Óquei de Barcelos com derrota pesada frente ao Sporting

Dezembro 16, 2017 Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo

A contar para a 9ª jornada, o Óquei Clube de Barcelos (OCB) deslocou-se a Lisboa para defrontar, no Pavilhão João Rocha, o 1º classificado da 1ª divisão, o Sporting.



Com 24 pontos e treinada por Paulo Freitas, a equipa da casa iniciou com André Girão, João Pinto, Matías Platero, Vítor Hugo e Pedro Gil. No banco iniciaram Zé Diogo, Ferran Font, Manuel Coimbra, Caio, Toni Pérez e Henrique Magalhães.

Já os de Barcelos, orientados por Paulo Pereira, iniciaram com Ricardo Silva, Juan López, Zé Pedro, Hugo Costa e João Almeida. De início, no banco, estavam André Almeida, Joca Guimarães, Pedro Silva, Afonso Lima, Rúben Sousa e Marinho.

O jogo foi arbitrado pela dupla Rui Torres (AP Minho) e José Pinto (AP Porto).

O jogo começou intenso com o OCB a marcar primeiro por Marinho, aos 15 minutos, ficando a sensação de ter sido um autogolo de um sportinguista, ao evitar que a bola chegasse ao jogador do OCB. No espaço desse mesmo minuto, Toni Pérez restabeleceu a igualdade, que foi desfeita, logo no minuto seguinte, por Henrique Magalhães, numa stickada de longe e perante a passividade da defensiva barcelense, dando a volta ao marcador. Aos 19m, Afonso Lima foi admoestado com um cartão azul. Na marcação do correspondente livre direto, Pedro Gil obriga Ricardo Silva a grande defesa. Quando todos pensavam que iria tentar marcar na recarga, assiste Ferran Font que bate o guardião do OCB. Assim, ao intervalo o marcador registava um 3-1 para os da casa.

Após o reatamento, logo aos 6m, Vítor Hugo aumentou a contagem para os lisboetas. No mesmo minuto, Rúben Sousa não marca uma grande penalidade. Meia dúzia de minutos depois, o espanhol Pedro Gil voltou a marcar, aumentando o score para os de Alvalade. Aos 16m, João Almeida reduziu para 5-2. No entanto, no minuto seguinte, Caio, na marcação de uma grande penalidade, desfeiteou o guardião barcelense, fazendo o 6-2. A quase 2 minutos do final, foi de novo Pedro Gil a marcar e a fechar o resultado: 7-2 para os da casa.

Apesar do “desnível” no marcador, o jogo foi muito intenso, com poucas faltas – nenhuma equipa chegou sequer à 10ª falta – e com o OCB, por exemplo, a ter mais remates. Mas, como sempre em desportos de golos e pontos, ganhar quem marca mais.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima