Arquivo de Categorias

CONTEÚDO PATROCINADO

Gestão de Resíduos: KIGREEN plataforma certificada pela Agência Portuguesa do Ambiente

Junho 29, 2021 em Ambiente, CONTEÚDO PATROCINADO Por barcelosnahorabarcelosnahora

As políticas de Ambiente nas últimas décadas têm vindo a ganhar relevância a nível Global, assim como, a gestão de resíduos e a escassez de recursos. No contexto destas políticas, a gestão sustentável dos resíduos é uma prioridade para a União Europeia. Em Portugal, com a transposição de diretivas Europeias, essa Gestão e controlo tornou-se também essencial, fazendo com que as organizações e entidades licenciadas possuam Sistemas de Informação adequados para o cumprimento das obrigações legais.

O futuro sustentável passa sobretudo pelas políticas de ambiente, que, apesar de serem um tema relativamente recente, representam uma prioridade a nível Mundial. No caso de Portugal a sua evolução é promovida principalmente por pressões externas, nomeadamente por diretivas comunitárias

A Agência Portuguesa do Ambiente, I.P (APA) têm um papel muito importante na aplicação das políticas públicas de ambiente em Portugal, é também da sua competência divulgar informação relevante de âmbito comunitário no que concerne a temas e questões de ambiente e desenvolvimento sustentável.

O registo na página da APA, I.P., dos Operadores de Gestão de Resíduos é obrigatória, assim como a atribuição de um perfil de utilizador, que permitirá a realização das operações necessárias assim como a emissão das Guias Eletrónicas de Acompanhamento de Resíduos.

É indiscutível a importância dos sistemas de informação nas organizações, tanto pelo apoio á tomada de decisão como pela forma rápida e segura que temos acesso a toda a informação relevante da organização.

O caso da KIGREEN, foi criada pela necessidade de possibilitar aos Operadores de Gestão Resíduos (OGR´s), o acesso à informação, numa plataforma online, disponível 24 horas por dia, em qualquer local do mundo, que substituísse a tradicional base de dados instalada localmente num único computador.

Imagem: Kigreen software

A Plataforma KIGREEN é composta por um software inovador de gestão de resíduos e uma APP móvel, compatível com o SILIAMB e certificado pela APA, I. P.

A KIGREEN tem como principais clientes Operadores de Gestão de Resíduos (OGR), entidades licenciadas que operam recolha de óleos alimentares usados (OAU), certificados pela International Sustainability & Carbon Certification (ISCC).

A plataforma KIGREEN realiza o planeamento de rotas otimizadas e sustentáveis, através da georreferenciação dos clientes. A base de dados possibilita a emissão de vários relatórios, produtividade, índice de produtividade por cliente, entre outros que auxiliam e apoiam a gestão na tomada de decisão. A emissão das e-GAR´s, constituindo-se uma das principais funções.

Esta plataforma pode ser usada na operação de recolha/transporte de qualquer resíduo, atualmente é utilizada na sua grande maioria por OGR´s que operam na recolha de OAU.

A Kigreen fornece uma aplicação nativa em Android que comunica e faz consultas de pontos de recolha e desta forma podem ser feitos pedidos de emissão de guia através do Webservice privado da OGR.


Para saber mais clique aqui.

Foto: Pixels

Primeiro Agente Valores abre em Barcelos

Maio 13, 2021 em Atualidade, Concelho, CONTEÚDO PATROCINADO Por barcelosnahorabarcelosnahora

O primeiro Agente Valores abre em Barcelos num espaço de 200m2 dedicado ao design de interiores, dos quais 15m2 estão reservados aos serviços de compra e venda de ouro. Desta feita, o agente Valores – Silva / Barcelos HomeArt  integra dois serviços e maximiza a rentabilidade do negócio, alocando ao ouro um dos quatro colaboradores.

A Valores desenvolve este modelo de negócio inovador numa altura em que cada vez mais pessoas precisam de fazer face a necessidades de tesouraria familiar para suprir necessidades momentâneas e concretizar projetos adiados, e o ouro regista um valor de 50€/gr e a onça está próxima dos 2000 USD.

“O investimento de 10 mil euros é feito pela Valores e estima-se que seja recuperado no primeiro ano. Os planos para o agente apontam uma rentabilidade de 100 mil euros em seis anos”, refere JChester, CEO Valores. Os “nossos agentes são essencialmente empresas e empresários em nome individual: gabinetes de contabilidade, agências de seguros, imobiliárias, agências de viagens, ‘stands’ de automóveis, nomeadamente”, adianta. Na prática, o agente cria um espaço de a partir de quatro metros quadrados nas instalações próprias, recebe formação e disponibiliza os serviços de comercialização e reciclagem de metais preciosos.

DÂNIA NETO EMBAIXATRIZ VALORES

A parceria prevê a utilização da imagem da actriz em ações de marketing, nos próximos dois anos. Assim, Dânia Neto vai ser presença regular não só nas redes sociais mas também na rede de agências. A Valores tem vindo a associar-se a diversas figuras públicas – Rita Pereira foi das embaixatrizes mais emblemáticas da marca! 

SOBRE A VALORES – ESPECIALISTAS EM OURO

A Valores tem 46 agências abertas, das quais 18 franchisadas. A empresa dedica-se à comercialização e reciclagem de metais preciosos, desde 2008, com o principal objectivo de proporcionar aos consumidores uma forma segura, conveniente e confiável de vender objetos em ouro, platina e prata e também jóias.

Inovou na criação do negócio em regime de franchising, tendo uma rede de 230 agências abertas em 2011. Depois, deixou de franchisar por vários anos, por opção. Composta por uma equipa de cerca de meia centena de profissionais com uma vasta experiência na avaliação de jóias e na transformação de metais preciosos para a indústria e investidores.

“A Valores deverá fechar 2021 com um volume de faturação de 20M€, contra os 9M€ de 2020”, conclui o CEO.

Preço do Imobiliário Sobe 0,5% em Janeiro

Março 8, 2021 em Atualidade, Compras, CONTEÚDO PATROCINADO, Economia, Mundo, Portugal Por barcelosnahorabarcelosnahora

Um início de ano atribulado que tenta a todo o custo virar a página do anterior. Com desafios incógnitos por diante, existe ainda um receio instalado acerca dos efeitos a médio e longo prazo provocados pela pandemia.

Com duas crises profundas no espaço de uma década, o impacto em mais que uma geração é transversal a praticamente toda a sociedade portuguesa. Os efeitos são conhecidos de todos. Comércio encerrado, a atividade turística suspensa e um sem-número de outras atividades em permanente luta para manter alguma perspetiva de futuro.

Nem todos os segmentos da atividade estão, felizmente, sujeitos a uma total paralisação. Entre eles, o imobiliário nacional, que continua a registar valores positivos. Esta é não só uma boa notícia para quem nele tem interesse, mas também para uma economia em suspenso onde toda a riqueza criada se torna ainda mais essencial.

Será Agora o Momento de Comprar?

Quem melhor o poderá indicar são as estatísticas presentes no mais recente barómetro do imobiliário nacional da Imovirtual. A evolução entre dezembro de 2020 e janeiro de 2021 registou um crescimento na ordem dos 0,5%. Em termos práticos, tal coloca o valor médio de venda nos €347.955, ligeiramente acima dos €346.386 do mês anterior.

Nos distritos onde ainda é possível encontrar habitação a preços económicos, o panorama é seguramente mais apelativo. O preço médio das casas em Bragança situa-se em janeiro nos €214.479, um decréscimo de -1,6% em relação ao mês anterior.

No mesmo sentido segue Évora, onde a quebra é mais acentuada e na ordem dos -4,7% ao estabelecer o preço médio de venda mais recente nos €194.801. É precisamente esta variação em baixa que poderá indicar um momento ideal para avançar para uma aquisição.

Outros exemplos como a Guarda, onde o valor médio de venda se situa agora nos €119.444 ou Portalegre, com €113.037 sugerem também uma janela de oportunidade temporária que, ao contrário dos anteriormente mencionados, registaram uma subida de 3,1% e 0,4% respetivamente.

Preços de Venda a Verde

O elevado valor da média nacional, muito para além das capacidades dos portugueses com níveis de rendimentos médios, é em muito impulsionados pelo mercado de luxo nos grandes centros urbanos. Lisboa, Porto, Faro e até a Região da Madeira têm ao longo dos últimos anos assistido a uma escalada de preços à boleia da crescente procura turística.

Lisboa é indiscutivelmente dona do lugar cimeiro desta tabela, com um valor médio de venda em janeiro de 2021 de €556.290. No que toca ao arrendamento, o quadro é bastante semelhante, com um valor médio praticado de €1.314.

Faro, em muito marcado pelo mercado de luxo, coloca os valores médios de venda nos €451.194 e o arrendamento, numa liga completamente distinta, nos €865. A Região Autónoma da Madeira cimenta o terceiro posto com €333.773 na média do mercado de venda e €845 no arrendamento. Por fim, o Porto ocupa um honroso quarto lugar, com €309.469 como valor médio de venda e €868 no arrendamento.

O quer que o futuro traga ao imobiliário nacional, parece ser muito provável que continuará a ser encarado como um mundo de oportunidades para muitos. Parece claro que a resiliência é o termo que melhor o caracteriza, acrescido de um potencial com muito espaço por explorar.

Ir Para Cima