Arquivo de Categorias

Mundo - page 5

Feira de Barcelos reabre em pleno

Abril 8, 2021 em Atualidade, Concelho, Economia, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

O dia 8 de abril de 2021 volta a ser marcante para o comércio a retalho em banca, com a reabertura em pleno da Feira Semanal de Barcelos, uma das maiores e mais antigas feiras ao ar livre do país.

Durante a manhã, o Presidente da Câmara Municipal, Miguel Costa Gomes, visitou o espaço e contactou com dezenas de comerciantes e clientes, que mostraram a sua satisfação e contentamento pela reabertura deste tão importante mercado de venda ao ar livre para a economia local e da região.

Acompanhado pela Vereadora com o Pelouro das Feiras e Mercado, Anabela Real, e pelo Presidente da Assembleia Municipal, Horácio Barra, Miguel Costa Gomes aproveitou também o momento para dialogar com feirantes e fazer votos de que sejam cumpridas todas as regras de segurança, higiene e etiqueta respiratória. “A Feira de Barcelos cumpre todas as exigências e normas legais e sanitárias determinadas pelas autoridades de saúde, garantindo a segurança de comerciantes e visitantes”, afirmou o Presidente do Município.

Recorde-se que a Feira Semanal foi encerrada, pela primeira vez no atual contexto de pandemia, em março de 2020, reabrindo, semanas mais tarde, com os setores da alimentação, legumes e venda de animais vivos. A 28 de maio de 2020, o espaço reabriu na totalidade, no entanto, devido ao agravamento da situação epidemiológica, foi necessário proceder ao seu encerramento parcial no início deste ano.

A Feira de Barcelos acolhe mais de 650 feirantes, de vários setores, o que implica uma enorme logística levada a cabo pelo Município para que sejam garantidas todas as condições de higiene e segurança.
O recinto continua vedado com gradeamento, havendo seis entradas controladas, com portarias de entrada e saída, monitorizadas por funcionários do Município e agentes da PSP. O uso de máscara ou viseira é obrigatório, assim como a desinfeção das mãos à entrada do recinto.

Fonte: MB

Comissão Política do PSD Barcelos repudia nomeação de Mário Constantino como candidato à Câmara Municipal

Abril 8, 2021 em Atualidade, Concelho, Mundo, Política Por barcelosnahorabarcelosnahora

Conforme comunicado do PSD Barcelos na rede social Facebook, a Comissão Política da secção de Barcelos, repudia a nomeação de Mário Constantino como candidato à Câmara Municipal.

Relembramos que, o nome escolhido como candidato à Câmara Municipal pela concelhia e pela distrital foi o independente e empresário João Sousa. No entanto a decisão da comissão política nacional do PSD foi aprovar Mário Constantino para candidato, deixando cair o nome escolhido pela concelhia.

Reproduzimos o comunicado do PSD Barcelos na íntegra,

“A Comissão Política de Secção do PSD Barcelos (CPS) foi absolutamente surpreendida pela notícia de que a Comissão Política Nacional do PSD (CPN), na sua reunião de 6 de abril de 2021, indicou como candidato à presidência da Câmara Municipal de Barcelos o companheiro Mário Constantino.

Tal decisão foi tomada em clara contradição com o processo que conduziu à escolha do candidato, bem como em clara contradição com a escolha generalizada de todos quantos foram ouvidos sobre este assunto.

Mas vamos por partes:

DO PROCESSO

O candidato escolhido deveria colher a pré-aprovação da Secção, da Comissão Política Distrital (CPD) e da CPN.

No dia 7 de março de 2021 o companheiro Bruno Torres viu a sua propositura à presidência da Câmara Municipal de Barcelos ser recusada pela CPS. Na sequência dessa recusa apresentou a sua demissão do cargo de presidente da CPS.

Em articulação com o Sr. Presidente da CPD, Dr. Paulo Cunha, e de acordo com os Estatutos do Partido assumiu a presidência deste órgão o companheiro António Lima.

De imediato foi solicitada uma reunião entre o Sr. Presidente do Partido, Dr. Rui Rio, o Presidente da CPD e o Presidente da CPS. Por dificuldades de agenda, esta reunião apenas teve lugar no dia 22 de março.

Nessa reunião foi referido pelo Sr. Presidente da CPS que estava a auscultar diversas sensibilidades do partido, desde os membros da CPS, passando pelos Sr. Presidentes de Junta, deputados e ex-deputados, membros da lista vencedora e membros da lista opositora à CPS, e as estruturas locais da JSD e dos TSD. O objetivo era claro: reduzir a tensão interna, apontar soluções para a nomeação de candidato, sendo de imediato referido que a prioridade passaria pela indicação de um independente, com forte vocação empresarial.

O Sr. Presidente do Partido e o Sr. Presidente da CPD validaram esta estratégia e, em conjunto, articularam um calendário: agendar um plenário de secção para validar perfil de candidato, cuja primeira data disponível seria a 31 de março; continuar a ouvir as pessoas até àquela data; articular entre CPS, CPD e CPN a proposta de candidato; se o candidato proposto pela CPS colhesse a aprovação da maioria das pessoas da CPS e da CPD, a CPN iria certamente aprovar o nome indicado. E foi este caminho que foi percorrido pelo Presidente da CPS. Tratou que fosse agendado um plenário e continuou a ouvir os militantes e simpatizantes do PSD até ao dia aprazado.

De permeio, ocorreram novas reuniões entre o Sr. Presidente da CPS, da CPD e o Sr. Secretário-Geral do PSD Dr. José Silvano que acompanhou todas as ações desenvolvidas, quer pela concelhia, quer pela distrital, no sentido de ter uma solução vencedora para o PSD Barcelos. O único alerta que este deu, foi que, se a solução fosse interna, teriam de ser considerados os resultados das sondagens realizadas, no entanto era conhecedor de que o plano concelhio e distrital sempre passaria por uma solução externa. Mais teve conhecimento prévio do nome, perfil e curriculum do candidato que viria a ser apresentado e não levantou qualquer obstáculo ou esgrimiu qualquer argumento contra.

Ora, depois de ouvidos militantes, Presidentes de Junta e outras personalidades, foi apresentado o nome do empresário João Sousa que colheu o parecer favorável do presidente da CPD e do Secretário-geral do Partido.

Só depois de obtido este parecer é que foi votado, por unanimidade, quer na JSD, nos TSD e na CPS, o nome do candidato proposto pelo Sr. Presidente da CPS.

No dia seguinte, a CPD aprovou também a proposta apresentada pela CPS, e remeteu-a à CPN.

O nome do empresário João Sousa colheu aprovação implícita e explicita das mais diversas sensibilidades do partido, com exceção do companheiro Mário Constantino e de uma pequena entourage a ele afeta.

Pelo que, se a solução proposta pela CPS colheu unanimidade interna das estruturas locais, colheu amplo consenso local, colheu aprovação distrital, conforme plano gizado em articulação com o líder do PSD e com o seu Secretário-Geral não se percebe a razão pela qual não foi atendida esta indicação.

DO CANDIDATO

A CPS fez uma análise à situação atual do Município de Barcelos e sinalizou evidentes debilidades:

Imagem externa do Município prejudicada pelos processos protagonizados pelo seu Presidente;

Ausência de tomada de decisões estratégicas para o nosso concelho, em dossiês tão importantes como o da água e saneamento, da circular urbana, do hospital, etc;

Ausência de trabalho em equipa;

Ausência de investimento, primando por uma política de redistribuição de recursos financeiros do orçamento municipal.

Apego ao poder por parte dos intervenientes locais, que se preparam para uma troca de cadeiras, qual oligarquia russa.

Do trabalho de auscultação das bases do partido, ficou também claro e foi informada a Direção da CPS que seria impossível encontrar uma solução interna que colhesse a aprovação da maioria dos militantes. Mais foi defendido pela maioria das pessoas ouvidas que deveria ser apresentada uma cara nova para o partido.

Pelo que a solução encontrada primava por suprir as debilidades da proposta do PS bem como resolvia os problemas internos do PSD.

Efetivamente, a proposta do Sr. João Sousa tem como principais virtudes:

O espírito de missão de alguém que aos 64 anos, não sendo político, deixa o conforto dos seus projetos pessoais, para dar o melhor de si em favor da terra que o viu nascer e onde criou riqueza;

A capacidade de tomar decisões em tempo útil. É alguém que sabe que atrasar uma decisão implica a perda de tempo e dinheiro. Infelizmente, e da pior das formas, os Barcelenses também já sentiram na pele este facto;

A capacidade de sinalizar prioridades de investimento e de investir em diversos domínios, desde o têxtil até ao vinho;

A capacidade de, trabalhando em equipa e em família, fazer florescer diversos projetos de sucesso, dos quais dependem diretamente mais de 400 agregados familiares do nosso concelho;

A ligação às marcas de elevada notoriedade nacional Ana Sousa e Temperatura, que rapidamente poderão projetar a notoriedade do candidato;

A disponibilidade para o projeto 24 horas por dia, 7 dias por semana;

Não precisar da política, nem dos vencimentos que ela proporciona;

O entusiasmo que o candidato demonstrou para com o convite e a possibilidade de ele alargar horizontes para lá do eleitorado natural do PSD Barcelos;

Ser alguém externo ao partido e, por essa via, ser mais bem aceite pelos diversos players locais do nosso partido;

Assim, o candidato proposto pela CPS e aprovado pela CPS e CPD vai ao encontro do perfil defendido pela maioria dos militantes que defendiam uma cara nova, ataca as debilidades do executivo camarário e teria condições para resolver os problemas internos do PSD Barcelos.

Pelo que,

Não se compreende a razão pela qual a CPN não validou a proposta apresentada pela CPS e pela CPD, porquanto a mesma obedeceu ao processo defendido pelo Sr. Presidente do Partido, e o candidato corresponde ao perfil defendido pelos militantes colhendo unanimidade junto das estruturas locais.

JUSTIFICAÇÃO PARA A DECISÃO

No dia 7 de abril, o Sr. Secretário-Geral contactou o Sr. Presidente da CPS e comunicou-lhe a decisão de indicar o Dr. Mário Constantino como candidato à Câmara Municipal de Barcelos.

Instado a fundamentar tal decisão, foi justificado pelo Sr. Secretário-Geral que a decisão baseia-se no facto de que o Dr. Mário Constantino ter sido a pessoa melhor colocada na sondagem realizada em Janeiro de 2021.

Ora, tal argumento surge ao arrepio da retórica da Direção do Partido que sempre tem vindo a desvalorizar as sondagens realizadas a nível nacional. Acresce que, o Sr. João Sousa não foi incluído na sondagem realizada em janeiro de 2021, pelo que tal argumento não colhe qualquer fundamento que justifique a decisão tomada.

Mais foi referido que, para a decisão, muito contribuiu a facto de o Dr. Domingos Pereira, na qualidade de líder do movimento independente BTF, apenas aceitar coligar-se com o PSD caso o candidato fosse o Dr. Mário Constantino. Daqui se depreende que o Sr. Domingos Pereira teve maior importância para a decisão tomada, de que as estruturas locais e distritais do PSD.

Não foi referido pelo Sr. Secretário-Geral quem é que na CPN auscultou os militantes do concelho de Barcelos para tomar esta decisão.

Tão-pouco foi tida em consideração a absoluta rejeição do nome do Dr. Mário Constantino por parte da totalidade dos Srs. Presidentes de Junta do PSD.

Estranhamos ainda que na cerimónia de apresentação de candidatos realizada no dia de ontem não tenha sido dada qualquer justificação pública para esta tomada de posição. O facto de que Barcelos ser a segunda secção do país com mais militantes ativos, e ser o 6º concelho que mais votos contribui para o PSD certamente deveria merecer outra atitude por parte dos responsáveis do nosso partido.

EM SÚMULA

A CPS, reunida a dia 7 de abril de 2021 deliberou o seguinte:

1. Repudiar veementemente a tomada de decisão por parte da CPN, que surge ao arrepio dos estatutos e das mais elementares regras democráticas;

2. Lamentar que o processo não tenha sido avocado no seguimento da demissão do companheiro Bruno Torres, contribuindo assim para expor de forma grosseira os membros do PSD, os membros da CPS e da CPD e em particular um industrial de sucesso, João Sousa, que é alheio a todo este processo;

3. Solicitar uma reunião com carácter de urgência com o Sr. Presidente do Partido, Dr. Rui Rio, para que nos sejam apresentadas as justificações para a tomada de posição da CPN. Lembrar que há mais de 20 anos que nenhum processo do distrito de Braga havia sido avocado pela CPN;

4. Apresentar um voto de louvor a todo o trabalho desenvolvido pelo Sr. Presidente da CPD, por toda a colaboração demonstrada ao longo deste processo.

Os Barcelenses, que tantas e tantas vitórias deram ao PSD, a grandeza da secção de Barcelos, a grandeza do nosso concelho e sobretudo o empresário e empreendedor João Sousa não mereciam este comportamento indecoroso por parte da Direção Nacional do Partido, pelo que, depois de ouvidas as devidas explicações a CPS reserva-se ao direito poder vir a tomar outras ações em defesa da nossa dignidade e dos superiores interesses dos Barcelenses.

Barcelos, 8 de abril de 2021

A Comissão Política do PSD Barcelos.”

Fonte: Facebook PSD Barcelos

Foto: Coligação Mais Barcelos

Valores em dívida relativos ao fornecimento de água, eletricidade, gás e comunicações eletrónicas

Abril 8, 2021 em Atualidade, Concelho, Economia, Mundo, Opinião Por barcelosnahorabarcelosnahora

Tem faturas de consumos domésticos em atraso?

Atualmente, devido ao circunstancialismo que vivemos designadamente situações de desemprego e lay-off verificam-se inúmeras dificuldades no pagamento das faturas.

 Se estiver com dificuldades em pagar o serviço, recomendamos que contacte o fornecedor do respetivo serviço e procure uma solução, por exemplo propondo renegociar o seu contrato para um valor mensal mais acessível. Note, contudo, que a alteração do contrato pode implicar um novo período de fidelização, sempre que o operador lhe conceda benefícios ou vantagens contratuais que o justifiquem.

Mais, se tem valores em dívida relativos ao fornecimento de água, eletricidade, gás e comunicações eletrónicas, os respetivos fornecedores, devem elaborar, em tempo razoável, um plano de pagamento adequado aos seus rendimentos atuais.

O plano de pagamento em causa deve ser acordado consigo.

Por outro lado, se tem faturas em atraso e ainda não lhe foi proposto um plano de pagamento, contacte o respetivo fornecedor, podendo celebrar um acordo de pagamento, devendo o mesmo ser sempre efetuado por escrito.

Para mais informações a DECO – Delegação Regional do Minho encontra-se disponível para o atender, seja nosso associado ou não, podendo contactar-nos através do 258 821 083 ou por e-mail para deco.minho@deco.pt.

Por: DECO*

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Espaços culturais em Barcelos reabrem com cinco exposições

Abril 7, 2021 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo, Turismo Por barcelosnahorabarcelosnahora

O Museu de Olaria, a Galeria Municipal de Arte, a Casa da Azenha, o Posto de Turismo e a Torre Medieval, já reabriram dando continuidade ao plano de desconfinamento definido pelo Governo.

Rosa Ramalho está em destaque no Museu de Olaria. Neste privilegiado espaço no coração histórico de Barcelos continua patente a exposição “O figurado de Rosa Ramalho na coleção do Espanhol”, do galego Juan Yebra-Pimentel Rodríguez. A exposição conta com mais de uma centena de peças feitas pelas mãos da conceituada artesã.
“ReconFigurado” é a outra mostra a não perder no Museu de Olaria. Estudantes do curso de Design Gráfico da Escola Superior de Design do IPCA redescobriram a arte com assinatura de Rosa Ramalho e transformaram-na em exposição.

A Galeria Municipal de Arte também já reabriu portas e conta com uma nova mostra. “Do Esquisso ao Esquema” apresenta desenhos de alunos da Escola Superior de Design do IPCA. Trata-se de uma mostra dedicada ao desenho, que procura pensar sobre o mesmo, naquilo que são as suas possibilidades e caminhos de investigação e de reflexão. Cada trabalho apresentado conduz por uma descoberta sobre modos de fazer, técnicas e materiais, e aspetos plásticos, estéticos e concetuais. Cada desenho surpreende e conduz a vários pensamentos e diversos sentidos. Através desta exposição cumpre-se um dos propósitos do IPCA, na medida em que aproxima a comunidade à Escola de Design e à própria instituição.

A Casa da Azenha reabriu portas e volta a receber turistas e caminheiros com a exposição de pintura e escultura “Santiago pelas mãos dos artistas barcelenses”.

À espera de visitantes estão também o Posto de Turismo e a Torre Medieval. “Louça tradicional de Barcelos, um passado com futuro…” apresenta trabalhos da Cerâmica João Vasconcelos do Vale, Lda. Tratando-se de uma exposição com vista à divulgação, promoção e valorização de um produto identitário e diferenciador do território barcelense.

Fonte: MB

Fake news, o que podemos fazer ?

Abril 7, 2021 em Atualidade, Concelho, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Um quizz Media Veritas vai testar o que sabemos sobre redes sociais e mentiras online. Além de prémios interessantes, este jogo atribui um certificado aos participantes. Quem passar neste desafio pode ajudar a parar as fake news.

Somos nós que alimentamos a rede da desinformação. Assim, despreocupadamente, quase sempre com boas intenções. As fake news têm um objectivo final, depois de serem inventadas por obscuros interesses políticos e económicos, e de serem postas no nosso feed por bots, skinheads ou agências de propaganda.

O objectivo final de toda essa rede é que nós as partilhemos, emprestando a nossa credibilidade de amigos, filhos, pais, tios, irmãos, a toda a gente que as vê quando partilhamos mentiras.

Com isso estamos, inconscientemente, a criar uma distopia. Uma comunidade em que não partilhamos o básico: penses o que pensares sobre um assunto qualquer (Covid, educação, saúde, personalidades, a guerra na Síria), há uma condição para discutirmos uns com os outros, falarmos, discordarmos ou concordarmos. Todos temos de estar informados.

Mas todos sabemos que a boa informação é cara, escassa, e os jornais e as televisões também podem errar.

É verdade. O jornalismo vive hoje uma crise. É um paradoxo. Nunca tivemos tanta informação disponível e nunca foi tão fácil encontrar documentos, explicações e factos. Mas estaremos mais informados? Os estudos demonstram que não. É que a informação é apenas mais um bem que temos ao nosso dispor, para consumir online, em competição com todos os outros que o nosso tempo limitado nos obriga a escolher (música, filmes, séries, jogos, chats, fotos).

A informação não pode competir pelo nosso tempo com as mesmas armas que o divertimento e o entretenimento usam para nos convencer. Porém, as redes sociais, que são um negócio publicitário, não hierarquizam a importância social das coisas. Dão-nos aquilo que sabem que nos vai interessar. É por isso que o jornalismo só pode perder a guerra se pensar que vai oferecer notícias bombásticas que nos vão seduzir, como as receitas de um chef, ou a nova temporada da Guerra dos Tronos.

O jornalismo de que precisamos é muitas vezes chato, explicativo, longo demais para lermos num telemóvel enquanto o semáforo está vermelho.

E esse jornalismo demora tempo, tem regras e nem sempre se torna “viral” na voragem das tabelas que medem o alcance online.  Por isso, hoje, infelizmente, muitas redacções preferem apostar no que dá cliques, para tentar com isso competir pela nossa atenção limitada.

Mas pensem assim: isto só pode piorar se dermos aos algoritmos das plataformas a tarefa de nos informar com critérios que não conhecemos e objectivos pouco altruístas (os algoritmos querem ter-nos sempre ligados, não querem que ganhemos o Prémio Nobel da Sabedoria).

Por isso, desistir do jornalismo não pode ser uma opção se queremos estar informados. Pelo contrário. Temos de saber exigir dos jornais, revistas, rádios e TVs que temos um regresso ao lema velho: tornem interessante aquilo que é relevante.

Para sermos livres, dentro e fora das redes (que vieram para ficar, estas e as outras que ainda não foram inventadas) temos de perceber que o problema é nosso. Sendo cépticos e não partilhando fake news, claro. Mas também exigindo um jornalismo mais sério e profundo, com mais trabalho e menos clickbait, com factos verificados e relevância. Esse jornalismo só pode existir se muitos quiserem pagar, seja assinando publicações, comprando nos quiosques, doando em campanhas de crowdfunding.

Os riscos que corremos se tudo ficar como está são evidentes. A cada dia que passa mais gente acredita que a Terra é plana, mais políticos que garantem que o Covid se cura com injecções de lixívia são eleitos, mais massacres acontecem a povos como os Rohingya, mais racismo e desigualdades teremos nas nossas vidas.

A dopamina que nos satisfaz com os likes nas nossas fotos, ou os elogios que nos fazem nas redes, não é nada comparada com a gratificação que devemos a nós próprios de não sermos cúmplices ou indiferentes perante a destruição do nosso bem comum mais importante: sermos livres, numa comunidade melhor. 

O quizz Media Veritas quer ajudar-nos a perceber se somos fortes ou fracos neste jogo da verdade e da mentira. E quer ajudar-nos a parar as fake news.

Quem sabe o que é um bot? Quem sabe identificar uma mentira famosa? Para os melhores resultados há prémios interessantes. Há também um certificado atribuído aos participantes.

Mas o que este jogo Media Veritas promete é ainda mais importante. Passar neste desafio ajuda-nos a perceber se estamos, ou não, preparados para sermos livres e responsáveis num mundo cada vez mais dominado pela inteligência artificial.

E para começarmos o desafio do quizz: há uma pergunta simples que devemos fazer de cada vez que navegamos em redes sociais ou encontramos um link qualquer que nos interpela numa pesquisa do Google. Essa pergunta é o mais importante travão que podemos, agora, usar para parar a desinformação. Devo ou não partilhar esta história?

Fonte: API

Foto: @juliusdrost

Barcelos, os Verdes solicitam documentação sobre funcionamento de passagens de nível

Abril 7, 2021 em Atualidade, Concelho, Mundo, Política Por barcelosnahorabarcelosnahora

A deputada Mariana Silva, do Grupo Parlamentar Os Verdes, entregou na Assembleia da República um requerimento, em que solicita ao Governo através do Ministério das Infraestruturas e da Habitação, documentos sobre o funcionamento em três PN nas freguesias de Quintiães e Aguiar, em Barcelos.

Requerimento na íntegra,

“Em março de 2020 o Partido Ecologista Os Verdes, em pergunta dirigida a este Ministério, solicitava informações sobre o funcionamento das passagens de nível nas freguesias de Quintiães, Aguiar e Carapeços, no concelho de Barcelos.

Numa visita, dos Verdes, ao local foi transmitida a preocupação da população com alegadas desconformidades no funcionamento da alarmística, e em particular na descida das barreiras das passagens de nível PN 61.432, PN 62.123 e PN 62.621, com a descrição sobre situações em que as barreiras não desceram à passagem do comboio, e noutros momentos as barreiras ficavam em baixo por períodos prolongados após passagem do comboio.

Em resposta à questão colocada pelo PEV, o Ministério das Infraestruturas e da Habitação informou que nas passagens de nível situadas nas freguesias de Quintiães e Aguiar as ações de Manutenção Preventiva Sistemática, realizadas em novembro de 2019, não tinham detetado anomalias.

O Ministério assegurou igualmente que nos procedimentos de auditoria ao registador jurídico de eventos (caixa negra), nas passagens de nível em apreço, não existia indício de eventos contra a segurança.

No entanto, devido aos relatos de avarias recebidos, entendeu a IP dotar as três passagens de nível existentes nas freguesias de Quintiães e Aguiar, de câmaras de vigilância como serviço técnico complementar ao sistema de monitorização.

Considerando que ao Partido Ecologista Os Verdes foi reportada uma nova situação de alegada avaria na passagem de nível PN 61.432, a 13 de janeiro de 2021, em que é afirmado que a sinalização foi ativada tardiamente, ou seja, já com o comboio muito perto da PN. A mesma pessoa que testemunhou esta ocorrência alega que no dia seguinte estavam técnicos no local e que estes afirmaram que “os sinais fecharam um pouquinho tarde”.

Atendendo a que mais recentemente ocorreram acidentes de que resultaram feridos graves, acidentes sobre os quais persistem dúvidas sobre o correto funcionamento das PN, nomeadamente as ocorrências dos dias 16 de dezembro de 2020 em Cristelo, concelhos de Caminha e no dia 2 de março de 2021 em Silvalde, concelho de Espinho, neste último caso testemunhando a única vítima, ferido ligeiro, que a sinalização não funcionou, ou seja, o comboio passou a PN com a sinalização inativa.

Assim, ao abrigo das disposições constitucionais e regimentais aplicáveis, solicito a S. Exª O Presidente da Assembleia da República que remeta ao Governo o presente requerimento, para que o Ministério das Infraestruturas e da Habitação possa facultar:

1. Documentação que permita aferir sobre conclusões da IP relativamente ao funcionamento das PN com base nos registos da monitorização complementar das câmaras de vigilância, desde a sua instalação, em três PN nas freguesias de Quintiães e Aguiar, em Barcelos.

2. Relatórios e/ou conclusões das ações de Manutenção Preventiva Sistemática trimestrais nas três passagens de nível existentes nas freguesias de Quintiães e Aguiar (Barcelos) desde novembro de 2019.

3. Relatórios e/ou conclusões das ações de Manutenção Preventiva Sistemática trimestrais na passagem de nível de Carapeços, concelho de Barcelos, desde 2019.

4. Relatórios e/ou conclusões das ações de Manutenção Preventiva Sistemática trimestrais na passagem de nível, local do acidente ocorrido dia 16 de dezembro de 2020, em Cristelo, Caminha.

5. Informação sobre as conclusões da IP relativamente ao funcionamento da alarmística e das barreiras na PN em Cristelo, Caminha, local do acidente mencionado no ponto anterior.

6. Relatórios e/ou conclusões das ações de Manutenção Preventiva Sistemática trimestrais na passagem de nível, local do acidente ocorrido dia 2 de março de 2021 em Silvalde, Espinho.

7. Informação sobre as conclusões da IP relativamente ao funcionamento da alarmística e das barreiras na PN em Silvalde, Espinho, local do acidente mencionado no ponto anterior.”

Fonte: Verdes Barcelos

Norte 2020 viabiliza financiamentos de 61 milhões de euros para fazer avançar a Ciência na Região

Abril 7, 2021 em Atualidade, Ciência, Concelho, Economia, Educação, Mundo, Saúde Por barcelosnahorabarcelosnahora

A Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N) apresentou esta terça-feira um dos mais robustos pacotes de sempre de apoio às infraestruturas científicas e a projetos de Investigação & Desenvolvimento na região Norte. No evento que contou com a participação da Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, e do Ministro da Ciência e Tecnologia, Manuel Heitor – o Presidente da CCDR-N, António Cunha, destacou que “a Ciência é hoje um pilar do desenvolvimento regional do Norte”.

Ao todo, a CCDR-N tem aprovados ou em fase final de aprovação, ao abrigo do NORTE 2020 (Programa Operacional Regional do Norte), um conjunto de financiamentos comunitários que ascende a 61 milhões de euros, num investimento total de 72 milhões, a realizar até 2023.

Neste conjunto, destacam-se os investimentos estruturantes em oito infraestruturas científicas da região, com um volume de financiamento comunitário superior a 30 milhões de euros.

Entre esses está o “Centro Compreensivo do Cancro do Porto” (P.CCC), que agregará o Instituto Português de Oncologia (IPO) do Porto e o i3S Instituto de Investigação e Inovação em Saúde da Universidade do Porto, tendo por objetivo promover a investigação e inovação de ponta e transformar o futuro dos cuidados oncológicos, através da disponibilização de produtos para o rastreamento, diagnóstico e terapia do cancro. O desenvolvimento de biomarcadores para vigilância de pacientes oncológicos e familiares em risco, novas metodologias de diagnóstico e prognóstico e estratégias terapêuticas, modelos experimentais de pesquisa pré-clínica e ensaios clínicos iniciais para medicamentos novos ou reaproveitados.

Os demais projetos deste pacote, dizem respeito a infraestruturas para investigação da química biológica e a genética (Instituto de Biologia Molecular e Celular, IBMC), a computação avançada e a investigação em recursos microbianos (Universidade do Minho), o desenvolvimento da microscopia avançada para as ciências da Saúde (Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia, INL), a investigação em nutrição e alimentação (Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro), o desenvolvimento de aplicações tecnológicas para o tratamento de nutrientes, água e energia (Fraunhofer Portugal), e a digitalização da investigação clínica no Norte de Portugal (envolvendo o Centro Clínico Académico), este último em fase final de aprovação.

Também no pipeline de aprovação, em fase final de análise, encontra-se o projeto “BIOPOLIS”, promovido pelo ICETA – Instituto de Ciências, Tecnologias e Agroambiente da Universidade do Porto, para a criação de um centro de excelência em biologia ambiental, Ecossistemas e agrodiversidade, investimento que ascende a 13 milhões de euros, com um financiamento de 11 milhões.

Fonte|Foto: CCDR-N

Antigos Combatentes isentos do pagamento de taxas moderadoras

Abril 6, 2021 em Atualidade, Concelho, Mundo, Saúde Por barcelosnahorabarcelosnahora

Em comunicado, o SNS, anuncia que já se encontra em vigor a isenção do pagamento de taxas moderadoras no acesso ao Serviço Nacional de Saúde (SNS) para os antigos combatentes, bastando apenas a apresentação do cartão de utente ou do cartão de cidadão, em qualquer deslocação a uma unidade de saúde.

Esta isenção, estende-se a viúvas ou viúvos dos antigos combatentes, bem como àqueles que se encontrassem a residir em união de facto reconhecida judicialmente, à data do falecimento do antigo combatente.

Fonte: SNS

Foto: @impulsq

DGS lança Guia para Lanches Escolares Saudáveis

Abril 6, 2021 em Atualidade, Concelho, Educação, Mundo, Saúde Por barcelosnahorabarcelosnahora

No dia em que, Portugal iniciou a segunda fase de desconfinamento, e as crianças do 2º e 3º ciclo regressaram às aulas, a Direção Geral de Saúde (DGS) em parceria com a Direção-Geral da Educação, lançou um Guia para Lanches Saudáveis, que pretende apoiar pais e encarregados de educação na organização dos lanches, de modo a que as suas decisões sejam mais saudáveis.

Em Portugal, 29,6% das crianças entre os 6 e os 9 anos têm excesso de peso, incluindo obesidade. Os adolescentes com 11, 13 e 15 anos, a prevalência de excesso de peso estimada para o ano de 2018 foi de 18,9%. Os dados do último Inquérito Alimentar Nacional mostram-nos que é no grupo das crianças e dos adolescentes que se verificam hábitos alimentares mais desequilibrados.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 69% das crianças e 66% dos adolescentes portugueses não atingem a recomendação relativamente ao consumo de fruta e hortícolas (consumo diário de pelo menos 400g).

A DGS aponta 6 boas razões para nos preocuparmos com os lanches das crianças e jovens:

  1. Cerca de 25% da ingestão energética diária das crianças e jovens provem dos lanches
  2. Ao lanche são consumidos habitualmente produtos alimentares com pouco valor nutricional, por exemplo batata frita, bolachas e bebidas açucaradas.
  3. A alimentação saudável tem um papel importante no desenvolvimento cognitivo e rendimento escolar
  4. Os estímulos ao consumo de produtos alimentares com pouco valor nutricional existem à volta das escolas e a publicidade a estes alimentos é mais frequente do que a publicidade a alimentos saudáveis.
  5. Preparar um lanche saudável e apelativo para as crianças e jovens comparativamente com a oferta alimentar a que estão expostos é um grande desafio para muitos pais.
  6. A COVID-19, pela interrupção das atividades letivas presenciais e pela necessidade de uma permanência prolongada em casa, pode ter contribuído para que as crianças tenham adotado comportamentos alimentares e de atividade física que favorecem o ganho de peso.

Neste guia temos a resposta a, como deve ser a composição nutricional dos lanches das crianças, que alimentos devemos incluir na lancheira, como compor um lanche saudável, algumas sugestões de ementa semanal e também algumas estratégias para incentivar as crianças e jovens apreciarem lanches saudáveis.

Fonte: SNS.GOV

Foto: @element5digital

Feira Semanal de Barcelos reabre na totalidade esta quinta-feira

Abril 5, 2021 em Atualidade, Concelho, Economia, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

A partir desta quinta-feira, 8 abril, a Feira de Barcelos reabrirá com todas as atividades de venda ao público e com todos os feirantes. Reabrem, também, a Feira Grossista e o Mercado.

No atual quadro de desconfinamento, mantêm-se as regras de distanciamento social e proteção com máscara, entre outras, de forma a evitar possíveis contágios do coronavírus.

Para aceder ao recinto, é obrigatório o uso de máscara e a desinfeção das mãos, sendo disponibilizado desinfetante nas entradas, com doseadores automáticos. O público deve aguardar a vez de entrada no recinto da Feira, respeitar o distanciamento social, e manter a proteção do nariz e da boca.

As condições para a reabertura total da Feira foram articuladas com os feirantes e com as respetivas associações, e obtiveram a concordância das autoridades de saúde do concelho, que validaram o respetivo plano.

Fonte: MB


1 3 4 5 6 7 460
Ir Para Cima