Fibrilhação Auricular: campanha internacional apela para a importância da deteção e do controlo

Novembro 16, 2020 Atualidade, Concelho, Mundo, Saúde

16 a 22 de novembro – Semana de Consciencialização para a Fibrilhação Auricular

“Detetar, Proteger, Corrigir e Aperfeiçoar” é o mote da campanha global lançada pela Atrial Fibrillation Association e pela Arrhytmia Alliance, que visa envolver organizações de todo o mundo naquela que é a Semana de Consciencialização para a Fibrilhação Auricular. Em Portugal é a Fundação Portuguesa de Cardiologia que se associa a esta iniciativa. O objetivo? Incentivar a deteção da Fibrilhação Auricular através de uma simples verificação do pulso. Um gesto e 30 segundos que podem salvar vidas.



Começa hoje, 16 de novembro, a Semana de Consciencialização para a Fibrilhação Auricular (FA), a arritmia cardíaca mais comum em todo o mundo, e a responsável por 20 a 30 % dos acidentes vasculares cerebrais isquémicos.

Para assinalar a data, a Fundação Portuguesa de Cardiologia associa-se à Atrial Fibrillation Association  e à Arrhytmia Alliance para dar a conhecer a campanha global que, sob o mote “Detetar, Proteger, Corrigir e Aperfeiçoar”, visa incentivar a deteção da FA através de uma simples verificação do pulso. Bastam 30 segundos.

Em Portugal, o papel da sensibilização e o apoio a esta campanha cabe à Fundação Portuguesa de Cardiologia, para quem a deteção precoce e o controlo da FA são fundamentais. O diagnóstico atempado da Fibrilhação Auricular pode revelar-se fundamental na prevenção de complicações como AVCs, insuficiência cardíaca, demência ou mesmo morte súbita. Apesar de estar associada à redução da qualidade de vida e a internamentos, sobretudo a partir de determinada idade, esta arritmia pode ser controlada através da gestão de comportamentos, hábitos de vida e medicação. Quanto mais cedo a detetarmos, maior a probabilidade de a controlarmos. Daí a importância deste tipo de campanhas, explica Manuel Carrageta, Presidente da Fundação Portuguesa de Cardiologia.

O mote desta campanha (Imagem: FPC)

Fibrilhação Auricular em Portugal

Os números não enganam: a partir dos 40 anos de idade, a prevalência da Fibrilhação Auricular entre os portugueses ronda os 2.5 %. Ao passar os 65 anos, uma em cada dez pessoas terá desenvolvido esta arritmia.

Embora bastante prevalente, grande parte dos casos de Fibrilhação Auricular é silenciosa. Só se deteta demasiado tarde e depois de deixar sequelas ou de um episódio grave, como é o caso de um Acidente Vascular Cerebral. A deteção precoce e o controlo desta arritmia são, por isso, fundamentais para a manutenção de uma boa qualidade de vida, sobretudo em determinadas faixas etárias.

A partir dos 65 anos, devemos ter particular atenção a sinais nem sempre claros como batimento cardíaco descoordenado, pulsação rápida e irregular, tonturas, sensação de desmaio, perda do conhecimento, dificuldade em respirar, cansaço, confusão ou sensação de aperto no peito.

É, por isso, aconselhável que, nestas idades, para além do controlo parâmetros como o peso, a tensão arterial ou o colesterol, se avalie o ritmo cardíaco e as pulsações de forma regular. Qualquer pessoa o pode fazer, de forma simples, através da auto-avaliação do pulso.

Prevenção do AVC

Uma vez diagnosticada Fibrilhação Auricular, o risco de AVC pode ser reduzido significativamente através de terapêutica anticoagulante. Tal como na maioria dos países europeus, em Portugal, as normas aconselham a que se ministrem os Novos Anticoagulantes Orais, também conhecidos como NOAC. Consoante a prescrição, a medicação poderá ser tomada uma ou duas vezes ao dia.

O bom controlo desta arritmia, e a consequente manutenção da qualidade de vida dependem, também, do cumprimento escrupuloso da terapêutica. Qualquer alteração, deverá ser validada pelo médico assistente.

Fundação Portuguesa de Cardiologia

A Fundação Portuguesa de Cardiologia é uma Instituição Particular de Solidariedade Social, de âmbito nacional, criada em 1979 e tem como objetivo geral a promoção da saúde e a prevenção, tratamento e reabilitação das doenças cardiovasculares, que constituem a principal causa de morte da população portuguesa.

As doenças cardiovasculares são a primeira causa de morte em Portugal e como tal a Fundação Portuguesa de Cardiologia acredita que a prevenção é um meio para combater este flagelo. Sensibilizar para a adopção de comportamentos saudáveis. Pequenos gestos do dia-a-dia podem fazer a diferença de uma vida! www.fpcardiologia.pt  

A Arrhythmia Alliance

A-A é uma aliança de instituições não governamentais, grupos de pacientes, cuidadores, e profissionais de saúde que em comum têm a pretensão de promover o diagnóstico e tratamento eficaz das arritmias. 

A Arrhythmia Alliance tem como objetivos melhorar o diagnóstico, o tratamento e a qualidade de vida de todos os portadores de arritmias; promover uma maior consciência em torno das arritmias cardíacas; promover o diagnóstico precoce de arritmias cardíacas; melhorar o tratamento de arritmias cardíacas e melhorar a qualidade de vida de pessoas com arritmias cardíacas

www.heartrhythmalliance.org

A Atrial Fibrillation Association

A Atrial Fibrillation Association é uma instituição não governamental registada no Reino Unido que tem como principal objetivo aumentar a conscientização sobre a fibrilação auricular (FA), fornecendo informações e materiais de apoio a pacientes e profissionais médicos envolvidos na detecção, diagnóstico e tratamento da fibrilação auricular. A AF Association trabalha em estreita colaboração com profissionais médicos, instituições de Saúde, governo, pacientes, cuidadores e membros de grupos de apoio a doentes.

www.heartrhythmalliance.org/afa/pt .

Foto: DR.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*