Conselho Europeu de Inovação investe 191 milhões de euros em 58 tecnologias revolucionárias, seis das quais com parceiros portugueses

Outubro 30, 2020 Atualidade, Economia, Mundo, Política

Na última ronda de investimentos da iniciativa Pathfinder-Open do Conselho Europeu de Inovação (EIC), financiada ao abrigo do programa Horizonte 2020, o programa de investigação e inovação da UE, selecionaram-se 58 tecnologias inovadoras e de grande impacto.



Este valor representa o orçamento mais elevado de sempre (191 milhões de euros), bem como, o maior número de projetos selecionados (58) e de candidaturas (902) para este tipo de financiamento, que ajuda a transformar ideias de investigação de alto risco e de grande impacto em novas tecnologias. Entre as ideias apoiadas nesta ronda, contam-se um conceito radicalmente novo para a conversão de calor residual em eletricidade e outro de robôs comestíveis e alimentos robotizados que podem proporcionar nutrição vital a humanos e animais em situações de emergência.

Seis dos projetos contam com entidades portuguesas como parceiras:

O Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia, em Braga, coordena o projeto SpinCat, Spin-polarized Catalysts for Energy-Efficient AEM Water, e participa no projeto BIOCELLPHE, Ultrasensitive BIOsensing platform for multiplex CELLular protein PHEnotyping at single-cell level, contando, este último, também com a empresa RUBYNANOMED, baseada em Braga; a Association for the Advancement of Tissue Engineering Cell Based Technologies & Therapies (A4TEC), no Minho, participa no projeto ECaBox, ECaBox Eyes in a Care Box: Regenerating human retina from resuscitated cadaveric eyes; a Universidade de Aveiro participa no e-Prot, Engineered Conductive Proteins for Bioelectronics; e a Associação do Instituto Superior Técnico para a Investigação e Desenvolvimento (Lisboa) participa em dois projetos: o RePAIR, Reconstructing the Past: Artificial Intelligence and Robotics Meet Cultural Heritage, e o UroPrint, Urinary bladder bioprinting for fully autologous transplantation, que também conta com a portuguesa JFCC – Biosolutions, baseada em Aveiro.

Mariya Gabriel, comissária da Inovação, Investigação, Cultura, Educação e Juventude, afirmou que “o conjunto de ideias radicalmente novas recebidas para o Pathfinder do CEI mostra as incríveis inovações que requerem apoio da UE. Os investimentos em investigação e inovação fazem com que possamos apoiar muitas destas tecnologias ainda por descobrir e apoiar investigadores e empresários visionários, tornando a Europa mais competitiva e assegurando que a Europa lidera a próxima vaga de inovação”.

Alemanha, Itália, Espanha, França e Suíça apresentaram o maior número de projetos bem-sucedidos, com quase 30 % liderados por mulheres investigadoras e 26 % classificados como «tecnologias verdes» para apoiar os objetivos do Pacto Ecológico Europeu.

Além de uma parte do orçamento de 191 milhões de euros, os projetos selecionados terão acesso a serviços de apoio à aceleração empresarial e de mentoria. Na sequência do êxito da fase-piloto do Conselho Europeu de Inovação (2018-20), espera-se que o CEI completo seja lançado no início do próximo ano no âmbito do Horizonte Europa, o novo programa de investigação e inovação da UE, com um aumento do financiamento para as tecnologias de ponta.

Foto: DR.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*