Já estamos servidos de móveis, obrigado!

Novembro 5, 2020 Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião
João Dias

Outubro fechou da pior forma possível, derrota clara na “Capital do Móvel”, onde já começa a ser um hábito para o F.C. Porto perder pontos nesta difícil deslocação. Sérgio Conceição alertou para tal, na pré-conferência de imprensa, mas de nada adiantou. Já vi criticarem os jogadores, já vi criticarem o treinador e, como em qualquer resultado negativo, criticarem a atual direção, mas a minha opinião sobre este jogo é clara: é daqueles jogos em que estava destinado perder e pronto!



Admitindo-me como um adepto demasiado conservador e de confiança nas pessoas que lá estão, sei perfeitamente que se o livre do Sérgio Oliveira (quando o resultado ainda estava 1-0) bate no poste e entra, ao invés de bater no poste e sair, o jogo seria completamente diferente e o Porto, provavelmente, ganharia o jogo com toda a naturalidade. O Paços ganhou e ganhou bem! Não há nada a inventar nesta análise, MAS, teve a sorte (que também se trabalha) de marcar golo num dos primeiros lances de perigo que cria, e isto muda completamente o sentido do jogo. Com um Porto à procura de reduzir a desvantagem, com a ausência importantíssima de Pepe, com um Diogo Leite completamente perdido…foi ligeiramente mais fácil para a equipa do Paços chegar ao 2-0 ainda antes do intervalo! O Porto consegue reduzir, por penálti, mesmo em cima do apito de intervalo, e vai para o balneário com a derrota pela margem mínima. No segundo tempo foi mais do mesmo: um Porto a correr atrás do prejuízo, deixando a defesa descompensada, onde, naturalmente, o Paços ia criando perigo. O 3º golo do Paços de Ferreira acaba por ser de penálti, após mão de Marega, e o Porto reduz para 3-2 com um grande remate de Otávio por volta do minuto 78. O pouco fio de jogo que o Porto apresentava não permitiu que chegássemos ao empate, foi um dia mau, um jogo mau, faz parte!

Ainda acerca deste jogo, cabe-me realçar a prestação da equipa de arbitragem. Talvez uma das prestações mais infelizes da presente temporada, de onde a única boa notícia foi que a equipa prejudicada (Paços de Ferreira) saiu na mesma com os 3 pontos! Agradeço a menção do meu colega Ricardo Esteves, na crónica destinada ao Benfica, que pelos vistos também teve “Boavista” para analisar este jogo. Sugiro também que analise os nossos jogos na Champions já que, pelo menos este ano, têm as terças e quartas-feiras livres.

Brincadeiras à parte, espero que sempre assim seja, a equipa beneficiada acabe por perder a partida, pois assim não abrimos espaço para os normais debates de fim de campeonato onde se acusa de na jornada “x, y e z” não mereceram determinados pontos. O Porto foi beneficiado, mas na tabela subiu zero pontos, portanto tudo na mesma! Não sei se o meu colega Ricardo poderia dizer o mesmo sobre a reta final do campeonato 2018/1019, contra equipas de Vila de Conde, Vila das Aves, etc…e essas custaram pontos, diria mais, custaram campeonatos. Mas estamos aqui para viver e opinar sobre o presente e eu não tenho dúvidas: em maio, o Porto estará em festa e eu estarei nos Aliados a celebrar!

O rastilho para esta minha esperança deu mais um passo importante nesta terça-feira de Champions League, vitória expressiva do F.C. Porto por 3-0, num jogo que parecia complicado mas que, com um golo madrugador de Marega, se revelou um verdadeiro passeio pelo relvado azul e branco. E este jogo fez-me tanto, mas tanto, lembrar o de Paços de Ferreira, porque simplesmente os papéis inverteram-se! Acredito que se o Porto não marcasse tão cedo, poderia ter um jogo dificílimo pela frente, como o tiveram o Man. City e Olympiacos quando defrontaram esta equipa. O golo aos 4 minutos permitiu ao Porto gerir o jogo e só não dilatou o marcador para números humilhantes porque os jogadores da frente de ataque estavam com demasiada “cerimónia”. O 2-0 surge de penálti, já depois do Marselha ter desperdiçado um, com mais um golo de Sérgio Oliveira – está numa forma incrível. O 3-0 nasce de uma das “infinitas” jogadas de contra-ataque que o Porto teve, em superioridade numérica, onde Corona deixa a redondinha ao encargo de Luis Díaz e este atira a marcar, num golo de belo efeito.

Temos 6 pontos, com duas vitórias e uma derrota, melhor cenário era quase impossível, perdemos com o favorito do grupo e ganhámos às duas equipas que ombreiam connosco a passagem à próxima fase. Acredito que com apenas mais uma vitória consigamos obter o 2º lugar do grupo e, assim, garantir o acesso à próxima fase da competição.

Um bem-haja a todos os amantes do desporto, aos Barcelenses e outros possíveis leitores por este mundo fora.

Viva o F.C. Porto! Viva o F.C. Porto!

Por: João Dias*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Seguimos Líderes

Bem-haja, caros leitores do Barcelos na Hora. Desta feita, não facilitámos minimamente
Ir Para Cima