Arquivo de Categorias

Atualidade - page 6

Movimento Democrático das Mulheres lança alerta: “Quando convivemos em isolamento voluntário com um agressor”

Março 22, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

Esta última sexta-feira, na cidade de Vila Nova de Famalicão, surge um novo caso de violência doméstica onde, segundo os órgãos de comunicação social, “a GNR de Famalicão deteve, (…) um homem, de 39 anos, pelo crime de violência doméstica. No decurso de uma denúncia de desacatos entre um casal numa residência (…)”.



A ansiedade e stress psicológico que se sente neste momento de isolamento voluntário provocado pelo novo coronavírus pode tornar-se uma alavanca para as agressões no meio familiar. Por este motivo, a violência doméstica é ainda, ou deveria ser, uma maior preocupação e inquietação do momento, para que sejam tomadas medidas urgentes para travar este aumento que parece evidente.

O Movimento Democrático de Mulheres (MDM) condena e continua atento, alertando as mulheres para o exercício dos seus direitos e para a importância de não se banalizar todo o tipo de violências (doméstica, prostituição, tráfico de seres humanos, violência no namoro, assédio e a exploração laboral), até porque estas, a par da uma dominante cultura do individualismo, são expressões de desigualdades sociais que atingem particularmente as mulheres.

No que toca à violência doméstica, este é um flagelo social que engloba fatores de ordem económica, social, psicológica e cultural sendo muito diversificados os contextos pessoais e sociais. A violência sobre as mulheres na família é uma realidade com uma dimensão inquietante e a que maior condenação acolhe por parte da opinião pública, mas cresce um sentimento de que a lei falha em proteger as vítimas e são necessárias ações concretas e políticas públicas que levem mais longe o combate e prevenção da violência. Daí que seja de extrema importância um caminho de afirmação, ação e luta das mulheres, e o exercício dos seus direitos.

“Nós mulheres, convergimos para agir de forma pública – inscrevendo publicamente a nossa indignação e apelando para que o Governo e outras entidades públicas articulem e criem os adequados mecanismos de intervenção. Os diagnósticos estão feitos, o Governo conhece-os, exige-se, pois que se passe das intenções às medidas concretas. Exige-se que as várias recomendações nacionais e internacionais aprovadas sejam implementadas e articuladas eficazmente”, defende o Movimento.

Neste quadro em que está decretado estado de emergência, o MDM considera essencial e muito importante que se fale do coronavírus e de todas as formas de prevenção e combate para que a saúde pública e a saúde das mulheres e das crianças seja salvaguardada. “É importante que não sejam, mais uma vez, as mulheres e os seus direitos a pagar as consequências de qualquer ineficiência do sistema de saúde e de proteção social bem como dos prováveis constrangimentos económicos e financeiros desta pandemia”, salienta. Porém, o MDM considera “muito importante, também, que se combatam outros tipos de vírus, nomeadamente daqueles que convivem dentro das quatro paredes e que tantas mortes de mulheres tem causado e continuam a causar. É num momento como este que se torna absolutamente crucial manter a atenção e vigilância e se impõe reforçar os meios dedicados à proteção das vítimas de violência doméstica, durante este tempo de incerteza e mesmo para além da pandemia”.

Sendo uma das suas grandes preocupações, o MDM dispõe no seu sítio na Internet (www.mdm.org.pt) de ligação ao “Sistema Queixa Eletrónica”, que facilita a apresentação à GNR, à PSP e ao SEF de queixas e denúncias por via eletrónica, de determinados tipos de crime, nomeadamente, o de Violência Doméstica.

O MDM dispõe, ainda, de uma aplicação desenvolvida pelo mesmo e que está disponível gratuitamente para ajudar pessoas em risco ou em situação de violência doméstica, o “VIVE+AQUI!”, que pode instalar gratuitamente no seu telemóvel.

Esta aplicação é um instrumento complementar, informativo, que pode ajudar a monitorizar situações de conflito. Disponibiliza informação que permite o acesso direto aos serviços de emergência. Informa sobre direitos e procedimentos legais, dá acesso a requerimentos e guias, disponibiliza contactos para ajuda profissional e cria uma área reservada que permite criar contactos próprios de emergência para pedir ajuda de forma discreta e regista, de forma protegida, episódios de violência doméstica.

“No presente, como no passado, o MDM é uma voz na defesa dos direitos, da autonomia e da liberdade das mulheres porque exige efetivar na vida o que está inscrito na lei. Não há igualdade, nem emancipação, enquanto a violência fizer parte da vida das mulheres!”, conclui.

Fonte e imagens: MDM.

Em comunicado, PSD Barcelos afirma não ser Oposição no combate ao COVID-19

Março 22, 2020 em Atualidade, Concelho, Mundo, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

Num extenso comunicado enviado às redações, o PSD Barcelos salienta que não se considera oposição quando se fala de combate ao COVID-19. No entanto, pelo meio, acusa o Presidente da Câmara Municipal de Barcelos, Miguel Costa de Gomes, de “à margem da lei”, não incluir as propostas da Oposição na agenda das reuniões da Câmara e de não responder às suas questões e sugestões.



Segue, na íntegra, o referido comunicado:

«No combate ao COVID-19 o PSD não é Oposição!

O PSD Barcelos participa solidariamente neste combate sanitário e manifesta total solidariedade para com os Barcelenses que estão a sofrer e para com todos aqueles que estão na linha da frente no combate à Pandemia COVID-19, no Concelho de Barcelos.

Como Partido de Oposição nos Órgãos Municipais, Câmara e Assembleia Municipal, o PSD pauta a sua ação política pela apresentação de requerimentos, propostas, recomendações, declarações, sugestões e outros, no sentido de ajudar à tomada das decisões mais favoráveis e benéficas para os Barcelenses.

São o Presidente da Câmara e o executivo PS quem detêm todas as competências da Câmara e os Vereadores da Oposição apenas participam nas reuniões quinzenais do Órgão, sendo que o Presidente da Câmara, à margem da lei, não inclui as propostas da Oposição na agenda das reuniões da Câmara.

Não obstante, o PSD delibera favoravelmente mais de 95% das propostas incluídas nas agendas das reuniões da Câmara e Assembleia Municipal, porque é um Partido de bem-fazer e com elevado sentido de responsabilidade.

Nesta hora difícil, mas de esperança e determinação, manifestamos o nosso profundo apreço e gratidão a todos aqueles Profissionais e/ou Voluntários que nos Hospitais, Unidades de Saúde, Igreja, Município, Juntas de Freguesia, IPCA, Escolas, Empresas, IPSS, Instituições, Órgãos de Comunicação Social, Organismos Públicos e Privados, trabalham com zelo e com dedicação e também apelamos a que assim continuem até ao final desta “guerra” sanitária contra o COVID-19.

Desde a última reunião da Câmara, extraordinária, realizada em 12 de março, o PSD apresentou ao Presidente da Câmara os seguintes assuntos, relativamente aos quais não obteve respostas:

1 – Efeitos do CORONAVÍRUS na economia Barcelense

‘Caixa de entrada

PSD Barcelos <psd.barcelos@gmail.com>

sexta, 13/03, 14:30 (há 8 dias)
[ndr: número de dias em relação à data do comunicado]

para Barcelos, João,

Ex.mo Senhor

Presidente da Câmara Municipal de Barcelos,

Assunto: Efeitos do CORONAVÍRUS na economia Barcelense

Ao abrigo do Estatuto do Direito de Oposição, aprovado pela Lei nº 24/98, de 26 de maio, e, nomeadamente, ao abrigo dos artigos 1º, 2º, 3º e 4º, o PSD vem recomendar a intervenção da Câmara junto do Governo, no sentido da aprovação de um PLANO para ajudar as atividades económicas barcelenses.

Nos termos da Lei nº 24/98, de 26/05, o PSD “tem o direito de ser informado regular e diretamente pelo … órgão executivo (Câmara) sobre o andamento … deste assunto de interesse público”.

O PSD Barcelos manifesta uma profunda preocupação pelos efeitos negativos que a pandemia CORONAVÍRUS ou COVID-19 poderá provocar na economia e na vida pessoal dos Barcelenses.

Apesar do PLANO DE CONTINGÊNCIA do Município de Barcelos, apesar das medidas tomadas pelo Conselho de Ministros de 12 de março, e apesar de felizmente o nosso Concelho e os nossos Concidadãos ainda não terem sido atingidos por esta catástrofe, outros problemas já se começam a manifestar e desde já importa tomar medidas para tentar evitar e conter danos futuros.

Sendo o Concelho de Barcelos dos mais importantes no sector têxtil e com um comércio pujante, importa que a Câmara de Barcelos exorte o Governo a tomar medidas para conter a grave crise que se avizinha nas atividades económicas barcelenses.

Torna-se necessário, com carácter de urgência, um PLANO, para a Indústria e para o Comércio, para defender as Empresas e os postos de trabalho.

Assim,

Recomendamos à Câmara de Barcelos a reivindicação de um PLANO DE CONTENÇÃO DE DANOS, sob pena das EMPRESAS correrem riscos de sobrevivência, com elevado prejuízo para os Trabalhadores e suas Famílias.

Apresentamos respeitosos cumprimentos,’

2 – Reunião da Câmara de 20 de março de 2020

«Caixa de entrada

PSD Barcelos <psd.barcelos@gmail.com>

13/03/2020, 18:52 (há 7 dias) [ndr: número de dias em relação à data do comunicado]

para Barcelos, João,

Ex.mo Senhor

Presidente da Câmara Municipal de Barcelos,

Assunto: Espaço para reunião da Câmara

Tendo em consideração as medidas restritivas anunciadas, em matéria de espaçamentos entre pessoas nos ajuntamentos, propomos ao Sr. Presidente da Câmara Municipal de Barcelos que, na organização da Reunião ordinária da Câmara, a realizar no dia 20 de março, aberta ao público, estejam contempladas essas exigências.

Apresentamos respeitosos cumprimentos,’

3 – Requerimento ao Presidente da Câmara sobre Venda de produtos alimentares na Feira Semanal, Feira Grossista e Mercado

‘PSD Barcelos <psd.barcelos@gmail.com>

terça, 17/03, 22:59 (há 2 dias) [ndr: número de dias em relação à data do comunicado]

para Barcelos, João

Ex.mo Senhor

Presidente da Câmara Municipal de Barcelos

Assunto: Venda de produtos alimentares na Feira Semanal, Feira Grossista e Mercado Municipal

Ao abrigo do Estatuto do Direito de Oposição, aprovado pela Lei nº 24/98, de 26 de maio, e, nomeadamente, ao abrigo dos artigos 1º, 2º, 3º e 4º, o PSD vem solicitar informação sobre a forma de funcionamento do Setor de vendas de produtos alimentares na Feira Semanal, Feira Grossista e Mercado Municipal.

Nos termos da Lei nº 24/98, de 26/05, o PSD “tem o direito de ser informado regular e diretamente pelo … órgão executivo (Câmara) sobre o andamento … deste assunto de interesse público”.

Manifestamos uma profunda preocupação pelos efeitos negativos que a pandemia COVID-19 está a provocar na vida pessoal dos Barcelenses.

O PSD tomou conhecimento do “encerramento parcial e temporariamente da Feira Semanal, a Feira Grossista e o Mercado Municipal, mantendo-se apenas as vendas de produtos alimentares” através de Comunicado emitido pela Câmara de Barcelos no dia 16 de março, na sequência da Reunião extraordinária da Câmara de 12 de março.

Tendo em consideração a pandemia COVID-19, as medidas restritivas já divulgadas publicamente, tomadas nos diferentes níveis de decisão, recomendam maiores espaçamentos entre pessoas nos locais de aglomeração de pessoas, como no caso das Feiras.

O Regulamento de Exercício da Atividade de Comércio a Retalho não sedentário exercida por feirantes, vendedores ambulantes e prestadores de serviços de restauração ou de bebidas do Município de Barcelos foi publicado no DR pelo Aviso n.º 19029/2018, após a sua aprovação pela Assembleia Municipal de Barcelos, em sessão realizada em 30 de novembro de 2018.

Assim, o PSD questiona o seguinte:

1 – Conforme o Regulamento, e neste contexto, “cada feirante (de vendas de produtos alimentares) só pode ocupar a área correspondente ao espaço de venda, cujo direito de ocupação lhe tenha sido atribuído”?

2 – Tendo em consideração o espaço disponível na Feira, devido ao encerramento dos outros Setores, a anormalidade imposta pela pandemia COVID-19, a proteção da saúde de Feirantes e Cidadãos, vai ser efetuada alguma alteração (temporária e extraordinária) do espaço atribuído a cada Feirante?

Apresentamos respeitosos cumprimentos,’

4 – Requerimento ao Presidente da Câmara sobre Atos e Despachos

‘PSD Barcelos <psd.barcelos@gmail.com>

quarta, 18/03, 15:19 (há 23 horas) [ndr: número de horas em relação à data do comunicado]

para Barcelos, João

Ex.mo Senhor

Presidente da Câmara Municipal de Barcelos

Assunto: Atos e Despachos

Ao abrigo do Estatuto do Direito de Oposição, aprovado pela Lei nº 24/98, de 26 de maio, e, nomeadamente, ao abrigo dos artigos 1º, 2º, 3º e 4º, o PSD vem solicitar informação sobre decisões tomadas no âmbito da (re)organização de Serviços Municipais, no contexto de medidas de prevenção à pandemia COVID-19.

Nos termos da Lei nº 24/98, de 26/05, o PSD “tem o direito de ser informado regular e diretamente pelo … órgão executivo (Câmara) sobre o andamento … deste assunto de interesse público”.

O PSD está solidário com os Trabalhadores e manifesta uma profunda preocupação pelos efeitos negativos que a pandemia COVID-19 está a provocar na vida profissional e pessoal dos Trabalhadores do Município de Barcelos.

As medidas restritivas já divulgadas publicamente, e tomadas nos diferentes níveis de decisão, recomendam cuidados acrescidos nos espaços onde se desenvolve a atividade profissional, nomeadamente dos Trabalhadores do Município de Barcelos.

Assim, o PSD vem requerer a seguinte informação:

1 – Cópias dos Despachos e Atos que foram exarados, envolvendo os Trabalhadores do Município, desde o dia 12 de março, inclusive;

2 – Cópias de aprovação ou revogação de Contratos de Prestação de Serviços, desde o dia 12 de março, inclusive;

3 – Cópias de Comunicados ou Notas Informativas emitidas desde o dia 12 de março, inclusive.

Apresentamos respeitosos cumprimentos,’

5 – Requerimento ao Presidente da Câmara sobre o Pagamento do 1º Trimestre do Protocolo 200%

‘PSD Barcelos <psd.barcelos@gmail.com>

sexta, 20/03, 10:27 (há 21 horas) [ndr: número de horas em relação à data do comunicado]

Ex.mo Senhor

Presidente da Câmara Municipal de Barcelos,

Assunto: Pagamento do 1º Trimestre do Protocolo 200%

Ao abrigo do Estatuto do Direito de Oposição, aprovado pela Lei nº 24/98, de 26 de maio, e, nomeadamente, ao abrigo dos artigos 1º, 2º, 3º e 4º, o PSD vem requerer informação sobre o pagamento do 1º Trimestre 2020 do Protocolo 200%.

Nos termos da Lei nº 24/98, de 26/05, o PSD “tem o direito de ser informado regular e diretamente pelo … órgão executivo (Câmara) sobre o andamento … deste assunto de interesse público”.

O PSD Barcelos manifesta uma profunda preocupação pelos efeitos negativos que a pandemia CORONAVÍRUS ou COVID-19 está a provocar na vida das Juntas de Freguesia, Instituições, economia e vida pessoal dos Barcelenses.

O Protocolo 200% foi aprovado na Reunião da Câmara de 18 de fevereiro e na Sessão da Assembleia Municipal de 28 de fevereiro.

A transferência referente ao 1º Trimestre poderia ter sido deliberada na reunião ordinária de 6 de março ou reunião extraordinária de 12 de março, do Executivo Municipal.

A transferência financeira do Município para as Freguesias é uma obrigação legal, em modalidades explícitas na lei, sendo que no Município de Barcelos o executivo adotou manter o modelo do Protocolo 200% e está consignada no Orçamento do Município para o ano de 2020.

O Orçamento das Freguesias para o ano de 2020 tem em consideração as receitas provenientes do Município, através do Protocolo 200% nomeadamente, e o Município tem disponibilidades financeiras na ordem de 17 milhões de euros.

No contexto do combate ao COVID-19, as Juntas de Freguesia estão com responsabilidades e preocupações acrescidas.

Assim,

Requeremos informação sobre a data da transferência da 1ª Prestação do Protocolo 200% para as Juntas de Freguesia, considerando que estamos no final do primeiro trimestre e sugerimos a sua efetivação com a máxima urgência, se ainda não o foi.

Apresentamos respeitosos cumprimentos,’No combate ao COVID-19, no plano em que o Estatuto do Direito de Oposição assim o determinar para os Partidos Políticos com representação municipal em Barcelos, o PSD não será Oposição, mas Colaboração!»

Imagens: DR.

Barcelenses Inspiradores: Bruna Martins

Março 21, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Entrevistas, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

A modelo e manequim Bruna Martins é a convidada desta semana.

Se tiver interesse em participar ou em sugerir alguém inspirador para esta rubrica, escreva para o email: barcelensesinspiradores@outlook.pt.



Bruna Martins nasceu a 28 de setembro de 1998 e é natural de Barcelos. Desde muito cedo, sabe o que é o mundo da Moda, começando por ter sido vencedora de um concurso, com apenas 10 meses de idade. Continuou a trabalhar como modelo, no qual fez catálogos para marcas prestigiadas nacionais e internacionais, como é o caso da Roberto Cavalli, Armani Junior, Zippy, Tiffosi, Zara, entre muitas outras.

Com 6 anos, desfilou no Moda Lisboa, pela primeira vez, sem saber que voltaria a pisar essa passerelle anos mais tarde. Tem formação em representação, mas nunca foi a sua maior paixão.

Em 2010, juntamente com Vítor Baía, foi o rosto da campanha publicitária “O Joãozinho”, no qual o objetivo principal era construir um novo hospital pediátrico no Porto.

Conta com um grande número de desfiles realizados, entre eles, o Portugal Fashion, a Moda Lisboa e o Porto Fashion Week. Também fez editoriais para vários estilistas e marcas, contando já com uma carreira longa e vasta, que continua a evoluir.

Atualmente, está a terminar a licenciatura em Turismo, em Viana do Castelo. Entre conciliar os estudos com o trabalho como modelo, Bruna ainda trabalha como relações públicas/hospedeira no clube Gil Vicente FC, e, há 4 anos, começou a gerir e organizar eventos, uma das áreas que a fascina. Para além de tudo isto, a Bruna faz parte do departamento de Relações Externas da UPrise Talent, uma associação juvenil que surgiu a partir da necessidade de melhoria do sistema educativo, sendo um complemento a este. Muito recentemente, começou a trabalhar como manager numa agência de modelos, a Allure Model Management.

Apaixonada por tudo o que está relacionado com a Moda, mas também pela Cultura, Música e por ajudar o próximo, a Bruna vive de sonhos, de determinação e do querer fazer mais e melhor, sem nunca passar por cima de ninguém. Gosta de viajar e adora estar com a família. Assume que é feliz e sente-se realizada.



Quem és tu? Conta-nos quem és apenas como tu te conheces.

Sou a Bruna Martins, uma jovem ambiciosa, apaixonada por várias áreas, sendo a Moda a que esteve mais presente desde que me lembro. Considero-me uma pessoa educada, humilde, amiga e sonhadora. Fascinada por Música, Artes e Cultura. Adoro viajar e acredito que poder conhecer o nosso mundo é a maior dádiva que podemos ter. Tento sempre ajudar o próximo e não aceito injustiças. Sou muito determinada em lutar pelos meus sonhos e entrego-me de coração a tudo o que faço.

O que fazes é uma extensão de quem és e do teu propósito de vida?

Sem dúvida que sim. Sinto que nasci com um propósito e todos os dias luto para tentar atingi-lo. Gosto de explorar as diversas áreas que me fascinam e sei que, desta forma, estou a construir o meu futuro.

Se pudesses ter a atenção do mundo durante 5 minutos, o que dirias ou farias?

Diria que o maior problema que o mundo tem é a falta de amor, respeito e sensibilidade. E que a solução é amarmo-nos a nós próprios, em primeiro lugar, para, assim, sermos capazes de amar o próximo. Somos todos iguais, apesar de sermos diferentes…

Acredito que chegará o dia em que as culturas se unirão e a guerra e a fome acabarão de vez, mas, até lá, muitas mentalidades têm de mudar.

Qual foi o acontecimento que mais te marcou até hoje?

Apesar de só ter 21 anos, consigo lembrar-me de bastantes acontecimentos que me marcaram. Mas quero salientar um acontecimento que sei que nunca vou esquecer e que me orgulho imenso. Em 2008, como parte da minha carreira profissional enquanto modelo (na altura, ainda com apenas 10 anos), fui convidada para ser o rosto da campanha publicitária “O Joãozinho”, que tinha como objetivo a angariação de fundos para a construção da nova ala pediátrica do Hospital São João. Ao lado do Sr. Vítor Baía, foi com orgulho que fiz parte desta campanha que, mais do que trabalho, significou muito para mim pelo valor solidário.

Realizámos um spot publicitário que passou em vários canais da televisão e a foto de campanha que apareceu em quase todos os jornais portugueses durante 5 anos. Infelizmente, até hoje, ainda não foi construído o hospital pediátrico, mas acredito que esta campanha mudou muitas vidas pelo impacto que teve. E marcou a minha vida, claro.

Curiosidades do Convidado  

Qual é o teu livro preferido? E o teu filme?

Gosto muito de ler, apesar de já não o fazer há demasiado tempo. Mas quero realçar o livro “Podes Ser Tudo”, do Rúben Rua, também modelo. E em relação a filmes, gostei muito dos filmes “Joker” e o “Parasita”, porque ambos retratam bastante bem algumas realidades que, por vezes, não temos perceção.

Qual foi a viagem que mais te marcou?

Gostei muito de visitar Milão. Foi a primeira vez que viajei de avião e este destino estava na minha lista há muito tempo, não só por ser a capital da Moda, mas também pela sua beleza e grandiosidade.

No entanto, no final do ano passado, concretizei um sonho que tive toda a minha vida: visitar Paris e, como não podia deixar de ser, a Disneyland. Sou apaixonada por esta cidade e pela Disney (quem não é?). Superou todas as minhas expectativas e mal posso esperar para lá voltar e viver tudo o que vivi outra vez! Mas qualquer viagem, num destino longe ou perto, pode ser uma experiência fantástica. O importante é manter o espírito aberto e aventureiro.

Que viagem de sonho ainda pretendes realizar?

Adoro destinos paradisíacos, por isso, tenho como sonho ir a Bali, às Maldivas, Tunísia, todos os lugares que sejam rodeados de natureza, história, águas cristalinas e cultura.

Também tenho muita curiosidade em visitar a Polónia, principalmente, o campo de concentração de Auschwitz, porque sempre me fascinou saber mais acerca deste período tão negro e triste que foi o Holocausto.

Qual é a tua atividade de tempo livre preferida?

Ouvir música é, sem dúvida, o que mais faço nos meus tempos livres. Adoro estar com a minha família e descobrir um bocadinho de Portugal sempre que tenho oportunidade.

Qual é a tua maior habilidade?

Penso que a minha maior habilidade é ser modelo, devido ao facto de já trabalhar na moda desde muito pequena e ter muitos anos de experiência.

No entanto, apesar de a Moda ser uma grande parte de mim, tenho como habilidades ser criativa, proativa, persistente e muito profissional. Vejo sempre o lado bom em tudo, quero sempre aprender mais um pouco sobre tudo e tento nunca estar “parada”.

O que seria para ti um dia perfeito?

Para mim, um dia perfeito começa por ser um dia de sol e com um pequeno-almoço pela manhã (sempre!!). Só isso já é o suficiente para ser um dia bom.

Mas, honestamente, basta ser passado com a minha família e que todos estejam bem e felizes para ser um dia perfeito.

Diz-nos um barcelense e um não barcelense que te inspirem e porquê.

Eu inspiro-me com todas as pessoas que vou conhecendo ao longo da minha vida. Sou capaz de tirar algum ensinamento das pessoas que conheço, seja esse positivo ou negativo. E, juntando isso ao facto de eu ser bastante observadora no meu quotidiano, fez com que eu me tornasse a pessoa que sou hoje e a ter noção do que não quero ser.

Porém, posso salientar que tenho como maior inspiração a minha mãe, uma guerreira.

Pergunta mistério do convidado da semana anterior, Raúl Peixoto.

Se o mundo terminasse agora, o que tinha ficado por fazer?

Penso que fiz tudo o que posso para cumprir os meus objetivos, a nível pessoal e profissional, ao mesmo tempo que tento estar sempre presente na vida da minha família e dos meus amigos. Explorei, criei, viajei, ri, amei. Há muita coisa que quero fazer ao longo da minha vida… Mas acho que se o mundo terminasse agora não sentiria que ficou algo por fazer, porque sei que lutei para atingir tudo o que atingi.

Uma mensagem* inspiradora…

Às vezes, os dias são cinzentos, como na vida. Mas, apesar de o sol nem sempre brilhar, ele acorda todos os dias. Por isso, vivam a vida e tirem partido dela, porque tem tanto para oferecer.

Sonhem.

Arrisquem.

Amem-se.

Sejam felizes.

A vida é tão bela.

* Nota: Mensagem em latim significa mens agitat molem, ou seja, “o espírito agita a matéria”.

Por: Sandra Santos (Poeta e Tradutora) e Iara Brito (Criminóloga)*.

(* A redação do artigo é única e exclusivamente da responsabilidade das autoras)

COVID-19: IPCA encerra todas as suas instalações

Março 21, 2020 em Atualidade, Concelho, Educação, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Na sequência das medidas decretadas pelo governo e no âmbito da declaração de Estado de Emergência, o Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) encerrou, desde ontem, todas as suas instalações, Campus e Polos, assegurando, dessa forma, o funcionamento de todos os serviços através do atendimento online e telefónico.



Em comunicado, a Presidente do IPCA, Maria José Fernandes, alertou toda a comunidade académica para a responsabilidade social que lhes é pedida: “O mundo vive, atualmente, um momento excecional que exige de todos nós o máximo de responsabilidade, seja coletiva ou individual, e de acatamento de todas as decisões e ordens que visam, em primeiro lugar, a salvaguarda da vida de todos nós”.

Recordar que a 10 de março, através do Despacho PR nº 28/2020, o IPCA suspendeu todas as atividades letivas presenciais, tendo adotado o regime de ensino a distância, modelo esse, atualmente utilizado a nível nacional por todas as instituições de ensino.

A Presidente fez ainda saber que a atividade letiva decorre “dentro das limitações que algumas unidades curriculares laboratoriais e oficinas oferecem” e que o “modelo em si tem sido um sucesso com elevada aceitação entre os estudantes e os docentes do IPCA”.

Ainda no âmbito de colmatar a propagação do COVID-19 dentro da comunidade académica, o IPCA optou por adotar o regime de teletrabalho para garantir o normal funcionamento dos serviços do IPCA, salvaguardando e protegendo os colaboradores.

Maria José Fernandes agradeceu, ainda, a atitude “positiva, proativa e diferenciadora neste momento tão difícil” de toda a comunidade académica: “A união de toda a comunidade académica IPCA será um fator distintivo e facilitador neste período difícil e conturbado da nossa sociedade”.

As medidas adotadas poderão ser ajustadas ou prorrogadas em função da evolução da situação e da avaliação que, em cada momento, for feita da adequação das medidas agora adotadas à finalidade de controlo da pandemia COVID-19.

Fonte e foto: IPCA.

COVID-19: Tranquilidade cria linha telefónica de primeira assistência para acidentes não relacionados com saúde/doença ou com a pandemia

Março 21, 2020 em Atualidade, Concelho, Economia, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Objetivo é não sobrecarregar SNS e apoiar e proteger os seus clientes

A Tranquilidade disponibiliza, a partir de ontem e para os seus clientes, uma linha telefónica dedicada de primeira assistência para acidentes.



O objetivo desta ação é não sobrecarregar o Serviço Nacional de Saúde e apoiar e proteger os seus clientes em caso de acidentes que não estejam relacionados com situações de emergência ou com problemas de saúde/doença ou COVID-19, que devem continuar a ser encaminhados para o 112 ou linha Saúde SNS24.

Esta linha de triagem e aconselhamento permite uma forma de contacto rápida para acidentes não urgentes que possam ocorrer, por exemplo, em contexto laboral, de acidente de viação ou outro tipo de acidente e funciona todos os dias úteis entre as 9h00 e as 18h00 através do número 210 192 809.

Trata-se de uma plataforma de contacto de âmbito nacional – incluindo regiões autónomas – que é suportada por uma equipa de enfermeiros que avaliam a condição da pessoa que sofreu o acidente e a orientam quanto ao tratamento e assistência.

“A disponibilização deste recurso num reduzido espaço de tempo está alinhada com o objetivo da Tranquilidade de implementar todas as medidas possíveis para apoiar os seus clientes, e todo o país, no atual contexto de epidemia e estado de emergência”, refere a companhia em nota.

Imagem: DR.

COVID-19: Santander disponibiliza serviço médico gratuito aos seus clientes

Março 21, 2020 em Atualidade, Concelho, Economia, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

No sentido de assegurar uma maior segurança e proteção dos clientes face ao COVID-19, o Santander disponibiliza aos seus clientes, de forma gratuita até 30 de junho, o Serviço Médico Online, através da App SafeCare Saúde da Aegon Santander.



Esta App permite ter consultas médicas, despiste de sintomas e obter informações, por telefone ou videochamada, todos os dias durante 24h00 e sem sair de casa, evitando, assim, o risco de contágio. Após a avaliação clínica do médico, pode ainda receber, por SMS ou e-mail, a prescrição médica do teste de despiste ao COVID-19. Os casos suspeitos serão redirecionados para a linha SNS24, seguindo as orientações da Direção Geral de Saúde.

Para os clientes usufruírem destas vantagens, basta instalarem a App SafeCare Saúde no smartphone ou tablet. O acesso gratuito está disponível mesmo para os clientes que não tenham qualquer Seguro de Proteção Santander.

Adicionalmente, o Banco reviu as garantias dos Seguros de Proteção, por forma a alargar o seu âmbito e o acesso a mais serviços, sem custos adicionais.

No Seguro SafeCare Saúde (módulos 2 e 3) serão abrangidas as despesas médicas associadas ao COVID-19 e o teste de despiste por prescrição médica será gratuito.

No Plano Proteção Ordenado, a gripe provocada pelo COVID-19 é considerada na incapacidade temporária por doença dos trabalhadores independentes.

Nos Seguros de Vida, o COVID-19 será aceite no âmbito da cobertura de morte.

Nos Seguros de Vida associados ao Crédito Habitação e Crédito Pessoal, com as coberturas complementares de Proteção ao Crédito e Desemprego, o COVID-19 está incluído em:

– Incapacidade temporária para o trabalho por doença dos trabalhadores por conta de outrem;

– Hospitalização e incapacidade temporária para o trabalho por doença dos trabalhadores independentes.

Imagem: DR.

COVID-19: Operadores de comunicações lançam plano para minimizar impactos

Março 21, 2020 em Atualidade, Concelho, Economia, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

“No âmbito do atual Estado de Emergência decretado pelo Presidente da República, onde os cidadãos são chamados a permanecer em casa, as empresas de comunicações eletrónicas têm uma especial responsabilidade em garantir, na medida do possível, as condições de bom funcionamento dos serviços de comunicações, em particular a clientes e entidades críticas, bem como a proteção das operações em infraestruturas cruciais”, refere nota envia às redações.



Nesse sentido, a MEO, a NOS e a Vodafone, neste momento crítico sem precedentes, decidiram unir esforços e apresentaram ao Governo um plano para minimizar os impactos da pandemia em Portugal, composto por seis eixos de atuação:

1. Manter a qualidade de serviço das redes de comunicações

2. Assegurar a capacidade de rede necessária para funções críticas do Estado

3. Promover a contenção da expansão do vírus

4. Alertar para procedimentos antifraude

5. Contribuir para o incentivo ao teletrabalho nas empresas

6. Apoiar a comunidade

Estas medidas, apresentadas pelos três operadores, estarão em vigor por tempo indeterminado e serão revistas e/ou ajustadas em função da evolução da situação.

1. Manter a qualidade de serviço das redes de comunicações

Assegurar a integridade e continuidade das suas redes e serviços para garantir o bom funcionamento das comunicações eletrónicas em Portugal é o principal foco dos operadores. Esta condição é fundamental para que os portugueses possam estar em casa permanentemente e, a partir de casa, possam trabalhar, aprender, manter contactos sociais e entreter-se, por um período cuja duração é ainda incerta.

Os operadores têm vindo a reforçar a capacidade das suas redes, de modo a orientar essa capacidade para a geografia onde os utilizadores passaram a estar, mais nas suas residências, e menos nos centros de escritórios e empresariais.

“As redes já estão dimensionadas para suportar as horas de pico e também estão preparadas para responder a um acréscimo de tráfego, nomeadamente residencial, mas é essencial realizar uma utilização responsável da Internet e de acordo com as melhores práticas, de modo a prevenir eventuais congestionamentos das redes e a perturbação dos serviços de comunicações eletrónicas essenciais para as comunicações interpessoais (voz e SMS), para o ensino e trabalho à distância” refere a nota.

As operadoras têm ainda tomado várias medidas no sentido de garantir que as suas equipas estão disponíveis, remotamente sempre que possível, e fisicamente quando estritamente essencial e viável, para assegurar a continuidade das operações e toda a assistência técnica que seja necessária.

2. Assegurar capacidade de rede necessária para funções críticas do Estado

Os operadores irão assegurar que as funções críticas do Estado mantêm total conetividade, promovendo um reforço de rede onde ele seja mais necessário, e mantendo um diálogo próximo com o Governo, no sentido de, em tempo real, manter e reforçar essa conetividade dentro dos condicionalismos existentes.

3. Promover a contenção da expansão do vírus

Os operadores têm vindo a adotar medidas que visam conter a expansão do vírus, com especial destaque para a promoção do teletrabalho constante no ponto 5, mas igualmente, no que se refere às atividades de relação com clientes. Nesse contexto, e sem prejuízo das normas legais e em particular as vigentes no período de Declaração do Estado de Emergência, os operadores recomendam fortemente a adoção das seguintes medidas enquanto se mantiver ativo o risco de contágio:

• Suspensão de toda a atividade comercial presencial;

• Restrições aos horários dos pontos de atendimento ao público (aplicável apenas no caso de imposição legal dessa obrigatoriedade);

• Promoção de uma maior racionalização da rede de lojas sujeitas à obrigatoriedade de abertura, mediante permanente avaliação perante níveis de procura, disponibilidade de recursos e cobertura geográfica;

• Rotação dos recursos de atendimento nos espaços comerciais em funcionamento, dentro das condicionantes existentes;

• Promoção e comunicação de informações e recomendações, junto dos seus colaboradores e clientes, em alinhamento com os conteúdos programáticos da Direção Geral de Saúde e outras autoridades competentes, relativamente a boas práticas de prevenção do contágio, com especial atenção à garantia de manutenção de distâncias de segurança;

• Divulgação junto dos seus colaboradores e clientes de regras de boa utilização dos serviços prestados de modo a assegurar a continuidade dos mesmos na atual situação de emergência (por exemplo, privilegiar canais digitais em detrimento dos presenciais).

4. Alertar para procedimentos antifraude

Perante a atuação de terceiros que indevidamente se intitulam como representantes dos três operadores, a MEO, a NOS e a Vodafone esclarecem sobre os procedimentos operacionais que já vigoravam, alertando para:

• Nenhum destes operadores realizará visitas presenciais, de sua iniciativa, sem um pedido prévio de assistência por parte do cliente;

• As deslocações ao domicílio dos clientes apenas se realizam por motivos de falhas técnicas e avarias, sempre a pedido próprio do cliente;

• Qualquer visita ao domicílio só acontece com agendamento prévio com o cliente, por via telefónica, através das linhas habituais;

• Todos os técnicos e equipas operacionais dos operadores estão munidos do respetivo cartão de identificação, sendo que a sua exibição deverá ser exigida pelo cliente antes de dar entrada na habitação.

5. Contribuir para o incentivo ao teletrabalho nas empresas

Com o objetivo de promover o teletrabalho, os operadores adotaram, desde a primeira hora, as seguintes práticas (que recomendam às restantes instituições públicas e privadas):

• Adoção de sistemas de VPN (redes privadas virtuais) para garantir o acesso remoto dos colaboradores aos sistemas das empresas;

• Dotação, sempre que possível, dos colaboradores com equipamentos portáteis e de serviços de acesso à Internet;

• Utilização de sistemas de segurança de acesso remoto (ex.: firewalls);

• Adoção de ferramentas colaborativas e de videoconferência.

Adicionalmente aconselham:

• Identificação das equipas/funções essenciais à continuidade do negócio;

• Implementação do teletrabalho total às equipas não essenciais;

• Implementação de teletrabalho em regime de rotatividade para equipas internas essenciais à continuidade do negócio;

• Adoção de procedimento de medição de temperatura à entrada dos escritórios;

• Definição de regras de distanciamento mínimo de 2 metros procedendo, se necessário, à redefinição dos postos de trabalho;

• Medidas reforçadas de higienização das instalações que se mantenham abertas ao público ou dos espaços de escritórios onde os colaboradores responsáveis por funções essenciais à continuidade do negócio tenham de permanecer, onde se incluem:

(i) aplicação de regras de clean desk;

(ii) disponibilização de dispensadores com desinfetantes para mãos em pontos estratégicos de circulação das pessoas (Ex.: entrada dos edifícios, elevadores, etc.), garantindo a gestão eficiente dos produtos em causa, atendendo à escassez dos mesmos e à canalização prioritária de desinfetantes para organismos de saúde;

(iii) rotinas de limpeza reforçadas aos puxadores / trincos das portas, corrimãos, botões de chamada e interiores de elevadores, máquinas de vending e outras superfícies onde o contacto físico ocorre de modo recorrente;

(iv) Portas de acesso (interiores) devem manter-se abertas para redução do contacto físico.

Além do incentivo ao teletrabalho dentro das suas organizações, e de forma a minimizar os impactos que a COVID-19 está a ter na vida dos Portugueses, os operadores MEO, NOS e Vodafone oferecem, por um período de 30 dias, 10GB de dados aos seus clientes particulares e empresariais de serviço telefónico móvel.

6. Apoiar a comunidade

Assegurar a manutenção de níveis de conetividade à comunidade é o objetivo primordial dos operadores.

Porém, conscientes do impacto radical da mudança do modo de vida, de trabalho e de ensino, resultantes do tempo de crise excecional que vivemos, os operadores, com o objetivo de minorar as consequências do isolamento, tomaram a decisão, juntamente com a Sport TV, BTV e Eleven Sports, de não cobrar a mensalidade aos clientes.

Adicionalmente, como acima identificado, os operadores anunciaram a oferta de 10GB de dados aos seus clientes de serviço telefónico móvel.

Nos esforços de apoio à comunidade escolar os operadores têm dedicado igualmente especial atenção à utilização da Internet que viabilize soluções de ensino online e à distância.

Os operadores têm, também, através dos canais digitais de contacto, como o SMS e o e-mail, informado e sensibilizado os clientes para que privilegiem a utilização dos canais digitais em detrimento dos canais presenciais.

Dependendo da evolução, os operadores estão, ainda, a articular medidas de reforço que possam contribuir para que o isolamento social permita, numa fase posterior, o mais rápido regresso à normalidade.

Imagens: DR (alteradas).

COVID-19: Município de Barcelos apela à separação de lixo doméstico e suspende recolha de “monstros”

Março 20, 2020 em Atualidade, Concelho, Mundo, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

A permanência na habitação é uma das principais formas de prevenir a propagação do novo Coronavírus/COVID-19, que a declaração do Estado de Emergência veio reforçar ao impor limites à circulação de pessoas.



Estando, neste momento, muitas famílias confinadas à sua habitação, como medida preventiva, é de esperar que aumente a produção de lixo doméstico.

Por isso, a Câmara Municipal de Barcelos lançou um apelo ao sentido cívico dos barcelenses para que reduzam a quantidade de lixo indiferenciado, que separem os resíduos e coloquem-no nos respetivos contentores, seguindo as indicações de reciclagem de produtos e embalagens.

Por outro lado, e tendo em conta as recomendações da Direção Geral da Saúde e os despachos internos do Município, tendo em vista a prevenção da propagação do vírus COVID-19, está suspenso o serviço de recolha e entrega de objetos volumosos fora de uso (monstros). No entanto, apela-se a que não coloquem esses “monstros” em locais como bermas de estradas, ao lado de contentores ou em locais ermos (matas, bouças, campos, descampados, entre outros).

Os pedidos feitos serão satisfeitos logo que estejam reunidas as condições sanitárias para tal.

Fonte e imagens: CMB.

COVID-19: Resulima apela a novos cuidados na deposição dos resíduos

Março 20, 2020 em Atualidade, Concelho, Economia, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Durante o combate à pandemia, a Resulima solicita à população que todos cumpram novas regras no manuseamento do lixo doméstico:



1. Se tiver, na sua família, pessoas infetadas (ou com essa suspeita) lembre-se que os seus resíduos também podem estar infetados. Nesse caso deverá:

  • Colocar os resíduos em sacos de lixo resistentes e descartáveis, com enchimento até 2/3 (dois terços) da sua capacidade – não encher totalmente os sacos;
  • Os sacos devidamente fechados devem ser colocados dentro de um segundo saco, devidamente fechado, e este deve ser depositado no contentor de lixo comum (resíduos indiferenciados).
  • Os sacos devem ser sempre colocados dentro do contentor – não deixe o saco no chão. Se estiver cheio, coloque no contentor mais próximo ou utilize quando estiver disponível.

2. Para além disso, as máscaras, luvas e lenços devem ser sempre colocados no contentor do lixo comum.

Os trabalhadores da Resulima continuam, todos os dias, a contribuir para a limpeza das nossas ruas, através da recolha seletiva, e a garantir o tratamento dos nossos resíduos. A melhor forma de lhes agradecer é partilhar e cumprir estas regras e ser compreensivo para com as adaptações à recolha que o seu município e a Resulima poderão ter de fazer.

A Resulima é responsável pelo tratamento e valorização de resíduos urbanos de 6 municípios da zona do Vale do Lima e Baixo Cávado: Arcos de Valdevez, Barcelos, Esposende, Ponte da Barca, Ponte de Lima e Viana do Castelo. A Resulima serve cerca de 321 mil habitantes, numa área geográfica de 1.743 km2.

Imagens: DR.

COVID-19: Academia João Capela oferece aulas de dança online grátis para todos

Março 19, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

No sentido de “ajudar a facilitar estes tempos difíceis que todos estamos a passar”, a barcelense Academia João Capela decidiu criar um programa de aulas de dança online e grátis para todos.



A referida Academia lançou a iniciativa na última segunda-feira, dia 16 de março, e já recebeu e-mails de agradecimento de vários locais, inclusivamente, do Canadá.

“A ideia nasceu da necessidade de deixar os nossos alunos atualizados durante este interregno, criando uma área privada com vídeos. No entanto, achámos que seria interessante abrir ao público em geral”, refere João Capela.

“Queremos, desta forma, levar a dança e a alegria a muitas casas, onde o dia se passa a assistir a notícias, cada vez mais tristes e negativas. Assim, qualquer um com acesso à Internet tem, agora, a oportunidade de aprender a dançar a partir de casa, ao mesmo tempo que faz exercício, e tem uma atividade em família, sem sombra de dúvida, divertida e diferente”, conclui o responsável, salientando que estão a realizar esta atividade “sem vista a lucrar, mas sim, a proporcionar algo de bom e positivo a todos os portugueses e comunidades portuguesas pelo mundo”.

Para o efeito, a Academia criou uma página online onde poderá encontrar mais informações: http://academiajoaocapela.com/aulasdedancaonline/ ou aceder a www.academiajoaocapela.com, onde encontrará todas as informações.

Imagem: DR.

1 4 5 6 7 8 513
Ir Para Cima