Kramer vs. Kramer

Setembro 18, 2019 Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião
Hugo Pinto

O título desta semana foi “apanhado” de um magnifico clássico da sétima arte, do virar da década de setenta (mais exatamente, de dezembro do belíssimo ano de 1979), tendo como protagonistas, em brilhantes representações, Dustin Hoffman e Meryl- Srª Cinema-Streep.



Deixo, para os que se perguntam o que tem este título a ver com o último jogo do Benfica, esta resumidíssima sinopse. Trata-se de um drama entre um casal, os Kramers, e do seu divórcio. Neste, o casal, e mais especialmente o seu filho, veem-se enredados numa trama tal, que os próprios se colocam em situações em que protagonizam cenas de total crueldade psicológica (de um para outro), sem que isso seja o que realmente desejavam. Enfim, vale realmente a pena (re)ver.

Ora, este fim de semana, o adepto do futebol que simultaneamente aglomere as condições de barcelense e de Benfiquista, teve um pouco do sentimento de um dos Kramers. Queríamos a vitória do Glorioso, mas sofremos terrivelmente por ser contra o nosso Gil Vicente.

Jogo sem muita história, com o Benfica a fazer o seu jogo costumeiro, mas com uma vitória mais magra do que é habitual. Muito por mérito do nosso Gil, que não sendo propriamente uma equipa para acabar nos primeiros seis, se continuar a jogar desta forma pode, perfeitamente, sonhar com um lugar digno de registo no final da temporada, e bem longe dos lugares de despromoção.

Continuo a destacar as exibições de Kraev. E, por isso, lhe dedico um parágrafo. Este búlgaro tem futebol por todo o lado. Nos pés, no coração e, se calhar mais importante, na cabeça. A simples forma como toca a bola, a forma como se posiciona ofensiva e defensivamente, fazem dele um dos melhores box-to-box a atuar no nosso campeonato. Vai longe. Oxalá ajude muito o nosso Gil. Força rapazes. Força mister Vítor Oliveira.

Termino desejando a melhor das sortes também para o nosso Vermelhinho, que recebe um dificílimo e quase sempre subestimado RB Leipzig.

A melhor das sortes também na Liga e que nunca necessitemos de ganhar nenhum jogo (praticamente) no início do tempo regulamentar do jogo da jornada da semana seguinte. You know what I mean…

Viva o glorioso.

E Pluribus unum.

Por: Hugo Pinto*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

[Ndr: este artigo foi enviado pelo autor antes do jogo SL Benfica-RB Leipzig, a contar para a Liga dos Campeões, realizado a 17.09.2019]

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima