Óquei de Barcelos sai de Paço de Arcos com empate a três golos

Março 24, 2018 Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo

O Pavilhão Gimnodesportivo de Paço de Arcos recebeu, para 19ª jornada do Campeonato da Primeira Divisão de Hóquei em Patins, o Paço de Arcos-Óquei Clube de Barcelos (OCB). Arbitrado por Jaime Vieira (AP Alentejo) e José Eduardo Pereira (AP Pico), este jogo opunha o 9º frente ao 6º.



O Paços de Arcos alinhou de início com Diogo Almeida, Diogo Silva, André Centeno, Tiago Losna e Gonçalo Nunes. Luís Duarte, técnico dos da casa, deixou no banco, de início, Diogo Rodrigues, Tiago Gouveia, Rui Pereira, Nélson Ribeiro e Daniel Homem.

Já Paulo Pereira, técnico do OCB, optou por Ricardo Silva, Juanjo López, Zé Pedro, Joca Guimarães e Rúben Sousa para o cinco inicial, deixando no banco André Almeida, João Almeida, Hugo Costa, Afonso Lima e Marinho.

O jogo começou a bom ritmo, com o OCB a beneficiar da primeira grande oportunidade, logo aos 6 minutos. Rúben Sousa, na marcação de uma grande penalidade, não conseguiu desfeitear o guarda-redes da casa. O jogo foi continuando sem momentos de grande destaque até que João Almeida abriu o marcador, para o OCB, aos 18 minutos. O treinador da casa pediu logo desconto de tempo, para reorganizar as ideias. No entanto, continuou o OCB a mandar no jogo. Até que aos 24 minutos, Marinho, na marcação de uma grande penalidade, aumentou a vantagem para a equipa “óquista”. Poucos segundos depois, Nélson Ribeiro é admoestado com cartão azul. Desta feita, Marinho não conseguiu ultrapassar a barreira do guarda-redes do Paço de Arcos. Acabou por ser um último minuto cheio de emoção e ação. Assim, ao intervalo, o marcador apontava para um 0-2 a favor do OCB.

Ao contrário da primeira parte, e mostrando que o balneário lhes fez bem, os “homens da Linha” entraram muito bem depois do reatamento. Aos 8 minutos, Rui Pereira reduziu para o Paço de Arcos e logo no minuto seguinte, Gonçalo Nunes restabeleceu o empate, no caso, 2-2. O jogo ficou mais animado e frenético. O guarda-redes da casa, Daniel Rodrigues é admoestado, aos 12 minutos, com cartão azul, após falta. No entanto, Marinho não conseguiu concretizar em golo a correspondente grande penalidade. O jogo continuou bem disputado, renhido, de “parada e resposta”. A 2’20’’do fim, Joca Guimarães foi admoestado com um cartão azul, por portestos, na sequência da 10ª falta de equipa. Gonçalo Nunes não conseguiu bater o guardião “óquista” na marcação do livre direto. Depois da equipa passar por estes calafrios, João Almeida apontou o terceiro golo do OCB, a 1’24’’ do final do jogo, em situação de inferioridade numérica. Só que os da casa não se viram rogados e, estando eles, obviamente, em situação de superioridade numéria (power-play), tornaram a igualar o marcador, agora a 3 golos, por intermédio de Daniel Homem, a 45 segundos do final.

Desta forma, fechou o jogo, com um empate a 3 golos, que parece “penalizar” mais o OCB pois a equipa barcelense esteve com uma vantagem de 2 golos ao intervalo mas “permitiu” à equipa da casa as veleidades suficientes para esta se recolocar no jogo e, pelo menos, empatá-lo.

Na próxima jornada, o OCB recebe o SL Benfica, naquele que se prevê um grande jogo, com grau de dificuldade muito elevada para os homens de Paulo Pereira.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima