Hospital de Barcelos destacado em reportagem da RTP

Julho 23, 2018 Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo

A RTP realizou uma reportagem sobre a iniciativa do Hospital Santa Maria Maior, EPE – Barcelos colocar à entrada da urgência com o intuito de tentar “afastar” os utentes desta e redirecioná-los para um Centro de Saúde/Unidade de Saúde Familiar (USF) onde possam ser igualmente consultados.



Esta iniciativa, segundo a mesma reportagem, apanhou os utentes de surpresa. As opiniões não foram unânimes e nem todas foram positivas. Houve quem se mostrasse triste por ver tal cartaz, referindo que o “centro de saúde é para passar baixas e medicação, mais nada”. E quem tivesse afirmado ter ido a um centro de saúde, mas não ter ficado bem, recorrendo à Urgência deste hospital. No entanto, sendo doente não urgente, estava no sítio errado e teria que esperar horas.

A chamada “via rápida” que se estabeleceu entre este hospital e as USF da área já reduziu em 25% as falsas urgências, apenas em 2 meses. No entanto, ainda precisa de ser bem e muito explicado. Com mais de 70 mil atendimentos por ano, esta parceria já está a marcar a diferença neste hospital onde o tempo e o espaço está muito contado.

Rui Guimarães, diretor clínico do Hospital, explica, à RTP, as causas e motivações desta ideia: “Instalações antiquadas, com várias limitações estruturais e de equipamento. Portanto, pensámos que em cada dois doentes que entram aqui na urgência, um deles podia ter sido atendido com muito melhor qualidade junto do seu médico de família. Realmente, é uma ‘dor de cabeça’ e, por isso, temos que estar tão empenhados em conseguir retirar da urgência os doentes pouco urgentes”.

Sofia Leal, Coordenadora do Agrupamento de Centros de Saúde do Cávado (ACES Cávado), salienta que “já estamos apetrechados da capacidade de realização de análises clínicas e de raio-X. Verificámos que já ocorreu uma dedução de 25% das situações não urgentes, não emergentes no serviço de urgência local”.

O bloco operatório também notou diferenças, com um aumento de 33% de cirurgias no primeiro semestre, quase sem paragens no verão. São mais 1300 operações de ambulatório, só com duas salas e doentes que chegam de todo o país

Joaquim Barbosa, Presidente do Conselho de Administração do Hospital, refere que “na ortopedia temos doentes que chegam essencialmente do Algarve, já tivemos do Alentejo, Beja, designadamente, embora a maior parte dos utentes que nos procuram são de instituições vizinhas”.

Em oftalmologia, as listas de espera estão em contraciclo com as nacionais, reduzindo também por causa da captação de jovens médicos. Os rastreios têm das melhores taxas do país, tal como em pneumologia, algo que não impediu, por exemplo, ensaios clínicos inovadores.

Este hospital que parecia estar “condenado” ao encerramento, está agora, pela terceira vez, no 1º lugar do Grupo B, de hospitais de pequena dimensão, na avaliação independente feita a 41 dos 50 hospitais públicos portugueses.

Para assistir à reportagem, caso ainda não o tenha feito, basta clicar no link que se segue, que lhe permite entrar automaticamente:

https://www.rtp.pt/noticias/pais/linha-direta-entre-hospital-de-barcelos-e-centros-de-saude-reduziu-falsas-urgencias_v1088936

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Pin It on Pinterest

Shares
Share This

Partilha esta Notícia

Partilha com os teus amigos

Ir Para Cima