Capítulo 30 – Alimentação em tempo de COVID-19

Abril 1, 2020 Atualidade, Concelho, Educação, Opinião
Sara Barbosa

Os alimentos que comemos podem ajudar o nosso sistema imunitário a fortalecer-se, lembra a Direção Geral da Saúde, embora reconheça que “existe ainda pouca evidência científica sobre a relação entre a doença por SARS-CoV-2 (COVID-19) e a alimentação”.



Começo este artigo por colocar uma questão em aberto. Acha que a alimentação deverá ser adaptada ao período de isolamento social pelo qual estamos todos a passar?

O importante a reter é que devemos fazer uma alimentação saudável e seguir uma dieta estruturada. É importante incluir maioritariamente alimentos que fazem parte de um padrão alimentar saudável, ou seja, alimentos dos diferentes grupos da Roda dos Alimentos e respeitar as proporções recomendadas.

Devemos comer mais fruta e hortícolas, ingerir sopa de legumes ao almoço e ao jantar e também ingerir 3 porções de fruta por dia. A hidratação também é fundamental! Devemos beber por dia 1,5 a 1,9L de água (8 copos de água) – deve adequar conforme as necessidades individuais. Pode aproveitar para recuperar a presença do feijão, do grão e das ervilhas à mesa.

No caso de ter havido uma redução drástica do dispêndio energético, isto é, no caso de a atividade física diária ter reduzido muito, as necessidades energéticas também reduzem e, consequentemente, a ingestão calórica deve ser menor. Não há evidências científicas, cada caso é um caso e deverá ser revisto de forma personalizada.

O aconselhável nesta fase é tentar manter uma rotina de refeições diárias semelhante ao habitual. Devemos evitar snacks com excesso de açúcar e sal ao longo do dia. Aproveite esta oportunidade para dormir bem, fazer exercício físico diário em casa, cuidar de si e cozinhar com os mais novos. Use este tempo livre para os ensinar a cozinhar de forma saudável.

Existem vários cuidados a ter neste período de tempo que poderão evitar pôr-nos em risco. Um deles é elaborar uma lista de compras organizada, que permitirá idas menos frequentes ao supermercado. Para organizar a lista de compras deve verificar os alimentos que ainda tem disponíveis em casa e verificar a capacidade de armazenamento à temperatura de refrigeração e congelação. É importante planear as diferentes refeições que pretende fazer, assegurando a utilização dos alimentos que ainda tem disponíveis em casa.

Deve comprar alimentos com um prazo de validade mais longo. Os alimentos com menor durabilidade podem ser adquiridos, contudo devem estar presentes em menor quantidade e deverão ser os primeiros a consumir. Deve preferir alimentos de elevado valor nutricional em detrimento de alimentos com elevada densidade energética e assegurar a compra de produtos frescos, como fruta e hortícolas, preferindo aqueles que apresentam uma maior durabilidade e/ou produtos hortícolas congelados.

Relembro que este não é o momento para deixar de comer bem e de se preocupar com a sua saúde!

Por: Sara Barbosa*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima