Festa do Teatro com seis espetáculos de grupos de Barcelos

Junho 14, 2019 Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo

Iniciativa decorre de 22 de junho a 7 de julho

Depois da primeira edição da Festa do Teatro de Barcelos ter sido um sucesso, o Município de Barcelos realiza mais uma edição desta Festa, de 22 de junho a 7 de julho, “com o objetivo de promover e valorizar os grupos de teatro amador do concelho, bem como descentralizar o acesso à cultura, levando o teatro a várias freguesias do concelho e, simultaneamente, dinamizando diferentes espaços”, refere em nota.



A decorrer ao longo de duas semanas, esta mostra do teatro vai contar com espetáculos de seis grupos teatrais barcelenses em seis diferentes freguesias do concelho.

A Festa do Teatro começa no dia 22 de junho, às 21h30, com as peças “Menina Júlia”, para maiores de 12 anos, e “Viva a Paródia”, para maiores de 13 anos, pela Capoeira -Companhia de Teatro de Barcelos, no Auditório de Alvito S. Pedro, e pelo Grupo de Teatro Neiva “A Mó”, no Salão Paroquial de Cambeses, respetivamente.

No dia 6 de julho, às 21h30, é a vez do Auditório da Junta de Freguesia de Oliveira receber a peça “Trais pelos Dois”, pelo Grupo de Teatro Amador da Pousa “O Branselho”, que abrange todas as faixas etárias e, à mesma hora, o Salão Paroquial de Remelhe recebe a peça “Tira Dali a Menina”, pelo Grupo de Teatro Amador “Os Pioneiros da Ucha”, para maiores de 3 anos.

A Festa do Teatro encerra no dia 7 de julho, às 16h00, com a peça “TPE-Tudo para Enterros”, pelo TPC-Teatro Popular de Carapeços, para maiores de 6 anos, no Salão Paroquial de Macieira de Rates, e “O Genro Doutor”, na Sede de Junta de Freguesia de Areias de Vilar, pelo Teatro Experimental dos Feitos, peça para maiores de 6 anos.

“A iniciativa tem como principal objetivo a troca de experiências entre grupos, o desenvolvimento da arte teatral e a promoção de novos projetos teatrais”, continua a nota.

O Município de Barcelos, como membro da Rede de Cidades Educadoras e no enquadramento dos princípios da Carta das Cidades Educadoras, defende a necessidade de “construir uma cidade que se relacione com o mundo e que garanta liberdade de fruir a informação e a cultura”.

Fonte e imagem: CMB.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Até para o ano…

Não, caros leitores…não nos estamos a despedir de vós! Com o surgimento
Ir Para Cima