O impacto das causas emocionais no nosso corpo

Julho 26, 2020 Atualidade, Concelho, Mundo, Opinião, Saúde
Cláudia Velez

“Aquilo em que eu acredito”.

Aquilo que pensamos e acreditamos sobre nós próprios torna-se a nossa verdade, a nossa realidade. Através dos nossos pensamentos e dos nossos sentimentos, criamos as nossas experiências de vida.



Por hábito, podemos ter o mesmo pensamento inúmeras vezes, ao ponto de parecer que não estejamos a escolher. No entanto, fizemos a escolha inicial em ter este pensamento, muitas vezes de forma inconsciente. Podemos recusar ter pensamentos negativos, aqueles que sabemos que não nos trazem qualquer benefício, pelo contrário, prejudicam o nosso corpo, tornando uma doença emocional em doença física.

Todos nós conhecemos pessoas positivas, que conseguiram com maior facilidade enfrentar e vencer uma doença difícil.

É como se o nosso estado emocional fosse o comando do nosso corpo e os sintomas o barómetro a seguir.

Através da Programação Neurolinguística (PNL) compreende-se que as reações do corpo estão diretamente ligadas a canais de acesso à mente inconsciente. Deste modo, a raiz das doenças comunica com todas as partes do cérebro, o que comprova que os pensamentos ou sentimentos negativos estão diretamente relacionados ao aparecimento de doenças, quando estes permanecem por muito tempo, no nosso corpo.

Um pensamento crónico negativo transforma o nosso corpo, através de reações químicas comandadas pelo cérebro.

Segundo o Dr. Quimby, hipnoterapeuta, “a doença é uma modalidade da ilusão, é uma das causas principais do seu aparecimento, é a transmissão hereditária da falsa ideia de que a doença surge de uma causa material”.

Através do autoconhecimento, podemos eliminar da nossa mente os aspetos negativos que causam a somatização das doenças.

Para conseguirmos controlar a nossa vida, é preciso controlarmos a nossa mente, através da escolha de palavras e pensamentos. E ninguém, se não nós, é o dono da nossa mente.

O sintoma é apenas um efeito externo do que se passa dentro de nós. Precisamos de ir ao nosso íntimo para eliminar a causa mental. O que explica que ter força de vontade ou disciplina, não funciona, já que atua apenas no efeito externo.

“Enquanto não libertares as emoções negativas do teu corpo, ele vai reclamar”.

Os modelos mentais que mais causam doenças no corpo são a critica, raiva, ressentimento e culpa.

O hábito de criticar tudo resulta em doenças, como artrite. A raiva traduz-se em erupções e infeções. O ressentimento guardado por muito tempo, dá origem a tumores e cancro.

Nas minhas sessões, trabalho camada antiga sobre camada. Cada camada tem de ceder, para ser substituída por uma nova maneira de pensar. Quando limpamos um padrão mental e surgem novas ideias, toda a nossa sombra vem à superfície, para que o velho dê lugar ao novo padrão mental. Para isso acontecer, temos de estar dispostos a mudar.

Porém, enquanto não olharmos de frente para nós mesmos, sobrevivemos, em vez de vivermos.

O nosso corpo irá dar-nos todos os sinais do que temos de mudar.

“Muda a tua mente, muda o teu corpo”.

Por: Cláudia Velez* (EneaCoach Transformacional)

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Imagem: DR.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima