Jovens barcelenses embarcam em aventura pela Ásia apenas com a “mochila às costas”

Fevereiro 18, 2018 Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo

Ana e João Manuel são dois jovens barcelenses que decidiram partir numa aventura pelo continente asiático, aventura essa que iniciaram em finais de novembro último.



Ela, Ana Mano, formada em Turismo e com Mestrado em Gestão na área de Marketing, em Aveiro. Ele, João Manuel, também estudou Turismo mas em Coimbra. Como somos todos diferentes, nem que apenas um pouco, ele é “mais sonhador e confiante, ela mais prudente e terra-a-terra”, conforme nos contam no seu blog de viagens “Mais pra Lá”. Aí, também ficamos a saber que Ana é mais apologista da organização e do planeamento. Já João é mais de valorizar o momento e do “deixar acontecer”.

Muita gente sonha em partir à aventura por esse mundo fora. Muitos há que até fazem planos na sua cabeça e formulam desejos de Ano Novo. Mas, depois…bem,…depois não avançam, ou por receio, ou por falta de tempo e dinheiro. Enfim, são mais as “desculpas” para não o fazerem do que para o contrário. Mas Ana e João fizeram! Aventuraram-se de mochila às costas, um bilhete de ida e muita vontade de explorar esse imenso continente que é a Ásia.

Pelo meio da viagem e dos afazeres a que se propõem, Ana e João acederam a responder, por escrito, a algumas questões que o Barcelos na Hora lhes colocou, para ficarmos a conhecer melhor este seu projeto comum, esta sua aventura por terras asiáticas.

BnH: Quando iniciaram esta aventura?

Ana e João: Saímos de Portugal no dia 29 de novembro de 2017, mas já levávamos connosco um ano e meio de preparação. Desde trabalhar para juntar dinheiro a toda a pesquisa necessária, tudo fez já parte da viagem.

BnH: Ambos estudaram Turismo fora de Barcelos. Essa parte do vosso trajeto de vida influiu na vossa decisão de embarcarem nesta viagem?

J: Penso que não. Se tivesse seguido outra área de estudos, a curiosidade de conhecer outras partes do mundo teria vindo ao de cima da mesma forma. No entanto, o ter estudado Turismo acabou por ajudar a entender as várias formas de o fazer e a traçar o estilo de viagem que eu realmente gostava de realizar.

A: Também acho que não. Aliás, creio que será precisamente ao contrário. O gosto por viajar é que me fez querer estudar Turismo. A vontade de conhecer o mundo vem muito mais lá de trás.

BnH: Sempre gostaram de viajar e “andar por aí”?

A: Desde pequenina dizia que queria ser turista e conhecer o estrangeiro, mesmo ainda não tendo noção da dimensão do mundo e do que isto significava. Talvez porque na altura não tinha essa oportunidade. Só mais tarde, aos poucos e com as minhas poupanças, fui começando a fazer umas pequenas viagens primeiro pela Europa, até que a vontade de conhecer se expandiu aos outros continentes.

J: Eu era muito mais de “andar por aí” do que propriamente de viajar. Passeava aqui e ali com os amigos e já tinha feito pequenas viagens com os meus pais nas férias deles. Mas viajar mesmo, para longe e por minha conta, só quando comecei a conseguir suportar eu as despesas que isso implicava (que até não são muitas). A vontade de ir já existia mas o gosto desenvolveu-se com as primeiras viagens.

BnH: Quais os objetivos deste vosso projeto pessoal, deste vosso “sonho”?

Ambos: O objetivo é obviamente conhecer novos sítios. Mas isso tem muito que se lhe diga quando se viaja de mochila às costas. Conhecer esses novos sítios passa por conhecer novas formas de viver, novas formas de estar, de fazer, de sentir… É conhecer novas pessoas. Ter novas experiências, melhores e piores. Conhecermo-nos melhor a nós mesmos. Questionar e aceitar. Crescer. Deixar também um pouco de nós por onde passamos.

Pode parecer muita coisa, mas tudo isto são partes essenciais do que parece tão óbvio, o objetivo de conhecer novos sítios.

BnH: Este era um sonho pessoal que já tinham ou surgiu após se “cruzarem” em 2007?

J: Em 2007, eu tinha 15 anos, andava preocupado com outras coisas naturais dessa idade. A vontade de ir ‘Mais pra Lá’ surgiu algures nos tempos de faculdade quando o que via todos os dias começou a não ser suficiente e quando outras indagações pessoais começaram a ganhar mais importância. O viajar pareceu ser uma boa resposta que trouxe as respostas a essas mesmas indagações.

A: Este sonho surgiu para mim algures entre as pequenas viagens que fiz e as experiências Erasmus que tive. Surgiu a partir dos viajantes mais experientes que fui conhecendo e que foram partilhando comigo as suas aventuras e rotas. Foi-se assim alimentando o meu sonho de percorrer o sudeste asiático…até que o medo de ir sozinha e o medo de largar tudo foram ultrapassados pela curiosidade que crescia em conjunto com a forma de estar do João que dizia “Bora lá!”.

BnH: Conseguem dizer-nos, para já, quais os momentos que vos marcaram mais?

Ambos: Esta é difícil. Como experiências mais marcantes talvez as aulas de inglês que demos às crianças durante o voluntariado na Tailândia mas também a semana que passámos na ilha de Ko Ta Kiev, no Camboja. Como momento singular podemos dizer que foi um pôr do sol numa pequena ilha no rio Mekong, em Kratie, no Camboja. Numa praia completamente deserta, onde só estávamos nós, uma água de coco e um pôr do sol lindo de cores quentes.

J: Acrescento também o momento em que comprámos a mota que nos está a levar desde o Sul até ao Norte do Vietname. Era uma coisa que ambicionava fazer já há algum tempo! 😛

BnH: Por fim, que caminhos desse imenso Continente ainda pretendem percorrer? Quando pensam voltar a “terras do Galo”?

Ambos: Até agora contamos já com a Tailândia, o Camboja e o Vietname. O próximo destino é o Laos, de onde seguiremos para o Mynamar, a Malásia, Singapura, a Indonésia, talvez o Brunei e ainda Timor-Leste. Este é o plano, mas privilegiamos a espontaneidade. Pode haver mudanças. Não temos data de regresso. Dependerá, para além do orçamento, de quando sentirmos que é tempo de voltar.

Foram estas as respostas dos nossos aventureiros barcelenses, que para além de “turistarem”, também ajudam as comunidades por onde passam, conforme pode constatar nas respostas que ambos nos deram mas, igualmente, no “diário” que vão registando no referido blog que criaram.

Aliás, caso pretenda visitar essa página, basta clicar no link que se segue e poderá aceder automaticamente: https://maisprala.weebly.com/ ou sempre pode visitar a página no Facebook: https://www.facebook.com/maisprala/ .



Resta-nos, primeiro, agradecer à Ana e ao João pelo tempo que dispensaram para nos responder às questões e pelas fotos que surgem nesta reportagem, que são de sua autoria. Segundo, resta-nos desejar a ambos a continuação de uma ótima aventura, a realização dos sonhos e projetos a que se propõem e, principalmente, um retorno “são e salvo” a terras barcelenses. Muito obrigado, Ana e João!

Fotos: “Mais pra Lá” / Ana Mano e João Manuel.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima