Como tratar do condomínio em tempo de COVID-19

Abril 22, 2020 Atualidade, Concelho, Economia, Mundo, Opinião

A quarentena ou isolamento forçado em casa, devido à COVID-19, pode exercer uma tensão extra no quotidiano dos condomínios, com dúvidas de funcionários, prestadores de serviços e condóminos. É possível minimizar problemas e cumprir as indicações da Direção-Geral da Saúde (DGS), protegendo-se a si e aos seus vizinhos.



Se o seu condomínio não realizou a assembleia de condóminos nas datas indicadas pela legislação em vigor (primeira quinzena de janeiro), aconselhamos a que esta seja adiada para uma data posterior ao levantamento do estado de emergência.

Na ausência do administrador, por exemplo, devido a doença, nada impede outro condómino de resolver o problema, se ocorrer uma emergência. Recomendamos, também, que todas as comunicações sejam efetuadas por e-mail e, se possível, que as mesmas sejam afixadas à entrada do prédio. 

Neste contexto, algumas famílias podem perder rendimentos e deixar de conseguir cumprir com as suas obrigações, como o pagamento das quotas. Para tal, aconselhamos a que tente chegar a um acordo de pagamento faseado, com valores mais baixos, ou a prever a suspensão temporária do pagamento das quotas.

Seguindo as indicações da Organização Mundial da Saúde, não pode haver aglomerações de pessoas. Por isso, os condomínios têm de suspender as atividades e interditar o acesso aos espaços de lazer comuns, como parques infantis, piscinas ou áreas desportivas. Apesar desta medida, as restantes áreas comuns devem ser uma prioridade em termos de limpeza e desinfeção. A regularidade deve ser reforçada e quem a realiza deve fazê-lo, cumprindo as recomendações da DGS. Deve ter-se especial atenção à limpeza das superfícies de toque frequente, como corrimões, botões dos elevadores, intercomunicadores ou maçanetas que devem ser alvo de uma limpeza mais cuidada. 

Ventilar de forma natural as escadas (por exemplo, abrindo a porta de entrada ou as janelas se as houver), sempre que possível, também é uma tarefa a ter em mente.

Se um elevador avariar ou surgir outro problema que envolva um prestador de serviços, este deve assegurá-lo. Para isso, basta contactá-los da forma habitual para que se dirijam ao local e resolvam o problema. O mesmo se processa com a simples manutenção mensal.

Caso surja um incidente inesperado ou obra, tal como a avaria dos intercomunicadores ou uma inundação, uma vez que se tratam de obras urgentes, o administrador ou caso este não esteja disponível (por doença ou assistência a um familiar, por exemplo) qualquer outro condómino pode e deve tratar do assunto, ligando para as empresas ou entidades competentes.

Para obter mais dicas sobre como gerir o condomínio pode consultar Condomínio DECO+. Para mais informações ou dúvidas, não hesite em contactar-nos, através de Videochamada (Skype),  telefonicamente através do 258 821 083 e por escrito para deco.minho@deco.pt.

Fotos: DR.

PUB

WhatsApp-Image-2021-04-09-at-14.18.52.jpeg

PUB

Captura-de-ecra-2021-04-12-as-11.19.30.png

PUB

Claudia-Campanha-Bnh.jpg

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima