O papel das associações nos conflitos e paz mundial

Abril 2, 2021 Ação Social, Atualidade, Concelho, Mundo, Opinião

No mês de abril é convidada a escrever no nosso espaço a Manuela Briote. Advogada e presidente do Rotary Club de Barcelos fala um pouco da sua organização, da sua presença a nível mundial, da sua influência na resolução de conflitos e contributo para a paz mundial. O Rotary Club é uma organização parceira da Intensify World que em conjunto já participaram em várias atividades de intercâmbio cultural, solidariedade, partilha de recursos.

Manuela Briote

O Rotary tem uma longa história na promoção da paz e combate às causas dos conflitos no mundo. Desde a Convenção de 1914 no Canadá, semanas antes da Europa virar palco de guerra, que o Rotary luta pela manutenção da paz entre as nações.

Procuramos obter recursos e apoiar iniciativas em prol de um mundo mais pacifico, transformando ideias ambiciosas em realidade. Atualmente 70 milhões de pessoas estão deslocadas, fugindo das suas origens em resultado de conflitos, violência, perseguição e violação dos direitos humanos.

Custa-nos aceitar essa realidade, ainda mais sabendo que metade destes números se referem a crianças. Qual será o tamanho do desespero de um pai para colocar o seu filho num barco á deriva em busca de uma possibilidade de vida melhor e sem saber se algum dia o vai voltar a ver. Qual é o desespero das pessoas que largam tudo, casa, estudos, trabalho, família, amigos… e partem em fuga sem qualquer meio de garantir o sucesso da sua decisão.

O Rotary Club de Barcelos sensível a esta realidade lançou a discussão sobre este tema, numa conferência online no passado dia 23 de Fevereiro onde contou com o testemunho de quem acompanha grupos de refugiados que chegam a Portugal e são acolhidos e encaminhados por diversas associações que lhes dão apoio logístico e burocrático inicial.

Contou ainda com o testemunho na primeira pessoa de alguns migrantes que se encontram a residir em Portugal e que apesar da dificuldade em partilhar memorias das suas origens, demonstram uma capacidade impressionante de resiliência, lutando com a difícil tarefa manter vivas as suas culturas e tradições e se adaptar e integrar na nossa comunidade.

Provam que são capazes, acrescentam riqueza ao nosso país e desenvolvem conhecimentos que os capacitam trabalhar em prol de um mundo melhor, para mudanças duradouras nas suas comunidades. Muitos deles participam em programas de liderança, onde adquirem conhecimentos e ferramentas de verdadeiros líderes, como é o caso do Programa “Elevate Leadership – Young Leaders Development Program” uma iniciativa sem fins lucrativos que integra a Academia Paul Harris, um projeto dinamizado pelo Rotary Distrito 1970, em parceria com a Fundação AEP e a Universidade Católica Portuguesa (UCP). O Programa contou ainda com a parceria da Plataforma de Apoio aos Refugiados – JRS Portugal.

Cujo objetivo de dar a possibilidade aos jovens desenvolverem competências transversais de liderança, fundamentais no mundo atual, tendo por base a ética e os valores Rotários preparando assim os participantes para melhor enfrentarem o mercado de trabalho e os desafios globais.

Ainda existe um longo caminho a percorrer, mas acredito que mudando mentalidades conseguiremos alcançar a paz mundial. E no que depender do Rotary Club de Barcelos iremos continuar a criar impacto e mudanças duradouras.

“Quero fazer algo para prevenir guerras, e não para remediar suas consequências.”

Robert Opira Bolsista do Centro Rotary pela Paz

Por: Manuela Briote *

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

PUB

218910333_904017513661701_8501182798823808285_n-1.png

PUB

Captura-de-ecra-2021-04-12-as-11.19.30.png

PUB

Claudia-Campanha-Bnh.jpg

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima