Deixem-me ser!

Março 1, 2020 Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião
Joana Martins

Passeiam os dias

Em ruas de incertezas

Entre os sonhos que adias

Alegrias e tristezas.

Veste a vontade

De deixar o tempo responder

E num grito de liberdade

Diz:

Deixem-me ser!

Faz das imperfeições

Pegadas que ficam.

Lições,

Que marcam.

Cais

Levantas-te

E vais.

Ser tu!

Buscas aceitação

Amor

Compreensão

E abraças com sentimento

Quem te preenche por dentro.

Por fora

Deixas ir embora

Quem não te entende.

Prendes-te à razão

De ser.

E corres com paixão

Por entre trilhos íngremes

Porque nada é em vão

Não te subestimes.

Tu consegues!

E no fim?

No fim, vences!

.

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima