Criminologia Corporativa

Julho 21, 2020 Atualidade, Concelho, Cultura, Economia, Mundo, Opinião
Iara Brito

A Criminologia Corporativa tem como objetivo gerir a segurança das organizações/empresas e os seus colaboradores e clientes, através da identificação, mediação, controlo e prevenção doe eventos delitivos ou nocivos que sucedem no contexto sócio-laboral (Prieto, 2009).



Os fatores de risco para o empresário derivam de ações intencionais, como são o roubo, furto, burla, extorsão, entre outros, mas também, ações naturais, como desastres naturais, acidentes ou emergências médicas. Para cada tipo de risco, o criminólogo corporativo avalia e analisa as estratégias mais adequadas para minimizar o risco.

Como diz o nosso ditado, “prevenir é o melhor remédio”. A adequada planeação de medidas de emergência, tempos de resposta e panos de intervenção, limita os conflitos e promove o bem-estar e tranquilidade empresarial.

Para que melhor possa intervir, o criminólogo corporativo deve conhecer a área geográfica em que o negócio está inserido, estudar o espaço físico da empresa, observar as taxas de criminalidade, tipos de delinquência, hotspots criminais. Com todos estes conhecimentos, o criminólogo corporativo está preparado para explicar as tendências e padrões delitivos, fatores de risco e, consequentemente, planear intervenções para potenciar a segurança.

Por vezes, os responsáveis pela segurança e proteção patrimonial de uma empresa têm poucos conhecimentos acerca da investigação criminológica. Assim, as empresas contratam consultores externos que, por sua vez, desconhecem o funcionamento interno da empresa. A solução ideal passa pelo profissional com conhecimentos próprios de análise criminológica, comportamento humano e, simultaneamente, conhecer o funcionamento interno da empresa, os valores e a dinâmica institucionais e estar familiarizado com a organização da empresa.

A Criminologia Corporativa é uma interação das teorias da criminologia tradicional, as teorias da psicologia organizacional e segurança industrial que permitem desenvolver conhecimento detalhado sobre a delinquência, o risco e a gestão da segurança nas organizações.

Este ramo da criminologia ocupa-se em desenhar, gerir e supervisionar, através de um conjunto de atividades, tais como:

  • Análise de riscos
  • Prevenção de perdas e redução de danos
  • Proteção patrimonial
  • Proteção executiva
  • Segurança pessoal
  • Investigação
  • Processos de mediação
  • Formação e capacitação do pessoal
  • Recomendações de desenho arquitetónico, orientado para a redução de oportunidades desviantes e criminais

Por que se justifica as funções de um/a criminólogo/a numa empresa?

A intervenção de criminólogos/as nas empresas visa integrar as teorias explicativas do comportamento antissocial e desviante, com o riso e gestão da segurança organizacional, com a finalidade de assegurar a continuidade do negócio, detetar ameaças, diminuir os riscos e prevenir as perdas. O mercado atual é exigente e vertiginoso, daí que seja crucial para as entidades terem profissionais que trabalhem a área da segurança e que tenham capacidades e competências necessárias para as exigências do mercado atual.

Cada vez mais, as empresas criam os seus próprios departamentos de segurança para prevenir e minimizar as possíveis perdas que possam ocorrer. A segurança deve ser vista como um investimento e não como uma despesa, uma vez que gerir, corretamente, este departamento, acumulará, a longo prazo, lucro.

O criminólogo é instruído e formado em matéria de investigação, prevenção do delito e políticas criminais. Se um criminólogo pode desenhar um programa eficiente de prevenção do delito para uma cidade, então, imagine o que pode fazer por uma empresa.

Por: Iara Brito*. (Criminóloga)

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Encontro às Cegas

Imagina, por um dia, que ficarias cega. Deixarias de ver tudo o
Ir Para Cima