Barcelenses Inspiradores: Fátima Miranda

Fevereiro 22, 2020 Atualidade, Concelho, Cultura, Entrevistas, Mundo

A artista barcelense Fátima Miranda dá-nos a conhecer a sua história.

Se tiver interesse em participar ou em sugerir alguém inspirador para esta rubrica, escreva para o e-mail: barcelensesinspiradores@outlook.pt.

Nesta 2ª edição, temos várias novidades, entre elas, na entrevista, que conta com novas perguntas e secções, com uma pergunta mistério do convidado da semana anterior e, ainda, uma grande surpresa.

Esta rubrica foi um dos projetos pré-selecionados pelo Orçamento Participativo da Câmara Municipal de Barcelos com o título “Barcelenses Inspiradores – do papel para o palco”. Para saber mais detalhes, aceda a este link: https://participe.cm-barcelos.pt/projetos/opb-ref-06-2019/.



Fátima Miranda nasceu a 17 de fevereiro de 1957, em Barcelos.

Durante a sua vida teve somente dois empregos: trabalhou numa fábrica de malas de senhora e como modelista na Petit Patapon.

Após a sua saída da vida ativa profissional, finalmente, pôde dedicar-se à sua Arte.

A pintura e a escultura em pasta de papel são as suas manifestações artísticas de eleição e o que, ao mesmo tempo, lhe dão ânimo para seguir em frente.

Com várias exposições individuais e coletivas, recebeu o Prémio Inovação do Artesanato Barcelense 2018.



Quem és tu? Conta-nos quem és apenas como tu te conheces.

Sou uma pessoa sincera e muito sensível a tudo o que me rodeia, fazendo aquilo que gosto para ser feliz.

O que fazes é uma extensão de quem és e do teu propósito de vida?  

O meu propósito de vida foi sempre ir ao encontro da Arte. Na busca da Arte sempre procurei empregos que estivessem ligados à criação e ao desenho. Como tal, criei modelos de malas de senhora e também fui modelista da Petit Patapon, um trabalho com muita criatividade e responsabilidade, onde me sentia realizada.

Se pudesses ter a atenção do mundo durante 5 minutos, o que dirias ou farias?

Se pudesse mudar o mundo, gostaria que as pessoas fossem mais sensíveis umas com as outras e ver a riqueza mais bem distribuída. Em última instância, apelaria à Paz. Espero que a minha Arte seja inspiradora e traga boas emoções às pessoas.

Qual foi o acontecimento que mais te marcou até hoje?

O nascimento das minhas duas filhas foram os momentos mais marcantes da minha vida. Por outro lado, marcou-me muito a morte da minha avó, com cem anos, pessoa muito sábia e que muito contribuiu para a minha formação como pessoa.

Curiosidades do Convidado  

Qual é o teu livro preferido? E o teu filme?

Nunca tive muito tempo para ler, mas o filme que mais me marcou foi o “Titanic”.

Qual foi a viagem que mais te marcou?

A viagem que mais me marcou foi a Veneza.

Que viagem de sonho ainda pretendes realizar?

Queria muito ir às Maldivas. Penso que será a minha próxima viagem.

Qual é a tua atividade de tempo livre preferida?

A minha Arte.

Qual é a tua maior habilidade?

Tudo o que está relacionado com trabalhos manuais, bordar, crochê, tricô, pintura, escultura e artesanato.

O que seria para ti um dia perfeito?

Passado junto ao mar com os meus netos e o meu marido.

Diz-nos um barcelense e um não barcelense que te inspirem e porquê.

Barcelense –  Rosa Ramalho: gosto muito da arte dela.

Não barcelense – Amália: a minha diva do fado.

Pergunta mistério do convidado da semana anterior – Mariana Machado Ballester

Correria 24 horas?

Acho que 24 horas é demasiado. Como não posso correr, faço caminhadas.

Uma mensagem* inspiradora…

Nunca é tarde para realizarmos os nossos sonhos: o meu sonho de menina era ser pintora, e realizei-o aos cinquenta anos.

* Nota: Mensagem em latim significa mens agitat molem, ou seja, “o espírito agita a matéria”.

Por: Sandra Santos (Poeta e Tradutora) e Iara Brito (Criminóloga)*.

(* A redação do artigo é única e exclusivamente da responsabilidade das autoras)

Fotos: DR.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Alta Rotação

Alta rotação, dentro e fora de campo. Têm sido umas semanas intensas
Ir Para Cima