Arquivo de Categorias

Mundo

Estudante do IPCA cria Programa de Integração para Estudantes Internacionais

Janeiro 16, 2021 em Atualidade, Concelho, Educação, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

O IPCA em parceria com o Banco Santander premeia estudantes que se distinguem na vertente humana ou solidária, desde 2017, através da participação em projetos ou atividades que desenvolvam práticas de cidadania ativa e de voluntariado.


No dia 19 de dezembro de 2020, Ventura Tamba, estudante do curso de licenciatura em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores foi o vencedor do prémio Valor IPCA/Santander Universidades no valor de 1700 euros.

Inspirado na sua própria história e nas dificuldades e obstáculos que teve de ultrapassar para chegar ao IPCA, o estudante decidiu criar este programa em 2018. “Em 2016 fui admitido pelo IPCA. Pedi o visto e o meu processo foi indeferido. Submeti nova candidatura em 2017 e em 2018 o meu visto foi aprovado, devido à intervenção da Associação Padrinhos D´África da qual faço parte. E foi assim que em 2018 cheguei ao IPCA”.

Ventura ressalva, apesar das dificuldades, a sorte que teve neste processo e por isso decidiu ajudar os colegas internacionais que pretendem estudar em Portugal, uma vez que no seu país de origem (Guiné) só existe uma universidade com poucos cursos. Desta forma, o seu “programa assenta em 4 pilares fundamentais: apoio na candidatura; apoio na obtenção de visto; apoio na receção e acolhimento dos estudantes e integração académica e cultural. Para que se sintam integrados da melhor forma possível eu acompanho-os sempre”, acrescenta o estudante.

O Programa estende-se a todos os estudantes internacionais e na totalidade Ventura já auxiliou mais de 60 estudantes, sendo que, neste momento, 4 estudantes de origem Guienense, que já se encontram em Portugal, chegarão na próxima semana ao IPCA, ficando alojados na casa que Ventura está à procura. É o caso de Paulo Cá, o estudante do IPCA do curso de licenciatura em Contabilidade que chegou a Lisboa no dia 29 de dezembro, mas está “ansioso e cheio de vontade de conhecer o IPCA e começar as aulas”. Paulo, sob orientação de Ventura, conheceu o IPCA e teve apoio em todo o processo acrescentado que “foi difícil ter o visto, mas cheguei a Portugal e dentro de dias conheço ao IPCA”.

Em relação ao futuro, o próximo passo de Ventura é fazer uma página do programa no Facebook para chegar a mais estudantes. Pretende ainda a sustentabilidade do projeto ficando a afiliação do programa sob a responsabilidade da Associação Académica do IPCA, mas garante que “o IPCA vai estar sempre por perto”.

Fonte|Foto: IPCA

Novo confinamento, novas medidas

Janeiro 14, 2021 em Atualidade, Mundo, Portugal Por barcelosnahorabarcelosnahora

O novo confinamento entra em vigor já esta sexta-feira.

O agravamento da situação pandémica levou o Governo a decretar novo confinamento, muito idêntico ao de março de 2020, mas com algumas exceções.

USO DE MÁSCARA OBRIGATÓRIO NA RUA

O Governo duplicou as coimas para quem não cumprir esta norma, a coima pode ir aos 1000€.

TRABALHO

O teletrabalho passa a ser obrigatório, sempre que possível, nas situações em que não é possível o trabalhador deve fazer-se acompanhar de uma declaração da entidade patronal.

RECOLHIMENTO DOMICILIÁRIO

O dever de recolhimento obrigatório regressa.

RESTAURANTES

Estão abertos, mas apenas para take-away ou entregas ao domicílio. Não podem servir refeições no interior nem em esplanadas.

ESCOLAS, UNIVERSIDADES E CRECHES

Ao contrário do confinamento de março de 2020 as escolas ficam abertas.

TRANSPORTES PÚBLICOS

O transporte público mantém-se a funcionar, com as regras sanitárias bem definidas.

SERVIÇOS PÚBLICOS

Mantém-se abertos, com marcação prévia.

COMÉRCIO

Todo o comércio se mantém fechado, salvo estabelecimentos autorizados.

MERCEARIAS E SUPERMERCADOS

Abertos, lotação limitadas de acordos com as normas sanitárias.

FEIRAS E MERCADOS

As feiras e mercados para venda de produtos alimentares podem funcionar.

ESTABLECIMENTOS CULTURAIS

Os cinemas, teatros e salas de espetáculo estarão fechados.

ATIVIDADE FÍSICA

É permitido fazer exercício físico ao ar livre. Ginásios e outros pavilhões desportivos encerrados.

BANCOS

Abertos, privilegiando serviços online

CONSULTÓRIOS, DENTISTAS

 Os consultórios e dentistas mantém-se abertos

TRIBUNAIS

Os tribunais também vão manter-se abertos

Excecionalmente no dia 17, dia de voto antecipado e no dia 24, dia das eleições para a Presidência da República os portugueses podem circular para exercer o direito de voto.

Foto: DR

 

PAN propõe majoração da prestação social para a inclusão social

Janeiro 14, 2021 em Atualidade, Mundo, Política Por barcelosnahorabarcelosnahora

O Grupo Parlamentar do PAN – Pessoas-Animais-Natureza leva a debate hoje, quinta-feira em reunião plenária na Assembleia da República, com início a partir das 15h00, um projeto de lei que prevê a majoração da componente base da prestação social para a inclusão (PSI).

Na prática, neste momento o valor máximo é 275,30€. A nossa proposta vai no sentido de que o mínimo seja 1,15 do Indexante dos Apoios Sociais (IAS), que neste momento é 438,81€, logo o valor proposto na prática, no atual contexto, é de 504,63 euros. Ou seja, representaria um aumento de 229,33€.

Com uma indexação ao IAS, pretende-se garantir que a PSI não fica abaixo do limiar de pobreza. Projeto de lei disponível aqui.

Fonte: PAN

Pior dia da Pandemia em Portugal

Janeiro 13, 2021 em Atualidade, Mundo, Portugal, Saúde Por barcelosnahorabarcelosnahora

Hoje Portugal atinge novo recorde de novos casos e mortes, de acordo com relatório de situação epidemiológica registaram-se mais 10.556 novos casos de Covid-19 e 156 mortes associadas à doença em apenas 24 horas.

Hoje foi renovado o novo estado de emergência, e que estará em vigor até dia 30 de janeiro.

Esta quarta-feira também fica marcada pela comunicação por parte do Governo das medidas para o novo confinamento que entram em vigor amanhã, e que dura pelo menos um mês, a conferência está marcada para as 18:30.

Foto:DR

Escola-hotel do IPCA começa este ano a nascer em edifício sustentável

Janeiro 13, 2021 em Atualidade, Concelho, Educação, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

IPCA promete referência nacional e internacional 

A futura Escola-Hotel do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), na Quinta do Costeado em Guimarães, promete vir a ser uma “infraestrutura de referência em termos regionais, nacionais, mas também internacionais”. 

Esta é a promessa da presidente do IPCA, Maria José Fernandes, que anseia ver a obra no terreno ainda este ano e o projeto a funcionar dentro de dois anos para receber os “estudantes de licenciatura, mestrado e cursos técnico-profissionais” tendo ainda espaço “disponível para as empresas que precisem de atualizar as suas formações”.  

O projeto de arquitetura, da responsabilidade da empresa Workbook dos arquitetos Filipe Vilas Boas e Pedro Vinagreiro, foi apresentado esta segunda-feira, 11 de janeiro, na reunião quinzenal da Câmara Municipal de Guimarães.  

A Escola-Hotel do IPCA em Guimarães vai ser composta por dois edifícios, um reabilitado e outro novo. A emblemática Quinta do Costeado com três hectares de terreno, na zona da Cruz de Pedra, vai ser requalificada para funcionar como hotel e restaurante formativo, com sala de refeições “à la carte” e quartos para hóspedes, a reabilitação da casa do caseiro, cavalariças e celeiro para zonas de serviços e áreas funcionais. Na zona de jardim vai nascer um novo edifício universitário de raíz com dois pisos para albergar salas de aula, cozinhas, laboratórios de cozinha, biblioteca, auditório e serviços administrativos estando previsto um novo acesso rodoviário que a ligue à rotunda do pavilhão multiusos da cidade, já fora da circular urbana.  

O projeto contempla, ainda, a preservação e qualificação de todo o jardim e áreas verdes associadas à Casa do Costeado, nomeadamente no que respeita ao seu desenho e espécies arbóreas singulares. Neste âmbito, estão contemplados um prado multiusos, uma horta de aromáticas e condimentares para os estudantes, jardins de buxo e de camélias e uma cobertura jardinada a implementar no novo edifício. Todo o projeto valoriza a manutenção e recuperação da casa existente, com preservação e valorização dos seus elementos arquitetónicos, bem como a eficiência energética e sustentabilidade ambiental. 

Filipe Vilas Boas, da Workbook, explicou que grande parte do novo edifício vai ser em madeira lamelada e vai ao encontro das preocupações ambientais: “Será muito simples, sem grandes luxos, confortável, sustentável, moderno, que pretende chamar a si as memórias da cidade e as singularidades do Centro Histórico”.  

A opção por um edifício construído com materiais sustentáveis foi uma opção da Câmara, admitiu Domingos Bragança, presidente da Autarquia: “Desde que o Município lançou a agenda ambiental, em 2014, tem aperfeiçoado este caminho do desenvolvimento sustentável, e todos os projetos que lança têm em conta os materiais, o ponto de vista energético e a pegada ambiental. Esta Escola-Hotel é mais um exemplo”. 

O projeto e os cursos que vão ser lecionados já têm o aval do Governo e só falta mesmo que o edifício seja construído. “Se correr tudo pelo normal, teremos o início de obra ainda este ano”, perspetivou Domingos Bragança que espera lançar a obra a concurso no próximo mês. Além da aposta estratégica “e de referência” na formação em hotelaria e turismo, a nova obra vai também valorizar a reabilitação urbana da Cruz de Pedra, expandindo a cidade e requalificando um espaço até agora escondido e desaproveitado.  

A presidente do IPCA, presente na sessão, afirmou ser “um marco simbólico” para o desenvolvimento da Escola-Hotel, “obra que será digna de ser vista, respeitando a imagem de Guimarães e os seus eixos estratégicos”, assumindo que a Instituição compromete-se “a pôr a escola a funcionar e ser referência”.   A Escola-Hotel de Guimarães, que vai replicar modelos inovadores de ensino vistos em Hong Kong e na Suíça, tem perspetivado o ensino para cerca de 1500 estudantes nos cursos de licenciatura, mestrados, cursos técnicos superiores profissionais e cursos de curta duração nas áreas da Hotelaria e do Turismo. 

Fonte|Foto: IPCA

“Compra e venda de bens: Dicas”

Janeiro 13, 2021 em Atualidade, Mundo, Opinião Por barcelosnahorabarcelosnahora

– Compare os preços antes de toda e qualquer decisão de compra;

– Não deixe de esclarecer todas as suas dúvidas quanto ao bem ou serviço que vai adquirir. O vendedor ou o prestador de serviços está obrigado por lei a informá-lo sobre as características dos bens e dos serviços, incluindo preços e duração da garantia dos bens;

– Não se esqueça que os bens e serviços destinados ao consumo devem ser aptos a satisfazer os fins a que se destinam, segundo o estabelecido na lei, ou, na falta desta, de modo adequado às legítimas expectativas do consumidor

– Antes de assinar um qualquer contrato, leia atentamente o seu conteúdo; nunca assine contratos sem que antes se informar sobre todas as condições e implicações que dele vêm;

– Tratando-se de contratos pré-elaborados (também apelidados de contratos de adesão, muito usados, por exemplo, nos contratos de telecomunicações), o fornecedor está obrigado a explicar ao consumidor todas as cláusulas do contrato; esta explicação deve ser efetuada com antecedência para que o consumidor possa conhecer, adequadamente, os direitos e deveres que para ele decorrem da sua assinatura;

– Os bens móveis (como sejam um telemóvel, uma televisão, uma máquina de lavar frigorífico, etc.) têm uma garantia legal de 2 anos. Tal significa que se o bem apresentar algum defeito, durante este prazo, pode exigir junto do fornecedor que este proceda à reposição da sua conformidade, solicitando a reparação, a substituição do bem, a redução do preço ou a resolução do contrato.

Para mais informações a DECO – Delegação Regional do Minho encontra-se disponível podendo contactar-nos através do 258 821 083 ou por e-mail para deco.minho@deco.pt.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Fonte|Foto: DECO-DRM

Centro de Informação Europeu do IPCA começou série de vídeos para mostrar a influência da UE no Minho

Janeiro 10, 2021 em Atualidade, Concelho, Educação, Mundo, Opinião Por barcelosnahorabarcelosnahora

O Centro de Informação Europe Direct Minho, um projeto sem fins-lucrativos do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave em colaboração com a Representação da Comissão Europeia em Portugal, tem a honra de apresentar o primeiro vídeo da nova rúbrica “Valores da Europa”.

“Valores da Europa” é uma rúbrica que pretende retratar, em cinco episódios, qual a influência da União Europeia em algumas áreas da nossa sociedade no Minho.

Estes vídeos foram realizados conjuntamente com diversas entidades da região que nos vão elucidar da importância de programas e políticas comunitárias para a nossa sociedade e como elas são operadas no seu quotidiano para a defesa dos cidadãos.

No primeiro vídeo foi entrevistado Cláudio Matos, jurista da Delegação Regional do Minho da Associação DECO, que está sediada em Viana do Castelo, com o objetivo de “percebermos a importância do Direito do Consumidor para a nossa sociedade; o contributo prestado pela UE para reforçar os direitos da parte contratual mais fraca – o cidadão; e perceber o trabalho desenvolvido por esta delegação para ajudar os minhotos na resolução de problemas”, acrescentou.

Veja o vídeo aqui

Fonte|Foto: CIED Minho

O IPMA alerta, tempo frio vai continuar

Janeiro 9, 2021 em Atualidade, Mundo, Portugal Por barcelosnahorabarcelosnahora

De acordo com a informação disponibilizada pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê-se a continuação de condições meteorológicas adversas até à próxima 2.ª feira, dia 11 de janeiro, salientando-se:

  • Continuação de tempo frio;
  • Vento forte no litoral e terras altas;
  • Formação de gelo ou geada, em especial no interior;
  • Precipitação na região Sul e queda de neve a cotas baixas.

Face a este quadro meteorológico, poderão ocorrer os seguintes efeitos:

  • Intoxicações por inalação de gases, devido a inadequada ventilação, em habitações onde se utilizem aquecimentos com lareiras e braseiras;
  • Incêndios em habitações, resultantes da má utilização de lareiras e braseiras ou de avarias em circuitos elétricos;
  • Eventual formação de gelo em troços de estradas com ensombramento permanente;
  • Aumento do risco associado ao trafego rodoviário, quer pela queda de neve nas vias, quer pela formação de gelo;
  • Necessária especial atenção aos grupos populacionais mais vulneráveis, crianças, idosos e pessoas portadoras de patologias crónicas e população sem-abrigo;
  • Aumento do desconforto térmico na população em especial pela conjugação da temperatura mínima baixa e do vento intenso.

A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) recorda que o eventual impacto destes efeitos pode ser minimizado, sobretudo através da adoção de comportamentos adequados, pelo que, e em particular nas zonas historicamente mais vulneráveis, se recomenda a observação e divulgação das principais medidas de autoproteção para estas situações, nomeadamente:

A nível da proteção individual:

  • Que se evite a exposição prolongada ao frio e às mudanças bruscas de temperatura;
  • Manter o corpo quente, através do uso de várias camadas de roupa, folgada e adaptada à temperatura ambiente;
  • A proteção das extremidades do corpo (usando luvas, gorro, meias quentes e cachecol) e calçado quente e antiderrapante;
  • A ingestão de sopas e bebidas quentes, evitando o álcool que proporciona uma falsa sensação de calor;
  • Especial atenção com a proteção em termos de vestuário por parte de trabalhadores que exerçam a sua atividade no exterior, e evitar esforços excessivos resultantes dessa atividade;
  • Acautelar a prática de atividade física no exterior, prestando atenção às condições do piso para evitar quedas;
  • Prestar atenção aos grupos mais vulneráveis (crianças nos primeiros anos de vida, doentes crónicos, pessoas idosas ou em condição de maior isolamento, trabalhadores que exerçam atividade no exterior e pessoas sem abrigo).

A nível da proteção coletiva:

  • Especial atenção aos aquecimentos com combustão (ex.: braseiras e lareiras), que podem causar intoxicação devido à acumulação de monóxido de carbono e levar à morte;
  • Que se assegure uma adequada ventilação das habitações, quando não for possível evitar o uso de braseiras ou lareiras;
  • Que se evite o uso de dispositivos de aquecimento durante o sono, desligando sempre quaisquer aparelhos antes de se deitar;
  • Que se tenha em atenção a condução em locais onde se forme gelo na estrada, adotando uma condução defensiva;
  • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

Fonte: ANEPC

Bloco defende criação de uma empresa pública de dragagens para desassorear barra de Esposende

Janeiro 9, 2021 em Atualidade, Concelho, Mundo, Política Por barcelosnahorabarcelosnahora

O Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda questionou o Governo sobre a necessidade urgente de desassoreamento da barra de Esposende, atendendo a que o assoreamento da barra de Esposende já provocou vários acidentes com embarcações que a tentavam atravessar. O partido defende que a resposta para este problema passa pela criação de uma empresa pública de dragagens.

No documento entregue na Assembleia da República, os deputados do Bloco de Esquerda eleitos pelo distrito de Braga, José Maria Cardoso e Alexandra Vieira, afirmam que “esta situação causa prejuízos avultados para os profissionais da pesca e as suas famílias, já que estes ficam impedidos de sair para o mar, vendo reduzidas suas possibilidades de pesca mesmo em dias em que existem condições climatéricas adequadas para a faina”.

Os deputados lembram que a Assembleia da República aprovou a Resolução n.º 143/2019, de 22 de agosto, que recomenda ao Governo, no seu n.º 2, que «mobilize os recursos financeiros necessários para proceder à execução das medidas necessárias para garantir a melhoria das condições da Barra de Esposende». “Passado mais de um ano da publicação deste diploma, não é conhecida qualquer intenção de o Governo disponibilizar verbas para resolver os problemas de navegabilidade da barra de Esposende”, lamentam

Os bloquistas referem que “é uma situação que persiste há décadas e decorre não só da inação dos sucessivos governos, incluindo o atual, mas também da intensa dinâmica sedimentar da costa portuguesa”.

Para os deputados, “é natural que sejam necessárias dragagens recorrentes e que salvaguardem os valores ambientais ali presentes, pelo que não se compreende, por isso, a concessão sistemática dos serviços de dragagens a privados que lucram milhões de euros com a necessidade frequente de dragagens no país e que poderão não ter as mesmas preocupações ambientais que o Estado deve ter”.

Assim, o Bloco quer o Ministério do Mar, liderado por Ricardo Serrão Santos, esclareça se vai garantir o cumprir o disposto no n.º 2 da Resolução da Assembleia da República n.º 143/2019; se já calendarizou uma data para o início dos trabalhos de desassoreamento da barra de Esposende; e se está disponível para criar uma empresa pública de dragagens para suprir de modo satisfatório e adequado estas necessidades.

Leia o documento entregue na Assembleia da República

Fonte|Foto: BE Braga

Câmara Municipal isenta taxas aos feirantes no primeiro semestre de 2021

Janeiro 9, 2021 em Atualidade, Concelho, Economia, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

A Câmara Municipal de Barcelos isentou o pagamento das taxas de ocupação dos espaços de venda aos 499 feirantes da Feira Semanal e aos 13 feirantes da Feira Grossista, referentes ao primeiro semestre de 2021, o que corresponde a uma isenção com um valor total de 183.771,12€.


Trata-se de uma medida igual à tomada pelo executivo municipal em 2020, que também isentou estas taxas no segundo semestre daquele ano, e tem como finalidade ajudar os feirantes face às dificuldades económicas criadas pela pandemia do Covid 19.

Com efeito, as restrições à circulação de pessoas e as medidas de distanciamento social provocaram grande perturbação no comércio, com perdas económicas consideráveis, pelo que a isenção das taxas de ocupação dos espaços de venda por parte do Município surge como um contributo a este importante setor económico.

Fonte|Foto: MB

1 2 3 441
Ir Para Cima