De volta, com Dito na memória e três pontos amealhados

Setembro 30, 2020 Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião
Lucy Santos

Estamos de volta! Nova época, ainda atípica, mas com a certeza que o apoio estará sempre com o clube.

Da época anterior, ficamos sem alguns jogadores e sem o treinador, que teria sido um grande peso na excelente época que fizemos. Esta época, temos um novo mister e alguns reforços. Não temos assim muitas referências de Rui Almeida, sabemos que terá a sua primeira experiência como treinador principal em Portugal e nos últimos 5 anos percorreu o segundo escalão do futebol francês.



A nossa época não começou nada bem. Aquando do estágio em Melgaço, o nosso diretor-geral, Dito, sentiu-se mal e acabou por não resistir, deixando um nó na garganta difícil de desatar e um vazio no clube, pelo menos é isso que sentimos até então. Dito ajudou o Gil Vicente a construir uma equipa de raiz para assinalar o regresso ao principal escalão de futebol. Fica na memória de todos nós a excelente pessoa e excelente profissional que é.

Ainda não desfeitos deste vazio deixado e a praticamente duas semanas antes do campeonato, vimo-nos deparados com 10 jogadores infetados, e alguns elementos do staff, com o novo coronavírus. Seguia-se a quarentena e os elementos testados negativos viram-se impedidos de treinar para defrontar o SC Portugal. No dia anterior, a primeira jornada ficou adiada. Íamos jogar a segunda jornada, em nossa casa, com o Portimonense, se tudo corresse bem. E correu.

Jogámos no passado sábado, às 16h00, e com uma nova homenagem a Dito. O que é certo é que todos carregaram Dito nas costas e os primeiros 3 pontos foram para a equipa de Barcelos.

Rui Almeida manteve Denis na baliza e iniciámos o jogo com Joel Pereira, o capitão Rúben Fernandes, Ygor Nogueira, João Afonso, Talocha, Claude Gonçalves, Lucas Mineiro, Antoine, Miullen e Samuel Lino.

Rui Almeida arrancou no campeonato com três centrais. Durante a partida, Samuel Lino era o que mais fazia tremer a equipa do Portimonense e Denis mostrou que defendia as suas redes, e bem, quando defendeu a grande penalidade assinalada contra a equipa de Barcelos. Muito antes disso, já o Gil Vicente mostrava que quem mandava em Barcelos era a equipa da casa e era a que dispunha das melhores oportunidades.

Na segunda parte, e numa jogada vinda de Antoine, passando por Miullen, apareceu Lino que finalizou e abriu o marcador.

Rui Almeida foi refrescando jogadores e o Portimonense começou a criar mais oportunidades, mas foi o Gil Vicente que conseguiu segurar o resultado e arrecadar os três primeiros pontos.

Foi de mérito esta vitória, dado que, por conta dos elementos infetados por COVID, tivemos poucos treinos e alguns jogadores recuperaram apenas 48h00 antes e estavam aptos a jogar.

Temos uma equipa nova, um treinador novo, mas que promete lutar para depressa alcançarem os 30 pontos para a manutenção. Com suor, trabalho e eficácia conseguiremos alcançar depressa o objetivo. O próximo jogo e, vejam só, já com adeptos na Ilha dos Açores esperamos uma brilhante exibição dos nossos jogadores e que possamos pontuar neste terreno, nada fácil.

É difícil assistir ao nosso Gil através de uma TV, mas, para já, terá de ser assim, apesar de que, estou esperançosa que, brevemente, voltemos a sentir o futebol onde ele deve ser vivido: nas bancadas.

E espero ver-vos lá, a apoiar o nosso clube, em segurança.

Sintam o Gil 💝

Por: Lucy Santos*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima