Arquivo de Categorias

Mundo

Eurofica…Euronãofica

Setembro 25, 2020 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião Por barcelosnahorabarcelosnahora
Hugo Pinto

Iniciada a temporada atípica de 20/21 e o nosso amado vermelhinho leva já dois jogos realizados. Um para a Liga dos Campeões, outro para a Liga Portuguesa.



No primeiro caso, longe de termos sido felizes. Jogou-se bem, até, com um fortíssimo domínio do Benfica na primeira parte, com uma ligeira decaída do domínio do jogo na segunda. O Problema é que com avançados como Seferovic ninguém consegue ganhar coisa nenhuma. Recordo quando, na despedida de Jonas, André Almeida dizia, a respeito daquele, que “até podia centrar-lhe uma cadeira” que o homem fazia golo. E isto é, basicamente, o que distingue um grande craque de um “penteadinho” que está só em campo à espera que alguém lhe acerte com a bola e esta escorra para a Baliza. Concretamente, Seferovic falha duas oportunidades flagrantes em que opta por pentear a “poupa” com a bola, em vez de a cabecear decididamente para a Baliza. Repito, com avançados assim, ninguém ganha jogos. E, vá-se lá saber porquê, quer Bruno Lage, quer JJ, deram oportunidades a este verdadeiro cepo. Inclusivamente, tive oportunidade de ver este homem jogar, ao vivo, e é desesperante a sua displicência face a todo o processo de jogo. Como se costuma dizer, é como jogar com um a menos. Só vejo uma situação possível para JJ o ter posto a jogar: enterrá-lo de vez! Tchau Haris! Entretanto, o resultado de tudo isto é o Benfica fora da Champions e 50 milhões (… 50.000.000… minha nossa…) de euros e esvoaçar para longe… Consequência: Rúben Dias negociado por 60 milhões…e mais um “veterano” a caminho…

Já no jogo da Liga, que se esperava difícil, acabou por ser um passeio no parque. Cinco golos sem resposta, muito à imagem do que são os jogos orientados por JJ. E vejam bem, sem Seferovic. Sem surpresas, portanto. E, sim, gosto de um treinador que, a ganhar por 5-0, grita para dentro do campo: Vamos! Vamos fazer mais golos! Não se trata de humilhar o adversário. Trata-se, antes, de respeito pelo adepto que vai ao estádio, paga o ingresso e quer ver espetáculo. Sim, para mim futebol tem de ter a tão propalada nota artística. Se não, mais vale ir à Opera, que as há bem interessantes.

Segue-se o Moreirense, na Luz. Em princípio, os cónegos não serão adversário à altura do Benfica. Mas nesta fase da época, tudo é possível. Esperemos, então, que tudo corra bem e que sejamos presenteados com um bom espetáculo, com elevada nota artística… e golos. Muitos Golos.

Viva o Benfica.

E pluribus unum

Por: Hugo Pinto*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Serviços públicos essenciais em tempos de pandemia: Direitos excecionais e temporários terminam a 30 de setembro

Setembro 25, 2020 em Atualidade, Concelho, Economia, Mundo, Opinião Por barcelosnahorabarcelosnahora

A DECO alerta todos os consumidores para o término dos direitos excecionais e temporários relativos aos serviços essenciais no próximo dia 30 de setembro. Estas medidas foram publicadas perante o estado de pandemia provocado pela COVID-19 para apoiar todos os consumidores e garantir o seu acesso aos serviços públicos essenciais, como são o fornecimento de eletricidade, gás natural, água e os serviços de telecomunicações.



A DECO relembra que o fornecimento de eletricidade, gás natural, água e os serviços de telecomunicações não podem ser cortados, ainda que por falta de pagamento das faturas, em caso de situação de desemprego, de quebra de rendimentos do agregado familiar igual ou superior a 20% ou de infeção por COVID-19.

Para todas as faturas que estejam em atraso desde 20 de março, o consumidor poderá solicitar um plano de pagamentos em prestações mensais, sem juros, o qual pode iniciar-se apenas no mês de novembro.

Os consumidores que se encontrem em situação de desemprego, ou de quebra de rendimentos do agregado familiar igual ou superior a 20% face aos rendimentos do mês anterior, podem cancelar o seu contrato de telecomunicações sem qualquer penalização. Em alternativa, e nas mesmas condições, podem solicitar a suspensão do contrato de telecomunicações, sem penalizações, retomando-o a 1 de outubro de 2020.

Serviços (Imagem: DR)

A DECO reforça que estes direitos terminarão no dia 30 de setembro de 2020.

Continuaremos a acompanhar o impacto social e económico desta pandemia e faremos tudo para salvaguardar e garantir a defesa dos direitos e legítimos interesses dos consumidores.

Para mais informações, a DECO – Delegação Regional do Minho encontra-se disponível na Avenida Batalhão Caçadores 9, Viana do Castelo, mediante agendamento obrigatório, através do 258 821 083 ou para o email deco.minho@deco.pt .

Por: DECO – Delegação Regional do Minho*.

“Os Verdes” questionam as condições de Abertura do Ano Letivo

Setembro 24, 2020 em Atualidade, Concelho, Educação, Mundo, Política Por barcelosnahorabarcelosnahora

Escola barcelense serve de exemplo na argumentação

A deputada Mariana Silva, do Grupo Parlamentar “Os Verdes”, entregou na Assembleia da República uma pergunta, questionando o Governo através do Ministério da Educação, sobre o início do ano letivo 2020/2021 que levou a ajustamento horário e de oferta educativa, afetando a organização da vida familiar e profissional das famílias na medida em que não conseguem acompanhar as alterações de horários escolares, por outro lado persistem muitas dúvidas quanto ao reforço dos transportes escolares e a falta de pessoal docentes e não docente.



Segue-se, na íntegra, a referida pergunta e argumentos iniciais:

«Pergunta:

A abertura dos estabelecimentos públicos de ensino no início do ano letivo 2020/2021, com o regresso dos alunos ao regime presencial, revelou as fragilidades e carências de recursos humanos de inúmeras escolas, criando sérias dificuldades para colocar em marcha os planos de contingência traçados pelos agrupamentos escolares.

Alterações aos horários de funcionamento das escolas, com escolas a encerrarem mais cedo do que o previsto, encerramento de escolas por falta de funcionários e protestos da comunidade educativa, face à falta de condições de garantia do cumprimento de normas básicas, tal como como o distanciamento recomendável no contexto da sala de aula, evidenciaram que o Ministério da Educação (ME) poderia ter feito um maior investimento para reforçar a segurança, o acompanhamento dos alunos e compensar de forma significativa todos aqueles que voltando à normalidade têm que adotar e fazer adotar comportamentos adequados à situação pandémica, o que exige um esforço acrescido.

Após um período de ensino à distância, imposto pelo contexto da pandemia provocada pelo COVID-19, que conduziu a perdas significativas do ponto de vista pedagógico, a enormes desafios ao salutar desenvolvimento cognitivo e social, impediu um acompanhamento de proximidade das carências e dificuldades sentidas por alunos e as suas famílias, não obstante o empenho de muitos professores, o ensino presencial é agora retomado e aquilo que todos desejam é que decorra com normalidade cumprindo as normas que assegurem a prevenção do contágio pelo vírus, tais como, a higienização adequada, e que seja garantida a segurança da comunidade escolar e das famílias.

Os constrangimentos na contratação de assistentes operacionais são um problema em muitas escolas, que se agravou com as necessidades acrescidas. Vários são os exemplos de escolas que não conseguem cumprir com as necessidades, porque não se fez a contratação atempada de assistentes operacionais necessários.

A Escola Básica e Secundária de Canelas, em Vila Nova de Gaia, encerra mais cedo que o horário previsto; a EB1 de Ponte Pedrinha falhou o dia previsto para o início das aulas por falta de funcionários; a Escola Básica e Jardim de Infância do Bárrio, em Barcelos, que terá encerrado salas enquanto são criadas, pela primeira vez, turmas mistas com alunos que partilham as mesas, não havendo condições para o distanciamento, são situações que facilmente podiam ser colmatadas pela tutela.

Interior de uma das salas da Escola Básica 1 de Bárrio – Roriz, em Barcelos (Foto: DR)

Apesar de o Ministério da Educação ter anunciado a contratação de mais 800 assistentes operacionais para as escolas, 500 correspondem a renovações de contrato, pelo que apenas se pode falar num efetivo reforço de 300 operacionais. Para inúmeras escolas este reforço não existe e nos casos em que tal se verifica é manifestamente insuficiente.

Para responder eficazmente à pandemia, manter as escolas abertas e evitar o retorno ao modelo de ensino à distância, o Governo não se pode demitir da sua responsabilidade e empurrar para os municípios, alguns dos quais com dificuldades na gestão e no recrutamento de pessoal, para responder à urgente mobilização de meios humanos para fazer face às exigências atuais.

Perante a necessidade de compensar as aprendizagens do ano letivo anterior, o reforço que deve ser extensível ao pessoal docente e aos psicólogos, por forma a responder às situações de dificuldades de aprendizagem, insucesso e de abandono escolar, promovendo um melhor acompanhamento psicossocial dos alunos para quem estes 6 meses de afastamento físico da escola tiveram repercussões preocupantes para o seu percurso académico.

De acordo com dados disponibilizados pela FENPROF, o reforço do número de professores nas escolas, que segundo o Governo se traduziria em mais de 2500 docentes, não terá tido lugar em 81,5% dos Agrupamentos de Escolas e Escolas Não Agrupadas (AE/ENA).

É igualmente motivo de grande preocupação a ausência de investimento no reforço de docentes, técnicos especializados ou pessoal auxiliar para os alunos com Necessidades Educativas Especiais, o que, segundo a mesma fonte não está a acontecer em 61% dos AE/ENA.

O alargamento do horário escolar e a higienização dos espaços exige que, entre outras preocupações, seja possível substituir em tempo útil assistentes operacionais em falta.

As bolsas de contratação de pessoal não docente para processos de substituição apenas abrangem as escolas que tiveram autorização para abrir concurso para o recrutamento destes profissionais. Para as escolas que são da responsabilidade das autarquias e que correspondem a mais de um terço, estas bolsas não se aplicam.

O Ministério da Educação anuncia, há muito, a revisão da portaria dos rácios que define o número de auxiliares que cada escola tem de ter. Em declarações à comunicação social no dia 18 de setembro, o Primeiro Ministro anuncia o aumento desse rácio para breve. Importa, pois, que o seu cálculo tenha em atenção as necessidades e especificidades dos agrupamentos e escolas de modo a tornar eficaz a sua aplicação e que a mesma se traduza num aumento significativo e efetivo do número de auxiliares.

A agravar esta situação, não estão a ser salvaguardados critérios de redução da dimensão das turmas e grupos de alunos em contexto e sala de aula, em muitos casos porque as instalações não o permitem.

O arranque do ano letivo, com o novo ajustamento horário e de oferta educativa, afeta a organização da vida familiar e profissional das famílias na medida em que não conseguem acompanhar as alterações de horários escolares e por outro lado persistem muitas dúvidas quanto ao reforço dos transportes escolares.

Assim, ao abrigo das disposições constitucionais e regimentais aplicáveis, solicito a S. Exª O Presidente da Assembleia da República que remeta ao Governo a seguinte Pergunta, para que o Ministério da Educação, possa prestar os seguintes esclarecimentos:

1. Qual o número de turmas mistas que integram alunos de diferentes anos de escolaridade, no ano letivo que agora se inicia?

2. O ME orientou as escolas e agrupamentos, no sentido de encontrar alternativas às turmas mistas neste ano letivo?

3. Quais os estabelecimentos de ensino e agrupamentos com turmas mistas que dispõem de salas que permitiriam assegurar turmas apenas com alunos de um ano de escolaridade?

4. Pretende o ME estender as bolsas de contratação de pessoal não docente às escolas e agrupamentos que não tenham aberto concurso para recrutamento destes profissionais e para as quais as autarquias não são responsáveis por essa contratação?

5. Como pretende o ME proceder nas situações em que as autarquias não conseguem assegurar o número de auxiliares necessários?

6. Atendendo a que os alunos com NEE sentiram no ano letivo anterior dificuldades acrescidas e um acompanhamento menos eficaz, prevê o governo responder a esta necessidade através do reforço de mais docentes, assistentes operacionais e técnicos especializados?

7. Tem o ME conhecimento de dificuldades sentidas na oferta e no acesso ao transporte escolar? Quais? Como pretende colmatar tais dificuldades?»

Fonte: PEV.

Fotos: DR.

SOLVERDE.PT patrocina Gil Vicente FC

Setembro 24, 2020 em Atualidade, Concelho, Desporto, Economia, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Gilistas entre os 22 clubes patrocinados pelo maior casino online português

O maior casino online português – SOLVERDE.PT – revela que é o patrocinador de 22 clubes desportivos em Portugal, sendo agora a marca presente em dez equipas da Primeira Liga e nove equipas da Segunda Liga. O Grupo Solverde é um dos principais patrocinadores de clubes desportivos nacionais.



Os clubes da Primeira Liga patrocinados pela SOLVERDE.PT, com acordos válidos por três épocas, são: Gil Vicente FC, Boavista FC, CD Tondela, FC Paços de Ferreira, Moreirense FC, Rio Ave FC, Santa Clara, Vitória SC (de Guimarães), Nacional e Farense. Na Segunda Liga, a SOLVERDE.PT patrocina o Covilhã, Viseu, Feirense, Estoril, Académica, Mafra, Chaves, Vilafranquense e Vizela.

Além dos vinte clubes desportivos da Primeira e Segunda Liga, a SOLVERDE.PT continua a patrocinar o Sporting Clube de Espinho e a Associação Académica de Espinho, entidades desportivas próximas da sede do Grupo Solverde, em Espinho. Por fim, a SOLVERDE.PT patrocina a AJM | FC Porto, equipa de voleibol feminino que acabou de vencer a supertaça pelo segundo ano consecutivo.

A marca portuguesa de jogo online tornou-se, assim, num dos maiores patrocinadores de clubes desportivos nacionais, com 22 clubes patrocinados. Américo Loureiro, Diretor da empresa, justifica esta aposta: “SOLVERDE.PT é uma marca nacional, uma empresa 100% portuguesa e queremos que a nossa presença no desporto traduza tanto quanto possível essa realidade, firmando uma maior proximidade com o nosso público”.

Recentemente, o Grupo Solverde anunciou a entrada no mercado das apostas desportivas e a consolidação da marca de jogo online sob o domínio ‘SOLVERDE.PT’, confirmando que está cada vez mais próximo do desporto nacional. “É muita emoção em jogo” é o mote para a estreia neste segmento, que se une aos restantes 900 jogos disponíveis na plataforma, uma extensa variedade que é segmentada e personalizada conforme as preferências de cada jogador. Entre esta personalização está o segmento ‘Clubes Solverde’, uma seção que reúne as apostas desportivas que envolvem os clubes patrocinados pela SOLVERDE.PT.

Sobre a SOLVERDE.PT

A SOLVERDE.PT é uma plataforma de jogo online lançada em setembro de 2017, licenciada pelo Serviço de Regulação e Inspeção de Jogos, do Turismo de Portugal. Desde o seu lançamento, como sexto casino do Grupo Solverde, tornou-se o maior casino online do país com um portefólio que conta com mais de 900 jogos disponíveis para os jogadores em qualquer ponto do país, através de computador e dispositivos móveis. Em setembro 2020, a plataforma SOLVERDE.PT (https://www.solverde.pt/) anunciou a entrada nas apostas desportivas.

Imagens: DR.

Venda de máscaras sociais ajuda Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV)

Setembro 24, 2020 em Atualidade, Concelho, Economia, Mundo, Saúde Por barcelosnahorabarcelosnahora

Empresa têxtil barcelense lança campanha «Proteja-se por uma boa causa!»

“Proteja-se por uma boa causa!” é o lema da mais recente campanha solidária desenvolvida pela Barata Garcia. Através da venda online de máscaras sociais reutilizáveis e tote bags, está a ajudar as vítimas de diferentes tipos de crimes, incluindo a violência doméstica.



Na compra daqueles produtos, 10% (sob o valor s/ IVA) reverte a favor da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV).

O objetivo da empresa têxtil é “com um pequeno gesto, apoiar as pessoas mais fragilizadas, dando também resposta a um alerta da Organização Mundial de Saúde, que informou que em tempos de pandemia o número de casos de violência doméstica tem aumentado em toda a Europa”, refere em nota.

A coleção pode ser adquirida online através de (basta clicar):

https://www.springkode.com/manufacturer/barata-garcia-pt-pt/?lang=pt-pt&v=pt .

Foto: BG.

[Ndr: notícia atualizada a 25.09.2020, pelas 22h30]

IPCA lança plataforma SASocial

Setembro 24, 2020 em Atualidade, Concelho, Educação, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

O início do ano letivo 2020/2021 no Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) marca o arranque do SASocial, uma plataforma informática inovadora que disponibiliza o acesso a serviços digitais no âmbito da atuação dos Serviços de Ação Social.



Com esta plataforma, os Serviços de Ação Social (SAS) do IPCA pretendem melhorar de forma significativa a qualidade dos serviços prestados aos estudantes, através da disponibilização de um acesso rápido e fácil a serviços como: a compra de refeições para as cantinas, inscrição na bolsa de colaboradores, ou a candidatura às bicicletas “Cabi”, entre outros.

Deste modo a comunidade académica do IPCA passa a ter à sua disposição o acesso a um vasto leque de serviços digitais, suportados nas mais recentes tecnologias, promovendo-se, assim, uma melhoria significativa no acesso aos apoios e serviços prestados e, em simultâneo, garantindo ganhos de eficiência e eficácia nas estruturas internas.

Para além da melhorar a qualidade dos serviços prestados, com a disponibilização desta nova ferramenta, os SAS têm ainda como objetivo aumentar a eficiência e eficácia da sua atuação, tirando partido das melhorias que esta plataforma introduz ao nível da desburocratização, simplificação e a desmaterialização dos processos, bem como, esperam ainda melhorar a capacidade de comunicação com os alunos, através da utilização de recursos como o circuito “IPCA Digital TV” e da integração do serviço de comunicação com os dispositivos móveis

A plataforma SASocial pode ser acedida através de dispositivos com acesso à internet em https://portal.sas.ipca.pt e através dos quiosques multimédia interativos distribuídos na cantina do Campus e na zona de acesso aos Serviços Académicos. Brevemente estará disponível a versão mobile.

A comunicação de conteúdos digitais está assegurada por uma rede de 13 TVs e 2 video walls, distribuídos pelos edifícios do Campus e dos Polos. O objetivo destes passa por criar uma rede de comunicação moderna, com capacidade para direcionar a comunicação em função do perfil dos utilizadores existente em cada espaço.

Esta plataforma foi desenvolvida em parceria com o Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC) e o Instituto Politécnico de Bragança (IPB), no âmbito do projeto FI@SAS, e financiado pelo programa SAMA de modernização administrativa, Portugal 2020, Compete 2020 e União Europeia.

Fonte e imagem: IPCA.

Aliança apoia candidatura de António Cunha à CCDR-N

Setembro 24, 2020 em Atualidade, Economia, Mundo, Política Por barcelosnahorabarcelosnahora

A Direção Política Distrital (DPD) da Aliança decidiu dar o seu apoio à candidatura de António Cunha à presidência da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N).



“António Cunha foi reitor da Universidade do Minho durante dois mandatos e destacou-se pela sua capacidade de trabalho, de inovação e de iniciativa à frente da Academia Minhota. O seu curriculum mostra uma capacidade de abraçar projetos novos em todas as áreas e levá-los a bom termo”, refere o partido em nota.

De realçar o enorme impacto que tem a CCDR-N no País, ao incluir mais de um terço da população de Portugal, quase 40% das exportações e 29% do PIB. “Acreditámos que o Professor António Cunha é dos melhores candidatos possíveis para ocupar este cargo, e que irá fazer um trabalho de excelente qualidade”, declarou o presidente da DPD, Ricardo Ribeiro.

Foto: DR (alterada).

Há vitórias que custam caro, outras que saem com descontos!

Setembro 23, 2020 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião Por barcelosnahorabarcelosnahora
Vítor Sá Pereira

Olá, Leitores do BnH!

Antes de começar com a crónica, queria dizer que esta será a minha última.

Por motivos de ordem profissional, não poderei continuar com este espaço em que, nos últimos cerca de 4 anos, dei a minha opinião, sem qualquer tipo de receio, até porque a honestidade e frontalidade são valores que estimo e não consigo ser de outra forma.



Se fui agradável?…Talvez não! Se fui verdadeiro?…Totalmente.

Dois golos, uma assistência, 3-1 no arranque da defesa do título diante de um dos adversários mais cotados da Liga. Se Telles vai embora, só haveria melhor forma de despedir-se do Dragão se houvesse público nas bancadas a prestar-lhe a homenagem que merece.

Mesmo sem arrasar, o FCP mostrou segurança, consistência e maturidade para virar um resultado adverso, segurar o ímpeto adversário e sentenciar o jogo nos minutos finais.

Antes da bonança azul e branca, o temporal vindo do Minho!

Chuva, vento, frio…Tudo isto a juntar a uma pandemia que deixa o mundo em alerta e os estádios vazios. Seria difícil encontrar um cenário mais deprimente para aquilo que devia ser uma noite de festa, como são quase todos os arranques do campeonato.

A vibração deu lugar ao eco, mas nem por isso, a emoção deixa de se sentir, mesmo que remotamente.

Esta noite, os raios e coriscos começaram cedo para o campeão nacional, que, aos 20 minutos, começou a perder com uma «traição» de Castro, que nem festejou o seu regresso ao futebol português, sete anos depois, devido ao seu amor pelo FCP.

O que aconteceu antes disso, foi domínio portista. O que aconteceu depois, até ao intervalo, também. Com um pequeno interregno para o quase 2-0 bracarense, com um golo anulado a Ruiz, mal a bola foi ao centro, momentos depois de inaugurado o marcador.

Até que o campeão acordou antes do intervalo, dedicado a suprir a falta de eficácia antes de ouvir Conceição no balneário.

Aí, apareceu Telles, decidido a deixar saudades. Primeiro, num cruzamento a colocar a bola, «com a mão», na cabeça de Sérgio Oliveira; depois, a cobrar um penálti «à bomba», depois de Marega ter cumprido o seu papel de «cântaro que vai à fonte».

Conceição, sem o castigado Díaz e mais uma série de não inscritos, apostou nos rotinados e não apresentou reforços de início. O técnico portista escolheu um 4-3-3 para encaixar no 3-5-2 bracarense e manteve-o do início ao fim.

O Sp. Braga entrou na segunda parte afoito e só não empatou porque Ricardo Horta ficou deslumbrado na cara de Marchesín.

Conceição atrasava as substituições, mantendo, até ao limite, o 4-3-3 que lhe garantia um controlo maior do jogo. Até aos 5 minutos finais, fez apenas entrar Zaidu para o lugar de Sérgio Oliveira, já amarelado, puxando Otávio da ala para o meio. E quando Loum entrou com Taremi, aos 85m, o FC Porto não mexeu na estrutura – por exemplo, Corona saiu, mas Marega foi puxado para a direita.

Lá na frente, ficou Taremi ao meio, que, pela primeira vez que tocou na bola, sofreu o penálti com que Telles haveria de bisar e acabar com as dúvidas no resultado.

Uma bola nos pés do iraniano bastou para lhe perceber o critério e inteligência com que se move, obrigando o seu marcador direto a errar. Dos reforços, também Zaidu mostrou, sobre a esquerda, a sua «velocidade furiosa».

Tudo sob controlo, mesmo perante um Sp. Braga que, a espaços, mostrou qualidade e profundidade nas opções do plantel para manter os nossos Dragões em sentido quase até final.

Arrasar, não arrasou. Mas este FC Porto fez algo que o seu treinador gosta ainda mais: mostrou maturidade para vencer um dos jogos teoricamente mais difíceis deste arranque de Liga.

Há vitórias que custam caro, outras que saem com descontos!

Boa sorte para o FCP no Campeonato e Liga dos Campeões e que LFV esteja inocente…para bem de todos!

Desculpem qualquer coisinha!

Protejam-se e sejam felizes…sempre!

Por: Vítor Sá Pereira*.

[Nota do Diretor: Caro Vítor, é com emoção que escrevo estas poucas linhas para te dizer que és um dos que “fundou” este Jornal, que também é teu. Estás connosco desde o início, desde que iniciámos os espaços de opinião clubística! Farás sempre parte desta “família”. Já dizia Luís Vaz de Camões: “Que outro valor mais alto se alevanta». Mas ficarás sempre no nosso pensamento e julgo que o FC Porto e os portistas te agradecem pela defesa das suas cores ao longo destes últimos anos! Estamos-te – Barcelos na Hora –  muito gratos, grande Vítor Sá Pereira!!]

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Miguel Martins e Matteo Valente, da Moto Galos, vencem no arranque da Copa Ibérica 2020

Setembro 23, 2020 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Os pilotos da Moto Galos, Miguel Martins e Matteo Valente, conquistaram a primeira etapa da Copa Ibérica 2020, numa prova que também era pontuável para o Campeonato Nacional.



A prova desenrolou-se em Arcos de la Frontera, em Cádiz – Espanha, da equipa de Barcelos também estiveram presentes André Correia, Lino Araújo, Manuel Leite e Martim Brito.

Na albufeira, Miguel Martins levou de vencida os seus adversários, em Endurance GP1 e Endurance Veteranos, num bom início para um piloto que pretende revalidar os títulos ibéricos de 2019, conquistados em ambas as categorias.

Miguel Martins no 1º lugar do pódio (Foto: DR)

De salientar que em Endurance Veteranos, o 2º classificado foi André Correia, em estreia nesta competição, tendo sido, ainda, 7º em Endurance GP1.

André Correia, da Moto Galos (Foto: DR)

Ainda nas motas de água, Lino Araújo não pontuou.

Juniores em destaque

Entre os mais jovens, Matteo Valente e Manuel Leite estiveram em grande destaque, dominando a categoria Ski Júnior GP3, sendo 1º e 2º, respetivamente. Matteo Valente venceu a manga inaugural e Manuel Leite foi 1º nos dois heats seguintes. Martim Brito ficou em 6º lugar.

Pódio dos Juniores, com os pilotos da Moto Galos em destaque (Foto: DR)

A próxima prova realiza-se em Portugal, concretamente, em Marco de Canaveses, nos próximos dias 24 e 25 de outubro.

Fonte: MG.

Fotos: DR.

Direitos excecionais e temporários dos serviços públicos essenciais findam a 30 de setembro

Setembro 23, 2020 em Atualidade, Concelho, Economia, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

A DECO alerta todos os consumidores para o término dos direitos excecionais e temporários relativos aos serviços essenciais no próximo dia 30 de setembro. Estas medidas foram publicadas perante o estado de pandemia provocado pela COVID-19 para apoiar todos os consumidores e garantir o seu acesso aos serviços públicos essenciais, como são o fornecimento de eletricidade, gás natural, água, e os serviços de telecomunicações.



A DECO relembra que o fornecimento de eletricidade, gás natural, água e os serviços de telecomunicações não podem ser cortados, ainda que por falta de pagamento das faturas, em caso de situação de desemprego, de quebra de rendimentos do agregado familiar igual ou superior a 20%, ou de infeção por COVID-19.

Para todas as faturas que estejam em atraso desde 20 de março, o consumidor poderá solicitar um plano de pagamentos em prestações mensais, sem juros, o qual pode iniciar-se apenas no mês de novembro.

Os consumidores que se encontrem em situação de desemprego, ou de quebra de rendimentos do agregado familiar igual ou superior a 20% face aos rendimentos do mês anterior, podem cancelar o seu contrato de telecomunicações sem qualquer penalização. Em alternativa, e nas mesmas condições, podem solicitar a suspensão do contrato de telecomunicações, sem penalizações, retomando-o a 1 de outubro de 2020.

A DECO reforça que estes direitos terminarão no dia 30 de setembro de 2020. Continuaremos a acompanhar o impacto social e económico desta pandemia na vida dos consumidores e tudo faremos para salvaguardar e garantir a defesa dos seus direitos e legítimos interesses.

Foto: DR.

1 2 3 402
Ir Para Cima