Não me subestimes…

Agosto 8, 2019 Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião
Joana Martins

Passeando por degraus de papel

Daqueles que, quando a chuva cai, amolecem

Pinto de cores com pincel

Aranhas que as suas teias tecem.

.

Presa em teias,

De sentimentos que me fazem sentir frágil

Sinto correr-me nas veias

Rios de uma alma ágil.

.

Não me subestimes

Por parecer quebrar, de vez em quando.

Em voos sublimes

Levanto-me como um pássaro em bando.

.

Não me subestimes

Vejo mais do que aparento

Sei de crimes

Daqueles que nos matam por dentro.

.

Sou flor que brota da escuridão

Da dor que me fez sangrar

Lambo a ferida como um leão

E rosno a quem me tenta magoar.

.

Não me subestimes…

Sou muito mais!

Não em ter,

Mas em ser…

Não me subestimes, posso surpreender…

.

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Perdida em mim…

Vagueio na solidão Sem saber para onde vou Só, de mim, Perdida
Ir Para Cima