Gil Vicente FC fecha a época com empate a 3 frente ao FC Paços de Ferreira

Julho 25, 2020 Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo

Jogo marca a despedida de Vítor Oliveira e de alguns jogadores

Disputou-se ontem o último jogo desta Liga NOS para o Gil Vicente FC e FC Paços de Ferreira, no Estádio Cidade de Barcelos, com o empate a 3 golos a constar no marcador após o término da partida



Com arbitragem de Iancu Vasilica (AF Vila Real), auxiliado por Bruno Trindade e Tiago Mota, com Fábio Melo (AF Porto), o jogo contou com os seguintes alinhamentos:

Gil Vicente FC – Denis, Alex Pinto (Fernando Fonseca, 81’), Rodrigo, Ygor Nogueira e Rúben Fernandes (Edwin Vente, 83’), Soares (João Afonso, 64’), Kraev (Vítor Carvalho, 81’), Claude Gonçalves e Rúben Ribeiro, Samuel Lino (Lourency, 64’) e Hugo Vieira. No banco ficaram Bruno e Ahmed Isaiah.

FC Paços de Ferreira – Marco Ribeiro (José Oliveira, 89’), Bruno Santos, Marco Baixinho, Maracás e Reabciuk, João Amaral (Luiz Carlos, 89’), Stephen Eustáquio, Pedrinho (Diaby, 66’) e Adriano (Uilton, 74’), Matchoi (Hélder Ferreira, 66’) e Douglas Tanque. No banco ficaram André Micael, Bruno Teles, Welthon e Vasco Rocha.

Este jogo marcou a despedida do treinador Vítor Oliveira do comando técnico do Gil Vicente FC. O técnico matosinhense, que esta época regressou aos gilistas, pela terceira vez, para o regresso do Gil Vicente à Primeira Liga pela via administrativa devido à decisão judicial do “caso Mateus”. Vítor Oliveira tinha a espinhosa missão de construir uma nova equipa para os gilistas, que teve de se readaptar dos distritais para a realidade da principal competição do futebol nacional, com o plantel praticamente construído do zero.

O jogo começou calmo e com as duas equipas as estudarem-se mutuamente. A primeira oportunidade de golo foi para os forasteiros. O Paços de Ferreira, por intermédio de Pedrinho, num livre direto, a obrigar Denis a uma grande defesa para canto. Na sequência do lance, o Paços chega ao golo, aos 10 minutos de jogo. Canto batido por João Amaral, da direita, e o cabeceamento de Maracás para o primeiro golo do jogo.

O Gil respondeu aos 15 minutos com o golo do empate. Livre batido da direita, por Rúben Ribeiro, e Rodrigo, também de cabeça, a colocar a bola no fundo da baliza pacense, sem qualquer hipótese para o guarda-redes Marco Ribeiro.

E aos 21 minutos, o Gil chega mesmo à vantagem. Contra-ataque rápido, com Rúben Ribeiro a conduzir a bola da esquerda para o meio, a driblar um adversário e rematar para defesa do guardião Marco, mas na recarga, Kraev cabeceou para o 2-1.

Pouco depois, o Paços chega novamente ao empate, aos 28 minutos, por Douglas Tanque, que aproveitou um passe vindo da direita para “fuzilar” a baliza de Denis.

Até ao intervalo, o jogo foi divido, mas bastante disputado por ambas as equipas e o resultado ajustava-se.

O Paços entrou forte no segundo tempo e, aos 48 minutos, marcou numa jogada rápida sobre a esquerda, Tanque cruza a meia-altura para João Amaral, que falha a finalização à boca da baliza, mas no ressalto, a bola sobra para Matchoi, que rematou forte e colocou o Paços de Ferreira na frente do marcador.

O Gil respondeu com uma jogada de insistência de Lourency, acabadinho de entrar. Este rematou ao poste da baliza do Paços de Ferreira.

Aos 68 minutos, o Gil chega mesmo ao empate. Canto batido da esquerda por Rúben Ribeiro, Rodrigo cabeceia ao primeiro poste e Lourency, que entrou na partida a todo o vapor, emendou, “à boca da baliza” restabelecendo o empate a 3 bolas.

O jogo voltou a estar dividido, com o Gil a ter uma ligeira vantagem nas despesas de jogo, mas o resultado não mais se alterou até final.

Final de época para o Gil Vicente FC que, não será descabido dizer, ultrapassou todas as melhores – e reais – expectativas, batendo mesmo o seu recorde de pontos: 43, fechando o top-10 da classificação final.

Agradecemos a todos os nossos leitores por acompanharem estas nossas reportagens sobre a prestação do Gil Vicente FC na Liga NOS 2019/2020.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Vendas automáticas

As vendas automáticas encontram-se regulamentadas pelo Decreto-Lei nº 24/2014, de 14 de
Ir Para Cima