Economia circular na visão do consumidor

Setembro 3, 2022 Ambiente, Atualidade, Opinião
Sónia Alves

Sónia Alves é a convidada a escrever o artigo do mês de setembro no espaço da Intensify World. Mestre em Engenharia Química pela Universidade de Aveiro e com formações em diversas áreas do desenvolvimento do produto, produção de papel e qualidade. Atualmente a desempenhar funções como investigadora júnior na área das tecnologias do papel no Laboratório Colaborativo Almascience.

O mundo sempre evoluiu ao longo do tempo e o ser humano desenvolvia e escolhia os produtos consoante as necessidades que se manifestava. O ser humano tem vindo a investigar e a produzir novos produtos, mas, infelizmente, muitos dos produtos estão a ser usados inadequadamente e/ou descartados incorretamente.

Assim, o mundo já não é o mesmo que conhecemos desde que nascemos até hoje. Devido às nossas escolhas, a Terra não está a conseguir gerar novos recursos e observamos constantemente as alterações que existem ao nosso redor, seja a escassez de água ou os incêndios. Existem várias estratégias para mitigar a falta dos recursos, sendo uma delas a economia circular.

A economia circular é o tema mais ouvido nos últimos tempos, mas afinal o que é? A economia circular é a uma estratégia de modo a reduzir, reutilizar, recuperar e reciclar de materiais e energia. Deste modo, consiste em dar uma “segunda vida” aos produtos, prolongando o seu tempo de vida e reduzindo a produção de materiais com os recursos que a Terra nos fornece. A nossa escolha, enquanto consumidores, pode auxiliar às empresas que o cliente/utilizador a devem alterar o produto que produzem ou comercializam.

Nós, como consumidores e clientes, podemos optar por um produto que é possível reciclar ao invés de um produto que é descartável (ou seja, que apenas é possível usar uma única vez).

No supermercado, o mesmo produto pode vir com embalagens diversificadas, seja em papel, vidro, metal ou plástico. Nós podemos, por exemplo, optar por um produto com uma embalagem alimentar de metal que seja possível de reciclar, ao invés de usar um produto à base de papel para a área alimentar, por exemplo.

Na nossa casa, podemos escolher por reutilizar várias vezes o mesmo produto antes de o descartar. Um exemplo disso, que muitas vezes utilizávamos é o saco do pão. Podemos colocar este saco seja para transportar o pão, seja para o armazenar ou, simplesmente, para guardar o pão. Também podemos optar por comprar um frasco de vidro de feijão e, após usar o feijão, podemos usar o frasco de vidro para adicionar as especiarias, ou então, alterá-lo ao nosso gosto para decoração.

Até mesmo no local de trabalho, podemos fazer a diferença em termos da economia circular. Podemos escolher em escolher uma garrafa reutilizável de água que pode ser utilizada várias vezes, ao invés de usar um copo de água, que de seguida é descartado e, de certa forma, por vezes, não é colocado no ecoponto indicado.

Assim, até nós, consumidores, podemos contribuir para a economia circular seja no supermercado, nas nossas casas e/ou até mesmo nas nossas empresas. Tudo depende das nossas escolhas e do nosso poder de compra. Afinal de contas, nós podemos mesmo influenciar o mundo com pequenas coisas e, que muitas vezes, não dávamos a devida importância.

O futuro dos nossos filhos, dos nossos netos, da próxima geração depende das escolhas atuais e não queremos que alguém sofra pelas escolhas más que fizemos no passado. Uma má escolha pode não afetar no momento, mas com o tempo, tudo pode significar a sobrevivência da Terra e dos seus recursos.

PUB

218910333_904017513661701_8501182798823808285_n-1.png

PUB

mod-art-300-250.jpg

PUB

Claudia-Campanha-Bnh.jpg

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima