excelente apoio frontal e também ataca bem a profundidade. Tem uma perceção muito boa do jogo o que faz dele um jogador diferenciado”, disse.

O treinador considera também que “30 pontos não chegam” para garantir a manutenção.

“Isso está fora de questão. [Vão ser necessários] Nunca menos de 34 pontos e, mesmo assim, podem não chegar. O campeonato está muito competitivo para as equipas que estão lá em baixo e que lutam pela manutenção, como o Gil Vicente. Ao contrário de outros anos, em que havia uma equipa que ficava para trás e dava pontos a toda a gente, essa equipa, este ano, não existe”, notou.

Lucas Mineiro falhou o jogo com os ‘cónegos’, mas está apto para defrontar os ‘encarnados’ e Ricardo Soares considera que as notícias que o colocaram na rota do Benfica há umas semanas não vão perturbar o médio brasileiro.

“Conheço-o há muito tempo, além de um excelente jogador, claramente para outra dimensão, é um homem extremamente equilibrado e de grande caráter”, disse.

Ricardo Soares abordou ainda a semana de trabalho de Ygor Nogueira, que esteve em evidência, pela negativa, no último jogo ao cometer uma grande penalidade e ao fazer um autogolo.

“Confiamos no Nogueira, é um excelente profissional e um excelente jogador, para um nível diferente, um jovem com grande potencial. Mas quem perdeu foi o Gil Vicente, a responsabilidade é minha, eu é que ponho a jogar e que os treino”, concluiu.

Gil Vicente, 10.º classificado, com 28 pontos, e Benfica, terceiro com 57, defrontam-se a partir das 18:00 de sábado, no Estádio da Luz, em Lisboa.

Fonte: Lusa

1 2 3 652
Ir Para Cima