Barcelenses Inspiradores: Bárbara Carvalho

Agosto 24, 2019 Atualidade, Concelho, Cultura, Entrevistas, Opinião

A rubrica Barcelenses Inspiradores tem dado a conhecer figuras barcelenses que, pelo seu modo de vida, ideações, conquistas, trabalho e talento, deixam-nos a todos orgulhosos. Esta semana damos a conhecer melhor Bárbara Carvalho.

Se tiver interesse em participar ou em sugerir alguém inspirador para esta rubrica, escreva para o email: barcelensesinspiradores@outlook.pt.



Bárbara Carvalho, de 30 anos, é licenciada em Produção e Tecnologias da Música na Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo. Por gosto e profissão, Bárbara dedica-se ao violino, deixando os seus ouvintes extasiados com o seu talento. Estando a arte sempre presente na sua vida, mais recentemente, a violinista dedicou-se ao mundo das tatuagens, onde formou o seu estúdio na Vila de Prado.

Ao longo do tempo, esteve envolvida em diversos projetos como bandas e gravações de diversos álbuns.

Como multifacetada que é, Bárbara é, ainda, professora de violino e maestrina na vertente rock na ARTS ACADEMY – Barcelos, estando envolvida em diversas produções de espetáculos.

Caso pretenda seguir o trabalho excecional desta barcelense, consulte as suas redes sociais e fique a par de todas as novidades. Sem mais demoras, vamos conhecer Bárbara Carvalho…



Quem és tu? Conta-nos quem és apenas como tu te conheces.

Sou uma pessoa normal, com paixão pela arte e alguma teimosia para a perseguir. Sou algo de insegura e confiante simultaneamente, ao contrário do que possa transparecer para fora.

Gosto de ensinar e ainda mais de aprender, gosto de observar tudo o que me envolve e sou absorvida naquilo que me empenho de forma muito intensa.

O que fazes é uma extensão de quem és?

O que faço é sempre uma forma de expressar aquilo que sinto. Não sei se necessariamente será o que sou, pois considero esse aspeto algo de muito complexo e em constante mudança. Gosto muito do que faço e empenho-me em ser o mais profissional possível. Estou em constante busca de algo mais profundo. Gosto de me expressar na minha arte, afinal é para isso que ela serve.

De que forma impactas a vida do próximo?

Tenho vindo a apreciar que todos nós, por vezes, mudamos a vida do próximo com pequenos detalhes que nos parecem, por vezes, insignificantes. Como professora e como performer de Violino sinto que inspirei muitas crianças, jovens e até adultos a experimentarem a música e a perseguirem um sonho, algo que me preenche o coração. Mas valorizo muito as coisas simples do dia a dia, como os sorrisos que me transmitem, que são o maior sinónimo da importância que temos na vida dos outros.

Se pudesses ter a atenção do mundo durante 5 minutos, o que dirias ou farias?

Por muito discurso ensaiado que possa parecer, diria para que houvesse mais Amor, empatia, solidariedade e responsabilidade. O mundo precisa de tanto, que a única forma de conseguirmos é que cada um empenhe nos seus atos diários esses quatro aspetos. Só assim poderá mudar.

Ao longo da tua vida, quem foram algumas das pessoas que mais te influenciaram?

Os meus pais e família, que me criaram e deram o melhor de si para eu ser quem sou hoje. A minha irmã, que me mostrou que a vida, mesmo não sendo como gostaríamos, deve ser vivida com alegria e bondade. Sem ela perceber, abriu em mim caminhos que jamais achei que conseguiria percorrer. O meu companheiro, que me tornou mais forte e me ajudou a ser a pessoa que sou hoje, apoiou os meus sonhos e viu em mim o que nunca ninguém viu. Tornou-me uma pessoa melhor.

Atualmente, que figuras de influência tomas como exemplo?

Todas as pessoas com quem me cruzo e com quem convivo têm alguma influência em mim, isto é, fazem-me absorver algo. Algumas coisas são inúteis e outras são de interiorizar e dessa forma se tornam exemplo. Para mim, devemos absorver o mundo à nossa volta, assim, aprenderemos de forma mais realista.

Diz-nos um barcelense que te inspire e porquê.

Samuel Bastos, meu colega de escola, que infelizmente faleceu há pouco tempo. Acho que não só eu, como muita gente que o conhecia, se admirava com um artista que atingiu tão alto patamar na música e mantinha a sua essência simples e boa intocável. Porque, às vezes, as ilusões mudam as pessoas, mais do que seria de esperar e principalmente nos dias de hoje. É de louvar quem mantém a sua integridade no sucesso e quem demonstra tamanho talento merecedor de admiração.

Como gostarias de ser recordada?

Gostaria de ser recordada por coisas boas e, por isso, tento ser o melhor possível. Se o que deixo para trás influenciar alguém positivamente, acho que é o melhor que se pode pedir.

Por: Sandra Santos (Poeta e Tradutora) e Iara Brito (Criminóloga)*.

(* A redação do artigo é única e exclusivamente da responsabilidade das autoras)

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima