Comissão Política do PSD Barcelos repudia nomeação de Mário Constantino como candidato à Câmara Municipal

Abril 8, 2021 Atualidade, Concelho, Mundo, Política

Conforme comunicado do PSD Barcelos na rede social Facebook, a Comissão Política da secção de Barcelos, repudia a nomeação de Mário Constantino como candidato à Câmara Municipal.

Relembramos que, o nome escolhido como candidato à Câmara Municipal pela concelhia e pela distrital foi o independente e empresário João Sousa. No entanto a decisão da comissão política nacional do PSD foi aprovar Mário Constantino para candidato, deixando cair o nome escolhido pela concelhia.

Reproduzimos o comunicado do PSD Barcelos na íntegra,

“A Comissão Política de Secção do PSD Barcelos (CPS) foi absolutamente surpreendida pela notícia de que a Comissão Política Nacional do PSD (CPN), na sua reunião de 6 de abril de 2021, indicou como candidato à presidência da Câmara Municipal de Barcelos o companheiro Mário Constantino.

Tal decisão foi tomada em clara contradição com o processo que conduziu à escolha do candidato, bem como em clara contradição com a escolha generalizada de todos quantos foram ouvidos sobre este assunto.

Mas vamos por partes:

DO PROCESSO

O candidato escolhido deveria colher a pré-aprovação da Secção, da Comissão Política Distrital (CPD) e da CPN.

No dia 7 de março de 2021 o companheiro Bruno Torres viu a sua propositura à presidência da Câmara Municipal de Barcelos ser recusada pela CPS. Na sequência dessa recusa apresentou a sua demissão do cargo de presidente da CPS.

Em articulação com o Sr. Presidente da CPD, Dr. Paulo Cunha, e de acordo com os Estatutos do Partido assumiu a presidência deste órgão o companheiro António Lima.

De imediato foi solicitada uma reunião entre o Sr. Presidente do Partido, Dr. Rui Rio, o Presidente da CPD e o Presidente da CPS. Por dificuldades de agenda, esta reunião apenas teve lugar no dia 22 de março.

Nessa reunião foi referido pelo Sr. Presidente da CPS que estava a auscultar diversas sensibilidades do partido, desde os membros da CPS, passando pelos Sr. Presidentes de Junta, deputados e ex-deputados, membros da lista vencedora e membros da lista opositora à CPS, e as estruturas locais da JSD e dos TSD. O objetivo era claro: reduzir a tensão interna, apontar soluções para a nomeação de candidato, sendo de imediato referido que a prioridade passaria pela indicação de um independente, com forte vocação empresarial.

O Sr. Presidente do Partido e o Sr. Presidente da CPD validaram esta estratégia e, em conjunto, articularam um calendário: agendar um plenário de secção para validar perfil de candidato, cuja primeira data disponível seria a 31 de março; continuar a ouvir as pessoas até àquela data; articular entre CPS, CPD e CPN a proposta de candidato; se o candidato proposto pela CPS colhesse a aprovação da maioria das pessoas da CPS e da CPD, a CPN iria certamente aprovar o nome indicado. E foi este caminho que foi percorrido pelo Presidente da CPS. Tratou que fosse agendado um plenário e continuou a ouvir os militantes e simpatizantes do PSD até ao dia aprazado.

De permeio, ocorreram novas reuniões entre o Sr. Presidente da CPS, da CPD e o Sr. Secretário-Geral do PSD Dr. José Silvano que acompanhou todas as ações desenvolvidas, quer pela concelhia, quer pela distrital, no sentido de ter uma solução vencedora para o PSD Barcelos. O único alerta que este deu, foi que, se a solução fosse interna, teriam de ser considerados os resultados das sondagens realizadas, no entanto era conhecedor de que o plano concelhio e distrital sempre passaria por uma solução externa. Mais teve conhecimento prévio do nome, perfil e curriculum do candidato que viria a ser apresentado e não levantou qualquer obstáculo ou esgrimiu qualquer argumento contra.

Ora, depois de ouvidos militantes, Presidentes de Junta e outras personalidades, foi apresentado o nome do empresário João Sousa que colheu o parecer favorável do presidente da CPD e do Secretário-geral do Partido.

Só depois de obtido este parecer é que foi votado, por unanimidade, quer na JSD, nos TSD e na CPS, o nome do candidato proposto pelo Sr. Presidente da CPS.

No dia seguinte, a CPD aprovou também a proposta apresentada pela CPS, e remeteu-a à CPN.

O nome do empresário João Sousa colheu aprovação implícita e explicita das mais diversas sensibilidades do partido, com exceção do companheiro Mário Constantino e de uma pequena entourage a ele afeta.

Pelo que, se a solução proposta pela CPS colheu unanimidade interna das estruturas locais, colheu amplo consenso local, colheu aprovação distrital, conforme plano gizado em articulação com o líder do PSD e com o seu Secretário-Geral não se percebe a razão pela qual não foi atendida esta indicação.

DO CANDIDATO

A CPS fez uma análise à situação atual do Município de Barcelos e sinalizou evidentes debilidades:

Imagem externa do Município prejudicada pelos processos protagonizados pelo seu Presidente;

Ausência de tomada de decisões estratégicas para o nosso concelho, em dossiês tão importantes como o da água e saneamento, da circular urbana, do hospital, etc;

Ausência de trabalho em equipa;

Ausência de investimento, primando por uma política de redistribuição de recursos financeiros do orçamento municipal.

Apego ao poder por parte dos intervenientes locais, que se preparam para uma troca de cadeiras, qual oligarquia russa.

Do trabalho de auscultação das bases do partido, ficou também claro e foi informada a Direção da CPS que seria impossível encontrar uma solução interna que colhesse a aprovação da maioria dos militantes. Mais foi defendido pela maioria das pessoas ouvidas que deveria ser apresentada uma cara nova para o partido.

Pelo que a solução encontrada primava por suprir as debilidades da proposta do PS bem como resolvia os problemas internos do PSD.

Efetivamente, a proposta do Sr. João Sousa tem como principais virtudes:

O espírito de missão de alguém que aos 64 anos, não sendo político, deixa o conforto dos seus projetos pessoais, para dar o melhor de si em favor da terra que o viu nascer e onde criou riqueza;

A capacidade de tomar decisões em tempo útil. É alguém que sabe que atrasar uma decisão implica a perda de tempo e dinheiro. Infelizmente, e da pior das formas, os Barcelenses também já sentiram na pele este facto;

A capacidade de sinalizar prioridades de investimento e de investir em diversos domínios, desde o têxtil até ao vinho;

A capacidade de, trabalhando em equipa e em família, fazer florescer diversos projetos de sucesso, dos quais dependem diretamente mais de 400 agregados familiares do nosso concelho;

A ligação às marcas de elevada notoriedade nacional Ana Sousa e Temperatura, que rapidamente poderão projetar a notoriedade do candidato;

A disponibilidade para o projeto 24 horas por dia, 7 dias por semana;

Não precisar da política, nem dos vencimentos que ela proporciona;

O entusiasmo que o candidato demonstrou para com o convite e a possibilidade de ele alargar horizontes para lá do eleitorado natural do PSD Barcelos;

Ser alguém externo ao partido e, por essa via, ser mais bem aceite pelos diversos players locais do nosso partido;

Assim, o candidato proposto pela CPS e aprovado pela CPS e CPD vai ao encontro do perfil defendido pela maioria dos militantes que defendiam uma cara nova, ataca as debilidades do executivo camarário e teria condições para resolver os problemas internos do PSD Barcelos.

Pelo que,

Não se compreende a razão pela qual a CPN não validou a proposta apresentada pela CPS e pela CPD, porquanto a mesma obedeceu ao processo defendido pelo Sr. Presidente do Partido, e o candidato corresponde ao perfil defendido pelos militantes colhendo unanimidade junto das estruturas locais.

JUSTIFICAÇÃO PARA A DECISÃO

No dia 7 de abril, o Sr. Secretário-Geral contactou o Sr. Presidente da CPS e comunicou-lhe a decisão de indicar o Dr. Mário Constantino como candidato à Câmara Municipal de Barcelos.

Instado a fundamentar tal decisão, foi justificado pelo Sr. Secretário-Geral que a decisão baseia-se no facto de que o Dr. Mário Constantino ter sido a pessoa melhor colocada na sondagem realizada em Janeiro de 2021.

Ora, tal argumento surge ao arrepio da retórica da Direção do Partido que sempre tem vindo a desvalorizar as sondagens realizadas a nível nacional. Acresce que, o Sr. João Sousa não foi incluído na sondagem realizada em janeiro de 2021, pelo que tal argumento não colhe qualquer fundamento que justifique a decisão tomada.

Mais foi referido que, para a decisão, muito contribuiu a facto de o Dr. Domingos Pereira, na qualidade de líder do movimento independente BTF, apenas aceitar coligar-se com o PSD caso o candidato fosse o Dr. Mário Constantino. Daqui se depreende que o Sr. Domingos Pereira teve maior importância para a decisão tomada, de que as estruturas locais e distritais do PSD.

Não foi referido pelo Sr. Secretário-Geral quem é que na CPN auscultou os militantes do concelho de Barcelos para tomar esta decisão.

Tão-pouco foi tida em consideração a absoluta rejeição do nome do Dr. Mário Constantino por parte da totalidade dos Srs. Presidentes de Junta do PSD.

Estranhamos ainda que na cerimónia de apresentação de candidatos realizada no dia de ontem não tenha sido dada qualquer justificação pública para esta tomada de posição. O facto de que Barcelos ser a segunda secção do país com mais militantes ativos, e ser o 6º concelho que mais votos contribui para o PSD certamente deveria merecer outra atitude por parte dos responsáveis do nosso partido.

EM SÚMULA

A CPS, reunida a dia 7 de abril de 2021 deliberou o seguinte:

1. Repudiar veementemente a tomada de decisão por parte da CPN, que surge ao arrepio dos estatutos e das mais elementares regras democráticas;

2. Lamentar que o processo não tenha sido avocado no seguimento da demissão do companheiro Bruno Torres, contribuindo assim para expor de forma grosseira os membros do PSD, os membros da CPS e da CPD e em particular um industrial de sucesso, João Sousa, que é alheio a todo este processo;

3. Solicitar uma reunião com carácter de urgência com o Sr. Presidente do Partido, Dr. Rui Rio, para que nos sejam apresentadas as justificações para a tomada de posição da CPN. Lembrar que há mais de 20 anos que nenhum processo do distrito de Braga havia sido avocado pela CPN;

4. Apresentar um voto de louvor a todo o trabalho desenvolvido pelo Sr. Presidente da CPD, por toda a colaboração demonstrada ao longo deste processo.

Os Barcelenses, que tantas e tantas vitórias deram ao PSD, a grandeza da secção de Barcelos, a grandeza do nosso concelho e sobretudo o empresário e empreendedor João Sousa não mereciam este comportamento indecoroso por parte da Direção Nacional do Partido, pelo que, depois de ouvidas as devidas explicações a CPS reserva-se ao direito poder vir a tomar outras ações em defesa da nossa dignidade e dos superiores interesses dos Barcelenses.

Barcelos, 8 de abril de 2021

A Comissão Política do PSD Barcelos.”

Fonte: Facebook PSD Barcelos

Foto: Coligação Mais Barcelos

PUB

218910333_904017513661701_8501182798823808285_n-1.png

PUB

Captura-de-ecra-2021-04-12-as-11.19.30.png

PUB

Claudia-Campanha-Bnh.jpg

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima