Equipa sensação deste ano

Julho 30, 2020 Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião
Lucy Santos

Olá a todos os leitores do BnH!

O objetivo desta época está concluído e jogámos estes 2 últimos jogos, não só para cumprir calendário, como também, deixar a última impressão, que é bastante importante.



Faltava jogar com o Belenenses, fora, e com o Paços de Ferreira, em casa.

Não iam ser jogos fáceis e a manutenção para o Belenenses ainda não estava garantida. Não foi um jogo “por aí além”, podíamos ter feito mais e melhor, criámos algumas oportunidades de golo, principalmente na primeira parte. No entanto, o Belenenses foi o contemplado a chegar à baliza do Gil Vicente e marcou, aos 88 minutos, o golo da vitória.

O jogo com o Paços de Ferreira foi o último, e bastante intenso. Duas equipas que jogavam sem objetivo, porque a manutenção estava garantida para ambas, e deram tudo nos 90 minutos de jogo. Num total de 6 golos, 3 para cada lado. O Gil Vicente acabou a época empatado com o Paços no último jogo da Liga NOS, no estádio Cidade de Barcelos.

O Paços de Ferreira adiantou-se no marcador aos 10 minutos, mas o Gil Vicente correu atrás e Rodrigo fez o golo da igualdade, aos 16m, e Kraev, logo a seguir, aos 20m, colocou os Galos em igualdade.

A resposta do Paços de Ferreira não tardou e Douglas Tanque fez o tiro certeiro para o empate. Íamos para o intervalo empatados a 2-2.

Os pacenses entraram melhor na segunda parte e apontaram o golo em contra-ataque, por Matchoi, que colocava o Paços em vantagem. O Gil não baixou os braços e continuava, ainda, com dificuldade a querer chegar à baliza adversária. Lourency entrou e marcou um belo golo que dividiu os pontos para as duas equipas. Ficaram, assim, na igualdade, com a promessa de se voltarem a reencontrar na I Liga na próxima época.

Foi uma época diferente do habitual, intensa, sem adeptos, mas que mostrou que esta equipa chegou, não se limitou a ficar a ver, jogou e alcançou uns 43 pontos, em que muitos poderiam apostar que seríamos a primeira equipa condenada a descer.

Um plantel, todos diferentes uns dos outros, ninguém se conhecia, mas com o maestro Vítor Oliveira a comandar (e que bem) a equipa que, por mim, é a equipa sensação deste ano.

O Mérito é vosso, o orgulho é nosso.

Obrigado 🙏!

Por: Lucy Santos*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima